ou

O editorial do mês de maio fala sobre os frutos que nós geramos. Quando paro para pensar nas diversas áreas da nossa vida, um assunto se sobressai bastante, que é a necessidade da realização de um trabalho terapêutico.

Infelizmente, a maioria das pessoas tem preconceito com a terapia. Acha que é para quem está com problemas mentais graves ou passando por transtornos psicológicos. Eu não consigo deixar de ver a ironia nessa afirmação, visto que, do meu ponto de vista, se você for um ser humano, tiver um cérebro e viver nos dias de hoje, estranho seria se você não tivesse qualquer problema a ser discutido com um terapeuta!

No ano passado eu iniciei um trabalho para me conhecer melhor. A terapia não soluciona a sua vida, vale dizer. Mas ajuda demais, porque te permite ver aspectos da sua personalidade que você até então talvez não tivesse percebido. E isso te ajuda a sofrer menos, ter relacionamentos melhores, ser mais compassivo consigo mesmo.

Eu resolvi procurar o trabalho de terapia porque percebi que estava sobrecarregando as pessoas ao meu redor com os “meus assuntos”. E percebi que ninguém merece levar essa carga! Parceiros amorosos, amigos, colegas de trabalho são pessoas que se relacionam com a gente, mas eu não vejo por que essas relações devam ser pesadas. Apesar de adorar Hakuna Matata, eu não acredito que a gente deva esquecer os nossos problemas, e sim lidar com eles para entender nossos padrões como seres humanos.

Vale lembrar que eu associo esse trabalho também à prática de meditação, que me permite estar presente, e ao coaching, que me permite olhar para o futuro. Considero essa uma tríade infalível para o desenvolvimento humano em todos os níveis (pessoal, profissional, espiritual etc).

Se você já parou para pensar que tem problemas, que gostaria de ter relacionamentos melhores, que tem necessidade de conversar mas não quer incomodar ninguém, considere um trabalho desse tipo. Vai te fazer muito bem ter uma pessoa, um profissional, que te ajude nesse processo de auto-conhecimento, sem envolvimento pessoal, com técnicas, sugestões e uma nova perspectiva.

Pense nos frutos que você quer colher no futuro. Quando comentei com um amigo que estava fazendo terapia, ele me respondeu: “esse é o melhor presente que você pode dar para a sua família”. E considero que seja mesmo.

Se você tiver alguma experiência com o assunto, poderia deixar um comentário? Creio que suas ideias e sugestões possam ajudar outras pessoas também. Obrigada!

Thais Godinho
04/05/2017
Veja mais sobre:
Terapia
30
Mente como água é o meu lema em 2017
Soluções práticas para quem “pensa demais” e tem muitas ideias
Dormir menos e produzir mais! Desafios de um sono polifásico

 

  1. Juliana 04/05/2017

    Oi Thais, parabéns pelo artigo. Achei muito importante a distinção que você faz entre a vida espiritual, o coaching e a terapia. Pois, muitas pessoas acabam confundindo as três coisas e no fim criticam um dos três processos por não suprir necessidades que não lhes cabe. Concordo com você que existe muito preconceito ainda com a psicoterapia e que muitas pessoas acreditam erroneamente que bons amigos podem substituir terapeutas. Os amigos, não poderia ser diferentes, estão envolvidos emocionalmente com você e em muitos casos não estão emocionalmente preparados para dar suporte a determinadas situações e questões. Um bom psicoterapeuta, com boas referências e qualificações é a pessoa mais indicada para acompanhar a jornada interior que precisamos fazer em muitos momentos da vida. Sem dúvida um dos melhores presente que você pode dar a você e seus familiares.

    • Thais Godinho respondeu Juliana 04/05/2017

      Obrigada pelo seu comentário. Complementou demais o post e tenho certeza que vai ajudar outros leitores.

