Este post foi uma sugestão do leitor Rodrigo Cristiano. Obrigada!

A experiênca produtiva dentro do GTD se baseia em termos controle e perspectiva das coisas na nossa vida.

O que seria controle? Dentro do GTD, aplicar os 5 passos (capturar, esclarecer, organizar, refletir e engajar) em todos os diferentes níveis de comprometimento que você tem.

E o que seria perspectiva? A aplicação vertical. É compreender que você tem diferentes níveis de prioridades: calendário/ações, projetos, áreas de foco e responsabilidade, metas e objetivos, visão e propósito.

Ou seja, para você ter uma experiência produtiva que te dê prazer, a vida pode ser uma construção de equilíbrio entre essas duas frentes.

Nós precisamos dos dois para ficar numa boa. Ter controle faz sua vida andar. Ter perspectiva te faz ter motivação para andar. Então é como se um fosse o motor do barco, enquanto o outro é o leme.

Prazos no calendário, as próximas ações que você precisa executar, os telefonemas que precisa dar, as reuniões, o tempo que passa processando e-mails, a lista de compras, esvaziar a mente, fazer sua revisão semanal… tudo isso ajuda a dar controle. Mas, a partir do momento que você pensa no propósito das suas ações, dos seus projetos, das áreas da sua vida, você está “verticalizando” o GTD. Está elevando a perspectiva.

Quando você percebe que uma única ação não vai concluir o que você precisa fazer, e se pergunta “qual o resultado desejado?”, está elevando a perspectiva para o campo de projetos e objetivos. E perguntar “por que” você está fazendo qualquer coisa vai te dar perspectiva elevada imediatamente. A resposta a essa pergunta é o que traz motivação, porque é isso o que a perspectiva faz.

Mas como se obtém isso? Existe um roteirinho?

Não. “A vida acontece enquanto a gente está ocupado fazendo outros planos” – John Lennon. O que o GTD faz é justamente lidar com tudo isso o que chega na nossa vida de uma maneira holística, a fim de fazer a gente se engajar naquilo que faz mais sentido, é o mais correto, prioritário – ou o nome que você quiser dar à sua escolha consciente naquele momento.

Existe um teste de auto-conhecimento no site do GTD (apenas em inglês por enquanto) que se chama GTD-Q. Você pode fazer com a ajuda do Google Tradutor. A ideia é refazer esse teste de tempos em tempos. Ele mostra se você precisa mais de controle ou mais de perspectiva no momento em que está vivendo.

De modo geral, a própria prática do GTD no dia a dia vai te guiando sobre aquilo que chama mais a sua atenção. Lembre-se: o mais legal do GTD é que você não precisa estar em um estado “ideal” para começar – você pode começar de onde estiver.

7 Comentários

  1. Thais, estou emocionado!!! Muito obrigado por tudo o que compartilha de forma espontânea e gratuita. Você transforma a vida de pessoas…

  2. estou precisando rever e fortalecer o meu leme… no dia-a-dia fico tão focada em fazer as atividades com prazo da faculdade, que exigem bastante tempo tempo e são passadas em cada aula para a semana seguinte, e assim consecutivamente, que perco a motivação/esqueço o motivo que me faz estar ali. e às vezes me pergunto se esse ritmo frenético da faculdade serve a mim, mesmo…
    ótima postagem! 🙂

    p.s.: sinto falta de uma caixa de busca na versão mobile. não sei se não tem, ou se é no Windows Phone que não aparece. acho que ela se encaixaria perfeitamente no menu expansivo lateral…

  3. Oi, Thaís, estava pensando aqui, você ensina o GTD para o seu filho? Você recomenda que as crianças já passem a vivenciar isso pra que se tornem adultos organizados com mais facilidade?

DEIXE UMA RESPOSTA