O primeiro passo da organização, segundo o método do Vida Organizada, é destralhar. Destralhar significa tirar da sua vida aquilo que não faz mais sentido para você, mantendo o que tem significado. É um exercício constante de reavaliar pensamentos, sentimentos, atividades, projetos e até mesmo situações.

Faz parte desse Planejamento 2017, então, a gente parar para pensar um pouco na vida e ser honesto consigo mesmo sobre o que vale a pena ir com a gente para 2017 e o que vale a pena deixar para trás em 2016.

oquedeixarem2016

É claro que algumas coisas não podem ser simplesmente abandonadas. Leva tempo para a gente se desfazer. Mas a ideia aqui é justamente identificar e dar o primeiro passo. Ter uma vida organizada significa levar uma vida coerente com os seus valores, com o seu propósito, de modo que eles se reflitam em tudo o que você faz. E, aquilo que não tem nada a ver, pode ser interessante a gente reavaliar e ver se vale a pena manter.

Quando a gente fala em se planejar, é comum travar quando para para pensar “no que eu quero para o ano que vem”. Muitas vezes, o caminho inverso – pensar no que eu não quero – pode ser mais fácil, porque a repulsa é mais fácil de identificar.

Pare então e pense nos seus últimos meses, tanto em nível pessoal quanto profissional.

  • O que você não aguenta mais?
  • Qual é o maior problema da sua vida atualmente?
  • O que tem te causado mais preocupação?
  • Que pessoas você não quer mais que façam parte da sua vida?
  • Que problemas de saúde você não quer mais ter?
  • Que problemas em casa você não aguenta mais?
  • Que problemas no trabalho você não consegue mais suportar?
  • Que projetos não fazem mais sentido?
  • Que processos na sua rotina poderiam ser melhorados?

Tem situações que realmente já deram o que tinham que dar, mas mesmo assim você as suporta, ou carrega, durante ANOS, sem dar o primeiro passo para a mudança. Pode ajudar passar as respostas das perguntas acima para o papel, porque escrever ajuda a refletir. E, com esse papel, analise item a item, perguntando o que seria necessário para tirar aquilo da sua mente. O que você efetivamente pode fazer? Qual sua próxima ação?

Alguns exemplos: projetos que não têm mais nada a ver, sobrecarga no trabalho, abuso moral e físico, desânimo, casa cheia de tralha, amizades duvidosas, saúde se deteriorando, dívidas, problemas de sempre. Nada disso desaparece por acaso. Você precisa ter um plano de ação, e o primeiro é identificá-los.

Muita coisa você pode simplesmente fazer imediatamente. Uma amizade que não te faz bem pode simplesmente significar cortar relações com a pessoa. Uma mudança de emprego, no entanto, é algo um pouco mais complexo, mas você precisa começar de algum lugar. Defina a primeira coisa, o primeiro passo, e execute-o. Depois, defina outro passo. E assim vai. O que não dá é para ficar parado(a), esperando se resolver, adiando sua felicidade.

Se você tiver sentimentos que pretende deixar em 2016, pergunte-se o que é suficiente para fazer você deixá-los para trás efetivamente. E deixe que eles fiquem mesmo para trás. Você não precisa pensar duas vezes em uma mesma coisa, a não ser que você goste de pensar naquilo. Existe uma máxima budista que diz: se um problema tem solução, então não precisa se preocupar; se não tem, não precisa se preocupar também (apenas busque a solução).

Pare de adiar a sua felicidade. A organização serve justamente para termos mais qualidade de vida, e a qualidade de vida depende essencialmente da qualidade que você atribui a ela. Não é algo que acontece por acaso. Destralhe sua vida, sua casa, suas contas, seus projetos. Mantenha aquilo que faz sentido, que te deixa feliz, que te dá o sentimento de que a sua vida está seguindo adiante, para onde você quer.

“Ah, mas não é tão simples”. Algumas coisas são, outras não. Mas você precisa começar.

Deixe em 2016 o que “já deu”. 2017 é um novo ano. Aproveite esses últimos dois meses para deixar para trás aquilo que definitivamente não precisa mais estar com você.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorO que eu preciso ter para me planejar?
Próximo artigoO que eu aprendi em 2016?
Meu nome é Thais Godinho e sou organizadora profissional, o que significa que ajudo as pessoas a se organizarem quando elas precisam de uma forcinha para isso. A maneira que encontrei para ajudar foi criando este blog, ministrando cursos e realizando outros eventos.