  2. Aline Fernandes 04/05/2017

    Parabéns pelo texto Thais!
    Terapia: um dos melhores investimentos que fiz em minha vida!
    Concordo plenamente com tudo o que você escreveu. Mas creio que um dos obstáculos que as pessoas colocam também é a questão financeira! Sei porque vi isso de perto com pessoas da família que recomendei que fizessem terapia e sempre batiam nessa tecla. Sempre faziam as contas do quanto eu tinha gastado com terapia no ano e ficavam falando do que eu poderia ter feito/comprado com aquele dinheiro. Nunca pensavam na terapia como uma prioridade (o que fiz por quase 2 anos). E repito: não foi um gasto, mas sim um investimento. Se as pessoas entendessem que nenhum objeto que eu tivesse comprado, viagem que eu tivesse feito teriam causado as transformações internas que a terapia causou, talvez entendessem! Espero mesmo que seu post incentive muitos que hesitam em procurar um profissional, a fazê-lo! O retorno com certeza é impagável!

  3. Dizem que santo de casa não faz milagre. É mentira! Faz sim, não só milagres como ajuda toda a família a viver melhor. No meu caso, não por acaso, minha esposa, além de ótima psicóloga, também é Coach (de carreira), o que acaba sendo valioso!
    Essa tríade que mencionou é, de fato, essencial para lidar bem com a vida. E o comentário da Juliana foi perfeito e complementou tudo que disse!
    Se as pessoas soubessem da importância que apenas uma boa sessão de terapia é capaz de fazer, não banalizariam tanto a profissão.
    Parabéns Thais por valorizar a terapia e o terapeuta!

  4. Aline Carvalho 04/05/2017

    Thais,

    Faço terapia a mais de um ano, e sem dúvida nenhuma isso mudou minha perspectiva sobre mim, e sim é um belo presente a todos que convivem conosco. Vale muito a pena

  5. Dani Georgeto 04/05/2017

    Achei perfeito o que você colocou. Acho tão importante terapia… penso que todos deviam fazer mesmo. Além de, como você falou, ajudar a descarregar quem está ao nosso redor, nos ajuda a ter consciência, a pensar mais antes de fazer, depois de ter feito, de por que as coisas estão assim, de como elas poderiam ser diferentes, enfim… são tantos benefícios que só fazendo pra descobrir.

  6. RONALDO LIMA 04/05/2017

    Olá Thais, parabéns pelo post. Já fiz terapia por mais de 10 anos e recomendo a todos.
    A mágica acontece quando, guiados pelo terapeuta, nós tentamos organizar o pensamento para se fazer entender. E ao tentar fazer o outro entender o que se passa, nós mesmos acabamos tendo muitos insights. Puxa, como não percebi isso antes??? rs… Abs…

  7. AbeGomes 04/05/2017

    Oi Thais! Estou fazendo terapia, por indicação do meu médico, para tratamento de enxaqueca e ansiedade. E como tem sido bom! A minha vida, as minhas atitudes e os meus pensamentos mudaram muito. Consegui tomar decisões importantes e melhorar minha qualidade de vida. As crises de dor diminuíram muito. Claro que estou aproveitando para tratar outras questões e, a cada consulta, me surpreendo com as reflexões que tenho feito. Eu estou gostando muito e recomendo. 🙂

    • Thais Godinho respondeu AbeGomes 04/05/2017

      Que experiência bacana. Obrigada por compartilhar.

  8. Cristina 04/05/2017

    Assunto muito pertinente… Penso que a terapia é uma excelente forma de autoconhecimento e sobretudo uma forma de nos ajudar a viver melhor e mais feliz.

  9. Marcelle 04/05/2017

    Oi, Thaís.
    Estou num processo terapêutico a um ano e meio. Já vi grandes mudanças no meu comportamento e na minha autoanalise.
    Como você bem disse, não resolve os nossos problemas mas nos dá uma nova perspectiva, principalmente quando vemos “o copo mais vazio”.
    Parabéns mais uma vez pelo blog. E estou adorando o editorial desse mês <3

    • Thais Godinho respondeu Marcelle 04/05/2017

      Obrigada!

  10. Juliana 04/05/2017

    Ótimo post, Thais. Acho muito necessário mostrarmos para as pessoas o quanto a terapia é importante e acabar com o preconceito existente. Faço terapia a mais ou menos um ano e muita coisa em minha vida vem mudando. Ao termos ajuda de alguém “especializado” nós conseguimos nos enxergar com outros olhos e entendermos todos os pontos da nossa vida.
    Hoje, sempre que posso, eu indico a terapia a amigos e parentes próximos, acredito que com ela nós conseguimos construir relacionamentos sinceros e mais saudáveis.

