Bem-estar

Posts na categoria Bem-estar.

12 Jul 2014

Cuide da sua saúde no inverno

Woman Holding Cup of Water and Lemon --- Image by © Royalty-Free/Corbis

Algumas dicas práticas para manter sua saúde bem cuidada nesta estação:

  • Procure manter a temperatura corporal. Se estiver em casa com pouca roupa, agasalhe-se para sair.
  • Consuma bebidas quentes ao longo do dia para manter o corpo aquecido.
  • Tire o pó da casa com uma frequência maior. Evite ficar em ambientes empoeirados.
  • Evite tomar banhos muito quentes para não ressecar a pele.
  • Tenha sempre uma manteiga de cacau ou hidratante labial na bolsa para ir passando ao longo do dia.
  • Coma frutas cítricas para aumentar o consumo de vitamina C.
  • Beba água morna com limão pela manhã.
  • Faça atividade física, mas reforce o aquecimento antes para evitar lesões.
  • Mantenha em casa seu estoque de remédios para males comuns, como alergias, febres e resfriados.
  • Use filtro solar na pele mesmo no inverno. O sol continua queimando do mesmo jeito.
  • Mantenha o horário de sono mesmo nos dias de folga, para não confundir o ritmo do seu corpo.
  • Redobre os cuidados com hidratação da pele.
  • Beba bastante água ao longo do dia.
  • Consuma refeições que fazem uso do alho.
  • Consulte um dermatologista.
  • Encha uma bacia com água fervente e coloque folhas de eucalipto. O aroma é gostoso e o eucalipto é bom para a respiração.
  • Abuse das sopas e caldos quentes nas refeições.
25 Jun 2014

3 coisas que eu faço antes de dormir para alimentar minha criatividade

Eu acredito que ir para a cama em um estado alegre e tranquilo seja muito importante para a qualidade do nosso sono e um despertar melhor. Como meu principal instrumento de trabalho é a minha criatividade, preciso cuidar dela para ficar sempre bem, disposta e com ideias. Identifiquei três hábitos que eu tenho antes de ir dormir e resolvi compartilhar com vocês.

1. Meditar

Meditar para mim já é um hábito diário, mas a meditação feita antes de dormir tem um poder tranquilizante enorme em mim. Geralmente medito sobre temas diversos que desejo incorporar na minha vida (exemplo: ter mais paciência), começando com uma meditação simples respiratória, totalizando uns 25 minutos. Isso é o suficiente para mudar meu estado mental e me preparar para descansar.

2. Ler

Esse assunto é controverso, pois algumas pessoas dizem que perdem o sono se lerem algum livro interessante, ou ficam com a mente agitada. Acho que tudo depende do teor do livro. Gosto de ler livros inspiradores antes de dormir, que me propiciem o estado comentado ali em cima. Portanto, costumo deixar para essa hora minhas leituras sobre budismo ou desenvolvimento pessoal. Não leio livros técnicos ou sobre produtividade porque me dão vontade de levantar e escrever a respeito. Recomendo então a leitura de livros leves e que tragam um bom estado de tranquilidade já na cama, antes de dormir. Uma luminária com luz minimamente forte é o suficiente.

3. Pensar nas coisas boas que vivi no dia

Gosto de sempre recapitular o dia que eu tive e em que sentido ele foi inspirador, me trazendo aprendizados. O que me deixou feliz? O que eu mais gostei de fazer? O que eu quero fazer de diferente de amanhã em diante? Eu costumo fazer isso já deitada, com a luz apagada e os olhos fechados. Essa rápida “viagem” leva meus pensamentos para longe, mas me deixa em um bom estado contemplativo, que me leva aos sonhos.

E você, tem alguns rituais mentais antes de dormir? Compartilhe nos comentários!

27 Mar 2014

Dica saudável: Beber água com limão todos os dias pela manhã

Imagem: A Sweet Simple Life

Imagem: A Sweet Simple Life

Já li em diversos lugares a recomendação de beber água morna com limão todos os dias pela manhã, então resolvi pesquisar mais sobre isso e encontrei alguns motivos dados por uma nutricionista (Gabriela Maia), que hoje compartilho com vocês:

Equilibra o pH do corpo: O limão é um dos alimentos mais alcalinos que existe, por isso, tomar água de limão todos os dias contribui para reduzir a acidez total do seu corpo. Sim, limão tem ácido cítrico, mas não cria a acidez no corpo uma vez metabolizado.

Ajuda com a perda de peso: A fruta é rica em fibras de pectina, que ajuda a combater aos ataques de fome. Foi comprovado ainda que as pessoas que mantêm uma dieta mais alcalina perdem peso mais rápido.

Estimula o sistema imunológico: Limões são ricos em vitamina C, o que é muito bom para combater resfriados. Eles têm muito  potássio, que estimula o funcionamento do cérebro e dos nervos. Potássio também ajuda a equilibrar a pressão arterial.

Ajuda na digestão: O suco de limão expulsa materiais indesejados, pois  estimula o fígado a produzir bile, que é um ácido que é necessário para a digestão. Por sua vez, digestão eficiente reduz a azia e a prisão de ventre.

