Sua casa

Aprenda a organizar sua casa.

09 Oct 2014

Gerenciando o guarda-roupa das crianças

Imagem: Womenolog

Imagem: Womenolog

Eu recebi uma mensagem de uma leitora que me inspirou a escrever este post:

“Thais, eu queria saber que dica você me dá para gerenciar o guarda-roupa da minha filhinha. Ela tem muitas roupas mas mesmo assim sempre falta alguma coisa na hora de se vestir. Não sei estimar quantidades na hora de comprar nem com que frequência devo fazer isso. Me ajuda, por favor?”

Uma vez eu postei aqui no blog uma planilha que tenho que me ajuda a saber quando devo comprar cada peça de roupa. Não é uma regra, mas uma orientação. Acredito que o mesmo possa ser feito com relação às crianças, com a seguinte exceção: as necessidades mudam de idade para idade e isso precisa ser observado ao manusear os dados. Outro fator que deve ser levado em consideração é a rotina da criança – quanto tempo fica na escola, quantos uniformes têm, que atividades extras ela faz, se viaja muito, se brinca na terra, se fica mais em casa etc. Isso só pode ser observado por cada pai e mãe.

Para o filhote, eu costumo fazer compras sazonalmente (a cada quatro meses) ou sempre que precisa de algo não previsto antes. Hoje, um guarda-roupa de inverno dele inclui:

  • 14 cuecas
  • 14 pares de meias
  • 1 par de luvas
  • 2 toucas
  • 10 camisetas de manga comprida
  • 10 camisetas de manga curta
  • 5 camisetas sem manga (para usar por baixo)
  • 1 blusa de lã com zíper e capuz
  • 1 blusa de lã fechada (tipo suéter)
  • 1 blusa de moletom com zíper e capuz
  • 1 blusa de moletom fechada
  • 1 colete aberto
  • 1 colete fechado
  • 1 casaco
  • 7 conjuntos de pijamas (podem ser camisetas + calças ou shorts)
  • 3 calças legging (para dormir ou pôr por baixo)
  • 5 calças jeans ou de sarja
  • 10 calças de moletom
  • 3 calças de uniforme
  • 5 camisetas de manga curta de uniforme
  • 5 camisetas de manga comprida de uniforme
  • 1 agasalho com capuz de uniforme
  • 1 conjunto de moletom de uniforme
  • 1 par de tênis confortáveis para a escola
  • 1 par de tênis mais bonitinhos para passear
  • 1 par de pantufas
  • 1 par de sandálias (para usar com meias)
  • Pelo menos um conjunto bonitinho para sair

O guarda-roupa de verão:

  • 14 cuecas
  • 10 pares de meias
  • 1 boné
  • 5 camisetas de manga comprida
  • 10 camisetas de manga curta
  • 10 camisetas sem manga
  • 1 blusa de moletom com zíper e capuz
  • 1 colete aberto
  • 7 conjuntos de pijamas (podem ser camisetas + calças de moletom)
  • 3 calças legging (para dormir)
  • 5 calças jeans ou de sarja
  • 5 calças de moletom
  • 7 bermudas
  • 7 shortinhos
  • 2 calças de uniforme
  • 10 camisetas de manga curta de uniforme
  • 3 bermudas de uniforme
  • 1 par de tênis confortáveis para a escola
  • 1 par de tênis mais bonitinhos para passear
  • 1 par de chinelos
  • 1 par de sandálias
  • 2 sungas
  • Pelo menos um conjunto bonitinho para sair

Aí o que acontece: a cada estação, eu tenho que ter mais ou menos essas quantidades acima. Se entrar o inverno e ele tiver só uma blusa de lã, porque a outra ficou pequena, sei que precisarei comprar porque não dá para ele ficar só com uma, por experiência nos invernos anteriores. Muitas roupas duram anos, enquanto outras duram apenas alguns meses. No geral, não precisamos comprar tantos itens porque os guarda-roupas se conversam entre uma estação e outra e muita coisa pode ser aproveitada. O que é bem legal é ter sempre por perto outras mães com filhos em idades diferentes dos seus, para você doar roupas em boa qualidade e elas também. Eu tenho uma prima que tem um filho quase dois anos mais velho que o nosso, então muitas vezes ela doa algumas roupinhas para ele.

