ou

Hoje na verdade eu gostaria de estabelecer uma discussão entre os leitores do blog. Sabemos que não é fácil educar nossos filhos com tantas atividades que temos para fazer. Além disso, eles gostam de jogar vídeo-game, ver tv e brincar com aplicativos. Não bastando isso, a tecnologia está ao nosso redor, com suas utilidades. O mundo está mudando drasticamente. Como nós, mães e pais, estamos lidando com isso?

Gostaria de propor uma enquete e uma discussão sobre regras nos comentários, para que possamos falar sobre o assunto: regras para impôr limites sobre a quantidade de telas na vida de nossos filhos. São válidas? Devemos impôr? Já fazemos? Participe:

Você impôe limites aos seus filhos com telas, vídeo-games, tv e computadores?

Sim, até 2 horas por dia
Sim, de 2 a 4 horas por dia
Não

create quizzes

E deixe um comentário com a sua opinião. Obrigada!

Thais Godinho
21/05/2016
Veja mais sobre:
11
Ataque sua pilha de roupa suja!
Organizando a rotina de um recém-nascido
“Não consigo me organizar porque o que eu arrumo os outros bagunçam!”

 

  1. Julia 21/05/2016

    Oi Thais, eu tento manter o mínimo possível de telas durante a semana. Minhas filhas, como são duas, têm companhia para brincar e talvez por isso eu me sinta à vontade para proibir ou restringir bastante as telas, já que elas sempre inventam brincadeiras e passam muitos dias sem nem lembrar de joguinhos e filmes. Desde bem cedo, eu estabeleci que podiam ver um filme no sábado e um no domingo, assim cada uma escolhia o seu, e essa foi a rotina até os 7 anos. No Natal, ganharam tablets (eu dei, não foi presente de grego de tias ou avós, haha!) e elas aprenderam a jogar joguinhos diversos. Para mim, a vantagem é que é tudo em inglês, então é “educativo” nesse sentido. Quando pegam durante a semana, não costumo deixar mais de uma hora seguida, ou em percursos de carro mais longos, que não são tão frequentes. Também libero em viagens, mas só no carro. Não vale a pena ir visitar família que mora longe para ficar o dia inteiro num canto com o tablet, não é?

    • Julia respondeu Julia 21/05/2016

      Respondendo a mim mesma para acrescentar e tb para marcar a opção de receber os comentários todos. 😉

      Também não temos TV em casa. Foi uma opção minha e do marido desde que começamos a morar juntos, muito antes dos filhos. Eu já trabalho com Internet e invisto muito tempo aqui, viraria um zumbi se ainda ligasse a TV nas horas de lazer.

      Acredito que há muitos aprendizados que tomam tempo durante a infância e que não podem acontecer depois, ou porque nosso tempo fica cada vez mais tomado por atividades obrigatórias, ou porque a mente já não é tão aberta. Línguas (inclusive a língua materna), leitura, música, atividades físicas, habilidades manuais e mesmo habilidades de interação social precisam de muito treino e de muito tempo investido. As habilidades sociais online e de navegação também precisam ser aprendidas, mas na minha opinião demandam menos tempo para serem dominadas, com um mínimo de orientação.

  2. Cássia 21/05/2016

    Com acesso à internet pelo smartphone, fica irreal controlar determinando uma quantidade x de horas por dia. Melhor estabelecer os horários de não uso, como às refeições e depois das 22h.

  3. Aline 21/05/2016

    Meu filho tem 6 anos e por ele ficava vendo desenho ou jogando no computador e ipad o dia todo. Mas nós controlamos e aqui em casa não chega a duas horas por dia! É incrível o que dá pra inventar de divertido e criativo sem precisar de uma telinha intermediando!!

  4. Luiza 22/05/2016

    Aquí em casa tirei celular. O pai tbm nao quer mais. Rafaella desde q começou a usar tablet para joguinhos de princesas começou a sentir dor de cabeça todos os días e só suspirava na frente do tablet. Era pegar a tablet e os suspiros começavam. Depois comecei a ler sobre o excesso de informacao. Sobre o síndrome do pensamenro acelerado, e foi ai q eu vi e nao tive duvidas q fiz o certo. Minha mae e meu pai ainda empresta o celular pra eles, nao reclamo pra nao estragar o clima, mas ja sabem, uma hora maaaaximo.
    Eles terao todo o tempo q quiserem para usar as telinhas ja q ao começar o primeiro ano da escola aquí no Uruguay todas as crianças recebem tablets para trabalhar na escola.
    Pra qué acelerar o processo se tem tantas coisas boas e saudaveis para brincar.
    Eu nao tive tablet nem celular, nem computador na minha infancia e fui muito feliz.
    Quanto mais tempo longe das telinhas , melhor!!!

  5. Cláudia de Souza 22/05/2016

    Olá! Na verdade, marquei a segunda opção, mas aqui na nossa casa, jogos só aos finais de semana! A nossa primeira opção é o estudo. Nosso filho fez 7 anos agora e está no segundo ano do Fundamental e sempre digo para meus amigos que ele está na fase do “encantamento”. Ou seja, se ele não se encantar agora pelos estudos e adquirir hábitos regulares de leitura, muito difícil corrigir a rota futuramente…
    E mesmo aos finais de semana, o jogo não é prioridade. Pode jogar, mas tem que brincar e se divertir.

  6. Érica Rodrigues 22/05/2016

    Não limito o tpo a um número x de horas por dia mas tento controlar para não partir para o exagero. Não temos vídeo games . O celular acaba sendo o maior vilão. Mas meus filhos tem hora para ir dormir e atividades musicais entre outras para cumprir durante o dia que os tira da frente da TV ou do computador. Acho que é preciso oferecer outras alternativas e numa cidade do interior isso às vezes é mais fácil.

  7. Andreza 02/06/2016

    OI Thaís. Eu controlo tablet e computador, deixo apenas no final de semana. Mas ele acaba ficando muito tempo na televisão. Coloquei na natação e aula de reforço, mas ele adora eletrônicos.

  8. Luana 10/06/2016

    Olá Thais,
    Nem sei se deveria ter respondido, pois meu filho só tem 2 anos. Mas já li vários artigos sobre uso excessivo de telas por crianças muitos pequenas, inclusive bebês, por isto achei pertinente.
    Meu filho nunca viu um desenho animado, nós deixamos a TV desligada enquanto ele estiver acordado, o que teve um efeito muito positivo para mim e meu marido, pois nós também diminuímos muito o tempo em frente da TV, que acaba ficando desligada mesmo quando ele está dormindo. No celular só mostro fotos e vídeos dele ou da família e, por morar no exterior, usamos skype no tablet para matar saudades da família do Brasil.
    Aqui (França ) há um cartaz na sala de espera do consultório da pediatra com recomendações sobre a exposição a telas. Para crianças até 3 anos, o aconselhado é zero, nadinha.

  9. Dani Ti Ogata 04/07/2016

    Aqui durante a semana quase nunca ele tem acesso. Quando estou vendo um programa interessante, ou News, elefica do meu lado “vendo” e brincando. Fim de semana eu deixo, controlo o que vê, e tenho apps de línguas e coordenação motora e outros educativos. E também vemos desenho.