ou

Neste post, vou mostrar como estou usando as minhas listas no Evernote. Criei uma série para mostrar meu sistema atual, pois assim cada post não fica tão grande e eu também consigo mostrar direitinho o que tem em cada elemento do meu sistema.

No fluxo acima, estamos no Demanda ação > Sim > Qual é a próxima ação? > Delegue Demanda ação > Sim > Qual é a próxima ação? > Adie > Listas de próximas ações.

Ferramentas utilizadas:
Apenas Evernote. Usei o Todoist por mais de dois anos e queria mudar um pouco de ferramenta. Como já usava o Evernote para o resto, resolvi voltar. Já estou usando há cerca de dois meses e tem sido satisfatório. A dinâmica para ações é um pouco diferente da de aplicativos para tarefas de modo geral, mas para mim funciona. Neste post, vou falar sobre a estrutura e o fluxo.

Como é a organização:
Neste post, falarei sobre duas categorias funcionais: aguardando resposta e próximas ações por contexto. Gostaria de lembrar os seguintes conceitos:

Quando definimos uma próxima ação, no fluxo do esclarecer (na imagem acima), temos algumas opções do que fazer com essa ação:

  1. Se levar menos de 2 minutos, faça na hora. Porque é mais fácil executar que guardar em qualquer lista para fazer depois. Então não precisa organizar em nenhum lugar – basta fazer.
  2. Se levar mais tempo, pergunte-se se você é a pessoa mais apropriada para executar tal ação. Se não for, delegue para a pessoa certa e insira essa ação em uma lista de aguardando resposta.
  3. Se levar mais tempo e você não puder delegar (ou seja, você mesmo tem que fazer), adie para fazer no momento mais apropriado para você, que pode tanto ser em um dia ou horário específico (então entra no calendário, que já vimos no post anterior) ou o quanto antes, dependendo apenas de estar no contexto apropriado.

Vou mostrar abaixo como eu organizo as minhas listas no Evernote e, nos próximos posts, vou destrinchando todas. Hoje vou falar especificamente do nível “ground”, o térreo.

Eu basicamente trabalho com cadernos e pilhas de cadernos. Caso você não conheça a nomenclatura do Evernote, recomendo o tutorial básico no site da ferramenta.

O caderno “Entrada” é o meu caderno padrão, onde entram todas as coisas que eu capturo: ideias pelo celular, recibos, comprovantes, artigos da web, e-mails que eu envio para a ferramenta etc. Posso falar mais sobre esse fluxo em outro post, se vocês sentirem necessidade.

Hoje vou me ater só à pilha de cadernos para “Próximas ações” e, nos posts seguintes, explicarei o restante.

Esta é a minha pilha de cadernos para próximas ações:

Vale a pena falar que TODAS as listas são muito dinâmicas e eu crio e deleto à medida que sentir necessidade.

Pois bem, para os itens que estão aguardando resposta, eu tenho duas listas: uma padrão e outra para projetos de terceiros. Eu reviso semanalmente e, às quintas-feiras, costumo cobrar quem tem que ser cobrado.

Meu modo padrão de inserir o que está aguardando resposta é seguindo as boas práticas da David Allen Co., que são: nome da pessoa, o que está aguardando resposta e desde quando. Como o Evernote registra quando eu criei a nota, ela me basta para essa informação sobre a data. Caso eu insira depois do dia certo, eu apenas edito a data na própria nota. No exemplo abaixo, eu salvei um e-mail enviado no meu Evernote e ele está na minha lista de aguardando resposta.

Percebam que eu sempre insiro uma ação por nota. Também é recomendação da DAC fazer dessa forma. Toda a minha configuração foi baseada no guia oficial da ferramenta escrito por eles, pois isso me ajuda na hora de ensinar GTD nas turmas que ministro.

Em “Assuntos a tratar”, separo por pessoas e reuniões. Uma nota por pessoa, uma nota por reunião. Então eu basicamente crio uma nota para cada pessoa com a qual frequentemente tenho assuntos a tratar e uma nota para cada reunião recorrente que costumo participar. Isso me ajuda a organizar as ideias que eu possa querer abordar com determinada pessoa ou em determinada reunião. O legal de fazer isso no Evernote é manter um histórico dos assuntos tratados. Como comecei a fazer recentemente, não tem tanta coisa, mas ainda quero organizar melhor essa parte de arquivo de referência.