É um diurético: Limões ajudam na eliminação de líquidos pelo corpo, o que ajuda a purificar. As toxinas são, portanto, liberadas em uma taxa mais rápida, o que ajuda a manter o trato urinário saudável.

Limpa a pele: A água com limão elimina toxinas do sangue, que ajuda a manter a pele mais clara, Já a vitamina C contribui para diminuir rugas e manchas.

Previne gengivite: Pode ajudar a aliviar a dor de dente e gengivite. Mas cuidado, o ácido cítrico pode corroer o esmalte do dente, por isso você deve monitorar isso com seu dentista.

Alivia problemas respiratórios: Água morna com limão ajuda a se livrar de infecções pulmonares e deter aquelas tosses incômodas. Acredita-se ser bom também para quem sofre com asma e alergias.

Mantém você zen: A vitamina C é uma das primeiras coisas que seu organismo consome quando você submete sua mente e seu corpo ao estresse. Como mencionado anteriormente, os limões são repletos de vitamina C.

Ajuda a largar o vício do café: Após beber  um copo de água quente de limão, a maioria das pessoas sente menos necessidade de tomar o café.

Eu tenho bebido todos os dias pela manhã e noto grande diferença no meu humor, na minha disposição, na minha vontade de beber café e comer doces e até no funcionamento do meu corpo.

Alguém aqui tem o hábito de beber água com limão ao acordar? Poderia compartilhar os resultados? Muito obrigada!

aviso-ferias

12 Mar 2014

O presidente do Uruguai é minimalista: conheça seu estilo de vida

Imagem: Agência EFE

Imagem: Agência EFE

Lê os jornais com um iPad apesar de viver em uma humilde chácara, quase sem segurança e onde ele mesmo cozinha carne com cebola, seu prato preferido – assim é José “Pepe” Mujica, o peculiar presidente do Uruguai, que recebeu a Agência Efe para uma entrevista junto com sua inseparável cadela de três patas, Manuela. Não é de hoje que Mujica chama atenção por seu estilo de vida simples.

Nem pela pequena guarita com dois policiais situada na frente do local alguém poderia imaginar que o austero sítio no qual vive com sua esposa, a senadora Lucía Topolansky, é a atual residência presidencial uruguaia.

Localizada a dez quilômetros de Montevidéu, em uma área rural na qual só se escuta o canto das aves, a primeira coisa que chama atenção na chácara são suas paredes descascadas e tetos de zinco verde, assim como as galinhas que ciscam nos pátios vizinhos em torno da roupa estendida no varal.

“Minha maneira de viver é consequência da evolução da minha vida. Lutei até onde é possível pela igualdade e equidade dos homens”, afirma em tom reflexivo este ex-guerrilheiro que passou 14 anos na prisão, a maioria durante a ditadura (1973-1985), e que completou 78 anos.

Para Mujica, do bloco esquerdista Frente Ampla, “o mundo está prisioneiro hoje da cultura da sociedade de consumo e o que está se consumindo é vida humana, em quantidades enormes”, pois se perdeu a capacidade de desfrutar o tempo e a ideia que “estar vivo é um milagre”.

“As pessoas não compram com dinheiro, compram com o tempo que tiveram que gastar para ter esse dinheiro. Não se pode desperdiçar esse tempo, é preciso guardar algum tempo para a vida”, argumenta o homem que preside um país de 3,3 milhões de habitantes e que se vende como paraíso da natureza e da tranquilidade.

Vestido com roupa e tênis esportivos de tons cinzentos e negros, Mujica lembra então a célebre frase de Séneca que “pobres são aqueles que precisam de muito”, mas depois esclarece que seu estilo não é uma “valorização da pobreza”, mas “da sobriedade no viver”.

A vida simples não significa desconectada. O chefe de Estado uruguaio tem um iPad para ler os jornais de manhã, antes de deslocar-se à Torre Executiva, sede governamental no centro de Montevidéu.

Usa o aparelho moderno aparentemente porque não chegam os jornais até a vizinhança onde vive junto com outras três famílias e onde a cadela Manuela circula faceira, apesar dos 18 anos de idade. A ausência de uma das patas da cadela é fruto de um acidente com ferramentas de arar que forçou a amputação, relata Mujica.

Um dos vizinhos do presidente, um homem jovem, o ajuda nas tarefas agrícolas, para as quais dispõe de um velho trator que dorme em um galpão junto de seu velho carro, um Fusca que tem um quarto de século de vida e está avaliado em menos de US$ 2 mil.

O líder diz ter pouco tempo para os trabalhos de campo e esclarece que segue cultivando flores unicamente para manter a semente e poder voltar a produzir com fins comerciais quando deixar o poder.

Então pretende também “fazer uma escola de ofícios granjeiros” destinada a jovens da região, porque “há muitos rapazes que precisam aprender um ofício”.

A comida é comprada em um mercadinho próximo com sua esposa Lucía.

“Cozinhamos nós mesmos”, revela Mujica ao tirar o Fusca da garagem e chamar a cadela Manuela para subir no banco traseiro e ir até o açougue do bairro, situado a dois minutos de sua casa. Vai comprar carne para preparar seu prato preferido: “bife com cebola, com muita cebola picada”.

