Casa

Posts na categoria Casa.

16 Jul 2014

A rotina diária essencial para manter a casa em ordem

Ter uma rotina diária com algumas tarefas básicas ajuda a manter a casa em ordem sem muito esforço e sem deixar acumular para os finais de semana. Já escrevi algumas vezes aqui no blog sobre esse assunto, mas atualmente cheguei a uma rotina diária que me atende bem, então resolvi compartilhá-la com vocês.

Eis a minha rotina diária:

  1. Arrumar as camas - Ao acordar, em menos de 3 minutos (uma cama de casal e uma cama de criança). Meu filho ajuda a arrumar a cama dele (ele tem quatro anos).
  2. Organizar as correspondências - Eu sou a responsável por processar o que chega diariamente de papelada – centralizo na caixa de entrada, separo o que for para tomar alguma providência (ligar etc.), conta para pagar, algo para digitalizar ou arquivar.
  3. Destralhar - Com uma sacola de plástico na mão, percorro o apartamento e vou juntando o que é lixo (embalagens, papéis amassados, picotes de correspondências e outros do tipo).
  4. Cuidar da alimentação - De alguma maneira, há algo a se fazer todos os dias: preparar uma refeição, anotar o que está faltando na despensa para a próxima compra, tirar algum alimento do congelador, preparar algo com antecedência e congelar etc. Todos os dias é importante acompanhar se está tudo sob controle. Lembrando que o planejamento mesmo a gente faz no menu semanal, justamente para não ter que perder muito tempo com o assunto ao longo da semana.
  5. Repôr o que estiver faltando - Papel toalha, papel higiênico, pasta de dente, shampoo, sabonete, condicionador, detergente, esponja de cozinha, canetas, blocos de papel perto do telefone e por aí vai. O importante é fazer a conferência diária (rapidamente) e repôr se estiver faltando alguma coisa.
  6. Esvaziar todas as lixeiras - De noite, depois de já ter feito comida e destralhado a casa, troco as sacolas das lixeiras (banheiros, cozinha, escritório).
  7. Limpar as superfícies da cozinha - Gosto de limpar a mesa e os balcões da cozinha todos os dias.
  8. Lavar a louça - Acho que por ser seguidora da FLY Lady, não consigo dormir com a pia suja. Portanto, gosto de lavar a louça e manter a pia limpa de um dia para o outro. Meu marido e eu alternamos nessa tarefa.
  9. Varrer /aspirar / esfregar o chão da cozinha - Acho importante tomar alguma providência com relação ao chão da cozinha diariamente. Quando tenho menos tempo, varro ou aspiro o pó. Se tenho um tempinho, gosto de passar um pano umedecido em água para limpar melhor ou usar um esfregão nas partes mais difíceis. Meu marido e eu alternamos nessa tarefa.
  10. Aspirar os tapetes e cantos - Passamos o aspirador de pó nas áreas de maior circulação porque meu marido e meu filho têm alergia a pó. Meu marido costuma cuidar disso, mas eu faço quando ele não pode.
  11. Cuidar da lavanderia - Sou adepta da técnica de cuidar todos os dias um pouco das roupas. Guardo toda a roupa suja em um único cesto, coloco roupa para lavar, estendo, passo algumas, guardo outras – enfim, alterno as atividades de acordo com a necessidade, mas todos os dias acho importante fazer um pouco. Meu marido e eu revezamos aqui também.
  12. Guardar o que estiver fora do lugar - Nem que sejam algumas poucas coisas, faço uma ronda pelo apartamento guardando o que estiver fora do lugar. A dança dos cômodos ajuda muito nessa tarefa.
  13. Dar uma geral no banheiro - Depois de escovar os dentes, dou uma geral na pia do banheiro, tirando aqueles restos de pasta e outras marcas. Jogo desinfetante na privada, fazendo uma breve limpeza com a escova (para não manchar o vaso). Troco a toalha de rosto, se necessário.

Essas são tarefas esparsas que duram poucos minutos e podem ser feitas ao longo do dia por todos os moradores, sem sobrecarregar ninguém. Houve uma época em que eu fazia sozinha todas elas, assim como meu marido, e dá para sobreviver. É o básico que a gente tem que fazer para a casa se manter em pé.

Para tarefas semanais ou com frequência maior, visite o post com o cronograma de limpeza doméstica para mais informações.

