Atividade física

Posts na categoria Atividade física.

17 Feb 2014

Dicas de atividades físicas para pessoas que não têm tempo

180214-exercicios

Eu não sou uma pessoa atlética. Já fui! Praticava muitos esportes, era magra e tinha um corpo legal. Aí entrei na faculdade, parei e fui engordando, engordando… cheguei a pesar quase 100kg. Emagreci algumas dezenas de quilos. Mesmo assim, ainda estou acima do meu peso e não aguento mais fazer dieta. Tempo para se exercitar? Oras, sei que para quem vive disso, é fácil encontrar tempo. Eu não vou acordar 6h para ir para uma academia que não tenho dinheiro para pagar e para fazer uma atividade que eu odeio (levantar ferrinhos). Talvez um dia, lá na frente, eu me empolgue e passe a gostar disso, pois quando a gente vai emagrecendo e fazendo uma atividade física como rotina, a gente quer sempre fazer mais e melhor. Espero mesmo que isso aconteça e, se você tem esse ritmo de academia, fico feliz por você. Mas hoje minha realidade é a seguinte: ou eu faço algumas poucas coisas, ou não faço nada. Não tenho espaço para o ideal no momento. Portanto, neste post, vou compartilhar algumas dicas e ideias minhas para fazer atividade física no dia a dia, além de outras de fontes diversas (sites, livros etc).

Gostaria de pedir que, enquanto você estiver lendo, contraia o abdômen a cada dica lida. Só para ir entrando no clima. =)

