ou

Com certeza você já tentou muitas dicas lidas por aí (e até mesmo aqui no blog) para economizar dinheiro. Hoje, eu gostaria de escrever sobre algumas sacadas mentais que podem te ajudar a realmente ter vontade de economizar.

Esse post surgiu da seguinte motivação: uma vez comentei por aqui que eu era uma pessoa consumista quando era mais nova e que acabei mudando esse comportamento, e um leitor me perguntou como eu consegui mudar, porque ele não consegue de forma alguma e sempre gasta muito. Bem, eu espero que este post ajude! Vamos lá.

sacadas-guardar-dinheiro

1. Visualize a sua velhice

Se tudo der certo, você vai envelhecer. Eu perdi o meu pai quando ele era muito novo (47 anos), para o câncer. Então, quando eu vejo um idoso, eu o considero um verdadeiro guerreiro. Não é fácil passar por tantos problemas na vida e ainda encarar as limitações físicas que a idade impõe. Além disso, os filhos têm suas vidas e sabemos que cada vez menos as pessoas têm tempo e, às vezes, não conseguem sequer garantir seu próprio sustento, quanto mais ajudar os próprios pais, mesmo querendo fazer isso.

Se você parar para pensar na sua velhice e que pode estar sozinho quando chegar lá, o que poderia ser uma situação menos desconfortável para você? E sim, eu sei que é difícil pensar em algo que você nunca viveu, mas pode ser um exercício interessante. Se você parar para pensar, todas as alternativas dependem de recursos financeiros. Você precisa ter dinheiro para pagar a mensalidade de um asilo, para pagar o salário de um cuidador, para pagar a mensalidade de um convênio médico e o preço de remédios, para viver como for.

Eu, por exemplo, estou trabalhando no meu legado em termos de trabalho. Estou construindo uma empresa que espero que dure gerações. Mesmo assim, mesmo querendo trabalhar até não ter mais recursos físicos e mentais para isso, sei que vai chegar uma hora que não vou mais conseguir. E, quando isso acontecer, quero poder fazer essa escolha sem depender financeiramente de alguma limitação. E acho que só de pensar nesse suposto momento já me faz questionar todos os gastos superficiais que tenho hoje. Qualquer dinheiro hoje guardado para essa finalidade e que me ajude nesse futuro é válido.

2. Prepare um fundo de emergência

Eu gosto da ideia de ter um fundo de emergência de um ano de salários para me deixar tranquila caso qualquer coisa aconteça comigo e eu não possa pagar as contas. Enquanto esse fundo não estiver preenchido, eu não consigo ficar gastando à toa. Desde que estabeleci esse objetivo, parei de gastar desnecessariamente.

Em resumo: abra uma caderneta de poupança ou um fundo de investimentos para chegar a um valor guardado equivalente a um ano de salários, no mínimo. Assim, se você ficar desempregado(a), terá uma chance mais tranquila de se recolocar no mercado, sem tomar decisões difíceis como ter que se mudar, vender casa, carro ou aceitar ofertas ruins para o seu currículo apenas para pagar as contas.

Quando alcançar o valor do fundo, vá aumentando a reserva o quanto puder. É uma reserva de segurança, sem limites, que depois poderá ser usada até mesmo para outros fins, como na aposentadoria.

3. Imagine quanto você tem que trabalhar para pagar por cada produto

Quando for comprar alguma coisa, lembre-se de quanto ganha por hora e pense se compensa pagar por ele. Por exemplo: se você ganha 50 reais por hora de trabalho, para comprar aquela camisa de 150 reais em uma loja de departamento, precisa trabalhar três horas. Vale a pena? Se sim, tudo bem, mas se for apenas mais uma camisa que você vai colocar no armário e usar de vez em nunca, talvez não valha.

Se a gente for aplicar isso a itens com valores mais caros, a conta fica surpreendente. Celulares, aparelhos de TV, computadores etc. Eu já deixei de comprar bastante coisa só por exercitar esse raciocínio.