27 Comentários

  1. Acredito que subestimamos muito não só essas perguntas, mas também as respostas. Segui o roteiro de perguntas e muito do que quero e não quero já começou a esclarecer de um modo surpreendente. É aquela velha história, não se planeja sem saber o que se quer (e o que não se quer).

    Acompanhando.

    Beijos

  2. Um daqueles posts que vem pra vida exatamente quando a gente precisa.
    Obrigada por (sempre) ajudar colocar a bagunça sob uma perspectiva de mudança. Tava precisando. E já recomendei pros amigos!

  3. Achei demais o roteiro. Parece que tudo se clareou na minha mente. Pensar no que eu não quero, para 2017, me deixou focado e mais otimista com meu planejamento de 2017.

  4. Oi, Thais! Embarquei na “maratona” de renovação para 2017, e estou curtindo muito as postagens. Esta então está perfeita pra mim, porque é verdade, é mais fácil pensar no que não quero, nas coisas (e pessoas) que sinto que estão me puxando para trás de alguma forma. Destralhar coisas é mais simples, mas pessoas, relacionamentos e por que não, trabalho, dão muito mais trabalho…
    Amei a postagem, e fico aguardando ansiosamente pelas próximas!
    Ah, e aproveitando, comecei a ler “Casa Organizada” e estou adorando!!

  5. Thais,

    Maravilhoso post!
    Gostei da ideia de mudar o foco e pensarmos no que não queremos para o próximo ano. Eu nunca havia pensado dessa forma. A repulsa é realmente muito mais fácil de identificar.
    As dicas de perguntas também serão muito úteis para mim.

    “Mantenha aquilo que faz sentido, que te deixa feliz, que te dá o sentimento de que a sua vida está seguindo adiante, para onde você quer.”
    Você fechou o texto com chave de ouro!

    Abraços,

  6. Obrigado Thais, conteúdo muito bom, este conceito de destralhar é sempre ótimo para aplicarmos no nosso dia-a-dia.

  7. Melhor visão de como fazer a lista para 2017, vendo o q não quero mais de 2016!! Perfeito! Pq nunca pensei assim??? Obrigada mais uma vez Thais!!!! 🙂

  8. Adorei! Amo suas reflexões, já respondi as perguntas e estou aqui fazendo o meu planejamento pessoal para este restinho de ano e para 2017.

  9. Thaís, você fez um post simples, prático e objetivo. Veio muito ao encontro do que eu e outras pessoas precisam neste final de um ano tão intenso. Obrigada pelo seu trabalho, que ajuda muito! Beijos.

  10. Thais como sempre você nos motiva, esse seu texto é maravilhoso, depois que conheci seu blog e comecei a destralhar muitas coisas aconteceram em minha vida, muito obrigada! Que você continue sendo essa pessoa iluminada! Muito Sucesso!

  11. Oi Thaís,
    Acompanho seu blog desde os 16 anos e agora farei 22 🙂 Muito tempo! Como você mudou em muitos aspectos e que bacana essa mudança sua! Foi muito bom ver o blog se profissionalizar, ver você crescer e mergulhar profundamente no ramo da organização. Gostava de blogs e blogs mas os superficiais, etc a gente passa um tempo e esquece, mas o seu, por ter CONTEÚDO DE VERDADE, me prendeu e estou aqui e continuarei aos 25.. 28.. 30… =)

    Achei bacanérrima a ideia de se perguntar o que você quer deixar para trás ao invés de nos perguntar o que queremos. É realista, simples e muito mais fácil fazer da forma que vc sugeriu. Estou escrevendo um diário (as pessoas acham bobo, mas me sinto ótima fazendo isso) e essas questões com certeza vão parar lá e me fzer refletir bastante.

    Continue melhorando sempre. Um dia terei um autografo teu no meu livro 🙂 Bjs

  12. Q conteúdo mais nutritivo pra alma!!!

    Me propus a responder uma pergunta dessas por dia, a partir do dia 24/11 que é o dia de ação de graças e próxima ao tempo do advento, acho que será edificante. Grata Thais.

  13. Adorei! Parei, coloquei tudo no papel e já estou em ação, como sempre, seus posts me ajudam muito. Obrigada Thais!

  14. Um ótimo texto, já li umas 4vezes e anotei as perguntas para refletir…veio num momento em que tenho que tomar decisões no trabalho importantes, pensar na mudança interna a princípio e depois mudar em definitivo. Levá tempo, mas é um bom começo. Obrigada

DEIXE UMA RESPOSTA