Fonte: Época Negócios, indicação da leitora Juliana Oliveira (obrigada!)

18 Feb 2014

Rapidinhas: A armadilha do “faça o que você ama”

180214-ama

Ia inserir esse texto na linkagem de domingo, mas refleti tanto sobre ele que achei melhor publicar no formato de rapidinhas aqui no blog.

Eu venho pensando sobre esse assunto há um bom tempo. Tem a ver com geração mimimi/mememe, se achar a última bolacha do pacote, achar que todo mundo tem as mesmas condições sociais “para viver do que se ama” (dinheiro, suporte da família, estrutura). Gera ainda mais ansiedade e nos leva a um estado de eterna insatisfação, o que pode ser perigoso porque… ok, nada é permanente e ser insatisfeito nos leva à mudança, à não-conformidade. Isso pode ser um sentimento bom. Porém, não pode ser o único parâmetro, ou sim? Será que a gente deve se mover somente porque o mundo não é do jeito que a gente quer? Fomos acostumados a ter todas as vontades atendidas? O que estamos nos tornando?

Sou adepta do “para fazer o que ama, comece amando o que faz”. Porque às vezes nossas vontades nos enganam, e a felicidade pode estar apenas a um clique da nossa mente, e não em outro lugar, pessoa ou situação externa.

Clique aqui para ler o texto completo, que é maravilhoso. Dica do blog da Lu Ferreira.

17 Feb 2014

Dicas de atividades físicas para pessoas que não têm tempo

180214-exercicios

Eu não sou uma pessoa atlética. Já fui! Praticava muitos esportes, era magra e tinha um corpo legal. Aí entrei na faculdade, parei e fui engordando, engordando… cheguei a pesar quase 100kg. Emagreci algumas dezenas de quilos. Mesmo assim, ainda estou acima do meu peso e não aguento mais fazer dieta. Tempo para se exercitar? Oras, sei que para quem vive disso, é fácil encontrar tempo. Eu não vou acordar 6h para ir para uma academia que não tenho dinheiro para pagar e para fazer uma atividade que eu odeio (levantar ferrinhos). Talvez um dia, lá na frente, eu me empolgue e passe a gostar disso, pois quando a gente vai emagrecendo e fazendo uma atividade física como rotina, a gente quer sempre fazer mais e melhor. Espero mesmo que isso aconteça e, se você tem esse ritmo de academia, fico feliz por você. Mas hoje minha realidade é a seguinte: ou eu faço algumas poucas coisas, ou não faço nada. Não tenho espaço para o ideal no momento. Portanto, neste post, vou compartilhar algumas dicas e ideias minhas para fazer atividade física no dia a dia, além de outras de fontes diversas (sites, livros etc).

Gostaria de pedir que, enquanto você estiver lendo, contraia o abdômen a cada dica lida. Só para ir entrando no clima. =)

