Analise seus objetivos de curto, médio e longo prazo

Como parte do novo planejamento do blog, tentarei este mês escrever posts que estejam relacionados com o checklist mensal para ajudar cada um de vocês a se organizar. Infelizmente, não posso atender pessoalmente cada pedido de ajuda que chega até mim, então o blog é a minha maneira de ajudar. Tento ser sempre bastante didática para que todos vejam que se organizar não é um ideal distante, mas algo que podemos fazer aos pouquinhos e, assim, tomar controle do nosso tempo.

Hoje eu gostaria de falar sobre objetivos de curto, médio e longo prazo. O que são esses objetivos?

Quando eu falo em objetivos de curto prazo, estou me referindo ao prazo de hoje até daqui a dois anos. Não gosto de fazer resoluções anuais porque acho que muitos objetivos demandam um pouco mais de tempo. Considero dois anos um período legal, que dê para a gente se basear com uma margem maior. Dá para tomar providências que demandem um pouquinho mais de tempo, mas que ainda assim estão sob nosso controle e planejamento.

Objetivos de médio prazo já são aqueles que podem ser para daqui a três ou cinco anos. São objetivos que temos em mente, mas que não temos disponibilidade no momento. Objetivos de médio prazo clássicos: ter um filho, começar um mestrado, aprender um novo idioma, mudar de casa, viajar para o exterior etc.

Os objetivos de longo prazo são basicamente os objetivos de vida. É para pensar não só daqui a 10 anos, mas daqui a 30, 40 anos. Lá na frente. Quando você morrer, o que gostaria de ter realizado? “Ah, eu gostaria de ter estabilidade financeira.” “Eu gostaria de dizer que fui o melhor pai possível.” “Quero ser lembrado(a) como um(a) amigo(a) presente.” Essas coisas, mais etéreas. Os objetivos de longo prazo revelam nossas intenções e missão de vida. O legal de pensar a respeito deles é que eles dizem muito sobre o nosso caráter.

Mas como começar?

Comece pelos objetivos de longo prazo, sempre. Eles serão o seu norte. Pegue uma folha de papel e reflita sobre como gostaria de ver sua vida quando estiver no final dela. É claro que estamos levando em conta uma vida longa e próspera. Mesmo que você já tenha mais idade, pense lá na frente. Pense no que gostaria de ter realizado no momento em que fechar os olhos pela última vez.

Elaborar essa lista pode parecer difícil mas, na prática, você vai ver que é bastante natural. Todos nós já sabemos o que queremos ser. E tudo bem se essa lista mudar. Não pense nisso agora. Monte sua lista e avalie-a de tempos em tempos. Você vai perceber que o essencial dificilmente vai acabar mudando, mas é ok mudar. Não se preocupe com isso – você não está escrevendo regras em pedra. É apenas uma reflexão.

Com base na sua lista de objetivos de longo prazo, tente trazer para mais perto. Por exemplo, se você deseja ter estabilidade financeira, o que pretende fazer a médio prazo (três a cinco anos) para alcançar esse objetivo? Comprar um apartamento, passar em um concurso público, ter uma poupança com X reais no banco, abrir um negócio. Para cada objetivo de longo prazo, você pode ter um ou mais objetivos de médio prazo que sejam relacionados.

Isso serve até mesmo para você questionar seus objetivos de médio prazo. Se você tinha em mente comprar um apartamento daqui a quatro anos, pense em como isso colabora com seus objetivos de longo prazo. Se não colaborar com nenhum, veja se é um objetivo importante. Se for, talvez você deva refletir sobre um objetivo de longo prazo que se relacione com ele, como por exemplo, cuidar da sua família ou proporcionar segurança financeira para quando estiver mais velho.

Os objetivos de curto prazo também devem se relacionar aos de médio e longo prazo. Mas aí o raciocínio é o seguinte: verificar seus objetivos de médio prazo e ver o que pode fazer atualmente, de hoje a dois anos, para alcançar esse objetivo. Continuando com o exemplo do apartamento, você pode colocar como objetivo de curto prazo guardar Y reais por mês na poupança para conseguir ter Z reais daqui a dois anos. Ou pode optar pela pesquisa de apartamentos na planta. Enfim, as possibilidades são inúmeras e muito pessoais. Não tem como ninguém definir esses objetivos por você.

