O ano está chegando ao fim e, antes de pensar no planejamento de check-up médico do ano que vem, achei que seria uma boa falar sobre esse assunto de modo que, quem ainda não pensou nisso, talvez consiga realizar alguns exames importantes ainda este ano.

A ideia de check-up médico anual é a de que você possa, anualmente, realizar exames básicos para verificar como está a sua saúde e, se necessário, iniciar tratamentos das mais diversas formas.

O que é chamado de “básico”, obviamente, vai variar de pessoa para pessoas. Enquanto para uns fazer exame de sangue é o básico, para outros, fazer um exame e análise de DNA para tendências a doenças pode ser considerado básico. Este post não tem nenhuma pretensão – é apenas um lembrete para que você faça o seu, de acordo com as suas vontades e necessidades.

Segue uma lista básica de médicos que pode valer a pena levar em consideração ao planejar fazer um check-up anual:

  • Cardiologista ou Clínico Geral
  • Ginecologista ou Urologista
  • Gerontologista (se você for idoso/a)
  • Pediatra (se você tiver filhos)
  • Dentista
  • Oftalmologista
  • Dermatologista*
  • Endocrinologista*
  • Nutricionista*
  • Otorrinolaringologista*

* Opcionais, caso você tenha histórico ou necessidades específicas relacionadas.

É claro que a frequência de consultas a esses profissionais pode ser de mais de uma vez por ano. Dentistas e nutricionistas, por exemplo, podem ser consultados com maior frequência. Porém, se você passou o ano inteiro sem realizar consultas com esses profissionais, pode estar perdendo a oportunidade de cuidar da sua saúde de maneira melhor.

Eu costumo agendar todos esses médicos no início do segundo trimestre do ano, quando todo mundo já voltou oficialmente de férias neste país. Tenho um lembrete recorrente na minha agenda para fazer isso.

E você, como costuma organizar seu check-up médico anual? Deixe um comentário!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorLinkagem de domingo
Próximo artigoOrganizando uma rotina diária de atividades físicas

Meu nome é Thais Godinho e meu guarda-chuva profissional engloba três temas: produtividade, organização pessoal e criatividade. As formas de operacionalizar esse trabalho que eu amo são essas: escrevendo no blog, publicando livros, estudando, ministrando cursos e fazendo atendimentos individuais, ajudando as pessoas a se organizarem. Você pode acompanhar minha trajetória pessoal e profissional neste blog, que existe desde 2006.

11 Comentários

  1. Não tinha pensado sobre isso de “planejar” um checkup anual… mas olhando os médicos que você listou, acredito que faça sem esse planejamento. Especialmente tendo filhos.

    Interessante pensar num planejamento para resolver probleminhas chatos, como os 4 últimos que você listou.

    Vou começar meu planejamento anual nas áreas da minha vida em dezembro… até pra bater certinho com o planejamento de aniversário 🙂

    Estou lendo – finalmente! – o Casa Organizada. Quando sai o próximo livro e qual o foco do mesmo?

    Beijos, Thais!

  2. THAIS:
    JÁ IMAGINOU NÃO PLANEJAR NADA ?
    LIVRAR-SE DE COMPROMISSOS. DE “COISAS QUE PRECISO FAZER” . DE “OBEDECER” AOS OUTROS E SUAS IMPOSIÇÕES. DE ESQUECER DE CONCEITOS “QUE JÁ DERAM CERTO” NA EXPERIENCIA PESSOAL DE FULANO, DE CICLANO OU DE VÁRIAS “OUTRAS PESSOAS” .
    DE ORGANIZAR-SE, PORQUE ORGANIZAÇÃO É O MELHOR CAMINHO.
    EXPERIMENTE.
    SINTA-SE DONA DE VC POR UM DIA.
    OU DOS SEUS PRÓPRIOS SENTIDOS.
    MAIS, AINDA. DOS SEUS SENTIMENTOS.
    THINK ABOUT IT.
    DO SOMETHING ABOUT IT.

    • O meu conceito de fazer tudo isso que você escreveu é justamente organizar o “burocrático”, o “dia a dia”, de modo que a minha mente possa ficar livre para fazer essas coisas sem se preocupar com “o dentista que não foi agendado”, “a conta que não pagou” etc.

