ou

Things é um aplicativo antigo, disponível apenas para dispositivos da Apple, que foi totalmente redesenhado recentemente. Não aguentei de curiosidade, pois achei a interface muito linda, e comprei o aplicativo para testar e fazer uma resenha simples para vocês.

O Things custa US$39,90 para Macbook ou US$19,90 para iPad/iPhone e você pode comprar na App Store ou no site.

O que mais me chamou a atenção no redesenho foi o visual simples, porém com detalhes refinados. Na barra lateral, o menu tem uma caixa de entrada, mostra o que tem para hoje (que inclusive integra com o calendário), vindo por aí (aqui mostra os próximos 7 dias e os próximos 6 meses), anytime (que mostra aquilo que não tem data) e someday. Abaixo, você pode criar áreas, ou seções, e inserir as listas dentro (que eles chamam de projetos). No logbook, temos tudo o que foi concluído. E, em trash, o que foi deletado.

Quando você cria uma nova lista ou um novo projeto (acima), você pode inserir notas, criar seções e to-do lists. Dentro de cada “tarefa”, você pode personalizar prazo, colocar etiquetas (que eles sugerem usar como contextos), notas também, além de criar checklists internas. Então você pode ter, por exemplo, uma tarefa que seja “ir ao mercado” e, dentro dela, inserir os itens em formato de checklist.

É um aplicativo muito simples e intuitivo e que recomendo bastante para o GTD, especialmente para quem estiver começando.

Um detalhe que eu gostei muito foi que, quando você for colocar prazo na tarefa, ele te dá a opção de “hoje” e “hoje à noite”, por exemplo, o que pode ser uma boa para separar coisas de trabalho das coisas para se fazer em casa. Para quem usa GTD, isso não importa tanto (afinal, usamos contextos), mas visualmente fica bem bonitinho, porque aparece uma luazinha nessas tarefas.

Do que eu senti falta: algumas coisas. Em primeiro lugar, reduzir a visualização na barra lateral. Por exemplo, se eu criar uma área para projetos, e tiver 90 projetos, eu sou obrigada a rolar a barra de rolagem sempre – não consigo minimizar a área de projetos para ficar visualmente mais limpa. Em segundo lugar, senti falta de ter sub-projetos e sub-tarefas. Em terceiro, não dá para criar tarefas recorrentes. De resto, é um excelente aplicativo.

O que eu gostei muito dessa versão é que ela tem uma carinha de bullet journal e um visual elegante. Certamente ainda há muito a se explorar uma vez que você comece a usar o aplicativo todos os dias, além dos desenvolvimentos futuros que podem vir por aí. Eu acho que finalmente temos um concorrente à altura do Todoist, apesar de ele ter a limitação da plataforma (não funciona para Windows). Porém, em comparativo, o Todoist ainda tem mais funcionalidades.

Você já testou o novo Things? O que achou? Deixe um comentário! Obrigada.

Thais Godinho
24/05/2017
Veja mais sobre:
Things
24
Organizando playlists no Spotify
15 formas de a tecnologia nos ajudar a diminuir a tralha
Testando: novo Things

 

  1. Rafael 24/05/2017

    O prazo do meu todoist premium estava acabando e eu vi que não usava todas as funções do premium, então resolvi dar chance para um novo app e foi quando a atualização do things 3 foi lançada.
    Gosto do muito de como o app é fluido e a sincronização dele entre o iPhone/iPad/Mac/Apple Watch é rápida.
    Ele é bem mais simples do que o todoist, mas é direto ao ponto e pra mim ter servido bem pra organizar a vida profissional/pessoal/acadêmica.
    O único defeito mesmo é o fato do app ter 3 versões e elas serem cobradas separadamente: uma para mac, uma para iPhone/Watch e outra para iPads, sendo a mais barata, para iPhone. Fora isso, o app é incrível.

    • Thais Godinho respondeu Rafael 24/05/2017

      Obrigada por comentar. Essa coisa de cobrar separadamente é chata mesmo. Não sei se é algo que a Apple obrigada a cobrar, porque com o Omnifocus é assim também.

  2. Alexandre 24/05/2017

    Olá, Thais! Excelente post. Você já testou o 2do?

    • Thais Godinho respondeu Alexandre 24/05/2017

      Sim! Só não fiz resenha aqui ainda. Boa sugestão, obrigada!

  3. Luciano Silva 24/05/2017

    Boa tarde a todos.

    Cheguei a usar o Things durante algum tempo, mas acabei por deixar de o usar quando descobri que o RTM (Remember the Milk) fazia o mesmo e ainda mais. Acabei ficando pelo RTM, mas tem uma coisa que o Things me agrada de sobremaneira: visulamente é muito apelativo, e isso embora não seja o fundamental, muito longe disso até, acaba por influenciar a nossa interacção com qualquer que seja o mecanismo (e não só!).

    Bom, dito isto, embora tenha surtido um efeito de boas memórias não tenho planos de o usar. estou muito, muito satisfeito com a dupla Evernote/Remember The Milk. O que me leva a uma questão: Thais, nunca experimentaste o RTM pois não?

