ou

Ontem eu postei uma foto no Instagram com uma legenda que levantava uma questão que acho fundamental: o ritmo de cada um. Como na foto as pessoas pensaram que eu estava me referindo a horários de trabalho (o que também pode ser, mas não é o ponto), resolvi explorar mais a ideia aqui.

Quero dizer que cada pessoa tem um ritmo. Vou falar um pouco sobre o meu.

Eu sou uma pessoa que gosta de fazer as coisas com significado. Mente plena. Atenção apropriada. Não gosto de coisas de última hora, mal feitas, desorganizadas, urgentes, porque sei que elas tiram a minha atenção apropriada e não é necessário que sejam feitas assim. Poderiam ter sido melhor planejadas em 99% das vezes. Portanto, acredito que todos possam se beneficiar da organização. É um ato de respeito com você, sua família, seus colegas de trabalho, cientes e todos que são impactados pelos seus atos.

Nem todo mundo trabalha o dia inteiro com a caixa de entrada dos e-mails aberta, respondendo cada mensagem que chega como se fosse um rebate do jogo de tênis. Nem todo mundo gosta de ficar o tempo inteiro batucando teclado. Nem todo mundo verifica o What’s App a cada três minutos. Nem todo mundo acompanha todas as atualizações e mensagens do Facebook diariamente.

Meu trabalho não se resume a isso. Eu sou escritora, e preciso de tempos de concentração, distração e descanso. Prefiro tornar todos os meus dias calmos, porém com atividades coerentes com a minha vida, que trabalhar de maneira insana de segunda a sexta e desmaiar no sofá durante o final de semana inteiro. Não é um “modo certo” de viver – é como eu vivo. Se existe um modo certo de viver, do meu ponto de vista, é aquele que você construiu para si.

Para mim, é importante ficar longe do computador muitas vezes, por exemplo. Minha criatividade (que é fundamental para o meu trabalho) depende disso. É muito comum eu escolher dedicar um ou dois dias, ou mais, para me concentrar em outra coisa. Meu trabalho (minha saúde, minha sanidade mental) depende de momentos como um passeio aleatório pela livraria ou regar as plantas no meio da tarde. Aí coloco uma resposta automática no meu e-mail, se ficar muito tempo fora, porque as pessoas precisam de um retorno. Eu respeito quem faz esse contato.

Também é muito comum eu não responder um e-mail no minuto em que ele entra na minha caixa de entrada, porque eu o acesso com uma determinada frequência. Eu tenho muitas atividades na vida que gosto muito de fazer, mas elas me tomam bastante tempo. Se eu não for rígida com o que for prioridade para mim, minha vida vai ficar extremamente tumultuada. E eu já fui assim. Não quero mais.

É extremamente comum eu ser convidada a participar de muitas, muitas atividades. Eventos, parcerias, cursos, reuniões, viagens. E isso tudo é muito maravilhoso e importante, mas eu tenho outras coisas importantes na minha vida também – meu filho, minha saúde, minha escrita. Coisas que são prioridades. E definir prioridades é ter que dizer muito “não”. Quando alguém não aceita um “não” meu, ficando desapontado(a) ou irritado(a), eu fico me perguntando que mundo é esse que as pessoas simplesmente não aceitam que existem ritmos diferentes de se levar a vida.

Para mim, é muito gratificante poder, em uma segunda-feira de manhã, acordar mais tarde, porque fiquei escrevendo no domingo de noite. Ou adiantar alguns e-mails no domingo, se isso me fizer ganhar horas na segunda-feira. Ou ir ao cinema na quarta-feira à tarde. “Mas Thais, a grande maioria das pessoas não pode”. Isso significa que eu não posso? Eu também não podia até alguns anos atrás, e fui construindo (ainda estou) um estilo de vida que me permitisse viver assim. E nem estou dizendo que é o certo. É o certo para mim, hoje. Posso mudar.

Quando eu falo que cada pessoa vive em um fuso horário diferente, estou me referindo ao tempo, ao ritmo de cada um. Eu gosto de sentar no Starbucks da Av. Paulista e ficar vendo as pessoas passarem, enquanto ouço música no celular. Eu não gosto de correria. Mas eu também sei aproveitar o meu tempo de trabalho – e sei que, muitas vezes, o que fazemos em 8 horas pode ser feito em 3 ou 4. Por eu saber aproveitar o meu tempo, consigo criar espaço na minha vida para tudo aquilo que considero importante.