  • Yoga. Não vou me aprofundar tanto nesse assunto porque sou leiga de tudo. Venho fazendo uma sequência noturna (chamada “saudação à lua”) para preparar o corpo para dormir, e me sinto muito bem. Não é uma sequência difícil e pode ser encontrada no YouTube. Quem puder fazer aulas presenciais, recomendo, para ter a postura corrigida. Quando aprender, faça as sequências em casa. Também há bons sites com uma mensalidade ínfima que te dão acesso às aulas online com bons professores, e assim você poderá dar continuidade à prática em casa.
  • Faça o que fizer, tenha constância. Não é incomum gente passar mal porque só se exercita aos finais de semana – ou aquele tradicional joguinho de futebol às quartas. Isso porque você sobrecarrega seu corpo, que estava acostumado a ser sedentário. E o medo de ter um treco e morrer do coração? Portanto, vale mais a pena ter pequenas atividades ao longo da semana que um dia inteiro de maratonista.
  • Explore atividades curtas. Colocar tênis, roupa de ginástica e ir até a academia… andar na esteira… é muito depressivo, não? Portanto, faça pequenas caminhadas ao longo do dia. Ande mais a pé. Dê cinco voltas no quarteirão. Não precisa caminhar durante 40 minutos de manhã. Caminhe 20 de manhã, 20 à noite. 15 de manhã, 15 na hora do almoço, 15 à noite. Atividade física, para mim, se for um estorvo, não vai dar certo. E se eu tiver que “gastar” 1h inteira de uma vez todos os dias fazer um exercício, a chance de não fazer é imensa, porque 1h é muito tempo no meu dia a dia. Agora, se distribuir ao longo do dia, fica rápido, fica fácil, praticamente impossível de arranjar desculpa.
  • Use as escadas. Ah tá, essa dica é velha, você pode pensar. Mas… você faz isso? Você sobe de escada para o seu apartamento no sexto andar? Você leva o lixo na lixeira geral do prédio, ou deixa na lixeira do andar? O mesmo vale para o seu trabalho. Quem tem sobrado em casa pode colocar o timer para 15 minutos e subir e descer as escadas uma vez por dia. Pensando bem, quem mora em apartamento também pode fazer isso!
  • Foque na atividade física adequada. Hoje, quando se fala em fazer atividade física, a gente logo pensa em se matricular em uma academia. Ai gente, que falta de criatividade! Encontre algo que você realmente goste de fazer e isso pode revolucionar a sua vida! Tipo andar de bicicleta, fazer aula de dança, caminhar no parque, praticar um esporte diferente (esgrima?), jogar vídeo-game com kinnect. Abra o leque de possibilidades, veja o que tem por perto da sua casa ou trabalho e informe-se. Mesmo assim, pode ser que você não tenha tempo para isso. Se tiver, maravilha! Vale a pena tentar! Além de ser algo que você goste, deve se encaixar na sua rotina e ser eficiente. Porque, se não fizer diferença, não tem muito por que a gente fazer, né?
  • Faça sessões de alongamento em família. Alongar o corpo é maravilhoso. Yoga explora esse lado (e muito mais!) e por isso faz tão bem. Mas você não precisa ir tão longe, se não quiser. Aprenda sequências simples de alongamento e faça desse momento um momento de diversão em família. Envolva seu marido ou esposa, sua mãe ou pai, seus filhos, e faça 15 minutos de alongamento de noite, em casa, ou pela manhã (se não estiverem correndo tanto). Além de fazer uma atividade física, é mais um momento em família.
  • Faça exercícios em casa. Ok, fazer exercícios sem supervisão pode ser perigoso. Portanto, consulte um médico, faça exames e veja se está tudo bem antes de começar. Se estiver, você pode fazer exercícios simples, mas simples messssmo, daqueles que estamos cansados de conhecer, como: abdominais, poli-chinelos, flexões, levantamento de pesos com objetos da casa (livros, potes de mantimentos, equipamentos diversos). Você também pode correr no mesmo lugar! É difícil, a gente parece bobo, mas é melhor do que nada!
  • Contraia os músculos. Eu não estava brincando no começo do post e espero mesmo que você esteja contraindo o abdômen a cada dica lida. Mas, além disso, explore mais esse movimento no seu dia a dia – é um exercício que você pode fazer em absolutamente qualquer lugar, até trabalhando no computador! Quando carregar as compras do mercado, por exemplo, ou quando for estender a roupa lavada no varal.
  • Exercite-se quando acordar. Não é para acordar 5h da manhã e ir correr na esteira não! Se você quiser fazer isso, no entanto, bom para você! Mas a ideia aqui é espichar o corpo assim que acordar, alongando-se na cama mesmo. E aí, partir para uma sequência básica de abdominais.
  • Veja vídeos no YouTube. Hoje em dia temos muuitas opções de vídeos com sequências de exercícios para serem feitos em casa – basta abusar da busca no site. Quando tiver um tempinho, que sejam cinco minutos, faça alguma atividade. O mais legal é que dá para fazer enquanto vê um filme, uma série ou a novela.
  • Não dispense oportunidades de se exercitar. Você sabe bem como é: pra que subir de escada se seguraram o elevador para mim? Temos oportunidades durante o dia para fazer exercícios (e recusá-los). Não recuse! Leve o cachorro para passear, dê a volta no quarteirão, vá ao mercado a pé, estacione o carro em uma vaga mais longe no shopping, vá trabalhar de bicicleta, pule corda… etc!
  • Faça exercícios no trabalho. Use metade do seu horário de almoço ou pequenos intervalos ao longo do dia (em vez de fumar ou tomar café, por exemplo). Caminhe em volta do estacionamento da empresa, suba e desça escadas, faça polichinelos em um lugar discreto (vale até o banheiro), corra no lugar, alongue-se. E, muito importante: corrija sua postura na cadeira. Tem a ver com seu bem-estar, que tem a ver com a sua disposição, e faz você ter mais vontade de fazer as coisas ou não – inclusive exercícios.
  • Faça exercícios no seu horário de lazer. Leve seus filhos para passear no parque, ande até a sorveteria, acampe, jogue bola, brinque com o cachorro, cultive uma horta, ande bastante no shopping, saia para dançar, faça uma trilha. Escolha atividades saudáveis e que te façam se exercitar. Faz diferença!
  • Analise a compra de aparelhos. Se você tiver dinheiro e espaço para isso, além de gostar da atividade (claro), pode comprar alguns (ou um) aparelhos de ginástica para ter em casa. Um bicicleta ergométrica não ocupa tanto espaço quanto uma esteira e já é um excelente exercício, se você fizer todos os dias. Não pense que vai comprar e deixar encostada! Compre e use! Compre com uma motivação! Se não gostar dessa opção, não compre. Simples assim!
  • Limpe a casa. Essa dica pode parecer boba, mas não é! Limpar a casa é uma atividade física excelente: esfregar chão, varrer, secar, limpar box, subir na escada, descer, tirar o pó, passar roupa, arrumar a cama, pintar paredes, passar aspirador. Quando estiver limpando a casa, pense na atividade física que está fazendo. Tente melhorar a coisa toda contraindo o abdômen ou inserindo sequências ao longo da faxina (levantar peso com algo que tenha pego na mão, por exemplo).
  • Mantenha a rotina. Estabeleça uma meta (exemplo: 1h de exercícios todos os dias) e preencha seu tempo ao longo do dia com atividades relacionadas. Podem ser 20 minutos de manhã, 20 na hora do almoço e 20 de noite, ou então 40 minutos de manhã e 20 de noite. Tanto faz! Mas tenha suas metas e faça do cumprimento delas sua rotina. Lembre-se: constância.