    Cumprimentos para todos.

    • Thais Godinho respondeu Luciano Silva 24/05/2017

      Eu cheguei a usar quando comecei a usar o GTD (em 2006…), mas lembro que acabei optando pelo Toodledo na época. Mas muitas pessoas usam o RTM até hoje e gostam muito. Obrigada por comentar!

  4. Alex 24/05/2017

    Legal o Things, mas na minha opinião o melhor app para quem utiliza a GTD é o NIRVANA FOR GTD.
    Seria muito bom que a Thais Godinho fizesse uma resenha deste app.
    Fica a dica!

    • Thais Godinho respondeu Alex 24/05/2017

      Já testei e não vi muito nada de mais não… mas vou anotar para dar uma segunda chance. Obrigada!

  5. Rodrigo Damacena 24/05/2017

    Instalei o Things 3 poucos minutos após sair esta versão, estava louco esperando.
    Acho excelente a forma que ele trabalha onde ele envia itens para a lista Today e te lembra de verificar o que será feito hoje ou não, o que será prorrogado e por aí vai. Isso além de todos itens para próximos e algum dia.
    Faltava pra mim e acredito para muitos a parte de alertas que não tinha na versão 2, agora com esse recurso ficou ainda mais interessante. Outra coisa que gostei e no meu ver é para substituir o alerta por localização é o This Evening, ele simplesmente separa o que tenho que executar de dia com o de noite, top! E outros detalhes.
    Estou usando desde que sair e por mim vale muito a pena!

  6. Lucas Maniero 24/05/2017

    Olá, Thaís!

    Parabéns pelo post! O Things é, com certeza, um ótimo aplicativo. Entretanto, o Todoist tem o melhor custo benefício por ser gratuito em algumas funções.

    Você poderia, por gentileza, fazer um review do Pagico? https://www.pagico.com/

    • Thais Godinho respondeu Lucas Maniero 24/05/2017

      Vou explorar! Obrigada.

  7. Paulo 24/05/2017

    TROQUEI O THINGS PELO TODOIST POR UM ÚNICO MOTIVO: VERSÃO WEB

    Era usuário do Things desde a primeira versão, mas acabei tendo que abandoná-lo porque nem sempre eu tinha o meu computador pessoal por perto. E dependendo da complexidade, é muito chato organizar o projeto na telinha do celular.

    Por mais bonito e elegante que eu ache o Things, não tem como eu voltar pra ele. O modelo de negócios dele é muito ruim: 1 – não tem versão gratuita para testes; 2 – preciso pagar uma fortuna para usar em cada aparelho; 3 – não tem versão web ou comunicação com outros apps como Google Calendar.

    Ou seja, achei Things 3 é bontinho, mas bem ordinário.

  8. Marco 25/05/2017

    O Things é sem dúvida um aplicativo que sempre se destacou pela qualidade do projeto principalmente no que se refere à interface que é leve, funcional e elegante. Quanto à questão das versões separadas até concordo com existência de uma versão para MacOS e outra para iOS (microcomputadores x dispositivos móveis). Por outro lado, acho descabida a comercialização de versões separadas para iPhone e iPad. Creio que isso não é uma exigência da Apple visto que existem inúmeros aplicativos na App Store com uma única versão totalmente compatível com o iPhone e o iPad. Parece tratar-se simplesmente de uma estratégia dos desenvolvedores para tentar maximizar os lucros com o aplicativo. Tendo a concordar com o comentário do Alex sobre o Nirvana, considero uma das melhores implementações do método GTD para iOS. O único problema é a cobrança de uma assinatura anual para que o usuário possa usar o aplicativo sem as limitações da versão de teste. Apenas como exemplo de um recurso do Nirvana que falta no Things é a lista “Waiting” onde ficam armazenadas as tarefas que delegamos para outras pessoas e para as quais aguardamos um retorno. Isso é parte integrante do GTD e considero uma limitação do Things. Essa questão pode ser contornada no Things com o uso de “tags”, porém, no Nirvana a lista é bem funcional. Quando colocamos uma tarefa na lista “Waiting” o Nirvana inclusive já permite facilmente a inclusão de uma “tag” com o nome da pessoa para qual a tarefa foi delegada. Posteriormente podemos visualizar na lista todas as tarefas delegadas e ainda filtrar as tarefas delegadas a cada pessoa. No mais o Nirvana dispõe de praticamente todas as funcionalidades disponíveis no Things e tem uma interface bem funcional e leve ainda que não tão elegante quanto o Things. Outra vantagem do Nirvana é a interface Web permitindo o acesso em qualquer microcomputador através do navegador (portanto sem a instalação de aplicativo específico). Evidentemente nenhum gerenciador de tarefas e de GTD é perfeito ou adequado às necessidades de todas as pessoas. O objetivo aqui é apenas apresentar alternativas para que cada um faça a sua escolha. O Things 3 é uma boa opção e tem os seus pontos fortes embora não contemple a questão do trabalho colaborativo (compartilhamento de tarefas, acompanhamento fácil das tarefas delegadas).