    • Thais Godinho respondeu Juliana 04/05/2017

      Obrigada por compartilhar sua experiência.

  11. Andreia 04/05/2017

    Concordo a 100% com este artigo! Também estou a fazer terapia e tem me ajudado imenso! O meu objetivo é a ser a melhor versão de mim mesma para que eu e as pessoas à minha volta (família) sejam felizes! Infelizmente ainda é tabu, mas o que importa é ser feliz!

  12. Gabi Albuquerque 04/05/2017

    Thais, fiz terapia pouco mais de três anos, me fez muito bem, ela me deu alta. Por mim, ia pra sempre só para conversar haha, mas ela é da linha que não quer que a terapia seja muleta; parei em dezembro e até agora concordo. Também medito, fiz meu processo de coaching pessoal e sou coach. É uma tríade e tanto mesmo. Melhorei meus relacionamentos familiares, conjugal, me tornei mais empática. Tudo isso, claro, pela soma. Também já fiz reiki, terapia com cristais, sigo algumas dicas da ayurveda. No fim, a minha tríade é: espiritualidade, coaching e o aprendizado terapeutico. Indico pra todo mundo!

  13. Michelli Duje 04/05/2017

    Sempre muito claro e interessante os seus textos!
    É o autoconhecimento o princípio de todas as sessões 😉
    escrevo sobre assuntos q atendo no meu site que pode estimular algumas reflexões, quem quiser conferir pode acessar:
    http://www.michelliduje.com.br

    Abraço!

  14. Patricia 05/05/2017

    Terapia é uma questão de sobrevivência. Faço a mais de um ano, nunca faltei. Conto os dias para chegar o momento! Incrível o preconceito prevalecer até hoje, com tanta informação! Vivemos num país em que cérebro e emoções estão em segundo plano, infelizmente. Em primeiro lugar estão o material e o prático. Bem, além da terapia também estou indo pelo caminho do budismo, que tráz uma leveza para nossa vida. O coaching têm uma outra perspectiva, mais direta, que também nos ajuda de forma interessante na mudança de visão e comportamentos. Os acompanho pelo you tube… temos tantas facilidades hoje em dia para “acordarmos”, concorda?

  15. Manuela 05/05/2017

    Fiz terapia cognitiva comportamental por quase 1 ano em 2015, pois estava com raiva de tudo e de todos o tempo todo, por problemas com uma pessoa. Buscava me entender melhor e diminuir esse sentimento de raiva constante. Acabei superando traumas que eu nem imaginava ter desde criança. É realmente um presente para si mesmo e para todos ao nosso redor. <3

  16. Camila 05/05/2017

    Estava pensando nisso hoje, quero voltar a fazer, ajuda muito. Onde posso encontrar bons profissionais?

    • Thais Godinho respondeu Camila 10/05/2017

      Por indicação ou busca em sua região.

  17. Ana Paula Torres 05/05/2017

    Parabéns pelo artigo, Thaís!

    Já fiz terapia e tenho muita vontade voltar a fazer.

    Foi no processo terapêutico que consegui perceber mudanças óbvias que precisava fazer na minha vida.
    E isso é um dos aspectos que mais acho interessante: geralmente na terapia nós vamos fazer descobertas óbvias, mas que podem mudar completamente nossa vida.
    Obrigada por compartilhar sua experiência!

  18. Mel 06/05/2017

    Eu comecei a fazer terapia junguiana em novembro do ano passado. Realmente, o terapeuta ouve os meus assuntos e que antes eu falava pra todo mundo. O único ponto é que a minha família ainda vê a terapia com preconceitos. Toda vez que eles tem de lidar com algum defeito meu, ficam me apontando que eu tenho que me tratar e levar isso na terapia. Meu pai até comparou quem faz terapia com as pessoas que se suicidaram na empresa dele (várias todos os anos). Desagradável. As vezes fico pensando, se foi a melhor coisa eu ter dito que faço terapia ou se deveria ter guardado só pra mim.

