Equilíbrio

20 Jan 2014

3 maneiras de diminuir o ritmo

Imagem: zoeclaudia.tumblr.com

Imagem: zoeclaudia.tumblr.com

1. Aprenda a diferenciar o fundamental do essencial. Comer é fundamental; estar bem alimentado para ter energia no dia a dia e fazer as coisas acontecerem é essencial. Dinheiro é fundamental; ter um trabalho que te dê prazer, reconhecimento e satisfação e que, além de tudo, tenha uma compensação financeira, é essencial. Esses são apenas exemplos. O que é essencial para mim, pode não ser essencial para você. Porém, tome cuidado para não achar que algo fundamental é essencial. Essa simples distinção pode te ajudar a tomar decisões mais eficazes com relação ao seu tempo.

2. Aprenda a dizer “não”. Sabe o pior que pode acontecer se você disser não para alguma coisa? Receber antipatia de volta. Você consegue lidar com isso? Particularmente, prefiro parecer antipática que ficar menos tempo com a minha família porque aceitei uma responsabilidade por não saber dizer “não”. Também pode acontecer de te excluírem de alguma turminha, isso em âmbito pessoal e profissional. Fazer o quê? Quando a gente chega em uma certa idade, meio que sabe o que faz bem e o que não faz bem pra gente. Ser excluído de uma turma que não entende que você sabe definir prioridades, talvez seja o melhor acontecimento da sua semana. Não se culpe. Se você não pode ou não quer fazer algo, simplesmente diga “não”. Apenas tome cuidado para não prejudicar outras pessoas ao fazer isso (pelo menos, é por onde eu me guio).

3. Pare de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Se precisar utilizar a Internet, abra somente uma guia do navegador – nada de deixar carregando Facebook, e-mail, agenda e todo o resto nas outras guias. Se estiver almoçando, almoce. Não fique conferindo suas mensagens no celular ou conversando sem prestar atenção na comida. Fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo deixa a nossa mente muito mais agitada, mesmo que na hora a gente não perceba. E isso gera estresse.

Só três dicas para te dar um up nessa segunda-feira. =)

14 Jan 2014

Repassando o nosso dia

Imagem: https://www.facebook.com/firefluffart

Imagem: https://www.facebook.com/firefluffart

Continuando a nossa linha de posts com foco na simplicidade do dia a dia, eu gostaria hoje de fazer a seguinte sugestão: que você, todos os dias, antes de dormir, repasse mentalmente como foi o seu dia. Não sei se isso acontece com vocês mas, quando coloco a cabeça no travesseiro, mesmo estando muito cansada eu ainda fico alguns minutos acordada, pensando na vida. A ideia é direcionar esse pensamento. Em vez de ficar com preocupações aleatórias, estou sugerindo que você repasse todo o seu dia – desde a hora em que acordou até a hora que deitou na cama.

O que você fez? Como se sentiu? O que poderia ter feito diferente? Você gostou da conversa que teve com determinada pessoa? Sentiu-se mal por algo que você disse? Fez alguma ação que fez você se sentir extremamente bem?

Esse pensamento é uma reflexão simples para sabermos se estamos vivendo de forma coerente com o que acreditamos e achamos que deve ser. Ao refletir sobre as nossas ações, temos a oportunidade de mudar o que achamos errado e fazer o certo da próxima vez.

Ao final desse pensamento, agradeça. Agradeça pelo seu dia, por estar vivo(a) para viver mais um dia em mais um ano de vida. Por ter a oportunidade de acordar e ter autonomia sobre sua própria mente, independente das condições externas.

Eu venho fazendo isso e acho bom porque me ajuda a dormir de forma mais tranquila, como se não estivesse me esquecendo de nada, sabem? Fico com uma sensação de missão cumprida. A nossa mente parece entender que estamos “fechando” o dia e, assim, nos preparamos para dormir bem. Isso faz muita diferença no nosso dia a dia, pois dessa forma não ficamos só executando uma coisa atrás da outra sem pensar no que estamos fazendo e nos desviando do foco.

09 Jan 2014

Dê uma volta

Imagem: Mariano Belmar

Imagem: Mariano Belmar

Eu já ouvi de diversos amigos que passaram por períodos de depressão que seus médicos recomendaram que eles começassem a correr ou a caminhar diariamente. Isso sempre me deixou curiosa, porque não se trata de uma solução médica comum.

Porém, ultimamente, tem feito parte da minha filosofia de simplicidade ir mais a pé aos lugares diversos. Minha gente, já gastei tanto dinheiro com táxi, carro, ônibus nesta vida! E até hoje, quantas vezes não deixo para fazer tudo de uma só vez, só para aproveitar que saímos de carro e, então, passamos em diversos lugares para aproveitar o translado!

Eu quis compartilhar essa “dica” simples com vocês porque é algo que tem me feito muito bem.

Não estou dizendo para você se planejar, ter uma rotina de exercícios, caminhada, comprar tênis, calça legging – nada disso. Estou dizendo somente para você ir a pé até a padaria. Para dar a volta no quarteirão no seu horário de almoço. Para ir a pé até qualquer lugar, em vez de ir de carro, de ônibus. Para aproveitar cada oportunidade que você tiver no seu dia a dia para dar uma volta.

Quando você está andando, esse é um período só seu. Para pensar na vida. Se quiser andar com outras pessoas, maravilhoso! É a oportunidade de conversar, desabafar, inspirar.

Além desses motivos acima, tem alguns outros:

  • Faz bem para o coração;
  • Diminui o risco de algumas doenças;
  • Eleva o humor;
  • Ajuda a controlar o peso;
  • Leva o cachorro para passear.

Está triste, chateada(o) ou estressada(o)? Dê uma volta!

PS - Henry Thoreau tem um livro maravilhoso sobre assunto, chamado “Andar a pé”. Recomendo muito, como todos os livros dele. Clique aqui para fazer o download do .PDF.

“Que será que às vezes tanto nos dificulta determinar o destino a dar os nossos passos? Creio na existência de um magnetismo sutil na natureza o qual, se cedermos inconscientemente, nos levará ao caminho acertado.” – Henry Thoreau