15 Jul 2014

Como organizar um quarto dividido por duas crianças

100714-como-org-quarto

Dividir o quarto é comum e saudável para as crianças. Veja algumas dicas para organizar o cômodo:

  • Faça com que cada filho tenha o cantinho dele e personalize o que for seu. Nada de lençóis iguais por motivos estéticos, por exemplo. Conhecendo os gostos dos seus filhos, use a roupa de cama com suas cores preferidas, personagens que gostam, objetos que lembrem algum hobby, quadros e outros objetos.
  • Maneiras de organizar os objetos tendo um desses para cada um: baú, prateleira, criado-mudo, porta do armário, estante. Escolha uma cor para cada filho e use-a para diferenciar esses espaços.
  • Não guarde brinquedos que não sejam usados, que á tenham passado da idade dos seus filhos. O espaço é muito precioso e, quanto menos coisas tiverem, melhor. O que sobrar, organize nos espaços de armazenamento disponíveis (estantes, prateleiras, baús). Miudezas devem ser guardadas em cestos ou caixas para não se perderem.
  • Se um filho for bebê e o outro mais velho, deixe um lado do quarto para cada um, personalizando com as cores e o estilo de cada filho. Veja na imagem abaixo um exemplo.
Imagem: G1

Imagem: G1

  • Beliches podem ser uma boa solução para crianças mais velhas, pois economiza bastante espaço.
Imagem: Coisa de Mâe

Imagem: Coisa de Mâe

  • Como são duas pessoas (ou mais) em um único espaço, tudo o que você conseguir otimizar em termos de armazenamento é fundamental. Guarde esse conceito!
  • Utilize os espaços verticais para guardar objetos, roupas e brinquedos. Prateleiras são fáceis de instalar e resolvem a questão.
  • Apesar de ser legal separar alguns espaços por cores, para que cada um tenha o seu, também vale a pena ter um espaço comum de convivência, onde eles possam ficar juntos. Nesse espaço, devem ficar os brinquedos e os outros objetos que servem para ambas as idades. Você pode colocar uma mesa para desenho e brincadeiras, um tapete, TV e o que mais achar interessante para eles.
  • Ensine seus filhos a guardarem os brinquedos assim que terminarem de brincar. A arrumação fica mais fácil quando os cestos ou caixas para guardar estão acessíveis a eles e são de fácil entendimento. Para isso, você pode escrever o que tem dentro de cada cesto ou, se eles ainda não estiverem em idade escolar, fazer desenhos.
  • De noite, faça uma pequena vistoria e arrume o que ainda estiver fora do lugar. Não precisa fazer isso mais de uma vez por dia.

Veja mais algumas ideias para se inspirar:

Imagem: Digs Digs

Imagem: Digs Digs

Imagem: Lus Home

Imagem: Lus Home

Imagem: Suburbs Mama

Imagem: Suburbs Mama

Imagem: Digs Digs

Imagem: Digs Digs

Imagem: Home Designing

Imagem: Home Designing

30 Jun 2014

Dicas para limpar a casa no inverno

Imagem: http://sitmeanssit.com

Imagem: http://sitmeanssit.com

Algumas dicas simples específicas para o inverno com relação à limpeza da casa:

  • Dê atenção especial aos tapetes. Muita umidade e poeira podem aumentar o número de ácaros.
  • Mantenha as toalhas secas. Quando tomar banho, em vez de deixar no banheiro, pendure a toalha no varal.
  • Se possível, tire o pó dos móveis e passe o aspirador diariamente. Se não, pelo menos uma vez por semana.
  • Limpe os vidros para aproveitar melhor a luz natural.
  • Mantenhas as lâmpadas limpas. Lâmpadas sujas queimam mais rápido e, no inverno, a tendência é usarmos mais, por escurecer mais cedo e ficarmos mais tempo em casa.
  • Organize sua rotina de lavanderia, que muda com a demora maior da secagem das roupas.
  • Separe um canto do guarda-roupa para pendurar os casacos que não estão lavados nem sujos.
  • Faça uma limpeza completa na despensa.
  • Mantenha a roupa de cama quente em local de fácil acesso.
  • Limpe os equipamentos eletrônicos para evitar acúmulo de pó, especialmente em computadores.
  • Abra as janelas diariamente para ventilar e aproveitar o sol.
  • Se possível, instale uma torneira com água quente para facilitar as rotinas de limpeza, especialmente lavar a louça.
  • Se tiver pessoas alérgicas na sua família, vale a pena enrolar e guardar os tapetes dos quartos durante a estação.
  • Limpe e guarde bichinhos de pelúcia, caso seu filho seja alérgico. Evite o que puder, que junte pó.
  • Mantenha o chuveiro limpo e fique de olho na resistência.
  • Renove o estoque de velas em casa, caso falte luz.