  • Yoga. Não vou me aprofundar tanto nesse assunto porque sou leiga de tudo. Venho fazendo uma sequência noturna (chamada “saudação à lua”) para preparar o corpo para dormir, e me sinto muito bem. Não é uma sequência difícil e pode ser encontrada no YouTube. Quem puder fazer aulas presenciais, recomendo, para ter a postura corrigida. Quando aprender, faça as sequências em casa. Também há bons sites com uma mensalidade ínfima que te dão acesso às aulas online com bons professores, e assim você poderá dar continuidade à prática em casa.
  • Faça o que fizer, tenha constância. Não é incomum gente passar mal porque só se exercita aos finais de semana – ou aquele tradicional joguinho de futebol às quartas. Isso porque você sobrecarrega seu corpo, que estava acostumado a ser sedentário. E o medo de ter um treco e morrer do coração? Portanto, vale mais a pena ter pequenas atividades ao longo da semana que um dia inteiro de maratonista.
  • Explore atividades curtas. Colocar tênis, roupa de ginástica e ir até a academia… andar na esteira… é muito depressivo, não? Portanto, faça pequenas caminhadas ao longo do dia. Ande mais a pé. Dê cinco voltas no quarteirão. Não precisa caminhar durante 40 minutos de manhã. Caminhe 20 de manhã, 20 à noite. 15 de manhã, 15 na hora do almoço, 15 à noite. Atividade física, para mim, se for um estorvo, não vai dar certo. E se eu tiver que “gastar” 1h inteira de uma vez todos os dias fazer um exercício, a chance de não fazer é imensa, porque 1h é muito tempo no meu dia a dia. Agora, se distribuir ao longo do dia, fica rápido, fica fácil, praticamente impossível de arranjar desculpa.
  • Use as escadas. Ah tá, essa dica é velha, você pode pensar. Mas… você faz isso? Você sobe de escada para o seu apartamento no sexto andar? Você leva o lixo na lixeira geral do prédio, ou deixa na lixeira do andar? O mesmo vale para o seu trabalho. Quem tem sobrado em casa pode colocar o timer para 15 minutos e subir e descer as escadas uma vez por dia. Pensando bem, quem mora em apartamento também pode fazer isso!
  • Foque na atividade física adequada. Hoje, quando se fala em fazer atividade física, a gente logo pensa em se matricular em uma academia. Ai gente, que falta de criatividade! Encontre algo que você realmente goste de fazer e isso pode revolucionar a sua vida! Tipo andar de bicicleta, fazer aula de dança, caminhar no parque, praticar um esporte diferente (esgrima?), jogar vídeo-game com kinnect. Abra o leque de possibilidades, veja o que tem por perto da sua casa ou trabalho e informe-se. Mesmo assim, pode ser que você não tenha tempo para isso. Se tiver, maravilha! Vale a pena tentar! Além de ser algo que você goste, deve se encaixar na sua rotina e ser eficiente. Porque, se não fizer diferença, não tem muito por que a gente fazer, né?
  • Faça sessões de alongamento em família. Alongar o corpo é maravilhoso. Yoga explora esse lado (e muito mais!) e por isso faz tão bem. Mas você não precisa ir tão longe, se não quiser. Aprenda sequências simples de alongamento e faça desse momento um momento de diversão em família. Envolva seu marido ou esposa, sua mãe ou pai, seus filhos, e faça 15 minutos de alongamento de noite, em casa, ou pela manhã (se não estiverem correndo tanto). Além de fazer uma atividade física, é mais um momento em família.
  • Faça exercícios em casa. Ok, fazer exercícios sem supervisão pode ser perigoso. Portanto, consulte um médico, faça exames e veja se está tudo bem antes de começar. Se estiver, você pode fazer exercícios simples, mas simples messssmo, daqueles que estamos cansados de conhecer, como: abdominais, poli-chinelos, flexões, levantamento de pesos com objetos da casa (livros, potes de mantimentos, equipamentos diversos). Você também pode correr no mesmo lugar! É difícil, a gente parece bobo, mas é melhor do que nada!
  • Contraia os músculos. Eu não estava brincando no começo do post e espero mesmo que você esteja contraindo o abdômen a cada dica lida. Mas, além disso, explore mais esse movimento no seu dia a dia – é um exercício que você pode fazer em absolutamente qualquer lugar, até trabalhando no computador! Quando carregar as compras do mercado, por exemplo, ou quando for estender a roupa lavada no varal.
  • Exercite-se quando acordar. Não é para acordar 5h da manhã e ir correr na esteira não! Se você quiser fazer isso, no entanto, bom para você! Mas a ideia aqui é espichar o corpo assim que acordar, alongando-se na cama mesmo. E aí, partir para uma sequência básica de abdominais.
  • Veja vídeos no YouTube. Hoje em dia temos muuitas opções de vídeos com sequências de exercícios para serem feitos em casa – basta abusar da busca no site. Quando tiver um tempinho, que sejam cinco minutos, faça alguma atividade. O mais legal é que dá para fazer enquanto vê um filme, uma série ou a novela.
  • Não dispense oportunidades de se exercitar. Você sabe bem como é: pra que subir de escada se seguraram o elevador para mim? Temos oportunidades durante o dia para fazer exercícios (e recusá-los). Não recuse! Leve o cachorro para passear, dê a volta no quarteirão, vá ao mercado a pé, estacione o carro em uma vaga mais longe no shopping, vá trabalhar de bicicleta, pule corda… etc!
  • Faça exercícios no trabalho. Use metade do seu horário de almoço ou pequenos intervalos ao longo do dia (em vez de fumar ou tomar café, por exemplo). Caminhe em volta do estacionamento da empresa, suba e desça escadas, faça polichinelos em um lugar discreto (vale até o banheiro), corra no lugar, alongue-se. E, muito importante: corrija sua postura na cadeira. Tem a ver com seu bem-estar, que tem a ver com a sua disposição, e faz você ter mais vontade de fazer as coisas ou não – inclusive exercícios.
  • Faça exercícios no seu horário de lazer. Leve seus filhos para passear no parque, ande até a sorveteria, acampe, jogue bola, brinque com o cachorro, cultive uma horta, ande bastante no shopping, saia para dançar, faça uma trilha. Escolha atividades saudáveis e que te façam se exercitar. Faz diferença!
  • Analise a compra de aparelhos. Se você tiver dinheiro e espaço para isso, além de gostar da atividade (claro), pode comprar alguns (ou um) aparelhos de ginástica para ter em casa. Um bicicleta ergométrica não ocupa tanto espaço quanto uma esteira e já é um excelente exercício, se você fizer todos os dias. Não pense que vai comprar e deixar encostada! Compre e use! Compre com uma motivação! Se não gostar dessa opção, não compre. Simples assim!
  • Limpe a casa. Essa dica pode parecer boba, mas não é! Limpar a casa é uma atividade física excelente: esfregar chão, varrer, secar, limpar box, subir na escada, descer, tirar o pó, passar roupa, arrumar a cama, pintar paredes, passar aspirador. Quando estiver limpando a casa, pense na atividade física que está fazendo. Tente melhorar a coisa toda contraindo o abdômen ou inserindo sequências ao longo da faxina (levantar peso com algo que tenha pego na mão, por exemplo).
  • Mantenha a rotina. Estabeleça uma meta (exemplo: 1h de exercícios todos os dias) e preencha seu tempo ao longo do dia com atividades relacionadas. Podem ser 20 minutos de manhã, 20 na hora do almoço e 20 de noite, ou então 40 minutos de manhã e 20 de noite. Tanto faz! Mas tenha suas metas e faça do cumprimento delas sua rotina. Lembre-se: constância.

