Hoje eu gostaria de contar um pouco como eu faço a minha organização do estudo de inglês usando o GTD. O propósito é mostrar exemplos para que vocês possam compreender como aplicar a metodologia de maneira geral, não só para o estudo do inglês como também para outros idiomas.

Seria muito fácil dizer que minhas aulas de inglês estão no calendário. Faço um curso presencial e, duas vezes na semana, tenho aulas. Logo, em nível ground, tenho as aulas no meu calendário. No meu planejamento semanal, também insiro os tempos de deslocamento para chegar lá. Isso é importante porque tem dias que estou no escritório, e o deslocamento é um, e outros em que estou na rua ou em outros compromissos, e o planejamento desse deslocamento também é outro.

Outra coisa do nível ground são as lições de casa. Insiro na lista de próximas ações sempre com prazo até o dia da aula seguinte. De qualquer maneira, gosto de fazer as lições na sexta-feira, dia que dedico mais a estudos aprofundados (falo sobre isso em outro post).

Vale dizer que tudo isso faz parte de um projeto que é “Concluir o módulo avançado 1 na Cultura Inglesa”, ou seja, concluir o módulo atual, nests semestre. Quando ele acabar, iniciarei o projeto seguinte, que é “concluir o módulo 2” (isso vai até o módulo 3). Oras, se pensarmos que estamos falando de um cenário de 1 ano e meio (cada módulo, um semestre), isso já cai no horizonte 3 do GTD: metas e objetivos. Logo, “concluir os módulos avançados de inglês na Cultura Inglesa” é um objetivo que eu tenho.

Eu posso ter outros projetos relacionados ao inglês também. Um exemplo que trago de uma coachee que trabalha comigo é “garantir que os conceitos gramaticais básicos estejam compreendidos”. Acho bem legal você pegar esse tema (inglês) e pensar: o que posso ou quero concluir em até um ano? Isso pode dar um recorte legal para encontrar projetos.

Vale a pena dizer que o estudo do inglês é uma área de foco (horizonte 2). Tenho uma área de foco pessoal chamada “Carreira / Desenvolvimento Profissional” onde listo “sub-áreas” relacionadas. Uma delas é “Idiomas” e, dentro, tenho português, inglês e italiano. Dentro de inglês, tenho sub-divisões como “fluência”, “gramática”, “vocabulário”.

Em visão (horizonte 4), tenho alguns objetivos de médio e longo prazo que são relacionados com o inglês, apesar de nem todos serem diretamente relacionados. Por exemplo, “ingressar no doutorado” tem a ver, apesar de não diretamente, mas preciso estar com o inglês tinindo para isso acontecer. Eu também estou construindo, para mim, um estilo de trabalho que me permita ter mobilidade pelo mundo, ministrando cursos. Inglês faz parte disso. Mesmo em nível pessoal eu tenho um objetivo de longo prazo que é ler todos os clássicos da literatura, e eu pretendo ler vários deles em inglês.

Então assim: os horizontes do GTD nada mais são do que a gente pegar um tema e “espalhar a manteiga no pão”, ou seja: entender, refletir, esclarecer um pouco mais o que cada uma dessas coisas significa na nossa vida. O ground serve para a gente ter controle do dia a dia, mas os outros horizontes dão perspectiva e clareza daquilo que queremos.

Que tal exercitar um pouco nos comentários o que o estudo de um idioma significa para você?

COMPARTILHAR
Artigo anteriorComo o GTD dá suporte à sua criatividade?
Próximo artigoLinkagem de domingo
Meu nome é Thais Godinho e sou organizadora profissional, o que significa que ajudo as pessoas a se organizarem quando elas precisam de uma forcinha para isso. A maneira que encontrei para ajudar foi criando este blog, ministrando cursos e realizando outros eventos.

6 Comentários

  1. Thais, atualmente estudar um idioma é meu grande projeto. Desde que mudei para a China para estudar mandarim, os estudos tomam praticamente todo o meu tempo. Estar imersa na cultura e na língua ajuda para que o aprendizado seja mais rápido. Todavia, estudar é fundamental para conhecer as estruturas gramaticais e, no caso do chinês, aprender a escrever os caracteres chineses, que são muito diferentes das letras do nosso alfabeto. Tenho aplicado o GTD no meu curso aqui, mas para ser sincera tinha parado no nível do Projeto. Com o seu post de hoje percebi que isso é algo bem maior, faz parte dos meus objetivos mesmo. Obrigada pela reflexão. Um beijo. Suyang.

    • Sempre adoro ver você por aqui. 🙂

      Consigo imaginar! Eu diria que entra no Horizonte 4, de Visão!

      Um beijo.

  2. I do the same. Either planning my classes or planning my learning goals, everything follows the same approach. GTD is now second nature to me.

  3. Tenho colocado em minha rotina diária ouvir podcasts em inglês. Tenho um nível intermediário / avançado e hoje posso dizer que consigo assimilar mais de 90% daquilo que ouço. O ponto-chave aqui é ouvir assuntos que me interessem!!! Aí a atenção aumentar e com o foco é possível assimilar mais. Assuntos como GTD, produtividade, saúde, empreendedorismo… Enfim, tenho investido em criar esse hábito durante meus deslocamentos de carro pro trabalho e com a repetição venho conseguido alcançar um nível muito interessante…

DEIXE UMA RESPOSTA