Bem-estar

08 Jun 2015

O conceito de armário-cápsula e como ele se aplica no nosso dia a dia

Às vezes a Internet aparece com uma moda nova e uma das recentes é um conceito de “armário-cápsula”, que consiste no seguinte: escolher uma quantidade limitada de peças para viver durante um tempo, sem comprar nada novo, apenas promovendo combinações com as peças selecionadas.

A coisa tomou grandes proporções e começaram a surgir pequenas variações, como a (minha preferida) organização por estações. Quando vi isso pela primeira vez, pensei: “agora sim fiquei com vontade de brincar com esse negócio”.

Imagem: Un-Fancy.com

Imagem: Un-Fancy.com

Como funciona

Você escolhe algumas peças básicas, versáteis e que você ama usar para o seu guarda-roupa. A cada estação, você vasculha seu guarda-roupa para escolher as peças. Os números (da quantidade de peças) variam entre 15, 30, 45, mas é claro que não precisa ser engessado e você pode escolher um número pessoal como desafio. Vale lembrar que, nesse número, incluem-se também os acessórios como bolsas, lenços e sapatos. Seu guarda-roupa cápsula da estação deve ter peças que combinem entre si e, durante os três meses da estação, você não poderá comprar nada novo nem usar outras peças do seu guarda-roupa. Você pode, inclusive, tirá-las do guarda-roupa e guardar em um compartimento superior, para que não fique tentada a mexer. Quando você montar o armário cápsula, pode perceber que, para a estação corrente, precisa de alguma peça essencial que realmente não tenha (um casaco, por exemplo), então pode comprá-lo. Porém, é a exceção, pois o ideal é que você use peças que já tem. Durante esses três meses, você deve guardar o dinheiro que normalmente usaria para comprar roupas e, no próximo armário cápsula da estação seguinte, pode usar esse dinheiro para fazer boas compras para itens que você realmente precisa. Se não precisar de nada, guarde para a estação seguinte.

Os benefícios

  • Aproveitar melhor as peças que você já tem. Às vezes, temos tantas roupas no guarda-roupa que fica até difícil ser criativa nas combinações. Quando você limita o número de peças, consegue versatilizar o que tem.
  • Economizar dinheiro, pois você não comprará roupas novas nos próximos três meses. Ou mesmo gerenciar compras imediatas com parcelas em 2 ou 3 vezes no cartão apenas (em vez de 5, 8 ou 10). Você organiza seu orçamento destinado a roupas.
  • Usar só peças que ama muito. Isso é um princípio.
  • Otimizar o espaço no seu guarda-roupa, que não ficará cheio de roupas.
  • Economizar com liquidações e peças da estação desnecessárias.
  • Não ter mais aquela sensação de abrir o guarda-roupa e não saber o que vestir.
  • Gerenciar melhor sua variação de peso e como isso afeta a quantidade de roupas novas que você compra.
  • Descobrir o seu estilo, pois montar um armário cápsula nada mais é que um exercício de auto-conhecimento.
Imagem: http://thelovelylauralife.com/

Imagem: http://thelovelylauralife.com/

Como fazer?

  1. Comece pela estação que você está e o clima da sua região (a estação é diferente para brasileiros e portugueses, por exemplo, assim como a temperatura é diferente para quem mora em Porto Alegre e para quem mora em Maceió).
  2. Defina seu número limite de itens. Faça o teste e lembre-se de que você pode mudar esse número para o próximo armário cápsula, se achar necessário. Procure ter a menor quantidade possível de itens, pois essa é a ideia. Mais de 50, já perde um pouco o sentido. Eu vou tentar ficar com umas 40 peças.
  3. Veja que você vai usar esse único armário até a chegada da nova estação. Com base nisso, selecione as peças que acredita serem mais úteis para você durante esse período.
  4. Use a regra da Ana para saber se as peças funcionam entre si: cada parte de baixo deve ter outras 5 partes de cima que combinem com ela. Se perceber que não fez uma boa escolha, você pode trocar ou descobrir que precisa de uma peça que realmente não tem, planejando suas compras.
  5. Leve em conta seus compromissos e estilo de vida ao selecionar as peças.
  6. Quando tiver suas peças selecionadas, guarde todas as outras em uma mala em cima do seu armário, ou onde achar melhor.
  7. Use apenas as peças selecionadas até a estação seguinte.
  8. Cerca de duas semanas antes do início da nova estação, faça essa nova seleção para a estação que vai chegar, para ver se precisa comprar algo ou mudar o número de itens.
  9. Você consegue viver com poucas peças se elas forem as escolhas certas!