Essa análise que eu faço é parecida com a do meu próprio guarda-roupa: vejo o que está poído, velho, o que não dá para consertar, as calças que podem virar bermudas, o que não serve mais, o que ele nunca usou. As roupas em bom estado que não servem mais vão todas para doação. Uma coisa que aprendi depois que ele entrou para a escola é que sempre vale a pena manter alguns itens “velhos” para atividades que envolvam pintura e artesanato. Para isso, tenho uma caixa de plástico no guarda-roupa dele (bem pequena) onde guardo essas peças.

Depois dessa seleção, vem a parte de estabelecer um orçamento para as compras. Quem tem mais de um filho obviamente tem mais dificuldade e precisa fazer escolhas. Eu costumo pensar assim: uniformes são caros, então compensa ter um número suficiente e lavar com uma frequência maior. Camisetinhas e outras peças de malha não precisam ser caras, porque ele perde muito rápido, sujam, ficam encardidas, mancham com substâncias diversas. Aí, compro em lugares mais baratos. Aqui em São Paulo, temos o bairro do Brás, o bairro da Penha, o bairro de Pinheiros – todos bons centros comerciais para roupas infantis mais baratas. Existe uma rede de vestuário por aqui chamada Torra-Torra, com ótimos preços. Agora, é claro que eu gosto de ter sempre algumas roupas mais bonitinhas para ele – quando saímos, quando temos um aniversário, festinhas diversas etc. Acho legal ter algumas camisetas boas, calças jeans bonitinhas, um calçado mais legal. Mas isso não é regra. Esses sim eu compro quando vejo algo bonitinho, sempre tentando não pagar tão caro porque infelizmente ele perde essas roupas depois. Não é como a gente, que compra uma peça que durará muitos anos, se for bem cuidada. Não adianta comprar uma jaqueta de couro na Zara, pagar R$200 e ele perder daqui a seis meses, sendo que nem usou direito porque não esfriou tanto. A gente vai bastante pelo bom-senso.

Todas as roupas dele ficam no guarda-roupa, sem distinção de estação, porque os dois guarda-roupas (verão e inverno) são semelhantes e tem essa alta rotatividade das roupas, então as peças não se acumulam tanto quanto no guarda-roupa dos adultos.

Espero ter ajudado!

07 Oct 2014

Como organizar telefones, e-mails e endereços

071014-telefones

Hoje em dia, é comum mantermos todos os nossos contatos em nossos celulares. Afinal, é prático e dedutivo, além de estarem sempre com a gente. Porém, em algum momento, já passamos por situações como ter o celular roubado e pedir o telefone para todos os amigos novamente ou ter que anotar os endereços em outro lugar, porque acha muito difícil digitar no celular.

Como acontece com outros assuntos relacionados a organização, é importante a gente encontrar uma ferramenta que tenha a ver com a gente. Não importa se será uma agenda de telefones de papel ou um iPhone de última geração. Não se sinta culpada(o) por preferir modelos mais tradicionais, pois o importante é utilizar algo que seja funcional, não ideal.

Celular / Smartphone

A vantagem do celular é estar sempre conosco e facilitar no momento da discagem. Hoje, é a maneira mais comum de armazenar contatos. No Android, você pode associar seus contatos à sua conta do Google, assim, centralizar seus contatos lá. A vantagem é poder editar através do computador e inserir dados adicionais (como endereços). Os usuários do iPhone podem fazer a mesma coisa, conectando à sua conta Apple. Quem utiliza Microsoft Outlook também consegue gerenciar através do Exchange, no celular. Se você se dá bem com essa alternativa, ela certamente é a ideal, por facilitar bastante o seu dia a dia.