E aí, ainda acha que não tem tempo para se exercitar? Com pouco tempo ao longo do dia, tendo criatividade e pensando na atividade física de outra maneira, é possível ter uma rotina de exercícios para manter o corpo em movimento e ser uma pessoa mais saudável. Tente!

09 Jan 2014

Dê uma volta

Imagem: Mariano Belmar

Imagem: Mariano Belmar

Eu já ouvi de diversos amigos que passaram por períodos de depressão que seus médicos recomendaram que eles começassem a correr ou a caminhar diariamente. Isso sempre me deixou curiosa, porque não se trata de uma solução médica comum.

Porém, ultimamente, tem feito parte da minha filosofia de simplicidade ir mais a pé aos lugares diversos. Minha gente, já gastei tanto dinheiro com táxi, carro, ônibus nesta vida! E até hoje, quantas vezes não deixo para fazer tudo de uma só vez, só para aproveitar que saímos de carro e, então, passamos em diversos lugares para aproveitar o translado!

Eu quis compartilhar essa “dica” simples com vocês porque é algo que tem me feito muito bem.

Não estou dizendo para você se planejar, ter uma rotina de exercícios, caminhada, comprar tênis, calça legging – nada disso. Estou dizendo somente para você ir a pé até a padaria. Para dar a volta no quarteirão no seu horário de almoço. Para ir a pé até qualquer lugar, em vez de ir de carro, de ônibus. Para aproveitar cada oportunidade que você tiver no seu dia a dia para dar uma volta.

Quando você está andando, esse é um período só seu. Para pensar na vida. Se quiser andar com outras pessoas, maravilhoso! É a oportunidade de conversar, desabafar, inspirar.

Além desses motivos acima, tem alguns outros:

  • Faz bem para o coração;
  • Diminui o risco de algumas doenças;
  • Eleva o humor;
  • Ajuda a controlar o peso;
  • Leva o cachorro para passear.

Está triste, chateada(o) ou estressada(o)? Dê uma volta!

PS - Henry Thoreau tem um livro maravilhoso sobre assunto, chamado “Andar a pé”. Recomendo muito, como todos os livros dele. Clique aqui para fazer o download do .PDF.

“Que será que às vezes tanto nos dificulta determinar o destino a dar os nossos passos? Creio na existência de um magnetismo sutil na natureza o qual, se cedermos inconscientemente, nos levará ao caminho acertado.” – Henry Thoreau
15 May 2013

30 atitudes mais saudáveis para você implementar no seu dia a dia agora mesmo!

Este texto foi originalmente publicado no site E-Cycle, parceiro do blog. Para conferir o texto original, clique aqui.

Toda hora é hora para refletir sobre os atos cotidianos, no que diz respeito ao meio ambiente e a sua saúde, e modificá-los. Como mudar nunca é fácil, comece aos poucos, informando-se, primeiro, sobre sustentabilidade e meio ambiente e participando de grupos e fóruns para conhecer pessoas que estejam na mesma pegada e se inspirar. Abaixo, listamos algumas dicas para você mudar de atitude:

1. Leia os rótulos dos alimentos - os ingredientes listados lá podem fazer você perder o apetite! Por isso, ao criar esse hábito, você ficará mais propenso a comprar alimentos naturais, como frutas e vegetais;

2. Leia livros relacionados ao tema - uma sugestão é a obra O mundo é o que você come, de Barbara Kingsolver, em que a autora relata sua experiência de consumir, durante um ano, somente alimentos locais e orgânicos. Para isso, Barbara e sua família tiveram que se mudar para uma fazenda, a fim de produzirem seus próprios mantimentos. Detalhe: ninguém tinha experiência com produção agrícola. Misturando aventura, memória e jornalismo, a autora dá dicas de pratos saudáveis e comenta sobre os mecanismos de produção agrícola nos EUA – nem todos admiráveis.