E você, costuma fazer algo especial relacionado à limpeza da sua casa no inverno?

30 Jun 2014

Perguntas e respostas sobre a rotina de lavanderia

Imagem: Organized Interiors.com

Imagem: Organized Interiors.com

Lavar roupas faz parte da rotina e deve ser uma atividade organizada, especialmente em famílias grandes. Independente do número de pessoas na sua casa, é legal ter um sistema, então este post traz algumas respostas às dúvidas mais comuns para ajudá-lo a fazer isso.

Com que frequência você lava a roupa?

Lavo quando há uma quantidade suficiente de roupas de um mesmo tipo para encher a máquina. No geral, é uma frequência de dois em dois dias. Também não tem como ser menos do que isso porque elas demoram a secar no varal. No verão, dá para lavar mais vezes, pois as roupas secam mais rápido. Quem tem lavadora e secadora pode lavar todos os dias, se tiver uma família grande.

Outras pessoas participam da rotina de lavanderia?

Sim. Meu marido coloca as roupas para lavar e meu filho guarda as roupas sujas no cesto que fica no banheiro com essa finalidade. Meu marido também costuma estender as roupas e passar junto comigo, quando há necessidade. Eu fico com a parte de tirar manchas e guardar depois de secas.

Você planeja a lavagem de roupas?

Minimamente. Já cheguei a fazer um cronograma, que era mais ou menos assim:

  • Roupas brancas
  • Roupas coloridas
  • Roupas escuras
  • Roupas delicadas
  • Toalhas
  • Roupa de cama

Porém, não geramos tanta demanda assim. No geral, lavamos nossas roupas todas juntas, de acordo com a cor. Uniformes do filhote são lavados juntos com camisetas minhas, por exemplo, sem problemas. Já sei se tenho roupas que mancham ou não e, se não mancham, eu lavo as coloridas junto com as escuras.

Como gosto de trocar as toalhas duas vezes por semana e a roupa de cama pelo menos uma vez, uma vez por semana é o suficiente para lavar esse tipo de peça. Com isso, lavamos de 2 a 3 cargas de roupas semanalmente.

Você separa as roupas por cores?

Como comentei acima, somente as claras das mais escuras, quando há necessidade.

Você lava alguma coisa fora (em lavanderia)?

Sim. Nossa máquina é pequena (7kg) e não dá para lavar tudo dentro dela, como edredons queen-size. Assim, semestralmente levo uma carga de roupas para a lavanderia.

Algumas peças de roupa eu também prefiro lavar na lavanderia para não estragarem, como blazers e trench-coats.

Que produtos você usa para lavar roupas?

Gosto de variar as marcas para ir testando. Não gosto de sabão em pó – prefiro líquido. Amaciante, mudo a cada mês para ter aromas diferentes. Uso alvejante somente quando necessário e, para manchas, além dos truques caseiros, gosto bastante de Vanish.

Qual sua rotina de passar roupas?

Procuro comprar roupas que não precisam ser passadas. Tenho algumas calças, camisas e vestidos que precisam ser passados, mas são raros. Quando tem necessidade, junto todas as peças que preciso passar e passo. Não tenho uma rotina fixa para isso, mas acontece cerca de uma vez por mês no máximo. Não perco tempo passando roupas que não têm essa necessidade, como toalhas. Pode ficar lindo, mas eu vivo no mundo real, não no ideal.

Como você mantém a máquina de lavar limpa?

Uma vez por mês, faço uma limpeza com água quente e vinagre, que remove todos os resíduos minerais de dentro da máquina. Os compartimentos de sabão, alvejante e amaciante também são limpos dessa forma – jogo água quente com vinagre e, depois, finalizo com um pano de limpeza. Limpo da mesma maneira por fora. Não uso capa na máquina porque não acho prático.

Como posso simplificar minha rotina de lavanderia?

O foco é em ter roupas limpas para todas as ocasiões dos próximos dias (eu calculo sempre duas semanas). Como meu filho precisa do uniforme da escola limpinho, isso é prioridade. Antes, quando eu trabalhava fora todos os dias, tinha uma demanda maior por roupas variadas para sair. Hoje, consigo usar mais roupas do meu armário, variando as peças e lavando somente uma vez por semana de maneira suficiente.

