No post de hoje, vou mostrar como organizo meus horizontes mais elevados em meu sistema atual.

Os horizontes mais elevados são: metas e objetivos (horizonte 3), visão (horizonte 4) e propósito e princípios (horizonte 5).

Como os outros, eu organizo através de pilhas, cadernos e notas no Evernote.

Eu não separava em pessoal e profissional e passei a fazê-lo recentemente só para seguir a mesma linha das áreas de foco (que falei em um post anterior – dê uma olhada). Para mim também é interessante fazer assim porque, quando mostro meu sistema para os alunos nos treinamentos, as coisas pessoais eu não clico para mostrar porque são muito pessoais.

Ainda não fiz o curso de Nível 3 com o David Allen para aprender boas práticas sobre planejamento desses horizontes, então é muito provável que essa organização mude quando fizer o curso, no ano que vem. O que implemento tem a ver com o que aprendi nesses anos, estudando o material já disponível publicado por ele.

Objetivos

Gosto de planejar meus objetivos usando o modelo de planejamento natural para projetos (que explico mais aqui). Como se tratam de resultados desejados também, porém em um horizonte mais elevado (até dois anos), para mim faz sentido e fica legal. Infelizmente não tem como mostrar um exemplo de como eu faço porque objetivo é algo muito pessoal e eu acredito que a gente não deva publicar objetivos até que sejam alcançados. Mas basta ver o modelo que inseri para projetos no post linkado acima, que é a mesma coisa. A única coisa que incluo a mais é o item “projetos relacionados”.

Pode parecer que eu tenho muitos objetivos (e isso soar como algo ruim), mas o fato é que, pra mim, objetivos são como “macro projetos”. Por exemplo: eu tinha um projeto que era traduzir todos os guias de configuração da David Allen Co. para o português. O fato é que isso não levará apenas um ano, e demorei alguns meses para perceber isso. Logo, subi um horizonte. Tenho esse objetivo listado e, nos projetos, tenho o meu projeto em andamento, que é traduzir o guia do Evernote para Mac, assim como tenho projetos delegados, que outras pessoas estão traduzindo (e estão em Aguardando Resposta – Projetos). O objetivo virou “garantir que todos os guias sejam traduzidos”. Me deu mais clareza. Então tenho vários objetivos assim, que não são coisas etéreas.

Aliás, isso é importante. Procuro aplicar a técnica SMART a todos os meus objetivos (isso não é do GTD, mas dá total apoio): S (específico), M (mensurável), A (alcançável), R (realista) e T (tem prazo).

Visão

Em visão, eu tenho um tickler para o Paul (nosso filho) até ele completar 18 anos, que reviso anualmente. A ideia é ir inserindo ideias e informações úteis que posso querer acessar quando ele tiver determinada idade. Por exemplo, para este ano (em que ele completou sete anos), eu tinha anotado que gostaria de colocá-lo nas aulas de futebol, então fiz isso em fevereiro.

O que caracteriza o horionte 4 de maneira geral é o estilo de vida que você está construindo para você mesmo e de que modo isso impacta nos seus objetivos de curto prazo, projetos e ações. É mais fácil de desenhar porque é “a vida ideal”, digamos assim. O mais fantástico é que, à medida que você vai vivendo e envelhecendo, algumas visões também amadurecem, outras mudam, e outras permanecem. Essas, se a gente prestar atenção, denunciam valores, princípios e propósito, que é o horizonte seguinte.

O que eu gostaria realmente de passar para vocês aqui neste post é sobre as infinitas possibilidades que a nossa mente criativa pode dar. Você não precisa escrever as coisas em formato de texto ou mapa mental, por exemplo. Pode desenhar. No caso da visão, eu gosto muito dessa abordagem. De maneira geral, sou uma pessoa muito visual e usar imagens me permite imaginar melhor. E poder de visualização é TUDO.

Por exemplo, eu fiz um mapa com desenhos e expressões que me ajudam a ver qual a vida que eu quero viver daqui a cinco, 10, 15 anos. Fiz esse desenho baseado na ideia de “treasure map” (“mapa do tesouro”) que o David traz no livro “Making it all work” (o terceiro dele, só em inglês). Digitalizei e arquivei nas minhas visões pessoais, no Evernote. Sempre que tenho algo que se enquadre em visão, crio uma nota e insiro, com imagens ou não. Também vale áudio, vídeo etc. Seja criativo!

Você pode desenvolver sua visão para as diversas áreas da sua vida, se quiser. Gosto de pensar assim: “qual a visão da vida que eu tenho ao lado do Paul até ele completar 18 anos?”. O resultado disso entra no horizonte 4 e é incrível, porque isso me permite planejar, pensar sobre as coisas e ter mais coerência nas minhas decisões.

Propósito

Algumas coisas que eu tenho no caderno de propósito pessoal: minha missão (que eu descobri quando fiz coaching), meus princípios pessoais, valores importantes, afirmações pessoais (que leio no meu milagre da manhã), definições que vou tomando ao longo da vida (sempre registro) e imagens inspiradoras, que refletem quem eu sou.