Os objetivos de curto prazo se transformarão em projetos. E esses projetos são os que você vai começar a trabalhar agora, correndo atrás de seus objetivos. Você vai destrinchar cada um desses objetivos de curto prazo de modo que se transformem em tarefas que você pode fazer já. Por exemplo, se você precisa guardar R$400 todo mês porque quer juntar X dinheiro ao final de dois anos para dar uma entrada em um apartamento logo em seguida, você pode definir que vai cortar gastos aqui e ali, transferir R$100 para a poupança toda semana etc. Os seus objetivos lá da frente se transformaram em tarefas que você pode fazer agora. Não é emocionante?

E por que ter objetivos?

Muitas pessoas dizem que não gostam de ter objetivos porque querem que a vida seja uma eterna surpresa e que não gostam da ideia de ter tudo esquematizado até o dia em que morrerem. Cada um pensa de um jeito. No entanto, se você tem sempre a sensação de que sua vida está passando e que você não está aproveitando como deveria, acho que vale a pena fazer esse pequeno planejamento. E mais uma vez: ele não está escrito em pedra. Faça para refletir sua vida e, se não quiser seguí-lo, é só deixar de lado ou usá-lo como norte de maneira informal. Não precisa seguir à risca.

O legal de ter objetivos é saber onde você quer chegar e aproveitar seu tempo. É não chegar daqui a 30 anos e dizer que deveria ter começado a poupar dinheiro quando tinha 20. Ou se arrepender por não ter feito a faculdade X. Ou n outras coisas.

Ter objetivos te faz levar uma vida coerente e tranquila. Você que está realizando hoje uma tarefa porque ela se reflete em um objetivo de médio ou longo prazo. Sua vida ganha significado. Você não fica com aquela sensação de que está perdendo tempo ou com dúvidas sobre estar investindo em algo que não precisa. Tiramos a ilusão da vida. Ficamos mais tranquilos.

Como eu faço

Exatamente como eu comentei acima. Eu reviso semanalmente meus objetivos (faz parte da minha revisão semanal com o GTD), pois faz parte da minha rotina pessoal. Você pode revisar quando você quiser, mas eu recomendo que seja feita pelo menos uma vez por mês. Os objetivos de curto prazo podem ser alterados, se você achar que não estão condizendo com os outros, ou você pode até mesmo excluir alguns, pois viu com o tempo que eles podem ter se tornado irrelevantes. Nós crescemos e amadurecemos, e é normal haver mudanças. Eu comecei 2013 com uma lista de uns nove objetivos de curto prazo, e agora tenho somente cinco. A revisão constante é importante justamente para você parar e pensar: “Ok, como a minha vida está caminhando? Estou alcançando meus objetivos?”. E a sensação de ter controle sobre isso e de poder fazer mudanças é indescritível. Só fazendo para ver.

Portanto, quando eu sugeri no checklist mensal que você analisasse seus objetivos de curto, médio e longo prazo, foi justamente para ajudar quem tivesse dúvidas como essas:

“Não sei o que fazer da minha vida!”
“Trabalho o dia inteiro e chego exausta em casa, e nunca sei o que devo fazer primeiro.”
“Estou em um trabalho que eu odeio.”
“Minha vida é muito corrida e eu não consigo fazer nada.”
“Eu não sei por onde começar!”

Comece definindo seus objetivos. O restante vai se clareando. ;D

Até amanhã.

Thais Godinho

Organizadora profissional e publicitária, criou o blog para ajudar as pessoas a se organizarem.

Mais posts - Website

Tags:

44 Comments

  1. Cris
    • Cris
  2. Nayara
  3. Cristiane
  4. Bruna Reis
  5. Georgina Melo
  6. cinthia
  7. Léo
  8. Kelle
  9. Alessandra
  10. Alessandra
  11. Roberta
  12. Cathy
  13. Silvia Triani
  14. Keyseane Silva
  15. Esiley Thauany
  16. Esiley Thauany
  17. Esiley Thauany
  18. Rose
  19. Paloma Amaral
  20. Thiago Dória
      • Thiago Dória
  21. Marcos Raphael
  22. Carlos Levi
  23. Eric
  24. Patricia
  25. Patricia

Responder