Outra indicação é o livro O Dilema do Onívoro, de Michael Pollan, que trata das etapas da produção de uma refeição (desde a caça até a produção industrial) e as consequências desses processos no meio ambiente, na nossa saúde e na economia;

3. Liste os produtos químicos usados por você no dia-a-dia - escreva em um papel todas as substâncias químicas que você utiliza, como shampoos, cremes, detergente. Depois, tente substituí-las por outros produtos naturais (visite a nossa seção Dia-a-dia para algumas dicas);

4. Conheça seus vizinhos - uma relação forte com as pessoas ao seu redor também promove uma vida sustentável. Aproveite e compartilhe com eles suas descobertas, suas práticas sustentáveis e os incentive;

5. Descarte de forma correta seu lixo - confira aqui locais para descartar conscientemente o seu;

6. Dê preferência aos materiais recicláveis e econômicos - use sacolas recicláveis. Evite comprar papel toalha e água engarrafada. Invista nas lâmpadas LED oufluorescentes, que têm como vantagem um melhor aproveitamento de energia (as lâmpadas incandescentes desperdiçam 80% da energia em forma de calor) e maior durabilidade (dez vezes mais);

7. Compre produtos de segunda mão - frequente brechós; promova uma troca de utensílios entre você e seus amigos ou participe de grupos virtuais que incentivem essa prática (confira mais algumas dicas na seção Vestuário).

8. Compre ovos de galinhas criadas ao ar livre - vantagem: ovos ricos em vitamina A, menos colesterol, já que essas galinhas não comem alimentos geneticamente modificados, e não sofrem pressão para procriarem;

9. Experimente a compostagem - em vez de jogar no lixo os restos da refeição, transforme-os em adubo (veja mais aqui);

10Ande de bicicleta - já que o tempo é cada vez mais escasso, aproveite e pratique um exercício no caminho ao trabalho, escola, faculdade. Assim, além de você contribuir para o meio ambiente, você dedica algumas horas do dia a sua saúde;

11. Prefira carros pequenos - além de serem mais práticos na hora de achar uma vaga no estacionamento, consomem menos combustíveis e são mais práticos para limpar. E, se possível, reabasteça sempre utilizando álcool;

12. Deixe as roupas secarem no varal - em vez de utilizar o ferro e a secadora, economize e contribua para o meio ambiente, deixando-as secarem ao sol;

13. Coma menos carne - substitua por frutas, legumes e vegetais, que, conforme vários estudos, fazem bem à saúde, pele e corpo. Você pode começar sendo vegetariano uma vez por semana;

14. Visite uma fazenda em que os animais e os produtos são criados de forma sustentável - um exemplo é a Fazenda Santa Isabel, em Monte Alegre do Sul-SP, onde é possível andar a cavalo, colher frutas e experimentar alguns quitutes produzidos no local, “de forma artesanal”.

15. Passe as férias em casa - uma ótima opção não só para economizar dinheiro, mas também para refletir sobre a vida, organizar a casa, curtir a família e preservar o meio ambiente.

16. Tome banhos rápidos - além de economizar água e energia, você poupa de 95 litros a 180 litros de água (quantidades, estas, consumidas em um banho demorado). Se estiver calor, dê preferência a banhos frios para economizar ainda mais energia. E não se esqueça de desligar o chuveiro antes de tirar a roupa para entrar no box ou enquanto se ensaboa;

17. Dê caronas - uma ótima oportunidade para você conhecer pessoas novas e poupar emissões de gás carbônico. Existem alguns sites gratuitos que aproximam as pessoas interessadas em dar caronas e as que estão em busca de uma. Para isso, é preciso se cadastrar e indicar seu trajeto. Alguns deles são o Carona Brasil e o Caronas;

18. Imprima utilizando ambos os lados da folha - o papel é um dos produtos que mais causa impacto ambiental. Para se ter uma ideia, na produção de uma tonelada de papel, são utilizadas de duas a três toneladas de madeira, além de uma grande quantidade de água, energia e produtos tóxicos. Para contornar essa situação, escreva e imprima nos dois lados da folha e só use o papel quando for estritamente necessário;

19. Reaproveite as sobras de comida - congele-as ou invente um outro prato com elas (veja aqui mais dicas sobre como reaproveitar alimentos);