No caderno de propósito profissional, tenho a missão da David Allen Co., a missão do Vida Organizada, valores profissionais e inspirações diversas. Por exemplo, tenho uma frase que o David falou uma vez em um encontro de instrutores que me tocou muito (e ainda toca forte!), e que sempre vejo quando fico meio desanimada ou cansada de algumas coisas, ou precisando tomar decisões importantes.

E não é para isso que o propósito serve? ❤️

COMPARTILHAR
Artigo anteriorComo ser Personal Organizer
Próximo artigoReconexão com a natureza
Meu nome é Thais Godinho e meu guarda-chuva profissional engloba três temas: produtividade, organização pessoal e criatividade. As formas de operacionalizar esse trabalho que eu amo são essas: escrevendo no blog, publicando livros, estudando, ministrando cursos e fazendo atendimentos individuais, ajudando as pessoas a se organizarem. Você pode acompanhar minha trajetória pessoal e profissional neste blog, que existe desde 2006.

25 Comentários

  1. Thais, estou tentando uma forma melhor de organizar meu sistema também. Obs.: Volta com a linkagem de domingo? Estou sentindo falta. Obs.2: Você podia voltar com aquele apanhado de início de mês, lembra? Estou ouvindo: x, Estou lendo: x, Estou focada em: x. Obrigada por dividir conosco quem você é.

    • Eu costumava fazer as linkagens a pedido dos leitores, mas as postagens nunca tinham comentários ou likes. Então já há algum tempo deixei de postar aos finais de semana para poder investir tempo na criação de outros conteúdos, como vídeos ou posts maiores ao longo da semana.

      Obrigada pela sugestão.

      • Thais, coloca nas redes sociais então… É uma sugestão, claro. Mas o do mês você volta a fazer? Eu fazia essa revisão como a sua, e era muito bom.

      • Veja bem…. sei que comentários são reforços para o comportamento mas o fato do leitor não comentar não significa que não esteja gostando ou, até mesmo, que não esteja lendo. Seus conteúdos são maravilhosos e fez, realmente, me apaixonar por esse tipo de aprendizagem (leitura via internet). Leio tudo que você produz, Tento quase tudo (rsrsrs). Se realmente estiver precisando de um feedback, peça que seus leitores retornem o email (solicite isso ao final do texto, assim terá a certeza de que lemos tudinho). Acho que você vais se surpreender. Ah…. a “linkagens de domingo” era ótimo. Sucesso Thais!

  2. Thais do céu, acabou com o meu sofrimento dos objetivos. Impressionante como com anos e anos de prática sempre dá pra melhorar 🙂

    Fiz o piloto do L2 com o Daniel esse ano e já tinha me ajudado com diversas modificações (dentre elas, simplifiquei e voltei tudo pro Evernote e estou gerindo com papel + Evernote)

    Essa sacada de esclarecer os objetivos com o MPN e SMART vai me ajudar a revisar mais um zilhão de coisas <3

    Meu final de semana vai ser looooongo hahahahaha

    Obrigada pelos insights, como sempre.

    Beijo

  3. Oi Thaís,

    Estou aqui no blog todos os dias mas acabo não comentando, agora com o GTD tenho tempo para comentar (hahaha). Amei o propósito e o final bem fofinho s2

    Você escreve de uma forma aconchegante, muitas pessoas escrevem sobre os mesmos temas de uma forma muito.. “Times New Roman” se é que você me entende hahaha, muito impessoal e dando uma impressão daquela ambição sem amor. Seus textos são como manta de microfibra pra mim!!

    Espero conseguir participar da turma de novembro em BH. Um super beijo e parabéns pelo excelente trabalho!!

  4. Muito legal dividir com a gente isso, Thais. Mas eu posso dizer que o que o que mais gostei foi da sua carinha de menina na foto com o David Allen!

  5. Thais, querida!

    Ler seus textos que vão mais a fundo, como este, me faz sair do chão, levitar! Admiro muito a forma como conduz, com tanta maestria, a sua vida, seus objetivos, seus projetos, mostrando-nos que o GTD serve para fazer a vida mesmo acontecer. Deve ser difícil viver com significado simplesmente “deixando a vida acontecer”, sem direção, propósito e capacidade de fazer acontecer. Por isso, há tantos anos, você tem me inspirado cada dia mais, com seus posts, sua generosidade em ensinar e o seu exemplo de vida “faixa preta”!

    Muito obrigada!!!

  6. Muito boa essa forma de mostrar seu sistema, da pra entender melhor sua organização. Eu tenho a estrutura de etiquetas no meu evernote, como o guia que você montou, estou adaptando o projeto pra cadernos, e gostando mais, os outros níveis estão em etiquetas, só que dei uma simplificada, agora sim estou conseguindo montar um sistema satisfatório pra mim.
    Muito obrigada, suas dicas são essenciais.
    Beijos!!!

  7. Thais, parabéns pelo post.

    Para mim é um desafio enorme conseguir líder com os horizontes mais elevados.

    Teria algum material para me indicar, além do curso, para que eu possa sanar essa dificuldade.

    • Se você tiver facilidade para ler em inglês, recomendo o terceiro livro do David, chamado “Making it all work”.

DEIXE UMA RESPOSTA