ou

Uma dica que costuma sempre funcionar é pegar leve, não se cobrar tanto, não pensar no montão de coisas que se tem para fazer e começar uma a uma.

afogando-atividades

Às vezes estamos doentes, com mal-estar, num astral não muito legal, meio sobrecarregados, com muitas interrupções ou qualquer outro estado que nos deixe com a sensação de baixa produtividade.

Quando isso acontece, o que eu procuro fazer é realmente pegar minhas listas de tudo o que tenho para fazer no dia e ir uma a uma, sem olhar o montante. Começo pela primeira e vou, uma a uma, e assim surpreendentemente acabo completando tudo.

Isso deve acontecer porque, quando já não estamos muito bem, ver aquele monte de coisas para fazer pode nos deixar mais estressados ainda.

No meu caso, eu faço assim:

  1. Vejo o que tenho na minha agenda, que são as atividades pontuais e os prazos do meu dia. Por exemplo, cinco itens ali. Eu começo com o primeiro, depois vou para o segundo etc. Sem estresse, sem pensar no total.
  2. Então acesso meu Todoist, onde tenho listas de coisas a fazer que vencem em determinado dia. O Todoist me mostra tudo o que eu tenho com vencimento hoje. Igualmente, trabalho em uma coisa de cada vez, tendo três ou tendo 15.
  3. Se ainda sobrar tempo e eu estiver afim, dou uma olhada no que vence nos próximos dias para ver se consigo adiantar alguma coisa. Isso é uma vitória!

Outra coisa que me ajuda muito quando estou me sentindo nesses dias é esvaziar a minha mente. Pego papel e caneta e começo a escrever o que está me preocupando. No geral, só de colocar no papel eu já fico mais tranquila. Então vejo aquelas anotações e analiso para ver se preciso tomar alguma providência.

É isso. Pode te ajudar em uma sexta-feira.

Thais Godinho
29/07/2016
Veja mais sobre:
24
A Vida Organizada e a gestão de documentos
Um dia eficaz, por Tim Ferriss
Como organizar: Estudos na faculdade

Estamos organizando uma nova mudança de residência, desta vez por ótimos motivos. Quando nos mudamos de São Paulo para Campinas em 2011, a mudança foi planejada com bastante antecedência, muito organizada e deu tudo certo. As outras mudanças que precisamos fazer depois não foram tão felizes assim, pois foram motivadas por decisões premeditadas (quis mudar para um apartamento menor mas pouco tempo depois mudei de trabalho, precisando do cômodo que faltava para o home-office) e duas mudanças feitas às pressas (primeiro quando precisamos mudar para São Paulo muito rapidamente e em meio a muitos eventos que eu estava trabalhando e a segunda porque precisamos desocupar um imóvel e encontrar outro em menos de um mês).

rp_etiquetas-mudanca.jpg

Somos muito gratos à casa em que estamos hoje. Ela nos abrigou quando precisávamos de um lugar rapidamente para nos mudarmos, fica perto da minha sogra (que nos ajuda muito com o filhote) e o valor do aluguel é muito bom. Estamos aqui há um ano e meio e sabíamos que seria temporário, até nos estabilizarmos financeiramente (o suficiente) para procurar algo que nos atendesse melhor e também entrássemos novamente em clima de mudança. Alguns fatores que nos levaram a sair da casa onde estamos hoje:

  • Segurança, principalmente. É uma casa de rua, com muro alto, mas sempre ficamos um pouco inseguros nela.
  • A casa não tem garagem. Precisamos deixar nosso carro em uma garagem locada, na mesma rua, o que foi super ok durante esse tempo mas sempre pesou um pouco.
  • A casa tem problemas de umidade e uma infiltração bem no meu home-office, o que desconfiamos que possa ter contribuído com o meu estado de saúde ano passado e desde então (fiquei internada com pneumonia e até hoje tenho uma tosse que persiste). Nosso filho também teve pneumonia este ano.

Começamos a procurar uma casa que nos atendesse bem, e encontramos uma legal, em um condomínio fechado, com espaço aberto para os cachorros, espaço suficiente e bastante arejada, e estamos organizando a mudança. Tem sido bastante tranquilo fazer a mudança com antecedência e aos poucos, ajustando as coisas na casa nova, encomendando alguns móveis etc.

Vamos permanecer na mesma região onde moramos porque precisamos ainda do apoio da nossa sogra enquanto o filhote for pequeno, mas vamos morar alguns quilômetros mais longe dela. A residência também fica perto da escola e têm mais opções de transporte público, por ser perto do metrô. Nossa ideia então é ficar na nova residência durante o contrato do aluguel (30 meses) pelo menos, e então mudarmos para outra região. Eu gostaria de voltar a morar em uma região mais central de São Paulo, como eu morava antes, mas quero esperar o filhote mudar para o Ensino Fundamental II para trocá-lo de escola. Ele passou por muitas mudanças nos últimos anos e gostamos muito da escola onde ele está. Essa decisão está bem fundamentada e conversada por aqui e estamos felizes com ela. Até por isso preferimos alugar um imóvel a comprar, assunto que já expliquei melhor aqui.

Por isso, vou postar aqui no blog o andamento dessa nova mudança para ajudar quem estiver passando pelo mesmo processo. Já temos muitos posts sobre mudanças aqui, mas eu penso que este será um processo muito mais maduro e creio ter coisas legais para compartilhar.

Também estou em contato com algumas personal organizers que trabalham especificamente com mudanças, que contribuirão com dicas para vocês e ainda terão a oportunidade de divulgar os seus trabalhos.

Eu não estou cansada ou estressada por fazer essa nova mudança. Como a mudança que fizemos em 2011, ela representa uma série de outras mudanças na nossa própria vida – o fim de uma era e o começo de outra. Estou deixando para trás um monte de coisas e sentimentos, uma oportunidade maravilhosa que as mudanças nos trazem. Meu marido está em uma nova fase profissional da vida também. Estamos celebrando!

Nos próximos posts vou contar como estamos nos organizando e fazer reflexões diversas sobre o processo em si da mudança, da limpeza, da decoração e da organização da casa nova. Eu quero inclusive aplicar o Feng Shui da maneira mais linda possível e tornar a nossa casa um espaço sagrado de verdade, construído aos poucos, mas sempre com muito amor.

Que venha essa nova fase. <3

Obrigada por tudo, pessoal.

Thais Godinho
28/07/2016
24
Henry Thoreau e a simplicidade voluntária
Minha agenda
Como nós tiramos a chupeta do nosso filho de dois anos

Um dos grandes desafios que nós enfrentamos por aqui é montar algo simples e didático para ajudar as pessoas a se organizarem. Por isso, no blog você encontra uma seção Comece a se organizar, que fica de maneira permanente no menu superior, e há algumas semanas eu estava trabalhando em uma versão legal da página para trazer esse guia como eu comentei.

Captura de tela 2016-07-27 08.34.09

Essa página será constantemente atualizada para ser um guia mesmo para você começar a se organizar, passo a passo, com orientações, dicas e recomendações de textos aqui no blog.

Clique aqui para acessar!

Thais Godinho
27/07/2016
Veja mais sobre:
6
Checklist de dezembro 2014
10 coisas para você simplificar agora
Os meus filmes preferidos que incentivam a ir atrás dos sonhos