E aí, ainda acha que não tem tempo para se exercitar? Com pouco tempo ao longo do dia, tendo criatividade e pensando na atividade física de outra maneira, é possível ter uma rotina de exercícios para manter o corpo em movimento e ser uma pessoa mais saudável. Tente!

21 Jan 2014

Simplificando a limpeza, a arrumação e a organização da sua casa

Imagem: I <3 Organizing

Imagem: I heart organizing

Limpe quando estiver sujo. Pare de perder tempo no seu dia a dia limpando a casa quando não precisa.

Simplifique a alimentação da sua família. Não precisa fazer três acompanhamentos todos os dias. Prepare alimentos com antecedência, se puder. Congele. Use alimentos frescos e crus, se não precisar cozinhá-los.

Deixe um bloco de notas e uma caneta na cozinha para ir anotando o que precisa comprar. Quando chegar o dia de ir ao mercado, compre somente aquilo.

Cuide da casa em equipe. Se três pessoas moram na casa, não existe motivo para somente uma delas cuidar de tudo. Se houver divisão, não fica pesado para ninguém.

Tenha menos coisas. Todos os dias, passe com uma sacolinha de lixo pela casa e separe o que for lixo. Você vai se surpreender com a quantidade de embalagens, papeizinhos e cosméticos vencidos que aparecem de um dia para o outro.

Pare de comprar algumas coisas durante algum tempo. Existem coisas lindas, mas quem disse que precisamos ter a posse delas? Fotografe e guarde-a com você. Não precisa comprar. Quanto mais coisas, mais trabalho para limpar, e menos espaço você terá em casa.

Tenha um cantinho do chá/café na cozinha, perto da cafeteira, onde ficam as canecas, pote de café, adoçante/açúcar etc. Facilita ter tudo perto.

Aliás, o mesmo vale para as outras áreas da casa. Onde você vê tv, deixe controles por perto, os DVDs, os jogos de vídeo-game. Onde ficar o computador, deixe os fios, carregadores, pendrives, tudo guardado meio perto. Na cozinha, tenha a área de preparo, onde ficam as facas, temperos. A área de cozinhar, onde ficam as panelas. Se a gente pensar por esse lado, é muito fácil organizar a casa intuitivamente.

A coisa de ter menos itens em casa significa que você perderá menos tempo cuidando e limpando, além de garantir que tudo tenha seu lugar. A bagunça começa quando a gente compra um item e esse item não tem lugar para ser guardado.

Tenha rotinas simples, com poucas tarefas que garantem a sua casa ok no dia a dia. Lavar a louça, esvaziar as lixeiras, fazer a cama, coisas desse tipo. São tarefas rápidas que garantem uma manutenção nada neurótica do lugar onde você vive.

Sua casa não precisa ser bonita para ser prática. Pense na praticidade e, quando fizer, faça com capricho. Só depois que sua casa estiver prática você pode focar na beleza, porque gostamos e ver coisas belas nos faz bem.

Distribua as tarefas de limpeza ao longo da semana, em vez de deixar para fazer tudo no mesmo dia. Com 15 minutos aqui e outros 15 ali, você perderá menos tempo no final de semana se dedicando à faxina e terá uma casa minimamente limpa sempre.

Suje menos. Tome cuidado, mas sem neuras. Tirar o sapato ao entrar em casa é uma tática simples e que faz muita diferença. Explore outras.

Diminua as expectativas. Não tem como uma casa ficar perfeitamente limpa se todos trabalham fora, há crianças e animais em casa. Aceite, a não ser que você queira pagar alguém para fazer isso por você.

Curta mais a sua casa. Tenha um cantinho para ler ou simplesmente descansar, onde você possa ficar um pouco todos os dias. Dedique-se a ele. Fará diferença na sua rotina.

20 Jan 2014

3 maneiras de diminuir o ritmo

Imagem: zoeclaudia.tumblr.com

Imagem: zoeclaudia.tumblr.com

1. Aprenda a diferenciar o fundamental do essencial. Comer é fundamental; estar bem alimentado para ter energia no dia a dia e fazer as coisas acontecerem é essencial. Dinheiro é fundamental; ter um trabalho que te dê prazer, reconhecimento e satisfação e que, além de tudo, tenha uma compensação financeira, é essencial. Esses são apenas exemplos. O que é essencial para mim, pode não ser essencial para você. Porém, tome cuidado para não achar que algo fundamental é essencial. Essa simples distinção pode te ajudar a tomar decisões mais eficazes com relação ao seu tempo.