Foi o que me permitiu, ontem à tarde, terminar uma sessão de coaching e ir passear com a minha cachorrinha. Voltei e continuei trabalhando. É o que me deixa super ok para estudar uma apostila de curso de noite, se meu marido estiver assistindo um jogo de futebol. Ou que me atenta ir dormir mais cedo ou mais tarde em alguns dias, porque depende do que quero fazer mais (dormir ou fazer algo). Eu só aproveito o meu tempo.

Aprendi, com os anos, e cada vez mais venho exercitando, a importância de alternar períodos de relaxamento com períodos de esforço. Já falei sobre isso aqui no blog (leia o post – é importante). É acordar 15 minutos mais cedo só para poder tomar o café-da-manhã devagar. Beber um chá.

Por favor, pare de correr em direção a uma estafa mental. Aproveite o dia. Sei que nem todo mundo vai mudar isso do dia para a noite, mas inicie nessa direção. Se todos iniciarmos, mudaremos o mundo que nossos filhos irão viver. Tudo a seu tempo, e cada um ao seu.

Thais Godinho
14/03/2017
Veja mais sobre:
37
Em que fuso horário você está?
Faça as pazes com sua vida pessoal e profissional
Seus objetivos conversam entre si?

 

  1. ana soares 14/03/2017

    Aquilo que conversávamos! <3 To tão feliz!

  2. Adriana 14/03/2017

    Thais, estou nesse momento de vida também. Criei condições para morar mais perto do trabalho e agora vou a pé, faço o meu pilates e já estou dormindo uma hora a menos pois não tenho mais a estafa que tinha. 12 anos gastando 4 horas de condução custaram minha saúde, um problema na coluna, uma inflamação na tireóide e nervos sempre à flor da pele. Também não quero mais voltar a ter uma vida tumultuada como a que tive.
    Antes, achava que era super guerreira por ter muitas condições adversas pra enfrentar mas hoje penso diferente. Não serei menos guerreira por estar morando perto do meu trabalho.
    Adorei esse post de hoje.

    • Thais Godinho respondeu Adriana 14/03/2017

      Isso mesmo. Muito obrigada por compartilhar. Você é um exemplo de como fazer as coisas acontecerem.

  3. Renata 14/03/2017

    Que inspirador, sem palavras para expressar. #gratidao

  4. Bruno 14/03/2017

    Thaís, que texto bacana!

    Gosto quando relata sobre seu processo de transformação. Quando fala sobre as dificuldades que teve e como foi conquistando a vida que tem hoje.

    “Se todos iniciarmos, mudaremos o mundo que nossos filhos irão viver. Tudo a seu tempo, e cada um ao seu.”

    Sim. É fundamental discutirmos e aprendermos uns com os outros como a transição pode ser feita. A realidade da maioria das profissões ainda é de 9 horas, no mínimo, dedicadas para o trabalho ou ao ambiente de trabalho (8 horas + 1 de almoço).

    Como podemos mudar o ritmo estando “presos” nesse contexto? Como iniciar essa transformação para construir um mundo novo para nossos filhos?

    “cada pessoa vive em um fuso horário diferente, estou me referindo ao tempo, ao ritmo de cada um.”

    “Eu também não podia até alguns anos atrás, e fui construindo (ainda estou) um estilo de vida que me permitisse viver assim. ”

    Adoraria ler, conversar e aprender mais sobre essa construção que falou. Acho que é o ponto central. Saber que é um processo. Saber que essa soberania é conquistada. Entender maneiras de começar mesmo num ambiente complicado.

    Valeu!

    • Thais Godinho respondeu Bruno 15/03/2017

      Eu procuro fazer isso através dos posts e conteúdos diversos que posto diariamente. A intenção é mostrar como faço e recomendo. É um conjunto de coisas, um modo de vida, que tento expressar através do que eu faço. 😉

  5. Leonardo 14/03/2017

    Olá Thais!
    Concordo totalmente com você. Ter uma vida organizada nos permite viver a vida da forma que acharmos melhor, sem se sentir culpado se, por exemplo, resolvermos ter um momento só para nós mesmos ou para curtir com a família.
    Esse movimento que comentei no último post sobre Slow Living tem muito a ver com essa filosofia de vida.
    Zeca Pagodinho que me perdõe mas, melhor que deixar a vida me levar é ter a consciência de que está vivendo.
    Carpe Diem!