20. Guarde sementes - com isso, você pode criar certos vegetais em seu quintal ou horta caseira, além de contribuir para a diversidade genética do nosso abastecimento alimentar;

21. Torne-se minimalista - compre menos coisas. Questione se você realmente precisa do produto antes de comprá-lo. Desse modo você contribuirá para a redução do consumo/desperdício;

22. Compre frutos do mar sustentáveis - antes de comprar um peixe, se possível informe-se sobre o modo de captura deste (armadilha e linha de anzol são os mais recomendados, pois são seletivos e sustentáveis);

23. Evite usar o elevador e faça mais uso das escadas - assim, sem ir à academia, você faz exercícios aeróbicos. Entre os benefícios apontados por educadores físicos estão: pernas fortalecidas e melhora do condicionamento vascular;

24. Peça alimentos locais - vai contratar um fornecedor de alimentos para um evento? Peça a eles comidas locais. Se eles disserem que é impossível ou muito caro, peça novamente e lhes mostre opções viáveis e capazes de reduzir o preço, como o uso maior de vegetais. Do mesmo modo, peça àquela marcenaria local ou aquele restaurante pequeno, que você costuma frequentar, para se abastecerem de carnes, vegetais e ovos produzidos localmente. Se você não obtiver sucesso na primeira tentativa, não desanime e peça outra vez;

25. Espero o cesto de roupa suja encher para lavar as roupas - assim você não desperdiça uma grande quantidade de água e energia para lavar poucas roupas;

26. Coma mais em casa - prepare pratos saudáveis, com muitos vegetais, frutas e legumes. Aproveite e crie um momento agradável com sua família e amigos – convide-os também para ajudar na preparação da refeição. Assim, você pode consumir produtos localmente e não gasta dinheiro, emissões e energia para se locomover a um restaurante;

27. Faça um casamento verde - celebre, por exemplo, a união do casal durante o dia, aproveitando, desse modo, a luz natural e conferindo mais charme e romantismo à cerimônia. Separe conscientemente os resíduos produzidos durante a festa e dê preferência às flores locais;

28. Evite comprar produtos embalados em plásticos ou isopor - você também pode reclamar com a fabricante, para que o exagero de embalagens diminua;

29. Para se inspirar, assista filmes que tratem sobre o meio ambiente - algumas sugestões:

“Uma verdade inconveniente” (2008): nesse documentário, o ex- vice- presidente norte-americano Al Gore faz uma análise sobre o aquecimento global, esclarece alguns mitos em torno do tema e propõe algumas resoluções para o problema.

“Wall-e”: filme de animação em que o robô-título tem como missão recolher os lixos do planeta. Wall-E passa por inúmeras situações que mostram o porquê do mundo ter se perdido em lixos e catástrofes. O filme levou o Oscar de Melhor Animação, além de ter sido indicado nas categorias de Melhor Roteiro Original, Melhor Som, Melhor Edição de Som, Melhor Canção Original (“Down to Earth”) e Melhor Mixagem de Som.

“Avatar”: Avatar conta a história de Jake Sully (Sam Worthington), um ex-fuzileiro naval e tetraplégico que é contratado pela RDA para participar do projeto AVATAR no planeta chamado Pandora. Lá habita uma espécie chamada Na’vi, humanóides azulados com três metros de altura, que vivem em harmonia com a natureza. À medida em que ele se infiltra no cotidiano, costumes e crenças do povoado, sua consciência vai mudando;

30. Coma comida orgânica - comece dando preferência aos alimentos que não têm pesticidas, depois incremente suas opções de alimentos (veja mais aqui).

Agora que você já conhece todas as dicas, mãos à obra. Veja mais sugestões na página Consuma Consciência!

27 Apr 2013

Percepções sobre a nova rotina de atividades físicas

Outro dia eu postei aqui como se organizar para fazer uma atividade física, quando acabei contando sobre a iniciativa que eu tomei de voltar à academia e fazer exercícios. Pois bem, hoje estou aqui, pouco mais de duas semanas após começar, para comentar sobre a experiência e o impacto que causou no nosso dia a dia e sobre as soluções que eu resolvi tomar.

Encaixar uma atividade física no dia a dia é cansativo. Se você é aquela pessoa que já não tem muito tempo disponível, sua vida vai ficar complicada. Eu sei que tempo a gente não tem, a gente faz, se organizando, mas muitas vezes o pouco tempo que temos para “fazer” é escasso de verdade.