Os outros cadernos são todos de contextos. Por que eu prefiro usar cadernos em vez de etiquetas? Dois motivos: recomendação da DAC e possibilidade de deixar alguns cadernos offline e outros não. Por exemplo, no meu iPad, que uso quando viajo, eu deixo o caderno “ler/revisar” offline, pois assim aproveito para adiantar algumas leituras. No meu celular, deixo alguns cadernos offline, como “qualquer lugar”, “rua” e “telefonemas”.

A cereja do bolo: prazos

O que entra no ccalendário é o que deve ser feito (ou devo saber) em um dia ou horário específico. No entanto, eu posso ter próximas ações que não precisam ser feitas em um dia específico, mas têm um prazo. Nesse caso, uso o recurso de lembretes do Evernote, editando na nota, quando ela tiver um prazo. E, ao clicar na pilha de próximas ações, o Evernote me mostra tudo o que tem prazo.

Além disso, todo dia eu recebo um e-mail do Evernote com o resumo dos lembretes do dia. É pra não esquecer meeesmo de olhar.

Então meu fluxo de execução é:

  1. Agenda do Google
  2. Lembretes no Evernote
  3. Listas por contexto (se for o caso – tem dias mais lotados em que nem entro nelas)

Perguntas mais frequentes

Tenho mostrado meu novo sistema nos treinamentos e para outras pessoas e tenho recebido perguntas mais frequentes. Achei que seria útil trazer esses questionamentos neste post também, com as minhas respostas.

➡️  O que você faz com as ações concluídas?

Antes eu estava inserindo uma tag “Ações concluídas” na nota da ação e jogando-a para o caderno de “Referência Geral”. Porém, percebi que era besteira guardar essas notas e que isso acabava confundindo os contextos do Evernote (a semântica do programa). Por isso, agora eu simplesmente deleto as ações concluídas.

➡️  Mas você não gosta de manter um log do que você fez?

Mantenho para projetos e resultados maiores. Para ações, não mantenho mais. Isso era uma coisa legal e automática no Todoist, mas não faz diferença para mim atualmente. Eu costumo acompanhar os resultados e entregas maiores na minha vida, e não fazer acompanhamento de log de coisas como “ligar para fulano” ou “revisar documento X”. Mesmo quando eu tinha esse log antes, raramente eu o consultava, porque não é o tipo de acompanhamento que, para mim, faz diferença. Caso faça para você, recomendo fazer como eu citei na resposta anterior.

➡️  Nos cadernos por contexto você mantém as ações avulsas junto com as ações dos projetos?

Sim, são tudo ações, independente de serem avulsas, de projetos, de objetivos…

➡️  Mas como você sabe que uma ação pertence a um projeto?

A descrição da ação é a mais clara possível, de modo que descreva de que projeto ela faz parte. Exemplo: em vez de “comprar passagem”, tenho “comprar passagem para treinamento em Curitiba dia 12/8”. Isso deixa claro que a ação pertence a determinado projeto. Na Revisão Semanal, reviso as próximas ações antes de revisar os projetos, então fica claro que projeto tem próxima ação definida e qual não tem.

➡️  Por que você não usa uma tag para dizer que a ação é de um projeto?

Porque era uma coisa a mais para fazer e eu nunca senti necessidade. Gosto de simplificar cada vez mais meu sistema. Você pode fazer, se quiser. 😉

➡️  Como você controla o andamento do projeto?

Através do Modelo de Planejamento Natural do GTD, onde um dos estágios é a organização do projeto, onde entram listas, cronogramas etc. O acompanhamento do status do projeto no GTD não é feito pelas próximas ações, mas sim dessa forma. As próximas ações são apenas uma maneira física e visível de fazer o projeto (ou cada um dos componentes do projeto) andar.