2. Aprenda a dizer “não”. Sabe o pior que pode acontecer se você disser não para alguma coisa? Receber antipatia de volta. Você consegue lidar com isso? Particularmente, prefiro parecer antipática que ficar menos tempo com a minha família porque aceitei uma responsabilidade por não saber dizer “não”. Também pode acontecer de te excluírem de alguma turminha, isso em âmbito pessoal e profissional. Fazer o quê? Quando a gente chega em uma certa idade, meio que sabe o que faz bem e o que não faz bem pra gente. Ser excluído de uma turma que não entende que você sabe definir prioridades, talvez seja o melhor acontecimento da sua semana. Não se culpe. Se você não pode ou não quer fazer algo, simplesmente diga “não”. Apenas tome cuidado para não prejudicar outras pessoas ao fazer isso (pelo menos, é por onde eu me guio).

3. Pare de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Se precisar utilizar a Internet, abra somente uma guia do navegador – nada de deixar carregando Facebook, e-mail, agenda e todo o resto nas outras guias. Se estiver almoçando, almoce. Não fique conferindo suas mensagens no celular ou conversando sem prestar atenção na comida. Fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo deixa a nossa mente muito mais agitada, mesmo que na hora a gente não perceba. E isso gera estresse.

Só três dicas para te dar um up nessa segunda-feira. =)

17 Jan 2014

Como eu organizo a minha rotina de meditação

170114-meditacao

Faz parte da minha prática espiritual meditar todos os dias. Não existe uma maneira certa ou errada de meditar – existem técnicas e métodos de acordo com as mais diversas tradições e objetivos. No Budismo Kadampa, tradição que eu estudo, a meditação é vista realmente como prática espiritual, além do benefício mais comum, que é acalmar a mente.

Para entender melhor, trouxe um trecho do livro “Transforme sua vida”, de Geshe Kelsang Gyatso:

“Muitas pessoas praticam meditação respiratória, mas em geral só se concentram na sensação que o ar provoca ao entrar e sair pelas narinas. Isso serve para acalmar a mente temporariamente e reduzir os pensamentos distrativos, mas não tem o poder de transformá-la de maneira profunda e duradoura.”

A ideia da meditação é refletir sobre ações que tomaremos no futuro. Como exemplo, podemos meditar sobre a raiva e sobre como podemos ter paciência. Logo, quando o momento aparecer no nosso dia a dia, em vez de sentirmos raiva, teremos nossa mente treinada pela meditação para agir de forma diferente, já premeditada. E isso é uma prática mesmo, que a gente vai treinando e melhorando com o tempo.

Uma das coisas que mais me chamaram atenção na Tradição Kadampa é a ênfase na prática do Dharma (Dharma são os ensinamentos de Buda). Os monges não vivem em monastérios fechados – eles atuam na rua, na comunidade, e todos nós, os ditos leigos, devem fazer o mesmo. Por isso, é bastante coerente que o objetivo da meditação seja a aplicação prática dos ensinamentos e dos objetos de contemplação.

No geral, o propósito da meditação é acalmar a nossa mente e buscar a paz, pois permaneceremos serenos mesmo nas condições mais adversas.

Antes de iniciar meus estudos na Tradição Kadampa, eu estudava o zen budismo, que tinha como principal prática de meditação o zazen. Isso significa “apenas sentar” e meditar. Como eu nunca cheguei a frequentar um centro zen budista, não me aprofundei na técnica. Eu fazia somente meditações respiratórias para acalmar a mente, e isso me bastava. Não havia uma frequência ou objeto de contemplação. Somente há alguns meses eu me inscrevi em um curso de meditação e então tudo começou a fazer mais sentido para mim. Portanto, se você não sabe por onde começar, pode valer a pena procurar um curso de meditação na sua cidade. Os centros budistas costumam não ter fins lucrativos e cobram valores mínimos para cursos, para manutenção do centro mesmo, então são acessíveis à maioria das pessoas.

No curso, comecei a aprender não só sobre os benefícios da meditação, como também a postura correta, o sentido das mudras (gestos simbólicos feitos com as mãos), além de técnicas boas que ajudam muito, como manter os olhos parcialmente abertos (para não ter sono) e até a posição da língua, para não ficar salivando e prejudicando a concentração.

Antes de começar o curso, eu tinha lido um livro escrito pela Soninha (“Por que sou budista”) e ela fala um pouco sobre como a nossa mente é agitada e como ela não conseguia sentar e meditar. Justamente por esse motivo, ela disse, ela deveria sentar e meditar! Precisava acalmar a mente! E o que eu acho engraçado é como me sinto quando sento para fazer uma meditação respiratória simples, para acalmar a mente, e simplesmente não param de vir pensamentos. É um turbilhão de coisas! Mas o professor disse que não é que a nossa mente fica agitada quando meditamos – é que, quando nós prestamos atenção em nossa mente, é que percebemos como ela é agitada. Na verdade, ela fica assim o dia inteiro. Por isso é importante a gente ter alguns minutinhos todos os dias para meditar, porque senão ninguém dá conta de tanta agitação.

Como meditar

O método da meditação na Tradição Kadampa tem cinco partes: preparação, contemplação, meditação, dedicatória e prática subsequente. Há uma analogia maravilhosa sobre preparar o campo, plantar a semente e depois regá-lo, para ver os resultados.