  6. Deborah 14/03/2017

    Uau… Tudo que eu precisava ler nesse momento.
    Texto valioso.
    Obrigada

  7. Carla Lorena Maia 14/03/2017

    Ótimo texto!

  8. Adriana Oliveira 14/03/2017

    Thaís,

    Muito obrigada por esta valiosa contribuição para a qualidade de vida. Seu trabalho faz a diferença na vida dos seus seguidores, pode ter certeza disso.
    Por traz destas “letrinhas” existem pessoas afoitas pela plenitude que a organização e propósito podem proporcionar.
    Muita luz no seu caminho.

  9. AnaLu 14/03/2017

    Que post incrível… a minha rotina está me agradando e me fazendo muito bem:

    – Acordo às 05:30h
    – Faço uns 20 minutos de Yoga (canal da Pri Leite no Youtube)
    – Medito 10 minutos
    – Faço meu suco verde e tomo com calma
    – Tomo banho e arrumo para ir para o serviço.
    – Saio de casa às 07:20h para pegar às 08h
    – Durante o dia de trabalho (serviço público), consigo fazer algumas coisas pra mim, como ler um livro, estudar pra faculdade, estudar para concurso, ler blogs e assuntos que me interessam. (Confesso que isso super facilita)
    – Chego em casa por volta de 18h
    – Vou pra faculdade 18:30h
    – Chego em casa 22:45h (Hora de tomar um banho e preparar pra dormir… até no máximo 23:30h)

    Com a faculdade, não consigo ter a rotina ideal pra noite (Yoga, Atividade física, um curso de costura, aula de dança… ), mas formo esse ano e já tenho vários planos pra 2018. 😀

    Dessa forma, tenho que fazer atividade física sábado e domingo e às quintas quando saio mais cedo da aula (Corda + Corrida)… para que o corpo se mantenha em forma e principalmente saudável, utilizo escadas no lugar do elevador, cuido da alimentação e tomo bastante água…

  10. MAÍRA ROSA CARNEVALLE 14/03/2017

    Estou nesse caminho faz pelo menos uns 5 anos. Hoje tenho orgulho de poder fazer algumas coisas que antes eram impraticáveis. Obrigada por fazer parte dele.

  11. livia 14/03/2017

    seus posts e suas ideias tem muito impacto sobre mim e sobre o trabalho que quero desenvolver e a profissional que quero me tornar. Obrigada por mais um momento de reflexao!!!

  12. Viviane 14/03/2017

    Amei o Texto!! Me identifiquei nesta nova etapa da minha vida.. Obrigada Thaís.

  13. Hugo 14/03/2017

    Muito bom, Thais! Se eu te encontrar na Starbucks da Av. Paulista, vou querer perguntar um monte de coisas sobre GTD, viu? Por favor não diga não! haha

    • Thais Godinho respondeu Hugo 14/03/2017

      hahaha fique à vontade!

  14. TAÍS 14/03/2017

    Thaís, obrigada por compartilhar textos tão inspiradores como este. Você faz muita diferença na minha vida. <3

  15. Nivea 14/03/2017

    Que bom ler isso. Trabalho em casa e me sinto culpada por poder dar uma paradinha de vez em quando. Ou por não “enfrentar” trânsito. Mas o que eu não me dei conta é que eu POSSO trabalhar em casa, pois tenho capacitação para isso. Ganho pouco, mas tem gente que ganha menos tendo de ir para o trabalho. Preciso passar a me considerar um pouco sortuda por isso…

  16. Jess 14/03/2017

    maravilhoso Thais!
    isso é tão difícil. Mas precisamos exercitar. No fim é aquilo, é tudo sobre viver com um propósito.

  17. Glau 14/03/2017

    Uma vida e um trabalho cheios de significado, atitudes conscientes e coerentes com o nosso modo de vida! Exatamente o que quero para mim. Sempre soube que era isso que queria, mas pensava que era uma busca… Lendo seu texto, refleti bastante, você tem toda razão, Thais, não é uma busca é uma construção… Sempre esperei esse modelo vir assim, prontinho pra mim no meu colo…eu é que tenho que ir atrás dele. Obrigada, Thais, por me proporcionar essa mudança de pensamento e, agora, atitude!

