Muitos leitores me pedem para falar sobre assunto porque não estamos passando por um momento muito bom em nosso país. Pessoas são demitidas, outras, que empreendem, estão sentindo os efeitos do desaquecimento, e todo mundo, quando isso acontece, resolve repensar as finanças. Por isso, eu quis escrever este post com algumas ideias que podem ajudar pelo menos um pouco neste momento.

dinheiro-financas

Se voce estiver com dificuldades financeiras, a primeira coisa a se fazer é ter compaixão por tudo o que você já conquistou e não se culpar. Sei que é difícil. Porém, pense sempre do hoje para a frente. Para se de se lamentar pelo que foi ou pelo que não foi.

A crise pode ser culpa da economia externa, da economia interna, mas é um acontecimento. Não adianta lamentar. Infelizmente, temos que lidar com a situação. Quanto mais honesto você for consigo mesmo sobre a sua situação financeira, melhores ferramentas você terá para tomar decisões.

Avalie todas as suas despesas e veja onde estão os excessos. Corte-os de imediato. Tudo aquilo que puder esperar, incube. Mantenha o que for realmente essencial. O mesmo vale para a sua empresa. O que mantém a sua empresa funcionando? Quais são os projetos e pessoas essenciais nesse momento? Eu sei que esse passo é difícil porque você vai perceber cortes que já deveriam ter sido feito há muito tempo. Projetos que nem deveria ter começado, investindo tempo ou dinheiro. Fica como aprendizado.

Agora, esteja certo de que os cortes que você esteja fazendo sejam inteligentes. Não mande embora o vendedor que ganha mais, sendo que ele é quem traz os principais clientes. Não mude de casa para pagar um aluguel mais barato em uma casa menor, sendo que você trabalha em casa e precisa do espaço para trabalhar direito.

Se você tem dívidas, tente renegociá-las. O lado bom é que todas as empresas de crédito e bancos devem estar preparadas para isso nesse momento. Então, se você ligar e dizer que simplesmente não tem mais como pagar, certamente eles farão uma contra oferta de renegociação. Qualquer dívida que você conseguir renegociar é um ganho. Não acumule dívidas nem faça novas.

Mude a sua maneira de ver seu trabalho. Se você está desempregado, revise seu currículo e sua trajetória profissional como um todo. O que mais você poderia fazer? Que outras áreas poderia investir? Será que você conseguiria prestar serviços para as pessoas para aumentar a sua renda atual?

Se você é empresário, pode ser que tenha colocado algumas coisas no piloto automático. Avalie seus serviços e produtos como um todo para buscar inovações e novos nichos e posicionamentos de mercado. Volte a se aproximar dos seus clientes. Entre em contato, converse. Conheça as necessidades. Será que algum produto ou serviço pode ser adaptado e vender muito bem?

Vender coisas é uma maneira a curto prazo de saldar algumas dívidas e levantar caixa, mas não é sustentável. Avalie se realmente é necessário.

Busque serviços alternativos que você poderia oferecer para sua roda de amigos ou contatos. Pergunte a um amigo o que ele pagaria hoje para ter e melhorar sua vida, e as respostas serão surpreendentes. Se de algum modo você puder ajudar, por que não? Tem pessoas tão ocupadas que precisam de quem passeie com seus cachorros ou simplesmente lave as roupas. Oferecer ajuda sempre ajuda.

Boa sorte. <3

COMPARTILHAR
Artigo anteriorReflexões sobre o meu trabalho atual
Próximo artigoPlaneje seus deslocamentos

Meu nome é Thais Godinho e meu guarda-chuva profissional engloba três temas: produtividade, organização pessoal e criatividade. As formas de operacionalizar esse trabalho que eu amo são essas: escrevendo no blog, publicando livros, estudando, ministrando cursos e fazendo atendimentos individuais, ajudando as pessoas a se organizarem. Você pode acompanhar minha trajetória pessoal e profissional neste blog, que existe desde 2006.

20 Comentários

  1. Sou fã do seu blog, e considero este assunto muito pertinente, principalmente neste atual momento, pois mesmo quem não está com dificuldades financeiras deve repensar sobre como administrar seu dinheiro, já que nunca sabemos o dia de amanhã. O importante é ter metas bem claras e ir avançando um passo de cada vez, sem se lamentar com o passado, apenas aprender com as experiências.

    No nosso blog estamos fazendo uma série de posts sobre como ter uma vida financeira saudável, controles de gastos, dicas de economia, etc.
    https://tipsandgoodvibes.wordpress.com/category/lar-doce-lar/

    Abraços!