Por isso, meu conselho para você simplificar a sua rotina de lavanderia é identificar as necessidades da sua casa. Se você mora sozinho, obviamente terá uma necessidade diferente de quem tem sete filhos e ainda mora com os sogros idosos. Não há regras – apenas observação das próprias necessidades e adequação da rotina.

Quem puder ter uma máquina lava e seca, eu recomendo, pela praticidade.

Tenha também um cesto para colocar a roupa suja. É uma dica básica, mas que ajuda a manter tudo centralizado em um único lugar e possibilita a participação das crianças nesse processo.

Você tem mais alguma dúvida sobre a rotina de lavanderia? Poste nos comentários!

25 Jun 2014

Planejando uma mudança sem perder a sanidade

Imagem: Doing it wright

Imagem: Doing it wright

Estamos nos preparando para fazer a nossa terceira mudança em três anos. Não vou dizer que não estou contente com isso, pois estamos planejando a volta para a nossa cidade, onde vivem a nossa família e amigos. Porém, mudar de casa sempre é um processo cansativo. Se a gente não se planejar direitinho, a tendência é enlouquecermos, pois há muito a ser feito. Resolvi reunir então neste post algumas dicas para mudar sem perder a sanidade, e espero que ajudem quem esteja passando por esse momento também:

Comece a planejar o quanto antes

Nós mesmos não temos urgência na mudança – apenas sabemos que ela precisa ser feita o quanto antes. Felizmente, não há prazos. Mesmo assim, é importante começar a se planejar o quanto antes para que a transição seja suave para todos os envolvidos. Quem tem crianças em idade escolar precisa ficar atento ao ano letivo, por exemplo. Ou seja: sabendo que deverá haver uma mudança, já comece a pensar a respeito. Transforme-a em um projeto onde você guardará ideias e tomará providências.

Antigamente, eu costumava montar um fichário especialmente para guardar o que fosse relacionado à mudança. Hoje, é muito mais comum utilizar o Evernote, o que recomendo. Além de manter tudo sempre à mão em qualquer dispositivo que você tenha, também é fácil de compartilhar com outras pessoas, se precisar. Você também pode manter checklists e lembretes na ferramenta.

Quando você decidir a data da mudança, planeje-se na sua agenda também, inserindo prazos de tarefas que deve executar até 6 meses antes, 3 meses, 1 mês, 15 dias, 1 semana, 1 dia e assim por diante.

Destralhe, destralhe, destralhe

Eu contei recentemente, e tenho quase 650 livros. 650, amigos. Amo meus livros, mas a cada mudança que eu faço, é um martírio. Eles são o único peso extra que me permito em mudanças, então a responsabilidade pelo resto aumenta. É inadmissível a gente abrir uma caixa na casa nova e descartar algo que estava dentro. Logo, é importante fazer essa seleção antes de se mudar – muito provavelmente até mesmo antes de começar a encaixotar seus pertences. Se deixarmos para decidir enquanto encaixotamos, a tendência é colocar tudo dentro da caixa porque é mais fácil fazer isso que decidir dar outro fim ao objeto. Portanto, antes mesmo de começar a empacotar tudo, destralhe.

Há muitos objetos que podem ser doados ou até mesmo vendidos. Hoje, com tantas opções de canais online para isso (OLX, Bom Negócio, o próprio Facebook), é bobeira ficar com coisas em casa que já não sirvam mais para a gente. Quem não quiser vender pode ajudar alguém fazendo uma doação, pois sempre tem alguém que precisa de algo que a gente não use mais.

Além de diminuir a quantidade de coisas que precisarão ser encaixotadas, você se liberta. É libertador viver com o que for necessário ou amamos muito, sem tralhas.

Peça ajuda

Se alguém se oferecer para ajudar, aceite. Se for possível, peça. Mesmo que você contrate uma empresa para carregar as caixas e transportar seus pertences, sempre é necessário ter alguém para ficar com os cachorros, os filhos, abrir a porta na residência nova, trazer comida ou apenas dar uma animada na gente.

Divida uma grande mudança em tarefas menores

Sempre que a gente pensa em mudança, admita: o estômago dá uma embrulhada, os olhos se contraem, a cabeça dói. Mesmo eu que sou organizada acho o processo todo de mudar muito complicado e que demanda muito esforço e dedicação de tempo. Portanto, uma boa dica é diluir as tarefas ao máximo que você puder. Precisa encaixotar seus pertences? Vá fazendo aos poucos, com os itens que usa menos. Isso vale para todo o resto. Já veja que serviços podem adiantar a instalação na casa nova, o que já pode ir cancelando, as mudanças de endereço que precisará fazer, entre outras atividades.