Veja, algumas pessoas gostam de linkar suas ações aos seus projetos ou duplicá-las (deixar dentro do projeto e nas listas por contexto). Não há problema nenhum – eu apenas não faço dessa maneira. A única recomendação do David Allen é que você tenha as ações onde precisa vê-las – nas listas por contextos. Se você colocar apenas dentro do projeto, terá que entrar em cada projeto para saber o que fazer, e isso não é produtivo. Você revisa seus projetos na Revisão Semanal, e não diariamente. Sugiro a leitura do post sobre listas separadas que escrevi há algum tempo, além do capítulo 3 do livro do GTD (A arte de fazer acontecer), onde ele explica o Modelo.

No próximo post falarei sobre os projetos no Evernote, então algumas definições poderão ficar mais claras. Qualquer dúvida sobre este post de hoje, por favor, deixe um comentário. O objetivo de mostrar meu sistema é demonstrar exemplos reais, como o GTD pode ser adaptado a cada pessoa, e também inspirá-los nessa metodologia maravilhosa.

Thais Godinho
13/07/2017
Veja mais sobre:
Meu sistema GTD Julho 2017
49
Aprenda GTD: Introdução
Caos não depende do quão ocupada você está
Minha estratégia de execução atual com o GTD – Dezembro 2015

 

  1. Yasmin 13/07/2017

    Só não consigo esclarecer uma coisa: um determinado projeto, possui várias ações. E algumas estão diretamente ligadas as outras, portanto só posso fazer ela, após terminar a primeira. Como a revisão do projeto é semanal, concluo a ação e a próxima ação eu só colocaria na lista de próximas ações depois da revisão, sendo que eu poderia ter feito mais de uma ação sobre aquele projeto aquela semana… Não sei se fui clara, mas é a coisa que mais me deixa perdida e que eu não consigo fazer fluir… 🙁

    • Thais Godinho respondeu Yasmin 13/07/2017

      Por isso é importante entender o que é uma próxima ação. Você só insere nas listas por contexto o que for próxima ação. Se for uma ação futura, não é próxima ação ainda. Próxima ação é só aquilo que você já pode fazer – não depende de nada antes.

      Você não precisa esperar a revisão para definir novas ações. A conclusão de uma ação pode gerar uma nova, assim como pode gerar materiais que, ao esclarecer, geram ações. Ou você pode querer entrar no projeto para definir as próximas ações, se quiser. A revisão semanal é a garantia de que vocie irá olhar cada projeto *pelo menos* uma vez por semana.

  2. Hugo 13/07/2017

    Thais! Sempre quis centralizar tudo no evernote, mas já tinha tentado e não deu certo. Acho que com essas suas novas ideias, dará! Mas uma dúvida: como você fez pra organizar “subcadernos”? Exemplo, você tem “próximas ações” e, depois, os cadernos. Como fez isso? Obrigado!

    • Thais Godinho respondeu Hugo 13/07/2017

      Você cria uma pilha de cadernos! 🙂 Basta arrastar um caderno para cima do outro ou clicar com o botão direito em cima do nome do caderno e “enviar para pilha”. Fica bem legal.

  3. Hugo 13/07/2017

    Outra coisa, na lista de leituras/revisar, o que tem ali? Textos pequenos, certo? Porque um livro teria mais cara de projeto, por demandar mais “passos/horas de leituras”…

    • Thais Godinho respondeu Hugo 13/07/2017

      São artigos aleatórios da web que quero ler, ou páginas digitalizadas de revistas. Coisas avulsas.

  4. Simone Badana 13/07/2017

    Uau Thais, abandonou mesmo o todoist! Muito legal acompanhar todas as mudanças do seu sistema!
    Qual a grande diferença para você em usar o Evernote para as ações? Sempre me perdi tentando usar o Evernote para ações!

    • Thais Godinho respondeu Simone Badana 13/07/2017

      Gosto bastante da disposição dos cadernos e de como as ações aparecem no celular.

  5. Isabela Reis 13/07/2017

    Oi, Thais! Trabalho com televisão e estou pensando em uma forma de organizar os links de matérias que eu produzo. Não tenho como baixar o conteúdo e colocar no meu HD ou nuvem. E simplesmente a barra de favoritos do Chrome fica atrelada a um PC só. Alguma sugestão? Como você salva links que te interessem? Beijos!