  2. As dicas são excelentes.
    Realmente não está fácil para ninguém, mas não resolve ter desespero. É preciso paciência e perseverança para enfrentar esse momento de cabeça erguida. E quando dias melhores chegarem, acredito que iremos colher os frutos de tudo que foi repensado, priorizado e focado.
    Perseverança, é o meu mantra do momento.

    • Que legal, Jess! Concordo com você: no futuro, será bom ter passado por essa tempestade.
      Thais, excelente post, como de hábito! Obrigada!!!

  3. Há cerca de 5 anos, atravessamos em Portugal uma crise financeira enorme, precisamente na altura que abri a minha empresa de arquitetura. Foram tempos muito difíceis, acabei por fechar e fiquei 2 anos desempregada. Tive de alterar muito a minha forma de viver, mas consegui ultrapassar. Mudei de profissão, trabalho em casa por minha conta e olho para trás com muito orgulho por ter ultrapassado essa fase tão dificil, sem nunca deixar de pagar as minhas contas e mantido sempre a cabeça erguida. Com força e foco, tudo se consegue!

  4. Thais que texto super pertinente para o momento! Acompanho a realidade das pequenas empresas do interior do estado e muitas se deixam levar por este discurso de crise financeira, quando na realidade sabemos que basta um pouco de foco, criatividade e persistência para superar estes obstáculos. Muitos empreendedores não conseguem traçar ações de contingências, mesmo que simples para minimizar este cenário que pede uma atitude de ruptura. Parabéns pela sua sensibilidade, em tentar estimular o entusiasmo na busca de soluções também para o empreendedorismo! Grande abraço!

  5. Oi Thais,

    Tirei um ano para não trabalhar e concluir as duas graduações, me programei bastante com os gastos, economizei e investi lá atrás e tenho contado com a ajuda dos meus pais, moro com eles. Devo a você essa organização prévia para lidar com todas as consequencias de um ano sem trabalho.

    Gratidão sempre, abraço!

  6. Bom dia, eu realmente amei o post. Ainda mais esse começo que faz tirar uma barra pesada pra caramba das costas e faz a gente começar a “fazer exercícios” com ela.
    Parabéns, Thais.

  7. Como contribuição, posso dizer :

    Foco no fluxo de caixa, pequenas decisões de gastos que se tornam uma fatura salgada no final do mês.
    Parcele suas compras somente dentro do ano, e pague tudo antes se possivel.
    Não tem dinheiro, e está ganhando dinheiro em renda variavel (vendas, dividendos, ajudas dos familiares) NÃO GASTE A CREDITO.
    Avalie se o que você deseja comprar, vai lhe dar ou tirar dinheiro. (se vai tirar compre o mais em conta, á vista né por favor)
    Se possível compre por atacado(eu aproveito ofertas de itens como desodorantes, creme dental, detergentes, e compro para vários meses) .
    Ponha tudo na ponta do lápis, a matemática não mente, pode haver valores subjetivos, mas considere o lógico e racional.
    Evite superflúos, aprenda a fazer quitutes e sobremesas em casa. O pouco dinheiro que dispor a gastar com seu prazer(voçê merece) valorize-o, exiga bom atendimento, e produto de qualidade e sempre tem uma margem razoável para barganha.(eu escrevi razoavel, não exploração).

    O que puder economizar que não vá diminuir a qualidade da sua vida, faça isso, não importa se é só 1R$, na minha casa tenho a Pig(cofrinho) ela ganha as moedas de 1, 0,50 e 0,25 e cada 90 dias mais ou menos troco no mercado, ganho quase sempre um bonus de 5R$ + o valor das moedas para fazer as compras daquele período.

    Agora tem que fazer, vai se sentir meio deslocado, com medo de lhe chamarem de mão de vaca, de que tem que aproveitar pois não sabe o que vai acontecer amanhã ! E tem que aproveitar mesmo, mas com o dinheiro que é seu ! (Crédito é um dinheiro/direito do outro sobre você) .

    Espero ter contribuido, há 4 anos eu saí do mundo negro das dividas e consumos a créditos. Sei como é ruim, viver assim. Mas o engraçado é algo que percebi, antes quando não tinha dinheiro mas tinha crédito a vontade de gastar era enorme, tudo era motivo para uma “gastadinha” hoje que tem grana, a vontade de gastar é infima, acho que o motivo é que você se torna mais exigente e passa a prezar pela qualidade ! E no Brasil é algo que você tem que peneirar muito para encontrar.

DEIXE UMA RESPOSTA