    Segue o endereço do site do Nirvana para quem quiser conhecer: https://www.nirvanahq.com/

  9. Jonas 26/05/2017

    Thais, é possível criar tarefas recorrentes sim, basta clicar com o botão direito do mouse e ir em “repeat…”em uma tarefa que está dentro do calendário. Se estiver no iphone, toque na tarefa dentro do calendario e depois nos três pontinhos do menu inferior, você verá a opção “repeat” também. Esse recurso não é novo, existe desde a versão anterior.

    • Thais Godinho respondeu Jonas 29/05/2017

      Obrigada pela correção!

  10. Eduardo 26/05/2017

    Muito bom o post Thais, como sempre 😉

    Uma pequena correção: Things continua permitindo tarefas recorrentes, porém desta vez está mais escondido.

    Os meus 3 apps preferidos são: Nirvana, Things e Facilethings. Tem três que também se parecem com esses q são Doitm, Toodledo e IQTell, porém estes eu nunca testei. Toodist e Wunderlist eu nunca gostei.

    Eu gosto dos apps que procuram seguir ao máximo a metodologia e não ficam deixando ficar criando pastas por exemplo

    • Thais Godinho respondeu Eduardo 29/05/2017

      Obrigada pela correção!

  11. Leonardo 30/05/2017

    Taís,

    Excelente resenha do Things. Também acho o visual muito bonito, mas as limitações em termos de repetição de tarefas e principalmente de estrutura (não dá para colocar projetos e sub-projetos) o tornam um tanto quanto insatisfatório para o meu uso. Adoraria ver uma resenha dessas com o 2Do e o Omnifocus 2. Ambos estão ainda presos ao universo da Apple e, ao menos no caso do Omnifocus 2, é bem improvável que se saia dele. O desenvolver do 2Do está criando uma versão online do mesmo, então acho que a tendência é que ele se aproxime do modelo do Todoist, embora com funções e visual bastante particular.

    Um outro aplicativo mais completo, embora tristemente desatualizado, é o The Hit List ( http://www.karelia.com/products/the-hit-list/mac.html ),

    Teria como testar esses dois e mostrar aqui?

    Um grande abraço e parabéns pela resenha.

    • Thais Godinho respondeu Leonardo 06/06/2017

      Obrigada pelas sugestões. Vou anotá-las e, se possível, farei.

  12. Leonardo 30/05/2017

    Thais,

    Me desculpe pelo erro referente ao seu nome. Estava digitando rápido e acabei me dando conta disso.

    Um abraço,

  13. Cintia 06/06/2017

    Oi Thais,
    tudo bem?

    Você já testou o GTD com o Google Keep? Acho uma opção gratuita interessante, disponível para Android, iOS, Chrome e versão web. A sincronização é ótima e funciona offline.

    Alguns dos recursos:
    – Organizar e pesquisar notas por etiquetas, cores e outros filtros
    – Compartilhar notas/projetos com outras pessoas
    – Adicionar lembretes de acordo com a data/hora ou local (lembretes de horário aparecem na agenda do Google)
    – Criar notas com fotos, gravação de áudio (que também converte para texto) e outros
    – Extrair o texto das imagens das notas
    – Copiar notas para o Google Docs

    Como eu utilizo:
    – Etiquetas para “caixa de entrada”, “próximas ações”, “projetos” etc
    – Dentro de “próximas ações”: o título de cada nota corresponde a um contexto, e daí eu vou acrescentando as tarefas em cada contexto naquele formato de caixinhas de checklist (quem quiser também pode criar uma etiqueta para cada contexto e trabalhar com “notas soltas” para cada tarefa)
    – Na etiqueta de projetos, tenho uma nota com a lista de projetos e uma nota para cada projeto (com a descrição de brainstorm, organização etc)
    – Quando finalizo alguma “nota solta” ou projeto, coloco na cor cinza e mando arquivar
    – Utilizo a Agenda do Google para a parte de calendário (aparecem compromissos, lembretes da Agenda e lembretes do Keep)

    Acho que daria um ótimo artigo!

    Um abraço

    • Thais Godinho respondeu Cintia 06/06/2017

      Ah, é difícil conseguir testar com profundidade a vasta imensidão de ferramentas que existem. Vez ou outra me divirto fazendo alguns testes, mas sem muita obrigatoriedade, e sim por hobby mesmo. Particularmente, o Keep tem um visual legal, mas não sei se funciona para quem tem muito volume de coisas. Não é uma ferramenta que, hoje, eu usaria, pois não me atende. Mas conheço muitas pessoas que usam e adoram.

  14. Paulo 15/09/2017

    Baixei hoje para começar a testar, me apaixonei pelo design dele. Uma pena não ter versão web. E uma correção: a versão para iPad custa $ 19,90 e a do iPhone $ 9,99. Abraço…