Este post faz parte de uma série que explicará como conciliar os dois métodos.

FLY Lady é um método de cuidados com a casa – clique aqui para saber mais.
GTD é um método de produtividade – clique aqui para saber mais.

A FLY Lady recomenda dividir a casa por zonas (áreas), a fim de cuidar de todo o trabalho que deve ser feito em cada uma delas. Algumas pessoas sempre se incomodam quando eu posto o termo “zona”, pois dizem que faz alusão a bagunça, mas isso é uma gíria. O significado real da palavra é:

Então, continuarei usando o termo original do método. Se você se sentir incomodado(a) com essa palavra, leia “área” sempre que eu escrever “zona”.

Cada semana terá o foco em uma zona da casa. Não se preocupe se você tiver mais de 5 zonas em sua casa (no geral, todo mundo tem mesmo). A ideia é adaptar à sua casa, sempre seguindo a linha de raciocínio da FLY Lady, para aproveitar as dicas. As zonas oficiais são:

Zona 1: Entrada, porta da frente e sala de jantar
Zona 2: Cozinha, despensa, área de serviço
Zona 3: Banheiro principal e um quarto extra
Zona 4: Quarto principal, closet, banheiro
Zona 5: Sala de estar

Aqui em casa, personalizei as zonas da semana de acordo com os cômodos e necessidades que temos e criei uma checklist no Todoist para ter como referência:

A cada semana, você vai focando nessas zonas, o que significa que pelo menos uma vez por mês você dará uma atenção especial a cada uma delas. Então, em alguns meses, sua casa se transformará. É fato! Confie no processo.

Para começar, você deve dedicar 15 minutos todos os dias destralhando a zona da semana. Por exemplo, se estivermos na semana 4 do mês, você destralhará o que tem na zona 4. Depois que esse destralhamento virar um hábito, você pode começar a incorporar as missões, que já falei em um post anterior. Uma vez que você tenha terminado de destralhar, você deve acessar as listas detalhadas de limpeza de cada zona – um conceito que vamos ver em um post mais para a frente.

Para se lembrar de destralhar todos os dias, você pode criar um lembrete com recorrência diária no seu calendário, por exemplo. Quando isso virar hábito, você pode tirar.

Destralhar a casa pode virar um projeto, se isso fizer sentido para você. Particularmente, eu acho que a gente nunca termina de destralhar a casa, porque nossos gostos mudam, nossas necessidades mudam. Mas, se você quiser, pode ser uma maneira legal de estabelecer um ponto final nesse destralhamento, para acompanhar semanalmente em sua lista de Projetos.

Você está gostando dessa série? Por favor, deixe um comentário!

COMPARTILHAR
Artigo anteriorFLY Lady e GTD: Missões
Próximo artigoTempo de renovação
Meu nome é Thais Godinho e sou organizadora profissional, o que significa que ajudo as pessoas a se organizarem quando elas precisam de uma forcinha para isso. A maneira que encontrei para ajudar foi criando este blog, ministrando cursos e realizando outros eventos.

24 Comentários

  1. Estou gostando muito dessa série e espero que me ajude a ser mais organizada principalmente agora porque estou precisando muito de ajuda.

  2. Olá Thais,
    Sim, estou gostando desta série de posts. Já andava curiosa com o sistema Fly Lady e o momento atual é perfeito.
    Beijos, obrigada!

  3. Oi, Thaís! Estou gostando muito da série, e por conta dela resolvi implementar o método aqui em casa. Percebi que minha tralha não fica exposta, sabe? Minha casa é até arrumadinha, mas a tralha fica sim dentro de gavetas e armários. Nos 15 minutos de destralhe devo me dedicar ao que há nos móveis então? Muito grata!

  4. Estou adorando essa série, sempre tentei implementar os dois sistemas juntos e me “embananava” em alguns dias

  5. Estou me preparando pra implementar o sistema FlyLady aqui em casa, lendo o site original e tentando entender melhor como começar e continuar. Tenho certeza que sua série vai ajudar demais! Obrigada, Thais!

  6. Olá Thais, como organizar a primeira semana do mês e a ultima que em geral são curtas? Obrigada pelas dicas!

    • Da mesma maneira: fazendo as missões e destralhando, não importa se for apenas um dia na semana para a zona em questão. Por isso mesmo as zonas 1 e 5 geralmente não são as mais “importantes” de limpar como banheiro e cozinha.

  7. Thais, quero muito incorporar o método fly lady na minha rotina. Não tenho mais diarista porque sempre acho que poderiam ter feito melhor… enfim, conciliar todas as atividades mais a limpeza da casa não é fácil ,mas vejo que com esse método é possível e menos cansativo que fazer tudo de uma vez só! No aguardo dos próximos posts!

  8. Estou amando, vim aqui só para te dizer isso, pois recebo os feeds no meu e-mail. Obrigada, que o Deus te retribua em dobro. beijos

  9. Está ótima essa série! Nunca consegui implementar direito o método FlyLady em casa . Acho que agora, explicitando a adaptação com GTD, vai ficar mais fácil. Obrigada! :*

  10. Estou adorando!! Agora q estou meio período em casa quero botar o fly lady em ação para depois, quando ficar fora em período integral, só manter a rotina, mas os hábitos já estarão incorporados. Veio em ótima hora!

  11. Assim como a Tatiane, já tentei usar os dois sistemas sem sucesso. Estou gostando muito da série! Beijos!

  12. Estou amando. Comecei a receber os emails do grupo flybabies, mas ainda não consegui me organizar direito. Seus posts vieram em boa hora.

DEIXE UMA RESPOSTA