ou

Este post faz parte da série GTD e Estudos. Hoje vamos falar sobre o que fazer com cada uma das coisas que você captura, novos inputs e informações que chegam até você em formato de aulas, textos, notas e outros formatos.

A captura é um processo ativo, que você faz, quando toma notas em sala de aula, registra coisas que não pode esquecer ou traz um novo texto para ler, por exemplo, mas também é algo que acontece por você, quando você recebe e-mails, mensagens, demandas, interrupções etc. Por isso vimos, no primeiro post da série, a importância de ter lugares apropriados para fazer essa captura, através de caixas de entrada. Tenha sempre uma ferramenta de captura com você, que seja um caderninho ou algum aplicativo no celular.

Mas não basta apenas capturar esses inputs. Você precisa processar e esclarecer com uma frequência diária. Esclarecer diariamente é o ideal, pois não deixa que o volume acumule. Esclareça, no máximo, em até 48 horas, caso não consiga esclarecer no dia.

Esvaziar suas caixas de entrada não significa fazer ou resolver tudo o que você capturou. Significa apenas que você pegou cada um dos itens e esclareceu o que ele significa para você, organizando no lugar mais adequado do seu sistema. E como fazer isso?

Como esclarecer qualquer item da sua caixa de entrada

O GTD tem um fluxo que basta seguir e dá tudo certo! Veja a seguir:

Pegue o primeiro item da sua caixa de entrada ou ferramenta de captura e pergunte-se: o que é isso? Ou seja, o que significa para você? Responder, mesmo em voz alta, ajuda a deixar mais claro. Nunca volte nenhum item para a caixa de entrada. Esclareça assim que o pegar.

Depois pergunte-se: demanda ação? Você está comprometido(a) a agir com relação a esse item no momento? Porque isso é uma decisão. Você pode perfeitamente não saber também, ou não querer decidir no momento.

Caso o item não demande ação no momento, você tem três opções:

  1. Jogar fora, porque não vai mais precisar dele
  2. Arquivar, porque você quer guardar como referência
  3. Incubar, caso não demande ação no momento, mas pode ser que no futuro sim

Na sequência eu vou explicar como organizar cada uma dessas opções.

Caso demande ação, você precisa identificar: qual é a próxima ação? Qual é a primeira coisa que eu tenho que fazer para mover esse item adiante? Uma vez definida essa ação, que deve estar super clara, com verbos adequados, você tem também três opções:

  1. Fazer na hora, se levar menos de 2 minutos (mesmo que seja de baixa prioridade)
  2. Delegar, se você não for a pessoa mais apropriada para fazer
  3. Adiar para fazer no momento mais apropriado para você (ou seja, isso sim entra nas suas listas de coisas a fazer)

Na sequência eu também vou explicar como organizar cada uma dessas opções.

Sempre que você se deparar com algum item que por si só não conclua o todo, aquilo que você precisa fazer, é importante você se perguntar: qual o resultado desejado? Porque provavelmente você terá um projeto. Projeto, para o GTD, é todo resultado desejado que demande múltiplos passos para ser concluído, geralmente dentro do período de um ano. Então você vai ter projetos mais simples como “Finalizar disciplina X para o semestre” como projetos mais complexos como “Finalizar o TCC”.

Se você já usa GTD, minha dica aqui é que você pense sempre no cenário maior. Tenha bom-senso ao definir projetos. “Finalizar trabalho para semana que vem da disciplina Y” pode parecer um projeto, mas na verdade ele é um sub-projeto que faz parte do cenário maior, que é “Concluir disciplina Y no semestre”. Usar esse horizonte de um ano ajuda bastante a definir o que é ou não um projeto. Outro critério a se considerar é: preciso revisar esse projeto toda semana na minha revisão semanal? Esse é o acompanhamento dos projetos.

Onde organizar o que foi esclarecido

O post anterior foi uma orientação para a escolha de ferramentas. Use sua ferramenta de escolha então para criar as listas.

Como organizar o que não demanda ação

Lixo = Auto-explicativo.

Arquivo = Use ferramentas de armazenamento (📁 pastas físicas ou eletrônicas). As boas práticas para arquivar são: crie pastas em ordem alfabética, sem muitas sub-pastas. Por exemplo, em vez de fazer assim:

  • 📁 Metodologia
    • 📁 Trabalhos
    • 📁 Provas
    • 📁 Artigos
  • 📁 Português
    • 📁 Trabalhos
    • 📁 Provas
    • 📁 Artigos

A recomendação é fazer assim:

  • 📁 Metodologia – Trabalhos
  • 📁 Metodologia – Provas
  • 📁 Metodologia – Artigos
  • 📁 Português – Trabalhos
  • 📁 Português – Provas
  • 📁 Português – Artigos

Pois assim as coisas não ficam ocultas e você encontra com mais facilidade. Siga esse padrão sempre e mesmo que você tenha ferramentas diferentes será muito fácil arquivar e depois resgatar o que você precisar.

Incubar = Você pode colocar em uma lista chamada 🗒 Algum dia / talvez (se precisar revisar regularmente o item) ou inserir um lembrete dele no 📅 Calendário (se precisar revisar esse item apenas em uma época específica, e não toda semana).