A ideia da preparação é justamente acalmar um pouco a mente, então sempre iniciamos com uma meditação respiratória simples, que leva apenas alguns minutos. A meditação respiratória é tão eficaz, que podemos fazer em qualquer momento do nosso dia: em casa, no trabalho, no transporte público. Não tem tanto segredo: basta se concentrar na sua própria respiração. Depois de acalmar a mente, recitamos as preces preparatórias da tradição.

Na segunda parte, a contemplação, conhecemos o objeto da nossa meditação. Nesse momento, o professor traz ensinamentos sobre um tema específico e nos dá instruções. Na Nova Tradição Kadampa, seguimos um livro chamado “Novo manual de meditação”, também de Geshe Kelsang Gyatso, que tem absolutamente TUDO o que você precisa saber sobre meditação na NKT (New Kadampa Tradition). E uma das minhas coisas preferidas é que ele propôe 21 temas, que devem ser nosso objeto de meditação ao longo de 21 dias seguidos e, depois, continuamente estudados. Os temas são os mais diversos, como “equalizar eu e os outros”, “nossa preciosa vida humana” e outros, todos relacionados aos ensinamentos de Buda.

Na terceira parte, partimos para a meditação propriamente dita, com foco no objeto da meditação. Essa meditação é guiada pelo professor e pode durar de 20 a 40 minutos. Percebam que a meditação tem um foco; o objetivo é realmente plantar a sementinha; pensar naquele assunto para que, quando acontecer algo relacionado no nosso dia a dia, a gente consiga lidar de forma tranquila, em paz.

Na quarta parte, dedicamos o mérito que adquirimos com a meditação para alcançarmos a iluminação. Recitamos preces dedicatórias.

A quinta parte é a prática subsequente, ou seja: o que você vai fazer depois daquele ensinamento. “É importante lembrar que a prática do Dharma não se limita às sessões de meditação; ela deve permear toda a nossa vida” – Geshe-la, no livro “Novo manual de meditação”.

Minha prática diária

Além de frequentar o curso, eu medito diariamente. Ainda estou muito no começo, então peço desde já que me perdoem caso eu fale algo equivocado neste post, e pretendo revisá-lo de tempos em tempos para garantir que as informações estejam corretas.

Tenho um pequeno altar em casa, representado na foto no início do post. Meu altar é simples e ainda não aprendi como montá-lo da forma correta, então por enquanto ele fica de acordo com o que já sei. Tenho uma representação de Buda, uma foto do Geshe Kelsang-Gyatso (nosso guia espiritual da tradição), a imagem de uma estupa (que representa a mente de Buda), escrituras (representando a fala de Buda) e oferendas diversas (água e incenso).

Gosto de meditar pela manhã e à noite. Nem sempre consigo meditar quando acordo, pois meu filho pode já estar acordado e não tenho como me trancar no quarto para fazer isso. Então assim, se acordo antes dele, consigo meditar tranquilamente. Geralmente isso acontece e é comum acordar mais cedo que o horário habitual somente para meditar pela manhã. Eu vou trabalhar com outra cabeça, é incrível. Portanto, gosto muito de meditar quando acordo. Antes de dormir também é muito bom, pois “encerro” o dia, por assim dizer. Se meditei pela manhã, de noite faço apenas uma meditação respiratória, para acalmar a mente. As meditações costumam durar de 20 a 40 minutos, como no centro.

Também frequento o Centro Budista aqui em Campinas, onde participo das atividades. Além do curso de meditação, há cursos para estudo do Dharma, em diversos níveis (iniciais e mais aprofundados) e as chamadas pujas, que são preces cantadas e acontecem diariamente. Há diversas atividades relacionadas também, como retiros e festivais, com palestras e ensinamentos preciosos. Em todas essas atividades, sempre há meditação, então a prática é constante.

Quando fico sozinha em casa, gosto de fazer pequenos retiros (uma manhã, uma tarde ou um dia inteiro dedicado aos estudos do Dharma), intercalando com as atividades diversas que tenho na vida. Também é uma oportunidade para exercitar o silêncio e recitar as preces cantadas diversas vezes.

Não há segredo para se organizar para meditar além daquele de sempre para implementar qualquer hábito na sua vida: motivação, disciplina e boa vontade. A meditação como prática espiritual é uma coisa e a para simplesmente acalmar a mente, sem estar ligado a nada espiritual, é outra. Se você frequentar algum centro ou participar de algum tradição, receberá as instruções e métodos relacionados àquela tradição. No entanto, se você pretende somente acalmar a mente, 5 a 15 minutos de meditação respiratória diariamente já ajudam e muito a deixar a mente em paz, e realmente é recomendável a todos os seres humanos.

Alguém tem uma rotina de meditação? Como se organiza quanto a isso?

15 Jan 2014

Desapego na prática

Qual é a sua maior riqueza?