É muito importante, ao longo do processo de mudança, a gente ter um tempo pra gente mesmo, pra descansar e continuar com nossas atividades normais. Não dá para viver em função da mudança e estar sempre exausto por conta dela. Assim, quando tiver um tempinho, destralhe um pouco ali, encaixote algumas coisas que já são quantidade suficiente para fechar uma caixa, e assim vai.

Encaixote pensando na arrumação depois

Isso sempre deu muito certo comigo e é uma dica que eu passo adiante: seja organizado ao encaixotar seus pertences. Guarde o que realmente quiser levar (destralhando antes) e faça uma lista do que tem dentro de cada caixa. Além disso, procure deixar juntos os itens que precisam ser usados no mesmo cômodo. A maneira que uso para organizar minhas caixas é organizando por cômodo (Cozinha 1, Cozinha 2 etc) pois, assim, quando a mudança for feita, as caixas já ficarão no seu cômodo certo, facilitando a arrumação.

Outra dica que costumo dar é a de montar uma “caixa de sobrevivência”, com os itens que serão utilizados assim que chegar na casa nova. Papel higiênico, papel toalha, uma muda de roupas para cada um da família, shampoo, sabonete, toalhas, esponja, detergente, pente, chinelos, panos de limpeza e tudo o mais que você achar imprescindível ter logo à mão assim que chegar. Isso é legal porque, chegando com as caixas, você já abre essa primeira e tem todas as necessidades básicas da família atendidas. Não precisa ficar procurando pela caixa do banheiro onde estão o papel e o sabonete, por exemplo. Para mim, sempre funcionou muito bem fazer dessa forma.

Essas dicas acima são simples, mas podem ajudar muito a manter sua sanidade durante a mudança, e eu sinceramente espero que isso aconteça.

Veja tudo o que já foi publicado sobre mudanças no blog.

E você, tem alguma dica para passar pelo processo de mudança sem ficar muito cansado ou traumatizado? Compartilhe nos comentários!

23 Jun 2014

Menu semanal no inverno: como planejar

Imagem: Scoop.it

Imagem: Scoop.it

Em primeiro lugar, para quem está chegando agora, é importante saber o que é planejar o menu semanal e sua importância para a organização do dia a dia.

Planejar o menu semanal significa definir os sete pratos que você vai preparar na semana seguinte, podendo fazer as compras certas no mercado, sem faltar nada nem desperdiçar. Também garante que você não perca tempo todos os dias decidindo o que preparar para a família, ou esquecendo de descongelar uma carne, por exemplo. Não é para ser uma coisa rígida. Você pode estipular um prato para cada dia ou determinar sete pratos, e escolher todos os dias qual fará desta vez.

Você pode ler mais orientações sobre como montar um menu semanal em um post anterior.

Qual a vantagem de adequar o menu semanal à estação do ano que estamos vivendo? O aproveitamento dos alimentos – porque compramos o que está mais barato e em abundância, além de trazer mais conforto para a família, ingerindo os alimentos que dão mais energia e nos deixam mais felizes, pois têm a ver com o que estamos vivendo.

No inverno, é natural que a gente coma mais refeições quentinhas e o que chamamos de “confortáveis”. Para isso, podemos fazer substituições. Em vez de salada de batatas, podemos fazer purê. Em vez de salada de verduras, podemos comer legumes refogados. As opções são inúmeras.

Vamos ver primeiro os alimentos que estão mais abundantes nesta época (junho, julho e agosto, no Brasil)*:

    • fruta do conde
    • jaca
    • mixirica/tangerina
    • carambola
    • jabuticaba
    • maçã fuji
    • caju
    • kiwi
    • limão galego
    • morango
    • laranja lima
    • batata-doce
    • cará
    • chuchu
    • gengibre
    • inhame
    • mandioca
    • mandioquinha
    • agrião
    • brócolis
  • cenoura
  • erva doce
  • milho verde
  • nabo
  • rabanete
  • berinjela
  • cogumelos
  • almeirão
  • escarola
  • louro
  • rúcula
  • salsa
  • ervilha
  • alho-poró
  • chicória
  • coentro
  • couve manteiga
  • couve-flor
  • espinafre
  • mostarda
  • repolho
  • Apenas de olhar a lista acima, já dá para ter um monte de ideias para fazer de comida, não é mesmo? A ideia é justamente essa: adaptar o que já costumamos fazer em nossa rotina, inserindo alimentos novos.