Como organizar o que demanda ação

O que leva menos de 2 minutos = Faça na hora e não precisa organizar em lugar nenhum. O objetivo de fazer na hora é justamente que é mais fácil resolver que inserir em uma lista para resolver depois.

O que você delegou = Insira o item na lista🗒 Aguardando resposta. Uma boa prática é inserir o nome da pessoa, o que foi delegado e desde quando. Assim: Bruno – Finalizar redação do TCC – desde 12/06/17.

O que você adiou para fazer no momento mais apropriado = Se precisar ser feito em um dia ou horário específico, insira no seu 📅 Calendário. Se não tiver que ser feito em um dia ou horário específico, ou seja, só precisa ser feito o quanto antes, insira em uma lista de🗒 Próximas ações organizada por contextos. Por exemplo, se você precisa ter um computador para executar determinada ação, ela entraria na lista @Computador. Essa ação também pode ter um prazo (seja criterioso aqui com os prazos reais). Se não tiver, deixe sem prazo.

Caso você identifique um projeto, insira-o em uma lista de🗒 Projetos.

Em posts futuros, falarei mais sobre outras listas citadas no post anterior, como os resultados maiores e checklists. Por hora, você precisa conhecer as orientações acima para esclarecer tudo o que foi capturado.

Fica de lição de casa então:

  • Esclarecer tudo o que você já capturou
  • Esclarecer diariamente para pegar o hábito
  • Testar a organização das suas ferramentas através das práticas ensinadas neste post
  • Fazer uma super captura (se quiser) para treinar o esclarecer

Até o próximo post, quando falaremos sobre a revisão semanal. Se tiver dúvidas, por favor, poste nos comentários.

Thais Godinho
14/07/2017
Veja mais sobre:
GTD e Estudos
12
3 dicas para ter uma manhã de trabalho sem estresse
Tente esvaziar todos os dias a caixa de entrada do seu e-mail
Zen To Done

 

  1. Carolina 14/07/2017

    Olá Thais, estou amando essas postagens! Teria algum problema receber uma informação e já colocá-la na lista certa (próximas tarefas, calendário, arquivo) e deixar só algumas na caixa de entrada para esclarecer? Obrigada! 🙂

    • Thais Godinho respondeu Carolina 14/07/2017

      Sim, bastante. O objetivo de coletar tudo é você não ter que perder tempo esclarecendo e organizando na hora, além de que, ao esclarecer/organizar na pressa, você pode não esclarecer adequadamente. Existe um certo valor em deixar a informação “dormir” um pouquinho na entrada. Muitas vezes ela deixa de ser relevante (e você não foi reativa).

      Agora, é claro que algumas coisas podem ir direto, como por exemplo, compromissos. Avalie item a item.

      Obrigada por comentar!

  2. Carla Eduarda 14/07/2017

    Thais eu já fazia isso sem usar o GTD,todos meu material da faculdade esta salvo na nuvem!mas eu faço como no primeiro exemplo: cada materia tem uma pasta e cada pasta tem outras com pdfs de aulas,outra para trabalhos e provas! vou tentar fazer dessa forma!

  3. Simone Ribeiro 16/07/2017

    Olá Thais! Atualmente faço 2 Pós, 1 curso online e bimestralmente participo de mini cursos e oficinas. Todos estes são relacionados a minha área Educação. Posso usar uma única caixa de entrada p todos os cursos?

    • Thais Godinho respondeu Simone Ribeiro 16/07/2017

      Sim, deve! 😉

  4. Sara Castilho 17/07/2017

    Olá. Estes posts vêm na hora certa! Mas tenho uma dúvida, como geres os sub-projetos? Como o de fazer um trabalho para concluir uma disciplina. Obrigada!

    • Thais Godinho respondeu Sara Castilho 18/07/2017

      Esse tema será abordado em posts futuros com uma explicação mais detalhada. 😉

  5. Gabi 17/07/2017

    Oi Thais!
    Esses dias pensei em sugerir um post sobre febg shui aplicado na sala de estudos/escritório…A cor e a posição da mesa influenciam na produtividade dos estudos, não?
    Um bj!

    • Thais Godinho respondeu Gabi 18/07/2017

      Pode aplicar sim, sem dúvida!

  6. Glauce 17/07/2017

    Oi Taís. Essa lista de contexto varia de pessoa pra pessoa não é isso? O contexto de resolução depende de como se organiza o cotidiano da pessoa que usa o método?

    Outra dúvida: posso ter pastas físicas e digitais para arquivo ou isso é um problema? Digo isso porque há textos de estudo que são digitais e outros físicos, por exemplo.

    • Thais Godinho respondeu Glauce 18/07/2017

      Oi Glauce, tudo bem?

      Sim, os contextos podem ser personalizados. 🙂

      É natural ter arquivos em papel e outros digitais. Não se preocupe. 😉

      Obrigada por comentar!

  7. Matheus 20/07/2017

    Thaís, tenho dúvida em como organizar de forma eficiente as anotações em sala no Evernote. Tem ficado bastante confuso.

    • Thais Godinho respondeu Matheus 21/07/2017

      Ótima sugestão de tema, Matheus. Vou abordar na série. Obrigada!