    • Thais Godinho respondeu Isabela Reis 13/07/2017

      No Evernote também! Os do dia a dia deixo na barra de favoritos do Chrome, mas o que é referência eu salvo no Evernote, através da extensão Web Clipper, do Chrome.

    • Mariana respondeu Isabela Reis 15/07/2017

      Isabela,
      Se vc tiver uma conta no Google (Gmail, por exemplo), vc pode sincronizar seus favoritos do Chrome onde estiver. O histórico também sincroniza. Eu uso essa funcionalidade e posso ver meus favoritos e histórico de casa, do trabalho ou do celular. Basta clicar nos 3 pontinhos à direita da barra de endereços e depois de logada seu nome aparece no canto superior direito da janela.
      Abraços,
      Mariana

  6. Natalia 13/07/2017

    Oi, Thais, como você está organizando as ações do Tickler a as ações recorrentes (diárias, semanais etc.) nessas listas de próximas ações que você mostrou? Fiquei com essa curiosidade. Obrigada!

    • Thais Godinho respondeu Natalia 13/07/2017

      Oi Natalia, tudo bem? Expliquei no post anterior, sobre calendário. Veja aqui:
      http://vidaorganizada.com/tag/meu-sistema-gtd-julho-2017/

      • Natalia respondeu Thais Godinho 14/07/2017

        Ou seja, essas ações com prazo (ou as sem) do Evernote podem ter tido origem no tickler ou na lista de ações recorrentes, certo? E você ainda mantem um tickler digital no Evernote? Não sei se falará disso mais adiante. Obrigada!

        • Thais Godinho respondeu Natalia 15/07/2017

          Mantenho no G Calendar. Falei sobre isso no post anterior. 🙂

  7. Tiago M. 13/07/2017

    Fica muito legal seguindo a recomendação da DAC. Depois de ler o material deles, passei a fazer exatamente assim até migrar de ferramenta. Sensacional… Adorei seu artigo. Está objetivo e muito claro.

    • Thais Godinho respondeu Tiago M. 14/07/2017

      Obrigada, Tiago! Adoro o material deles porque vai no mais simples.

  8. Gustavo 14/07/2017

    Bom dia Thais.
    Algumas dúvidas:
    – Como você utiliza o “3 Suporte a projetos”? O conteúdo não poderia estar nas Referências?
    – O que diferencia sua “10 Lista de referencias” de “11 Referência geral”?
    Obrigado e parabéns!

    • Thais Godinho respondeu Gustavo 14/07/2017

      Oi Gustavo, tudo bem?

      Crio cadernos para alguns projetos na sessão de suporte quando eles precisam ser compartilhados com outras pessoas ou deixados off-line (especialmente viagens).

      O que diferencia as categorias de referências é que em um eu tenho listas e em outro tenho referências de modo geral, mas vou explicar melhor em futuros posts.

      Obrigada por comentar.

  9. Laura 14/07/2017

    Nossa, o post que eu esperava há tempos! Uso o Evernote pra tudo (menos calendário, que é o Google Agenda ) e fiquei contente por ele estar organizado de forma parecida com a sua, pois comecei no GTD há uns 4 meses só. Me inspirei com alguns contextos seus e vou começar a usar os lembretes, coisa que eu não faço e parece ser bem útil. Uma dúvida ficou: qual a diferença entre o que vai no Algum dia/Talvez e no Backlog? Obrigada 🙂

    • Thais Godinho respondeu Laura 15/07/2017

      Vou explicar ainda as outras listas nos próximos posts, mas respondendo sua pergunta: algum dia / talvez é o que está incubado. Backlog é tudo coisa antiga que eu vou “re-processar”.