    • Thais Godinho respondeu Glau 14/03/2017

      Eu que agradeço seu comentário.

  18. Kamila Walter 14/03/2017

    Precisei ter duas crises por estresse, uma resultando em espinhas pelo rosto inteiro e outra resultando em ansiedade e alguns ataques de pânico, pra perceber que cada um tem seu ritmo e que quero uma vida produtiva, não ocupada e apagando incêndios meus e dos outros. Estou começando a levar a sério a organização e devo isso em grande parte a você, Thais, que sempre me mostrou através dos posts que esse é o caminho, mas que eu demorei tanto a seguir. Agora, várias pessoas estão me ajudando, mas você deu o ponta pé inicial. Muito obrigada! E à pessoas que estão à beira de um colapso apenas PAREM, RESPIREM e DESACELEREM! Ouçam a voz da pessoa que com 25 anos já levou umas da vida que não precisava ter levado se não quisesse abraçar o mundo com as pernas! Boa noite! Beijos

    • Thais Godinho respondeu Kamila Walter 15/03/2017

      Muito amor esse comentário <3 Obrigada.

  19. Alice 15/03/2017

    Nossa, obrigada por esse post Thais!! Estava precisando ler isso!
    Anteontem consegui terminar as tarefas mais importantes do dia tão cedo, que quis passar o aspirador de po na casa no inicio da tarde. Acabei tendo uma discussão com meu namorado, que não foi capaz de entender que é possivel, sim, parar numa segunda-feira à tarde para uma tarefa doméstica, se as tarefas de trabalho que eu programei para o dia ja foram finalizadas cedo!

  20. Jucy 15/03/2017

    Há 3 anos estou em um trabalho que detesto… Primeiro entrei por necessidade, depois fiquei por comodismo, depois por desculpas que invento, e agora não sei o que fazer quando sair daqui.
    Sou formada em Letras e não sei mais fazer outra coisa além de ser simpática com clientes e fazer agendamentos (sou secretária).
    Antes eu ainda tinha uma lista de metas, que me impulsionavam a prosseguir…
    Agora nem isso…
    Preciso dessa paz e equilíbrio que você encontrou.
    Sugestões? (risos!)

    • Thais Godinho respondeu Jucy 15/03/2017

      GTD.

  21. Alessandra 15/03/2017

    Admiro muito você! Excelente texto. Me faz pensar no quanto nao podemos viver só pensando no fds. Temos que trazer qualidade de vida para o dia a dia.

  22. Liliana 15/03/2017

    Thaís, te sigo há anos, tenho seus livros, sou leitora assídua do blog e, para mim, esse foi o melhor post de todos! Amei demais! Agora só preciso de coragem para colocar em prática! Obrigada, de coração, por compartilhar tanta sabedoria conosco! Bjo.

    • Thais Godinho respondeu Liliana 15/03/2017

      Eu que agradeço!

  23. Silvia 15/03/2017

    Que texto lindo! <3

  24. Ambressa 17/03/2017

    Comecei a ler seu blog em 2012, quando me casei. Agora quero ter filhos e percebo como preciso desse autoconhecimento para me organizar. Passei anos tentando viver no ritmo que eu queria ter, mas você me abriu os olhos. Para estabelecer uma rotina e fazer planos, preciso sentir o meu ritmo. Obrigada por mais essa lição <3

  25. […] Em que fuso horário você está? ~ Vida Organizada […]

  26. Natália 23/03/2017

    Thais, obrigada por esse texto ! <3 Estou passando por esse processo de transformação, de aprendizado para respeitar o meu próprio ritmo e minhas prioridades. Penso que é um aprendizado sobre assumir suas próprias escolhas também. Tem dias melhores, outros nem tanto, em que sinto uma certa pressão para estar "fazendo mais". Mas só esse respeito com meu próprio ritmo e identificar minhas próprias prioridades tem feito do meu cotidiano muito mais pleno. Esse texto foi uma delícia de ler, agradeço por você se dedicar tanto ao blog !

    • Thais Godinho respondeu Natália 24/03/2017

      Agradeço por compartilhar esse comentário.

  27. Gilze Oliveira 02/04/2017

    nossa Thaís, adorei! Falou o q quero falar p muita gente! Queria q todos lessem este post. Quando eu crescer quero ser igual a vc. Rsrsrs Bjos