Dicas para ajudar no processo de escolha

  • Escolha apenas peças que você realmente ama e ficam bem em você.
  • Defina uma paleta de cores.
  • Leve em conta sua rotina de lavanderia para saber quantas partes de cima são necessárias para passar bem a semana.
  • Priorize os básicos, que combinam com tudo.
  • Verifique se as peças escolhidas proporcionam pelo menos 31 combinações (uma para cada dia do mês).
  • Tire fotos das combinações que criar para usar como catálogo de escolha para o seu dia a dia.
  • Tente incluir também pijamas e roupas de academia, mas não se limite se não conseguir.
  • Se você passar pela segunda vez pela mesma estação (ex: o segundo inverno) e não tiver usado alguma peça de frio que está guardada, vale a pena considerar se vale a pena mantê-la.

Para se inspirar, veja o painel “Armário cápsula” no Pinterest do Vida Organizada e divirta-se!

workshop-junho-ana-insta

03 Jun 2015

Como eu organizei o meu sono

Já comentei em alguns posts anteriores que consegui organizar o meu sono e muitos leitores me pediram para falar sobre como eu fiz. Eu realmente cheguei a uma definição legal nas últimas semanas que, para mim, resolveu o problema que eu sempre tive, que era:

  • Acordar cedo a semana inteira e dormir tarde, porque me sentia criativa à noite e não queria perder aquele tempo
  • Dormir até mais tarde aos finais de semana para recuperar o sono

Desde que meu filho nasceu, há mais de cinco anos, meu sono está bastante irregular. Logo, eu posso dizer que eu venho há cinco anos tentando organizar a minha rotina de sono, que apenas agora deu certo.

E o que eu fiz, por fim? Implementei uma recomendação que já era conhecida, mas achava que seria difícil de fazer, que é levantar todos os dias no mesmo horário. Parece simples demais? E é. Mas veja que tem algumas dicas com relação a isso.

Eu estabeleci que eu acordaria todos os dias às 8 horas da manhã. Era comum ficar até 2, 3 horas da madrugada trabalhando e depois acordar tarde e, no outro dia depois desse, ter um compromisso e precisar acordar cedo – o sono ficava bagunçado. Não preciso dizer também que, por trabalhar em casa, dá vontade de acordar mais tarde, pela liberdade de horário. Existe também um fator MUITO importante, que é ter um filhote que acorda e precisa da minha atenção ao longo do dia, então fazer coisas enquanto ele está dormindo é um tempo fundamental a ser aproveitado. Quem é mãe sabe que não é tão fácil acordar antes do filho acordar, que dá aquela vontade de ficar dormindo mais um pouco, mas isso é essencial.

Na prática, funciona assim: todos os dias, meu alarme está ajustado para às 8 horas. Ou seja: para eu dormir 8 horas toda noite, o ideal é que às 23:30 eu já esteja na cama, para à meia-noite estar dormindo. Isso se eu quiser dormir 8 horas e ficar bem! E esse é o detalhe, ter disciplina. Porque, por exemplo, se eu for dormir às 2 horas porque saí ou fiquei fazendo alguma coisa, eu tenho que acordar às 8 horas de qualquer maneira. Quero ficar sonolenta no dia seguinte? Não? Então tenho que dormir minhas 8 horas diárias. Se por acaso preciso dormir mais tarde, eu aguento somente mais o dia seguinte e, de noite, durmo cedo para descansar. Todos os dias, inclusive finais de semana, eu acordo no mesmo horário.

É claro que, algumas vezes, tenho compromissos em que tenho que estar 8 horas da manhã em algum lugar, ou às vezes até mais cedo. Então me planejo: se vou precisar acordar às 5, que horas preciso dormir para ficar bem? E aí tento me adequar, adequar nossa agenda em casa, para conseguir descansar. Vou sempre dormindo mais cedo, se possível, para acertar os gaps de sono ao longo da semana.