A sua riqueza pode ser levada nos bolsos? Carregada nos braços? Levada na mochila? (#sdds Amor sem escalas)

A maneira mais radical de se pensar em desapego é saber que um dia morreremos (pode ser hoje) e que não levaremos absolutamente nada conosco. Então, de que adianta nos apegarmos a tantos objetos? De que adianta perdermos tempo lustrando uma louça que nunca é usada? Ou lamentando a respeito de pessoas e sentimentos que não fazem sentido? Fica a reflexão.

Se você for assaltado(a) na rua, qual o maior bem que o assaltante pode levar? Ele pode tirar a sua vida. Esse é o medo. Celular, dinheiro, carteira – essas coisas não importam. Você pode ficar bravo(a) porque perdeu seu celular sem pagar a primeira prestação ainda (que tristeza), mas se você pode reclamar sobre isso, é porque ficou viva(o). Sobreviveu a esse assalto. Então do que está reclamando mesmo..?

Aquela velha história de: “se a sua casa pegasse fogo, o que você salvaria?”. Ou: “se você fosse para uma ilha deserta e pudesse levar 3 coisas, o que levaria?”.

Nossa riqueza não está em nossas coisas, mas em nossos sentimentos e lembranças. Nosso aprendizado.

Gosto sempre de citar uma frase do Thoreau, em que ele fala que “feliz é o homem que consegue carregar todos os seus pertences em um carrinho de mão”. E sabe por que isso é verdadeiro? Porque quanto mais coisas temos, mais preocupações surgem.

Oras, se você ganha um alto salário, não tem medo de ser roubado(a)? De ser sequestrado(a)? De perder o dinheiro em um erro do banco, em uma aplicação errada, em uma compra impulsiva?

Se você compra uma TV de 55 polegadas, não vai ficar mais preocupado(a) se o seu filho vai arranhar com um lápis de cor?

Se você compra um tablet, não vai ficar preocupado(a) em sair na rua com ele?

Se você compra um carro, não precisa pagar IPVA, DPVAT, licenciamento, seguro, reparos, gasolina e uma série de outras coisas?

Agora, o que acontece com as experiências que você tem em viagens, no dia a dia, nos momentos com a família, os relacionamentos, os insights ao observar a natureza, o conhecimento adquirido com estudo, tudo? Isso ninguém pode roubar da gente, pois está dentro de nós. Não está em objetos.

Logo… todo o resto… é substituível. Talvez a gente nem precisasse ter, se estivesse focando no que é mais importante, que são as sensações descritas anteriormente.

Quando eu falo em desapego na prática, o que eu quero dizer é: imagine-se sentada(o) no meio do deserto, da rua, do campo, da praia. Sem nada. Absolutamente nada.

Imagine que você tenha acordado nesse lugar e não tenha casa para ir, telefone para ligar para alguém. Mal tenha a roupa que está vestindo o seu corpo.

Então você descobre que o mundo explodiu (fictício hein, haha, envolvam-se no exercício) e você foi o único sobrevivente. Nada restou. Não existe mais iPad, celular, carro, shopping, móveis. Nada.

Você sentiria falta dessas coisas ou das pessoas que não verá nunca mais?

Outro dia eu escrevi sobre a moça que morreu de câncer e foi fotografada pelo seu marido, com o título “vamos todos morrer mesmo”.

Achamos que, se tivermos uma doença terminal, vamos “aproveitar a vida” e deixar o que não importa de lado, especialmente coisas materiais. Podemos vender o que temos para viajar para um lugar que sempre sonhamos conhecer. Ou nos desfazer de apegos materiais sem sentido, que vamos mantendo somente por hábito.

O que acontece, meus amigos, é que estamos TODOS sofrendo de uma doença terminal chamada TEMPO.

Todos nós vamos morrer. Pode ser hoje, pode ser amanhã. Pode ser daqui a 80 anos. Mas essa é a nossa certeza.

Sabendo disso, por que nos apegamos tanto ao que não é necessário?

Não se trata de viver sem coisas, pois todos precisamos de objetos no dia a dia. Não só pela utilidade, mas por hobbies, ou por afeto, para ter por perto coisas que gostamos, colecionamos ou nos deixam alegres.

Trata-se de não fazer isso dominar a sua vida. De ter o entendimento de que vai acabar. De não deixar de viver um momento com seu marido, sua namorada, seus filhos, porque precisa limpar a coleção de bonecos do Star Wars ou fazer uma reunião profissional desnecessária em um sábado à tarde.

O desapego é com relação ao que não importa. E, no fundo, todos nós sabemos o que não é importante. Mesmo assim, continuamos fazendo – por motivos diversos, eu sei. Muitas vezes, eles são obrigatórios, ligados ao trabalho, por exemplo. Mas, no fundo, nada é obrigatório.

Se você parar para pensar que é livre para viver, sentir, aprender e viver desapegado do que não importa, a vida ficará mais leve, tranquila. A gente se preocupa demais com o que não precisa. E você sabe que eu não estou falando só de coisas materiais.

Desapegar é isso. Não é jogar fora as coisas. É um estado mental. A praticidade está em acionar esse “click” na nossa cabeça e passar a enxergar a vida de acordo com o que importa, parando de se preocupar com o que não for importante.

Solte o balão.

"E deixe ir"

E deixe ir