Bom, vou contar o que eu me propus a fazer e os arranjos nessas duas semanas.

Eu fiz a matrícula para fazer natação duas vezes por semana e alternar aeróbica com musculação três vezes por semana, pelo menos. Como as turmas da noite da natação estavam lotadas, comecei a fazer de manhã. Como eu era a única na turma, e como o professor fica com o turno da noite (que termina depois das 22h), ele disse que para ele estava complicado. Confesso que para mim também porque, para fazer a aula de manhã, eu precisava chegar mais tarde no trabalho nesses dois dias. Como eu sou bem disciplinada com relação aos meus horários, não estava me sentindo muito bem com essa situação. Resolvi então esperar abrir uma vaga na turma da noite e, enquanto isso, ir fazendo a academia normalmente.

Então eu resolvi ir para a academia todos os dias, nem que fosse para fazer 40 minutos de esteira ou bicicleta e voltar para casa. Mas o mais legal é que, estando na academia, não dá vontade de voltar. Eu penso: “já estou aqui, deixa eu fazer a minha parte”. A única parte que cansa é a musculação, porque estou muito enferrujada. Os instrutores também me recomendaram focar mais no treino aeróbico nesse começo, para eu perder peso, senão vou ganhar massa muscular com a musculação e até “engordar” (meu peso vai aumentar e eu posso desanimar por não estar parecendo ver resultados). Então a ideia é fazer aeróbicos de 3 a 4 vezes por semana e musculação de 1 a 2 vezes só.

Ir para a academia é tranquilo. Quando eu faço esteira/bicicleta + musculação, o treino demora muuuito e eu fico me sentindo culpada e querendo ir logo para casa. Assim, estabeleci que meu período na academia é de uma hora por dia. Mais do que isso, eu não preciso e não posso no momento. Normalmente, faço 20 minutos de bicicleta e 40 minutos de esteira, ou meio a meio.

Uma coisa que tem facilitado muito e me deixado com menos peso na consciência com relação ao tempo de estudo que estou perdendo para ir à a academia é levar um material para estudar enquanto faço esteira ou bicicleta. O tempo passa voando, é excelente. E eu ganho cerca de meia hora a mais por dia revisando alguns pontos importantes. Estou pensando em gravar alguns arquivos em áudio para ouvir também.

Como às vezes viajamos aos finais de semana para visitar nossa família em São Paulo, quando isso acontece as coisas em casa ficam bem atrasadas e eu preciso compensar durante a semana. Assim, eu estabeleci também que, quando formos para São Paulo, eu terei um dia de folga da academia durante a semana, para poder tirar o atraso. Guardar roupas limpas, ir ao mercado, essas coisas mais cotidianas.

Também estou pensando em começar a frequentar a academia de manhã, antes de ir trabalhar. Se eu fizer uma hora de treino, dá para ir quando a academia abre, tomar banho em casa e ir para o trabalho. Não sei se é questão de costume mas, nos dias em que eu fui de manhã, fiquei muito cansada ao longo do dia no trabalho. Às 15 horas, eu não me aguentava de sono! Então não sei o que é melhor ainda. Com relação ao tempo, com certeza seria melhor ir de manhã mas, se eu tiver que dormir mais cedo, acaba dando no mesmo.

No geral, minhas impressões são as seguintes: é muito cansativo, eu preferiria ficar em casa, claro, mas não posso me dar ao luxo de não fazer, pois preciso emagrecer e quero melhorar meu condicionamento físico para o dia a dia mesmo. Então tenho que dar um jeito, encarar como obrigação, como trabalho que não pode faltar (como comentaram no outro post) e simplesmente aceitar esse fato na vida. Não é nenhum martírio, me sinto ótima e com a sensação de dever cumprido quando eu faço, o que é ótimo. Mas certamente não é das minhas coisas preferidas. O que eu realmente gosto de fazer é praticar esportes, então quando estiver com o meu condicionamento físico melhor, vou procurar outras atividades para fazer.

17 Apr 2013

Como se organizar para fazer uma atividade física

Algumas pessoas não gostam e não fazem questão de fazer exercícios físicos. Outras não gostam, mas acham importante fazer por motivos diversos. Ainda há as pessoas que amam fazer alguma atividade física e sempre conseguem encontrar um tempinho para fazê-la no dia a dia. Neste post, vou compartilhar algumas dicas para quem deseja implementar esse hábito na sua vida.