  10. Áthila 14/07/2017

    Olá Thaís, estou apaixonada com a nova estrutura do seu sistema. Há algum tempo venho trabalhando na estrutura do meu, e coincidentemente tem muitos pontos em comum com o seu 🙂
    Fiquei chocada com o desapego com as ações concluídas, rsrs….
    Já estou ansiosa com o post sobre projetos…
    Tenho algumas dúvidas, acho que se encaixam mais no tema projetos, mas se puder me ajudar…
    1) como advogada tenho 3 itens a gerenciar 1.1 clientes (feedbacks, pagamentos de honorários, entrega de documentos, etc), 1.2 processos (audiências, cumprimento de prazos, acompanhamento do andamento, etc) 1.3 Diligências (atuações como freelancer em processos de terceiros: pagamento de honorários, envio de documentos, etc). OBS: estou me desligando da advocacia para dedicar integralmente à carreira pública (concurso público).
    – Devo tratar cada item desses como projeto ou objetivo e revisar um a um em todas as revisões semanais? Ex: Projeto Clientes / Subprojetos: cliente A, B, C. Ou deveria tratar como área de foco?
    2) Quando vc conclui uma ação referente a um projeto, vc exclui de plano? Registra no projeto como histórico? Envia pra inbox para novo processamento?
    Agradeço desde já. Abç 🙂

    • Thais Godinho respondeu Áthila 15/07/2017

      1) Isso tem mais cara de área de foco mesmo, onde você pode ter projetos.

      2) No projeto eu mantenho uma listagem do que preciso fazer para concluí-lo. No próximo post vou explicar direitinho.

      Obrigada por comentar!

  11. Áthila 14/07/2017

    Oi novamente, esqueci de perguntar: vc tem usado a classificação de priorização das ações em 1 – urgente 2 – média 3 – baixa?

    • Thais Godinho respondeu Áthila 15/07/2017

      Não, isso não tem a ver com o GTD.

  12. Adriana Dias 14/07/2017

    Vc parou de usar o TODOIST? Definitivamente? Vai usar só o Evrnote e Agenda?
    Eu ando meio cansada do ToodLedo. Eu estava super adaptada, mas cansei. Acha q é comum a gente cansar de uma ferrmaneta? Que outras dá para usar? Bjs e parabéns por tudo.

    • Thais Godinho respondeu Adriana Dias 15/07/2017

      Cansei um pouco mesmo. Mas eu gosto da mudança, pois me permite rever todos os itens do meu sistema. A melhor ferramenta é aquela que a gente gosta de usar. 😉

  13. Eliana 14/07/2017

    Oi

    Adorei este post. Uso Todoist e evernote. Eu adoraria centralizar no evernote, mas ainda desconheço todas as ferramentas do evernote, então fico insegura. Tem que entender bastante do evernote para conseguir, não é??? Também estou tendo dificuldade para entender as listas por contexto. Acredito que entenderei melhor as listas no evernote nos próximos passos.

    • Thais Godinho respondeu Eliana 15/07/2017

      Tem que saber o básico do Evernote e o básico do GTD mesmo. Recomendo a leitura do livro do GTD e do tutorial do Evernote linkado no post. 😉

  14. Giovanna 14/07/2017

    Olá Thais,
    Como sempre ótimo post, mas o link que vc colocou sugerindo a leitura do post sobre listas separadas para mim foi de grande ajuda, mas essa leitura, apesar de reveladora (aquele negócio da chave virar na nossa cabeça), me trouxe uma confusão, pois eu costumo colocar ações nos projetos e transcrever para a lista de próximas ações por contexto e isso realmente me atrapalha, me tira o foco, quando estou analisando o projeto total, me faz voltar ao ”térreo” como esse post exemplificou nesse trecho:

    ” Só que existe um desvio de foco ao fazer isso, que é sair do terreno das ações (térreo) e ir para o de projetos (horizonte 1). E, com isso, você se distrai. Pensa no projeto, não na ação. Se você acessa seu calendário e vê um item que não pertence a ele, deixa de confiar no calendário. Se você tem um projeto que não pode tocar agora, ele deveria estar em Algum dia / talvez, não em Projetos. Isso tudo traz uma dissonância ao seu sistema e, consequentemente, à sua mente.

    Em outras palavras: ter suas ações em uma lista separada de próximas ações, sejam ações avulsas ou relacionadas a projetos, tem um valor imensurável de foco e agilidade. Você está em determinado contexto (por ex: no escritório) e, se acessar a lista de coisas que pode fazer no escritório, vai passar voando pela sua lista @escritório, executando o que estiver lá. Não precisa saber se é de algum projeto ou não. O importante é que ele (o projeto) seja movido adiante. Não estamos falando de microgerenciamento como boa prática de produtividade – focamos em ações e resultados.”