    Os métodos de cozimento também podem variar. Em vez de comer alimentos frios ou crus, pensamos mais em assados, cozidos, ensopados. O objetivo no inverno é aquecer e ter mais energia. Portanto, nossa alimentação deve refletir esses objetivos. Ao preparar seu menu semanal, procure levar em conta os alimentos da estação e esses métodos de cozimento que favoreçam o conforto. São pequenas mudanças que fazem grande diferença em nossos dias e na disposição da nossa família.

    Algumas sugestões para o seu menu semanal:

    Tipos de refeições que combinam com o inverno:

    • massas
    • raízes
    • purês
    • sopas
    • cremes
    • geléias
    • risotos
    • assados
    • refogados
    • suflês
    • compotas
    • tortas

    Com base nessas informações, você pode montar seu menu semanal de forma criativa e sem alterar radicalmente a rotina da família.

    Ao longo do inverno, postarei aqui no Vida Organizada uma série de posts com sugestões de receitas que reflitam o que escrevi aqui hoje. Caso você tenha alguma sugestão de receita que seja a cara do inverno, por favor, indique nos comentários! Obrigada!

    * Fonte: Revista Teste Saúde (2009)

    20 Jun 2014

    Perguntas e respostas sobre o feng shui

    Convidei a querida Wanice Bon’ávígo para voltar a participar do blog falando um pouco mais sobre feng shui. Ela respondeu algumas perguntas que eu enviei para ela e eis aqui o resultado. Espero que vocês gostem tanto quanto eu.

    Por que amamos tanto o feng shui? O que ele pode fazer pela nossa casa e pela nossa vida?

    Quem conhece o feng shui o adota para sempre. Essa ciência nasceu na China antiga, há aproximadamente 3 mil anos e busca integrar o homem ao espaço onde ele vive. Então, as pessoas se apaixonam mesmo pelo feng shui, porque ao aplicá-lo corretamente em suas casas, locais de trabalho, à vida enfim, percebem uma abertura em vários setores, sobretudo àqueles emperrados, mal resolvidos, indefinidos. Uma melhora na saúde, novas oportunidades surgindo, um ajuste no trabalho, benfeitorias, sentimos de fato mudanças perceptíveis, mas tudo isso são os meios concedidos pelo feng shui, pois a sua real finalidade é fazer com que cada um de nós possa expressar o seu melhor.

    O feng shui faz com que o fluxo das energias esteja a favor e isso conta muito!

    200614-bagua

    Na prática, utilizamos um gabarito chamado BAGUÁ (ou Ba-guá), um octógono, que sobreposto à planta-baixa do terreno ou da área construída, nos mostra de forma tangível cada um dos “guás” ou setores da nossa vida. Por exemplo, se você tem uma área deficitária no guá da CRIATIVIDADE, que também responde pelos FILHOS, pode tanto ter problemas para criar em geral: alternativas, textos, etc,. como para engravidar… eu mesma já vivenciei uma situação assim em minha família e por diversas vezes nas consultorias. Interessante? Isso é só um exemplo do que o ambiente pode representar no nosso dia-a-dia. Leia mais neste post no blog da Wanice.

    Cada uma dessas áreas da casa está associada a um dos 5 elementos da medicina chinesa (água, madeira, fogo, terra e metal) e num projeto de feng shui são equilibradas basicamente através de cores, formas e posicionamento de móveis, plantas, cristais e objetos decorativos. Às vezes estamos descuidando de uma parte da nossa casa ou não dando a devida atenção a ela, o que gera desequilíbrio e traz bloqueios, dificuldades naquele “guá” (setor) ao qual ela pertence. Então, sentimos que aquela energia não está presente em nossa vida ou não da forma como gostaríamos. Ao aplicarmos o feng shui saberemos o porquê. E teremos a oportunidade de melhorar o nosso espaço e consequentemente a nossa vida.

    Muitas pessoas pensam que feng shui é mover os objetos, pendurar quadros e inserir elementos específicos na decoração. Esse é um mito? O que o feng shui é de verdade?

    Thais, para compreendermos bem o papel do feng shui em nossas vidas, precisamos nos reportar à filosofia taoista, que considera que toda a nossa existência se baseia numa tríade: CÉU – HOMEM – TERRA.