4. Tenha contas para pagar / responsabilidades

Acho que essa é infalível, não? Quando eu me tornei provedora da família, não me sentia nem bem em sair gastando o dinheiro da nossa casa em coisas desnecessárias sendo que poderíamos usar esse dinheiro para algo que poderíamos precisar.

5. Quando eu abri a minha empresa…

O principal realmente veio quando eu resolvi empreender e abrir a minha empresa, porque reduzi meus gastos pessoais ao realmente essencial, precisei definir meu pro-labore (o salário do empresário, baseado nas contas do mês), pagar meu próprio INSS, impostos, controlar as contas, fazer investimentos na empresa, contratar serviços, contratar pessoas, controlar folha de pagamentos…

Quando isso virou realidade na minha vida, aí sim aprendi a dar valor ao dinheiro, porque sei que a entrada e a saída dele dependem exclusivamente de mim, então essa transição da vida de funcionária para a vida de empreendedora / administradora de empresa fez toda a diferença na minha relação com o mindset financeiro, com toda certeza.

E você, já teve um clique que te fez parar de gastar e começar a dar mais valor ao dinheiro? Deixe nos comentários!

Thais Godinho
19/05/2016
Veja mais sobre:
35
Como economizar energia elétrica
Não gaste dinheiro à toa

 

  1. Ana Jannke 19/05/2016

    Oi, Thais!

    Estou adorando seus posts! Estão mais objetivos e mais rápidos de ler!
    Parabéns!
    Suas dicas estão abrindo caminhos!

    • Thais Godinho respondeu Ana Jannke 19/05/2016

      Obrigada.

  2. Hugo 19/05/2016

    Thais! Acho que o leitor da pergunta sou eu. Engraçado… eu estava caminhando hoje e pensei “Preciso ler mais sobre hábitos de economia”. Cinco minutos depois, parei, peguei o celular, decidi olhar teu blog e vi esse post. Tudo parece estar conectado de alguma maneira, não é mesmo? O texto ajudou bastante, vou tentar aplicar essas estratégias! Obrigado!

    • Thais Godinho respondeu Hugo 19/05/2016

      Que legal, obrigada por comentar.

  3. Juliana 19/05/2016

    O 1º tópico de prever o futuro, acho que é que mais pesa na hora de pensar em uma reserva financeira. O ator Christopher Reeve (que fez o Super Homem), e morreu 10 anos após um acidente de cavalo que o deixou tetraplégico, disse antes de morrer que pode sobreviver por esses 10 anos pagando o tratamento porque tinha guardado $ enquanto pôde, e isso me marcou muito. E a previdência social do jeito que anda, é bom nos precavermos e não ficar dependendo de aposentadoria do governo…

    • Thais Godinho respondeu Juliana 19/05/2016

      Sim, nunca se sabe. Só de pensar nisso já bate uma bad, se a gente deixar.

    • Brena respondeu Juliana 20/05/2016

      Legal Juliana, não sabia disso, me marcou também. Grata por compartilhar! 🙂

  4. Sherlita 19/05/2016

    Também estou adorando!
    Obrigada por compartilhar as dicas 😉

  5. ROSANA 19/05/2016

    Boa tarde,Thais!
    Eu gostei muito do seu blog,sei que irá me ajudar bastante,estou igual a bb no começo da jornada,sou uma pessoa totalmente compulsiva e so agora me dei conta que preciso muitoooo mudar.

  6. Gabriela 19/05/2016

    Essa dica de pensar quantas horas precisamos trabalhar pra comprar algo é ótima! http://www.alemdolookdodia.com

  7. Iara Carrato 19/05/2016

    Excelente post Thais, principalmente o item 1.
    É difícil as pessoas pararem para pensar na velhice, nos custos que terão quando não puderem mais trabalhar. Este é um ótimo exercício para resistirmos as tentações de compra.
    Abraços