Eu sempre gostei de esportes. Quando era adolescente, fazia parte dos times de futebol, vôlei, basquete e handball da escola. Quase joguei futebol profissionalmente. No ano em que fiz cursinho, parei com todas as atividades e, apesar de ter tentado voltar na faculdade, começar a trabalhar tirou todo o meu pique. Quando a faculdade terminou, tentei diversas vezes voltar a fazer academia, mas sempre foi muito difícil conciliar meu tempo. Eu trabalhava em agência de publicidade e, muitas vezes, saía às 21h do trabalho. Se no dia seguinte eu saísse mais cedo, queria aproveitar para descansar. Logo, fazer academia deixou de ser prioridade. Depois eu engravidei, comecei a trabalhar em outra cidade, e só agora voltei a fazer uma atividade física. O que eu quero dizer é que sempre temos muitos motivos para não investir tempo nisso mas, se for prioridade, precisamos fazer ao menos uma tentativa.

Atualmente, estou fazendo natação duas vezes por semana, antes de ir trabalhar. Foi recomendação do ortopedista, pois sinto muitas dores nas costas (trabalho o dia inteiro sentada e, de noite, cuido do blog ou estudo, continuando sentada). De noite, três vezes por semana (às vezes, duas), faço exercícios aeróbicos alternados com musculação. Tomei essa atitude porque resolvi acrescentar outros alimentos na minha dieta e tenho pavor de engordar novamente. Daqui a um tempo farei um post sobre essa mudança na alimentação – quero esperar ainda para ver os resultados. Além disso, quero melhorar o meu condicionamento físico e manter o corpo ativo, pela saúde mesmo. E, é claro: quero ver meu filho crescer. Isso é o essencial.

Como eu me organizei para isso? Oras, não tem muita opção: ou você toma essa atitude e “arranja” tempo, ou vive dando desculpas para sempre. É claro que eu preferia usar essas três horas noturnas para fazer outras coisas mas, ao mesmo tempo, penso que é o mínimo que posso fazer para o meu corpo ficar bem. Eu também tinha problemas de sono, acordava de madrugada, e agora estou dormindo muito melhor. Além do que, depois da academia, por causa da endorfina, tenho ainda pique durante umas duas horas para estudar ou escrever, e minhas atividades acabam rendendo muito mais.

Atualmente, um dia meu em que vou à academia à noite está mais ou menos assim:

06h00 – Acordar, trocar de roupa e tomar café-da-manhã
07h00 – Levar filhote para a escola e ir para o trabalho
08h00 – Trabalhar
18h00 – Ir para casa, dar janta para o filhote, ficar com ele
19h00 – Jantar, fazer algumas atividades domésticas
20h00 – Academia
21h00 – Tomar banho
21h30 – Estudar
23h30 – Escovar os dentes, preparar a roupa para amanhã etc.
00h00 – Ir dormir

Está um pouco corrido porque tenho feito algumas horas extras no trabalho. Quando parar de fazer isso, chegarei uma hora antes em casa, então irei para a cama às 23 horas. Eu costumo ficar bem dormindo apenas seis horas, pois compenso no final de semana dormindo cerca de nove horas por noite (meu período ideal de sono, no geral).

Quem não quiser/puder investir agora em um plano de academia pode optar por caminhadas de meia hora em algum lugar perto de casa. Já vi muitos especialistas recomendarem 30 minutos de caminhada diariamente ou pelo menos três vezes por semana como sendo suficientes para manter o corpo em movimento. De qualquer forma, é fundamental conversar com o seu médico antes de iniciar qualquer atividade. Eu fiz alguns exames com o meu cardiologista e o exame de aptidão física da academia.

Outra coisa que é importante: vestimentas adequadas. Eu tive que comprar praticamente tudo porque não tinha nenhuma roupa de academia. Comprei uma calça de elanca, uma bermuda, três camisetas, três pares de meias, o maiô de natação, o kit com touca e óculos (também para natação), uma mochila para ir à academia e um top para segurar os seios (recomendado para toda mulher). Eu já tinha um par de tênis, duas camisetas, toalha, par de chinelos e uma calça legging. Não vejo a necessidade de comprar mais nada, mas preciso lavar a roupa toda semanalmente, para não ficar sem. Programe-se para isso, então.