      No mais, o tema do blog em novembro é planejamento, então posts com esse tema vão aparecer por aqui todos os dias. 😉

  3. Mais um post simples mas, importantíssimo!
    Costumo respeitar a periodicidade das consultas, salvo (claro) emergências – exemplo exame oftalmológico anual e por aí vai. Melhor acompanharmos do que sermos pegos de surpresa por algo que pode ser prevenido e/ou amenizado! Confesso que é duro admitir mas… ‘Não, muitas vezes, não fazemos o óbvio!’ – ou será que sou só eu?!
    Parabéns e obrigada!

  4. Thais, também acredito que todo planejamento nos ajuda a viver com mais tranquilidade no dia a dia.
    Atualmente estou utilizando o bullet journal, e deixo algumas páginas para esse controle médico – contatos, data da última consulta, informações relevantes.
    Parece simples, ou até mesmo chato, mas facilita muito minha vida e saúde.
    Adoro seu canal e postagens!

  5. Ótimo post, Thais! Obrigada! Acho que linkar os check up anuais com propósito de vida é também um incentivo para quem sempre foge da consulta ou nao lida tao bem com probleminhas que vao aparecendo ao longo da estrada. É autocuidado e não deve ser negligenciado.

  6. Thais aprendi com voce não só a planejar esse checklist de saúde como também a manter um histórico de saúde. Isso por si só me faz sentir mais zelosa comigo mesma. Obrigada mais uma vez!

  7. Oi Thais! Adorei este post! Sou estudante de Medicina, do último ano (Deus é pai!), acompanho seu trabalho há um tempo e sou muito grato a suas dicas, que me ajudaram inclusive a atingir muitos objetivos dentro na universidade. Por isso, me sinto livre pra complementar esse conteúdo. Gostaria de trazer o conceito de PREVENÇÃO, que acho muito válido ser trazido a consciência antes de qualquer planejamento.

    Prevenção em saúde, diferente de promoção (mais relacionado com melhorar o bem-estar de base do indivíduo), vem da ideia de prevenir, ou melhor, prever saúde, ou o que está por vir. Existem três níveis bem estabelecidos de prevenção à saúde.
    -Primária: controlar os fatores de risco sobre determinada doença (alimentação, atividade física, combate ao tabagismo, ao etilismo etc.);
    -Secundária: prever determinada doença precocemente, antes dos sintomas aparecerem (exames laboratoriais, de imagem etc.);
    -Terciária: prever a progressão ou reincidência de determinada doença já estabelecida (ex: controlar o tratamento de um câncer, controle de glicemia do diabético etc.).

    Um conceito moderno que entra em voga é a PREVENÇÃO QUATERNÁRIA, que surge justamente da prescrição desenfreada de exames dos tempos modernos. Infelizmente, o complexo médico-industrial acabou avançando de forma contrária na vida das pessoas, gerando custos e preocupações certas vezes desnecessárias a nossa qualidade de vida. O que muitos profissionais – os mais atualizados, certamente – vem fazendo é identificar quais exames são realmente necessários a determinado indivíduo. O que vemos hoje é que os “achados de exame” acabam sendo mais prejudiciais à saúde do que eles realmente poderiam significar, caso um adoecimento surgisse.

    De dica para você e aos leitores do blog, gostaria de sugerir que, ao invés de ampliarmos nossa lista com tantos profissionais super-especialista, buscássemos um/a médico/a generalista de confiança, seja um/a clínico/a geral ou Médico/a de Família (vocês já ouviram falar nessa especialidade? é fantástica <3), que pudesse analisar integralmente o nosso cuidado e nos auxiliasse na busca efetiva de exames complementares. Se você ainda não tem um processo de adoecimento estabelecido, sugiro que foque seu planejamento em ações de PROMOÇÃO a saúde, buscando o bem-estar físico, mental, espiritual e social.

    Lembremos: saúde não é apenas a ausência de doença 🙂

    Paz e bem a todos!

DEIXE UMA RESPOSTA