    Quando falamos em CÉU, falamos daquilo que trazemos ao nascer: nossas características, a saúde herdada, habilidades, talentos, assim como nossas dificuldades, desafios, obstáculos que precisamos transpor. Por isso é muito importante um estudo NUMEROLÓGICO ou astrológico, pois temos um diagnóstico preciso do que trazemos em nossa bagagem natal. É possível também conhecer os melhores períodos da nossa vida para determinados setores – isso a Numerologia orienta com muita propriedade.

    O segundo pilar compete ao HOMEM, seu livre arbítrio, aquilo que alimentamos em nossa caminhada, onde colocamos nossa energia, de que forma usamos o nosso tempo, nos aperfeiçoamos, atribuímos um real significado à nossa passagem pelo planeta, enfim, eu acredito que essa segunda influência tenha a ver com evolução de consciência, pois envolve liberdade e responsabilidade e é também onde podemos realizar mais mudanças.

    A terceira influência, a TERRA, diz respeito ao AMBIENTE em que vivemos. É aí, justamente que entra o FENG SHUI. O ambiente natural que escolhemos para viver (tecnicamente chamamos de “entorno”), bem como a área construída, precisa ser favorável, para que possamos receber o melhor, seja em termos de saúde, trabalho, finanças, amor, espiritualidade, família, amigos e viagens, criatividade e filhos, enfim, todas as energias que nos permeiam e nos trazem a merecida realização. Muitas vezes temos tudo para a ao sonhada “prosperidade”, mas vivemos num ambiente que nos “sabota”. Aplicar o feng shui em nossa casa ou ambiente de trabalho traz melhorias significativas para nossa vida.

    Imagem: Graça e Saber

    Imagem: Graça e Saber

    Como vemos esses 3 pilares interagem por todo o tempo, nos sustentam e precisam estar em harmonia, equilíbrio. Acho fantástico o feng shui, pois ele consegue corrigir, neutralizar energias maléficas que contribuem para o nosso insucesso e ao mesmo tempo estimular, ativar energias positivas que vão nos levar à plenitude, à realização de nossos objetivos. E isso envolve mais que reposicionar móveis, aplicar cores, talismãs ou objetos decorativos. As construções sofrem influência de tudo que foi falado, pensado, sentido, enfim, as paredes têm memória e muitas vezes precisamos reprogramá-las, entendendo que há casas que prejudicam pessoas e pessoas que prejudicam casas. Aí entra a nossa responsabilidade! A qualidade do entorno também influencia muito na vida dos moradores: morar perto de cemitérios, hospitais, delegacias, torres de transmissão e outros inimigos é também um fator determinante para adoecer o ambiente. Aí entra o feng shui, suas proteções, limpezas energéticas, (cada uma com sua indicação), a melhor posição para os móveis, cores favoráveis, etc.

    Viver num espaço sagrado permite-nos manifestar todo o nosso potencial.

    Qual a relação entre o feng shui e a organização da casa? Uma casa limpa e organizada facilita o papel do feng shui?

    Arrumação, limpeza, organização, destralhamento da casa são aspectos fundamentais para a boa circulação de energias positivas e impedimento para que a energia negativa se estabeleça. É uma questão de atitude. (Veja este post no blog sobre destralhamento da casa e sua relação com o feng shui)

    O efeito da desordem ou acúmulo de objetos em certos pontos de um ambiente tem efeitos incríveis. Conhecendo-se os guás da casa, de acordo com o Baguá, vamos ver que a desordem, bagunça, sujeira, quando posicionadas em um deles, são representadas na vida dos moradores como  bloqueios, instabilidade, transtornos naquela área com a qual o guá se relaciona. Até mesmo os móveis muito grandes ou atrás de portas, no meio de corredores, em locais onde se tornam empecilhos para o fluxo do CH’I (ENERGIA VITAL) podem explicar porque a vida das pessoas emperra. É preciso deixar o Ch’i fluir!  E sempre atrair o bom ch’i, de saúde, de vitalidade, para que possa nutrir o nosso lar. Um ambiente limpo, organizado, livre de lixos físicos e energéticos é condição básica para que se fixe o feng shui.

    Imagem: Fresh Home

    Imagem: Fresh Home

    Nossa casa é um organismo vivo onde tudo precisa funcionar bem e cumprir sua função. Vazamentos, aparelhos quebrados, lâmpadas queimadas, objetos sem uso, poeira, portas e janelas emperradas constituem  pontos de doença no nosso espaço, por isso em muitas culturas o feng shui é tratado como “medicina do ambiente”. Analisar o que acontece com uma casa, nos conta o que possivelmente está acontecendo ou para acontecer com seus moradores – á a metafísica da casa.