  19. Thayse 07/05/2017

    Ótimo post!!! Adorei!! Sigo seu blog há um tempo porque adoro suas dicas, acho muito bom mesmo!! Já coloquei várias em prática! Também gosto muito que você sempre fala sobre como devemos nos organizar de acordo com as nossas necessidades, sem nos cobrar demais, sem querer fazer tudo, sem querer agradar o mundo e fazer oq os outros esperaram ou o que estamos acostumados a fazer! Acho maravilhoso a gente parar pra olhar um pouco pra nós mesmos, e vermos oq estamos precisando é como estamos nos sentindo! E isso também é um aprendizado que podemos ter na terapia, o autoconhecimento e o conhecimento da nossa realidade!
    Sou psicóloga e concordo muito com isso! Adorei a sua explicação sobre a terapia! É isso mesmo! Parabéns! Bjs

  20. Debora 08/05/2017

    Fiz terapia há 19 anos pela primeira vez e nunca mais parei de recorrer a ela pontualmente qdo necessario. Sao muitas linhas e cada pessoa se identifica mais com uma. A psicanalise froidiana foi minha primeira e me ajudou muito no auto conhecimento. Nos ultimos 5 anos fui pra linha junguiana e sistemica familiar (constelacao familiar é um metodo fantastico). Ja passei por hipnose pra tratar ansiedade há 3 anos e foi extremamente eficiente, a cura total da ansiedade veio com um metodo chamado MRI. No meio do caminho tb ja teve PNL , q gosto muito e uso até hoje, assim como a hipnose. Investir na cura emocional é o melhor investimento que alguem pode fazer, o resto é consequencia. Meu marido, que está comigo há 12 anos, comparando quem eu era e quem eu sou hoje, fica impressionado com minha mudança. Estou sempre lançando novas versoes de mim e superando meus limites. Eu acredito que quando alguem cura as próprias perebas emocionais afeta positivamente o proprio entorno e ajuda o mundo a ser melhor.

  21. Hélida Trindade 08/05/2017

    Ei, Thais. Eu faço terapia há alguns anos, tem me ajudado bastante, porém o que me entristece é o preconceito vindo de pessoas próxima…

  22. Luciano Silva 11/05/2017

    Thais, este é o meu primeiro comentário e desde já quero que saibas que sou grande fã! haverá muita coisa a partilhar, então agora que quebrei a barreira da timidez 🙂

    Fica só um reparo, porque sei que gostas das coisas bem definidas. no título deverias ter escrito “Porque” e não “por que”(preposição vs conjugação causal). Não precisa publicar, foi só mesmo um pequeno reparo.

    • Thais Godinho respondeu Luciano Silva 23/05/2017

      Obrigada, Luciano! Pode sempre fazer comentários assim se encontrar algo. Como não tenho revisor, às vezes alguma coisa acaba passando.

      Eu inseri um ponto de interrogação, que na verdade era o plano original. 🙂

  23. Texto mais do que maravilhoso! Amei a separação entre espiritualidade, coaching e terapia, vou levar para a vida 🙂

    Tinha ficado encucada com a parte sobre o Hakuna Matata, porque logo me veio à cabeça o pôster que tenho aqui: https://www.365filmes.com.br/collections/quadros-inspirados-no-cinema/products/quadro-hakuna-matata-rei-leao
    Aí fui ver a letra original da música e ela não tem nada sobre esquecer os problemas. É assim: “It means no worries for the rest of your days. It’s our problem-free philosophy. Hakuna Matata!”
    🙂

  24. Janaina 21/05/2017

    Oi
    Comecei a ir ao psicólogo no final de 2016, após um certo tempo de tristeza e angústia, tentando lutar sozinha
    Vi que não conseguia e fui atrás do psicólogo no postinho de saúde mesmo.

    Duas coisas principais a destacar:
    1 Alguem me chamou de louca por eu estar me tratando e respondi: melhor um louco que sabe de sua loucura e está buscando melhora,
    Do que aquele que nem percebe que o é!

    2 Sou evangélica e tinha temor e preconceito sobre a terapia.
    Mas entendi que: Deus pode nos curar através da oração, mas também deixou a medicina, a ciência para que pudessemos

  25. Janaina 21/05/2017

    Recorrer a elas para melhor qualidade de vida😊