    Achei fantástico e revelador, no entanto lembrei-me de um outro post seu – http://vidaorganizada.com/2017/06/05/compartilhando-projetos-atuais-para-melhorar-o-meu-ingles/

    Onde vc descreve dessa forma:

    “Com base nisso, tenho um projeto, então, que é concluir o primeiro módulo do avançado. Por enquanto ele não tem muitas ações a não ser comprar os materiais e pagar as mensalidades até o início em agosto. Apesar de eu ter me matriculado de noite, estou considerando mudar para a turma da manhã – só preciso analisar um pouco melhor na minha rotina e se posso fazer algumas mudanças nesse sentido (o que vou resolver antes do início das aulas). Eu organizo os meus projetos no Evernote.”

    Isso acabou gerando maior dúvida na minha cabeça, de como proceder com os projetos, colocar ações detalhadas ou não.
    Se puder me ajudar, fico muito grata!!

    Obrigada
    Giovanna

    • Thais Godinho respondeu Giovanna 15/07/2017

      As próximas ações ficam nas listas por contexto mesmo.

      Dentro do projeto, você pode colocar o plano dele, que o David Allen descreve no capt. 3 do livro.

      No próximo post da série vou explicar melhor. 😉

  15. DALVA BORGES 14/07/2017

    Thais, sou Evernote Premium mas sofro com a sincronização dele, por isso abandonei. Fui pro OneNote mas realmente Evernote é melhor. Indago se a sincronização é mesmo complicada ou se pode ser um problema no meu Mac – é Air, não sei se tem memória suficiente.

  16. Glauce 17/07/2017

    Oi Thaís,

    Excelente post. O fluxograma inicial é incrível e esclarecedor. Estou começando a entender melhor o método GTD. Obrigada por dividir o conteúdo aqui!

  17. Sacha 17/07/2017

    Olá, Thais!!
    Estou gostando muito da série e está sendo de bastante inspiração para muitos, acredite!

    Eu tenho dúvidas quanto a organização do projeto, cronograma, etc. Por exemplo, um novo projeto que tenho “Fazer um curso de francês” como organizaria isso? o projeto é o curso ou o nível que tenho como meta alcançar? tenho dúvida no que defino como projeto e então organizar ele para definir as metas e próximas ações, certo?

    Espero que tenha entendido a minha dúvida!
    Abraço,
    Boa semana!

    • Thais Godinho respondeu Sacha 18/07/2017

      Esse tema será abordado em posts futuros com uma explicação mais detalhada. 😉

  18. Isadora 18/07/2017

    Thaís, muito legal sua volta para o Evernote, estou pensando em dar esse passo também para concentrar tudo numa ferramenta só (atualemente uso o esquema todoist para o Ground e Evernote pros outros horizontes). Uma pergunta: Como você faz com as tarefas recorrentes que não tem data específica? Penso por exemplo nas típicas tarefas que coloco no todoist com o “a cada x semanas”. Tem algum recurso parecido no Evernote?

    • Thais Godinho respondeu Isadora 18/07/2017

      Ou calendário ou checklists (no geral calendário).

      • Isadora respondeu Thais Godinho 18/07/2017

        calendário mesmo se não tiver data específica? Por exemplo, regar as plantas toda quinta, não é imprescindível fazer na quinta, poderia fazer na quarta ou na sexta.

        • Thais Godinho respondeu Isadora 18/07/2017

          Isso eu colocaria em uma checklist.

          • Isadora respondeu Thais Godinho 18/07/2017

            obrigada Thais, sempre tão atenciosa 🙂

  19. Paulo 21/07/2017

    Por que ‘aguardando resposta’ dentro de ‘proximas ações’? Essa lista não deveria ser consultada para gerar novas próximas ações?

    • Thais Godinho respondeu Paulo 22/07/2017

      As categorias de próxima ação são:

      – menos de 2 minutos
      – aguardando resposta
      – próximas ações por contexto
      – ações no calendário

      😉

      Se você olhar no fluxo, verá que a definição de “próxima ação” vem antes da parte do organizar, e ela pode ser organizada nessas categorias acima.