    Olhar para o seu redor e encontrar tudo bagunçado, desorganizado é olhar para dentro de si e encontrar o mesmo, afinal, o que está dentro, está fora…Ou uma frase que eu gosto muito do Mestre Lin Yun, idealizador do Feng Shui do Chapéu Preto:

    “QUANTO MAIS PRÓXIMO DE VOCÊ ESTIVER UMA PARTE DO AMBIENTE, MAIOR É O IMPACTO QUE ELA TEM SOBRE SEU CHI.”

    A  verdadeira essência do Feng Shui é acumular o bom ch’i (energia positiva), sem permitir que ele fique estagnado;  talvez por isso os fengshuistas defendam tanto a ideia do “menos é mais” (less is more) – feng shui é uma filosofia de vida, é processo, é amor.

    Gosto muito de um post que falo de Leonardo Boff (adoro) e suas considerações sobre feng shui.

    Muito obrigada, Wanice, pelas suas considerações sempre preciosas! Espero que os leitores tenham gostado também. Quem quiser ler mais informações sobre feng shui, pode acessar o blog da Wanice e ler os maravilhosos textos que ela posta diariamente sobre o assunto. Vale a pena.

    Obrigada por tudo, pessoal.

    06 Jun 2014

    Como organizar botões

    Botões são miudezas que devem ser agrupadas para serem organizadas. Veja algumas ideias neste post para se inspirar e organizar os seus:

    Imagem: Flickr / dutchvalentine

    Imagem: Flickr / dutchvalentine

    Imagem: bhg.com

    Imagem: bhg.com

    Imagem: Created from paper

    Imagem: Paper Treyink


    Imagem: Cotton Chic Cottage

    Imagem: Cotton Chic Cottage

    Imagem: Made It On Monday

    Imagem: Made It On Monday

    Imagem: Church Image Yarns

    Imagem: Church Image Yarns

    Imagem: rockwellali.blogspot.com

    Imagem: rockwellali.blogspot.com

    Imagem: All People Quit

    Imagem: All People Quit

    Imagem: withmysparetime.blogspot.com

    Imagem: withmysparetime.blogspot.com

    Imagem: Flickr / imaginary animal

    Imagem: Flickr / imaginary animal

    Eu tenho poucos botões (somente para substituição em roupas que já tenho se necessário), então costumo guardar todos dentro de um único pote de vidro. Para mim, funciona dessa forma simples. E você, como organiza os seus?

    05 Jun 2014

    {Download} Ficha para menu semanal

    Hoje eu vim compartilhar com vocês um arquivo que montei para usar em casa ao planejar o menu semanal. A ideia é manter um pequeno estoque dentro de um plástico no fichário destinado a ser o control journal (veja o que significa e como fazer o seu) e, semanalmente, definir o menu. Esse menu ajuda a fazer a lista de compras no mercado, que também faço uma vez por semana (costumo montar o menu no sábado e ir às compras no domingo). Veja aqui como planejar um menu semanal.

    050614-menu-semanal

    Download: .doc e .pdf

    Depois de preenchido, o menu semanal pode ser pendurado com um ímã na geladeira, por exemplo. Quem prefere a versão digital pode baixar tanto em formato .doc quanto .pdf e editar da forma que quiser. Os adeptos do Evernote podem preferir organizar na ferramenta.

    Também deixei espaço para o planejamento não só das refeições diárias, quanto para os lanches e bebidas.

    Espero que gostem!

    24 May 2014

    15 músicas para ouvir enquanto limpa a casa

    Playlist especial com músicas que nos animam enquanto fazemos faxina:

    1. ‘Happy together’, The Turtles

    2. ‘Material girl’, Madonna

    3. ‘She bangs’, Rick Martin

    4. ‘Sonífera ilha’, Titãs

    5. ‘I want to break free’, Queen

    6. ‘Chega mais’, Rita Lee

    7. ‘Garota nacional’, Skank

    8. ‘Listen to the music’, The Doobie Brothers

    9. ‘Drive my car’, The Beatles

    10. ‘Roar’, Katy Perry

    11. ‘Rock you like a hurricane’, Scorpions

    12. ‘Fireworks’, Katy Perry

    13. ‘Dos margaritas’, Paralamas do Sucesso

    14. ‘Under my thumb’, Rolling Stones

    15. ‘Vertigo’, U2

    Curta sua faxina! =)