O que te permite desligar o computador e ir assistir Strange Things sossegado?

O que te permite largar o projeto e abrir uma cerveja?

O que te permite sentar com seu filho na sala e brincar sem se preocupar com os e-mails não respondidos?

O que te permite ir ao cinema na terça-feira à noite?

O que te permite acordar mais tarde na segunda-feira de manhã?

O que te permite ir lá fora brincar com os seus cachorros no meio de uma tarde de quarta-feira?

O que te permite tirar férias?

O que te permite pegar o violão na tarde de domingo sem se preocupar com a segunda?

O que te permite ir regar as plantas no jardim?

O que te permite preparar uma refeição com calma no meio da semana?

fazer-nao-fazer

Você só pode se sentir bem com o você não está fazendo quando você sabe o que não está fazendo. – David Allen

Isso significa que, se você tem seus projetos sob controle, seus prazos – tudo o que você precisa fazer, de alguma maneira, organizado, – você fica tranquilo(a) para deixar tudo isso de lado e fazer algo que não estava “na sua lista” – e geralmente isso é uma coisa criativa, relax, de lazer, inusitada, inesperada, corajosa. Você simplesmente consegue fazer todas essas outras coisas sem se preocupar, sem se culpar, e consegue estar presente naquele momento.

Enquanto essas coisas ocupam espaço na sua mente, te preocupando, porque estão desorganizadas, elas não liberam espaço para você estar presente e despreocupado, curtindo aquilo que realmente importa.

É por isso que vale a pena se organizar. Não para “ser organizado(a)”. Mas para conseguir viver e ser feliz com todas as coisas que não precisam ser organizadas.

O primeiro passo é ter o hábito de tirar as coisas da mente. Anotar em um papel, no computador, gravar – passar para um dispositivo de coleta, enfim. Depois, esclarecer o que aquilo que você coletou significa. Demanda algum tipo de ação? Sim? Eu que devo fazer? Outra pessoa? Se sou eu, tem prazo certo? É rápido, posso fazer agora? É um projeto? Se não demanda, onde posso guardar como referência? Posso querer me lembrar disso no futuro? Depois, preciso revisar com regularidade essas informações para garantir que minhas listas estejam atualizadas, de modo que eu não perca nada. E, no dia a dia, vou executando aquilo que precisa ser feito, sem perder prazos e confiando nas minhas escolhas.

Se você está chegando agora e não sabe do que eu estou falando, esse parágrafo foi um resumo do método GTD, que você pode aprender aqui.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorComo foi: workshop Construa seu estilo e organize seu armário em São Paulo
Próximo artigoLinkagem de domingo

Meu nome é Thais Godinho e meu guarda-chuva profissional engloba três temas: produtividade, organização pessoal e criatividade. As formas de operacionalizar esse trabalho que eu amo são essas: escrevendo no blog, publicando livros, estudando, ministrando cursos e fazendo atendimentos individuais, ajudando as pessoas a se organizarem. Você pode acompanhar minha trajetória pessoal e profissional neste blog, que existe desde 2006.

14 Comentários

  1. Eu odiava o fim de semana pois sempre tinha muita expectativa quanto ao sábado e domingo: achava que faria em dois dias as tarefas que não distribuiíra durante a semana. E quando chegava o domingo a tarde, ao cair do sol, ficava triste e angustiada. Até que há 4 meses, desde abril, eu decidi que o domingo é totalmente livre. Nem me obrigo mais a assistir ao Globo Rural (uma exigência autoimposta por mim mesma). E desde então tenho muita felicidade quanto a isso. O dia fica muito mais alegre.

    • eu tbm fazia isso, chega os meus dias de folga, que de folga não tinha era nada. Era frustrante me matar de fazer as coisas e no fim não ver o serviço render.

  2. Oi, Thais.

    Para mim esse foi um dos textos mais inspiradores para começar a se organizar.

    “É por isso que vale a pena se organizar. Não para “ser organizado(a)”. Mas para conseguir viver e ser feliz com todas as coisas que não precisam ser organizadas.”

    Muito obrigada.

  3. Thais!

    Além de adorar suas publicações eu adorei a fotinho bova –>
    Adorei o new hair!

    Prática para uma pessoa prática e organizada!
    Grande abraço!

  4. Thais!

    Além de adorar suas publicações eu adorei a fotinho nova –>
    Adorei o new hair!

    Prática para uma pessoa prática e organizada!
    Grande abraço!

  5. Olha, o texto fala tudo, seria como um propósito de vida. Imprimir e deixar sempre à vista, para lembramos o pq de trabalharmos tanto.
    Bjs e bom fds!

  6. Thais, é normal ter muitas tarefas em “próximas ações”? Acho que não estou sabendo usar essa lista. Atualmente estou com 32 tarefas nela e me sinto um pouco sobrecarregado.

    • O David diz que as pessoas têm de 50 a 150 em média. O importante é estarem claras e bem gerenciadas, não a quantidade.

  7. Oi Thais,

    Que legal esse post! Gostei muito mesmo.

    Ha alguns anos eu eu era assidua no seu blog, mas eu senti que quando vc comecou a se dedicar 100% ao blog os posts ficaram “grandes demais”. Eu entendo que voce estava dedicada a escrever posts mais completos, mas talvez a sua nova fase do blog nao tivesse me pegado como os posts antigos, entao deixei de vir todos os dias… Claro que foi uma coisa pessoal, mas me sinto meio decepcionada comigo mesmo por nao ter te suportado ou dado feedbacks naquela fase que foi tao importante pra vc. Pelo que tenho visto, vc encontrou o equilibrio no tamanho das postagens de novo. E uma coisa meio boba de dizer ne, mas eh que achamos que nunca temos tempo pra ler “textao”, dai perdemos vamos deixando pra depois…

    Enfim, fico feliz em ver o seu site cheios de posts legais como esse. Sempre que me sinto desfocada, desorganizada, sem rumo, o seu site eh o primeiro que me vem a mente. Gosto muito do seu estilo de escrever e da sua filosofia. Parabens!

    Desejo que voce continue ajudando muitas pessoas a terem uma vida melhor!

    Muito obrigada, Luanna

DEIXE UMA RESPOSTA