Programa ou arquivo de computador

Tenho uma amiga que tem uma planilha com todos os seus contatos e não troca esse formato por nada. Já vi essa mesma lista em um documento do Word. Outras pessoas usam o Google Drive ou o Evernote, que tem um aplicativo relacionado chamado Hello (que linka seus cartões de visita digitalizados com a conta da pessoa no Linkedin). A vantagem de usar um arquivo ou programa é a acessibilidade, então garanta que ele esteja na nuvem, e não local. Outra vantagem é a customização – dá para montar listas de contatos bem bonitinhas no Word e, se precisar, imprimir e guardar em um fichário ou deixar no mural.

Caderno

A turma do papel certamente vai preferir a sua boa e velha caderneta de telefones e endereços para manusear essas informações. Se for o seu caso, tenha uma única, em casa, e uma para contatos “móveis” ou de trabalho, que você pode levar sempre com você. A vantagem de usar papel neste caso é não ficar nunca sem acesso às informações só porque acabou a bateria, além de manter os dados no caso de um roubo de celular.

Como dicas finais, seja qual for a ferramenta escolhida, ficam:

1 – Procure utilizar somente UM formato específico, para não se perder procurando as informações e inserindo dados em mais de um sistema diferente.

2 – Pegue um dia e organize todos os seus contatos, migrando o que estiver em outras plataformas. Se precisar do endereço de alguém, contate essas pessoas, pedindo. Quando elas responderem, migre para o seu sistema.

3 – Leve seus contatos sempre com você.

Como você costuma organizar os seus contatos telefônicos, de e-mail e endereços? Compartilhe nos comentários!

07 Oct 2014

3 soluções de organização para banheiros pequenos

Veja algumas dicas de organização para banheiros pequenos:

1. Instale cabides atrás da porta

Imagem: alibaba.com

Imagem: alibaba.com

Hoje em dia são muito comuns os cabides semelhantes ao da imagem acima, que não demanda furação de portas, mas apenas encaixe na parte superior. Esses cabides são ótimos para pendurar toalhas, pijamas e roupões.

2. Enrole as toalhas, em vez de dobrá-las

Imagem: RGB Stock

Imagem: RGB Stock

Além de economizar seu tempo por não precisar passar roupa (sim, ainda é comum passar roupa de cama e banho), enrolar as toalhas é a melhor maneira de guardá-las. Além de não amassar, fica melhor visualmente e é mais fácil de pegar sem desmanchar a pilha inteira.

3. Utilize cestos e potes para guardar miudezas

Imagem: Jen Gooch

Imagem: Jen Gooch

Guardamos muitos objetos pequenos no banheiro, como algodão, cotonetes, esponjinhas para maquiagem, grampos, elásticos de cabelo e tantos outros. Mesmo itens maiores, como pentes, chapinhas e potes de cosméticos podem ser agrupados e guardados dentro de cestos ou potes, a fim de uniformizar o visual e deixar os mesmos tipos de produtos juntos, facilitando o manuseio diário.

Três dicas fáceis e baratas para organizar seu banheiro ainda hoje.

07 Sep 2014

Missões da semana: zona 2, cozinha

Hoje eu vim falar um pouquinho sobre as missões da semana da FLY Lady. Estamos na zona (área) 2 que, na minha casa, corresponde à cozinha, assim como na versão original da FLY Lady.

No último post a respeito, surgiram muitas dúvidas já respondidas aqui no blog sobre as zonas de limpeza na casa. Para um esclarecimento geral sobre como funciona esse método, por favor, leia: Como funciona a limpeza por zonas da FLY Lady. Obrigada!

As missões desta semana são as seguintes:

Segunda

A missão desta segunda-feira é limpar embaixo da pia.

Tirar todos os recipientes vazios, esponjas, sacos de supermercado, produtos de limpeza que não são usados e todo o resto que acaba gerando uma grande desordem porque acaba acumulando ali. Pegue um saco de lixo para jogar o que for lixo e mãos à obra!

O que pertencer a outro lugar, deixe separado e guarde na sequência.

Terça

Hoje nós vamos atacar nossos potes de plástico! Será que você tem tampas demais para poucos potes? Potes manchados ou derretidos? Potes de margarina ou sorvete em demasia?