A grande chave é acordar às 8 horas mesmo aos sábados e domingos. Não é fácil no começo, mas depois fica muito natural. Me transformei naquelas pessoas que falam que não precisam de relógio, porque o corpo se acostuma a acordar em determinado horário. E eu tenho acordado bem, porque meu corpo se acostumou. Mas é um gerenciamento diário para garantir que o meu corpo esteja descansado – e a mente também.

Aí acontece a grande mágica: me sinto criativa em diversos momentos do meu dia, não só à noite, como eu achava. Assim como meu corpo se acostumou, minha mente também.

Estou mudando meu horário para acordar às 7 horas, reduzindo aos poucos. Tem funcionado. Eu noto que tenho um dia muito mais produtivo quando acordo cedo e tenho horários mais fixos, pois consigo me programar.

Algumas pessoas sugerem atividades para serem feitas pela manhã, como ir à academia ou meditar, mas o que realmente funciona para mim é ter bastante coisas para fazer e produzir e saber que, se eu não acordar cedo, não vou conseguir fazer tudo. Porque eu tenho o seguinte compromisso: não trabalho mais de noite. Fico com o meu filho até a hora de ele ir dormir e, depois, cuido de algumas coisas em casa ou faço atividades mais leves, como ler, ver um filme, tocar violão. Então eu sei que preciso aproveitar o meu dia. Essa é a minha motivação. Encontre a sua.

E é assim que eu venho organizando a minha rotina de sono com bastante sucesso ultimamente e deixei inclusive de tomar café. :) Deu muito certo e tenho me sentido muito bem. Espero poder ajudar, com a minha experiência, quem esteja como eu há algum tempo, buscando uma solução.

23 May 2015

Como eu estou inserindo mais atividades de lazer no meu dia a dia

SplitShire-6636-1280x854-970x500

O tema do mês no blog é Descanse e, com ele, venho tentando inserir mais atividades de descanso e lazer no meu dia a dia.

O principal passo que tomei foi o de inserir na minha revisão semanal do GTD o item: planejar tempo para sono e diversão. Ou seja: todos os dias, nem que seja minimamente, eu tenho que cumprir duas coisas:

  • Dormir uma quantidade suficiente de horas à noite
  • Fazer algo que me deixe bem e feliz

Tenho dormido uma média de 7 a 8 horas por noite, que é a quantidade necessária para eu me sentir bem. Se eu dormir mais do que isso, já me sinto com menos disposição. Com relação ao sono, o que tem funcionado muito bem para mim é acordar todos os dias no mesmo horário, especialmente aos finais de semana. Ou seja, se eu acordo todos os dias às 8 horas, aos sábados e domingos também acordo nesse horário. Isso tem sido muito bom porque meu corpo responde lindamente e não fico cansada, parece até mágica. Além disso, tenho mais tempo para mim pela manhã, porque meu marido e meu filho acordam mais tarde.

Fazer algo que me deixe bem e feliz pode ser algo maior, que demande deslocamento (como ir a uma livraria ou ao cinema), ou coisas pequenas, como ler um livro, ver um capítulo de série no Netflix ou simplesmente conferir as atualizações dos meus canais preferidos no YouTube. Tem sido tão fantástico dedicar todos os dias esse tempinho para mim que noto de longe a diferença no meu estado de espírito ao longo de toda a semana desde que comecei a fazer isso.

Venho de duas semanas com muitos compromissos profissionais e viagens, então ter estabelecido essas duas premissas acima me permitiu passar por esses momentos com um pouco mais de disposição. Se não “nos obrigarmos” a ter esses momentos de descanso e lazer, é normal acabarmos ficando apenas cumprindo obrigações, uma atrás da outra.

Eu também gostaria de dizer que sou uma pessoa de hábitos simples e que fica muito feliz com pequenas coisas do dia a dia, então acho que isso ajuda. :) Tenho me permitido sentar no chão e brincar com a minha cachorra quando eu chego em casa, em vez de passar correndo, ou ficar conversando sobre assuntos variados com o meu filho jogada no sofá sem pensar nas coisas que eu ainda preciso fazer, ou até mesmo beber demoradamente um copo de leite com mel antes de dormir, refletindo sobre o meu dia. Tudo isso são coisas que deixam meu dia a dia mais feliz.