ou

Este post vai trazer um pouco do que eu abordei no post da última segunda-feira sobre estar repensando as minhas áreas de foco.

Já comentei aqui no blog outras vezes que gosto muito da ideia de deixar um dia da semana para um foco diferente. Aos poucos fui trabalhando isso para ficar mais adequado ao GTD, que é a metodologia de produtividade que eu uso. O que eu fiz, então, foi definir que cada dia da semana terá um contexto diferente para mim e, dentro desse contexto, eu vou inserir as ações que quero priorizar no dia em questão.

Basicamente, eu estabeleci uma “vibe”, um foco, um nível de energia, um contexto mesmo para cada dia, a saber:

  • Domingo: renovação do espírito
  • Segunda: negócios estratégicos
  • Terça: programas educacionais
  • Quarta: conteúdo
  • Quinta: serviços de atendimento 1:1 e à comunidade
  • Sexta: estudos aprofundados
  • Sábado: atividades manuais ou mais criativas

“Ah Thais, significa que você só vai fazer esse tipo de atividades no dia?”. Não. Na última terça, por exemplo, eu tive atendimentos de coaching o dia todo. Meus compromissos continuam da mesma maneira.

Como todo contexto trabalhado no GTD, significa o seguinte: nos intervalos do calendário, quando eu posso escolher o que fazer, eu vou visualizar a lista de contexto daquele dia em específico. Não se trata do dia, mas do foco que quero dar naquele dia, entendem?

De maneira geral, todos são contextos de trabalho (GTDisticamente falando). Mas, para cada dia, eu quis atribuir uma área de foco mental que me ajuda a trabalhar em atividades contextualizadas.

Eu primeiro reformulei as minhas áreas de foco para depois chegar à conclusão do que entraria em cada um desses contextos. Isso significa que reestruturei minhas listas de contexto no Evernote.

E o que inclui em cada dia (como se fosse uma checklist):

Tenho feito isso há poucos dias, mas tem funcionado maravilhosamente. Me sinto ultra focada e produtiva, trabalhando no que faz sentido para mim.

Lembrando que isso não atrapalha prazos. Ou seja: se eu tiver algo relacionado à educação que tenha que ser feito na segunda, será feito na segunda e não na terça, quando “estabeleci” que o foco do dia seria esse. Mas, quando eu posso escolher trabalhar em algo, porque já finalizei tudo o que tinha prazo para o dia, eu foco nas atividades relacionadas, e isso tem me dado realmente um foco incrível e consigo ter ideias legais. Ou seja, eu crio os contextos que, dentro da minha análise de áreas de foco, são importantes que eu tenha no meu trabalho.

Já me ajudou em muitas situações práticas como: “Gostaria de formatar o grupo tal no Facebook. Mas peraí, melhor fazer na quinta-feira, que é o meu foco.” Porque, estabelecendo esse foco, trabalhar em atividades semelhantes me faz ter novas ideias e inspirações.

A grande graça de trabalhar com contextos no GTD é justamente se auto-conhecer e personalizar esses contextos para a sua vida. Eu estou maravilhada com esse modo que tenho trabalhado hoje e quis compartilhar com vocês.

Essa configuração também pode me ajudar (essa é uma ideia) a definir prazos para atividades específicas e quando fazer reuniões com pessoas, dependendo do assunto. Sempre que eu puder opinar ou decidir a respeito, uso essa configuração.

Gravei um vídeo também explicando mais:

Thais Godinho
25/08/2017
Veja mais sobre:
18
Organizando o GTD no Evernote – dicas!
Pensando em uma rotina mais simples para 2015
Evento gratuito: IV GTD Happy-Hour