      Obrigada por comentar.

  20. Fernanda Gonçalves 24/07/2017

    Oi, Thaís! Estou relendo os posts publicados até agora na série, e está sendo muito útil para revisar o meu sistema (que nunca sai do térreo…).

    Tenho muita dificuldade em gerenciar meu email de trabalho porque a ferramenta não é confiável, e a versão web não sincroniza com o servidor local – e cada vez que fico fora do escritório, em ação externa, vejo meu fluxo de trabalho ficar bagunçado… vendo seu exemplo de como lidar com a lista “aguardando resposta”, uma luz se acendeu no fim do túnel: posso tratar o email somente como caixa de entrada e saída, e gerenciar todo o fluxo no Evernote – atualmente, só estava fazendo isso para arquivos de referência.

    Fiz isto durante esta semana, que foi uma semana de trabalho externo, e tudo caminhou muito bem; retornei ao escritório no sábado e não tive que ficar lidando com mensagens duplicadas ou perdidas.

    Muito obrigada pela sua generosidade!

    • Thais Godinho respondeu Fernanda Gonçalves 24/07/2017

      Que ótima sacada, fico feliz por você! Eu faço assim também, mas precisa ter disciplina com a entrada no Evernote. Faça o teste e me fale. 🙂

      Obrigada por comentar.

  21. Caroline 24/07/2017

    Olá Thaís!
    Uma pequena dúvida: as ações curtinhas, por exemplo, pagar boleto X, você deixa somente no título da nota? Às vezes me parece que uma nota inteira pra uma ação pequena dessas é exagero rsrs
    Gostaria de compartilhar que este mês com auxílio do GTD conclui um objetivo e três projetos grandes: finalizei minha graduação, fui nomeada em concurso público, passei as férias no RJ e estou prestes a fazer minha festa de formatura simples e bonita. Obrigada por todas as dicas, conquistei tudo isso também com sua ajuda e do GTD.

    • Thais Godinho respondeu Caroline 25/07/2017

      Deixo sim, sem problemas. Se eu não colocar, acabo aplicando essa exceção a outras coisas e isso volta para a minha mente, o que não é desejável.

      E uau, parabéns pelas conquistas! Incrível!

  22. roberta maneiro 30/07/2017

    olá Thais tudo bem? começando nesse mundo da organização agora e tenho inúmeras dúvidas, mas já entendi pelo menos o conceito do GTD pelo menos eu acho…rs
    mas não sei exatamente por onde começar… dei uma lida nos artigos anteriores mas to lotada de dúvidas…

    uma delas é .. preciso ter duas entradas vida pessoal e profissional? aonde eu faço essa separação, ou melhor preciso fazer?

    • Thais Godinho respondeu roberta maneiro 31/07/2017

      Oi Roberta, tudo bem? A entrada é uma só e agrupa tudo, de todas as áreas da sua vida. O propósito dela é justamente agrupar tudo o que chega até você.

  23. Cláudia 01/08/2017

    Olá Thaís!

    Você usou o Todoist muito tempo e pelo que vi você resolveu concentrar tudo no Evernote. Certo?

    Você acha que ao fazer isso você simplificou o processo? Atualmente uso o Evernote e o Todoist mas estou querendo fazer o fluxo se tornar mais simplificado.

    Como você trabalha com as tarefas recorrentes (pagar uma conta todo dia X, por exemplo), já que o Evernote não tem este recurso?

    No iPhone tem alguma widget que lista todos os lembretes do Evernote?

    Obrigada,

    Cláudia

    • Thais Godinho respondeu Cláudia 03/08/2017

      Isso é bem pessoal. Faça o teste e veja se para você flui melhor.

      Tarefas recorrentes entram geralmente na agenda, mas depende. Falo mais sobre isso aqui:
      http://vidaorganizada.com/2017/05/02/como-organizar-tarefas-recorrentes-e-de-rotina/

      Não conheço nenhum widget para o iPhone. O que eu costumo fazer é entrar no próprio app do Evernote e clicar em “lembretes” para visualizar.

      Obrigada por comentar!