Alimentar-se corretamente antes de fazer exercícios também é importante. Esse é um dos únicos momentos do dia em que eu como carboidratos (faço um sanduíche de pão integral com blanquet de peru, alface e queijo branco). A outra vez é no café-da-manhã, quando como somente uma fatia de pão integral com blanquet de peru. Pense então que você precisará fazer compras no supermercado com essa finalidade.

Sobre os melhores períodos para se exercitar, já tentei fazer atividade física de noite e de manhã, e prefiro fazer à noite. Creio que deva ser pessoal. Só estou fazendo natação de manhã porque não tinha mais vaga na turma noturna. Eu durmo muito bem quando faço atividade física à noite. Se vou para a academia de manhã, noto que fico cansada mais rápido ao longo do dia. Mas já vi que para algumas pessoas é muito melhor fazer atividade física de manhã – elas se sentem mais bem dispostas e com pique para enfrentar o dia. Se for o seu caso, considere.

Acho que uma dica fundamental é fazer da atividade física um compromisso inadiável. Se você nunca faltar a esse compromisso, a tendência é que nunca falhe. Se falhar hoje, abrirá exceção e, uma vez aberta, ficará mais frequente. Ter essa disciplina é fundamental. Sinceramente, todos os dias, quando chego do trabalho e fico com a minha família, a vontade que eu tenho de ficar em casa é imensa. Por isso, assim que chego em casa, já troco de roupa e me visto para ir para a academia. Isso já me deixa pronta para ir, assim que meu filho dorme. Não me passa nunca pela cabeça a possibilidade de desistir, porque sei que estou fazendo isso por um motivo, que é cuidar da minha saúde. Sem motivação, fica difícil fazer qualquer coisa.

Talvez seja uma boa começar aos poucos. Eu comecei indo duas vezes por semana à academia, depois comecei a natação, e depois aumentei a frequência à academia. Começar devagar te ajuda a pegar o ritmo. Se já começar forçando muito, a tendência a se estafar e querer desistir pode ser maior.

Procure também frequentar uma academia perto da sua casa ou do seu trabalho. Isso dificultará a preguiça do deslocamento.

Se não tiver condições de pagar por uma academia, há uma série de exercícios que você pode fazer em casa – uma busca rápida no Google revelará um montão deles. Você também pode caminhar, como eu disse anteriormente, ou providenciar pesinhos para fortalecer os braços (até sacos de mantimentos podem ser usados se você não quiser comprar pesos de verdade).

Descansar também é importante. Eu estabeleci que vou à academia entre 4 e 5 vezes por semana, incluindo a natação. Isso me dá uma certa flexibilidade – se eu já fui 4 vezes na academia nesta semana e tenho que viajar na sexta-feira, não me sinto culpada, pois sei que fiz a minha parte. Da mesma forma, eu posso folgar na sexta-feira e fazer academia no sábado de manhã, por exemplo.

Para ajudar no dia a dia, já deixo a minha mochila da academia pronta. Especialmente quando vou pela manhã, basta acordar, trocar de roupa e partir. Lá eu também tenho uma necéssaire com tudo o que preciso, inclusive shampoo, sabonete etc para tomar banho lá e ir direto para o trabalho. Eu organizo a mochila um dia antes.

Outra coisa que me ajuda muito é fazer exercícios de alongamento durante o dia. Gosto de fazer quando eu acordo, ainda na cama, antes de dormir, e durante o dia no trabalho. Onde eu trabalho, também tem ginástica laboral três vezes por semana, mas nem sempre faço porque os horários nem sempre são os melhores. Prefiro fazer quando reservo um tempinho para isso mesmo e no decorrer do dia. Sempre que sinto uma dorzinha no braço, já paro um pouco para me alongar.

Sinceramente, não existem milagres quando falamos em descobrir tempo para conseguir fazer alguma atividade física. Precisamos analisar o nosso dia a dia e encaixar um tempinho, nem que seja somente meia hora por dia, três vezes por semana. Pense que você está fazendo isso por você, para ter saúde, para viver mais tempo e ver seus filhos crescerem, ou para manter-se dirigindo a sua companhia, ou dormir melhor, enfim, há tantos motivos! Encontre os seus e não deixe que a desculpite seja mais forte que a sua vontade de melhorar.

Você faz exercícios físicos? Como você organiza o seu tempo para conseguir conciliar com as outras atividades na sua vida?