Livre-se dos recipientes que não têm tampa e das tampas que estão órfãs. Se puder separar para reciclagem ou utilizar em algum projeto de artesanato, tanto melhor.

Sim, potes são úteis e precisamos deles, mas não de tantos. Você sabe o seu limite. Hoje é o dia de fazer essa seleção.

Quarta

A missão de quarta é arrumar a despensa (ou o armário que você utiliza para guardar alimentos). Analise o que tem lá dentro e tire itens vencidos, caixas vazias e outros itens que já não deveriam estar ali.

Se tiver alimentos quase em período de vencimento, separe-os para preparar algo esta semana. Se deixá-los ali novamente, vai se esquecer e eles vão estragar.

Quinta

Hoje é dia de dar um trato nos eletrodomésticos grandes. Não é para limpar o forno ou as prateleiras da geladeira – vamos limpar as impressões digitais, os respingos e alimentos secos que ficaram presos no fogão, na máquina de lavar louça e na geladeira.

Limpe as portas, os puxadores e as superfícies.

A ideia não é perder um tempão nisso, mas apenas 15 minutos fazendo o melhor que puder nas superfícies.

Sexta

Hoje é o nosso último dia na zona 2, a cozinha. Vamos varrer muito bem o chão da cozinha e, em seguida, esfregar com água e sabão na sequência. Não há jeito certo ou errado de se fazer isso. Apenas faça como costuma fazer.

Como diz a FLY Lady, mesmo o trabalho de casa feito “incorretamente” ou de forma incompleta ainda abençoa a sua família. ;D Nada de perfeição.

Me contem se estão conseguindo fazer as missões junto comigo. Obrigada!

31 Aug 2014

Missões da semana da FLY Lady: zona 1, área de serviço

Hoje eu vim falar um pouquinho sobre as missões da semana da FLY Lady. Estamos na zona (área) 1 que, na minha casa, corresponde à área de serviço e ao pequeno banheiro de serviço que fica anexo. Na versão original da FLY Lady, a zona 1 representa somente a entrada, a porta da frente e a sala de jantar.

No último post a respeito, surgiram muitas dúvidas já respondidas aqui no blog sobre as zonas de limpeza na casa. Para um esclarecimento geral sobre como funciona esse método, por favor, leia: Como funciona a limpeza por zonas da FLY Lady. Obrigada!

Esta semana, vou focar no destralhamento desses dois cômodos (meu marido encheu o banheiro com coisas depois da mudança) e em modificações que quero fazer na área (tirar medidas, comprar cestinhos organizadores, essas coisas). Portanto, vou traduzir as missões da FLY Lady de acordo com a designação original que ela deu para a zona 1.

As missões desta semana são as seguintes:

Segunda

A missão de hoje é varrer a porta da frente, sacudir o tapete de boas-vindas e limpar a porta, pois isso faz muita diferença na primeira impressão que a casa causa.

Terça

A missão de terça é apagar os incêndios que estão começando a aparecer na entrada! Guarde os sapatos, bolsas, casacos e outros objetos que estão se acumulando ali. Atenção: não adianta tirar dali e jogar em outro lugar, hein? Precisa guardar no lugar certo.

Quarta

A FLY Lady propõe que nesta quarta-feira a gente limpe as manchas nas paredes da entrada, com suavidade para não tirar a tinta. Especialmente quem tem animais de estimação e filhos pequenos pode já ter percebido que essa é uma tarefa que deve ser feita com uma frequência maior. Portanto, mãos à obra!

Quinta

A missão de hoje é muito parecida com a missão de terça: pegar o que estiver fora do lugar na entrada e guardar no lugar certo. Você pode aplicar à sua sala de jantar também.

Sexta

Último dia na zona 1! A ideia hoje é limpar as luminárias, lustres, batentes e rodapés. Se tiver ventilador de teto, limpe também.

As missões desta semana também são bastante simples. Acho que as mais complicadinhas são as da cozinha e dos banheiros.

Me contem se estão conseguindo fazer as missões junto comigo. Obrigada!