  8. Eu confesso que ainda tenho dificuldades de guardar dinheiro, mas neste ano este ano tive um grande avanço, pois nunca fui uma boa usuária de cartão de crédito. E depois que cancelei meu cartão de crédito passei a gastar com mais juízo, pois hoje em dia pago tudo à vista e não faço mais nenhum tipo de prestação. Ou seja é algo simples, se tenho dinheiro gasto e se não tenho, não gasto. O fato de não parcelar mais nenhuma compra e também procurar comprar em dinheiro com notas e evitar o uso de dinheiro de plástico cartão de débito a toda hora me faz ter uma maior noção do dinheiro e hoje vivo com o que ganho. Hoje pago todas as contas no início do mês e inclusive pago antecipadamente o salão de beleza, que para mim não é superfulo. Para estar bem preciso estar com a unha feita, o cabelo sem fios brancos, ou fazer sombrancelha e bigode. Vou em salões baratos e pinto o cabelo em casa. Meu ponto fraco é que curto um cosmético, mas hoje uso cremes apenas nacionais ou de farmácia e evito cosméticos caros, pois aí bate num valor de vida. Adorei sua postagem. Abraços,

  9. Rafaela 19/05/2016

    Oi Thais amo ler o seu bloco. E esse post caiu como uma luva estou na fase de pagar as contas e tentando comprar a vista. Nao está sendo fácil, mas estou na luta. Já tem alguns anos que acompanho seu blog, mas ainda estou na estaca 0 em nível de organização. Sofro muito, sempre me pego em estado de procrastinação. Gostaria que falasse sobre esse assunto. Obrigada pela dedicação sua dicas me fazem acreditar que irei conseguir me organizar algum dia.

  10. Cinthia 19/05/2016

    Dim a quatro anos quando comprei meu ap, fazia incansavelmente essa conta, d quanto ganharia em uma hora de trabalho, ou ainda essa roupa custa metade daquela prestação, aquela pessoa que faz determinado serviço (que eu sei fazer) cobra mais ou menos do que eu ganharia nesse mesm tempo? Minha maior meta é não sofrer por dinheiro nem pela falta nem pela busca, portanto é um exercício continuo. Amo e devoro cada dica!

  11. Eneida 19/05/2016

    Para mim o fundamental para mudar de estilo de vida com relação ao financeiro foi deixar o cartão de crédito em casa e somente usar dinheiro calculado em função das atividades que realizarei, vc não sabe quantos olhadas de vitrinas deixar de virar compras porque não tava vom o cartão em mãos!

  12. jaque 20/05/2016

    Adorei o texto. Como a minha maior paixão é viajar sempre tento pensar o que posso fazer numa viagem com aquele valor como pagar parte de uma passagem ou uma diária num hotel. Mas acho que esse raciocínio pode ser aplicado para qualquer objetivo seu. Para gastos pequenos sempre tento pensar: de grão em grão a galinha enche o papo. Também tento pensar que a maioria das coisas a gente não precisa de verdade. A gente precisa de muito pouca coisa na vida. Mas quando vejo uma promoção tenho dificuldade imensa de resistir. Parece uma oportunidade fantástica que eu não posso perder. Taís ou algum leitor tem alguma dica específica para resistir a promoções? Desde já agradeço, beijos

    • Thais Godinho respondeu jaque 23/05/2016

      Eu costumo nem ler quando não posso gastar ou não quero comprar nada daquilo relacionado.

      • Jaque respondeu Thais Godinho 24/06/2016

        Muito obrigada Thais. Estou tentando fazer o mesmo. Meu maior problema é quando preciso comprar algo daí vou a uma loja e lá vejo uma promoção de uma outra coisa que preciso e aí fica difícil para mim.

      • Renata respondeu Thais Godinho 19/11/2016

        😂😂😂

    • Sabrina respondeu jaque 17/06/2016

      Olá, Jaque! Eu removi meu email de todas as “mailing lists” de lojas que viviam lotando minha caixa com promoções de tudo que é tipo. Esta medida, além de reduzir consideravelmente a qtd de emails, para mim também evita a “tentação” de comprar coisas desnecessárias apenas pq tem um bom desconto.

      Thais, obrigada pelo post, muito boas as dicas!

      • Jaque respondeu Sabrina 24/06/2016

        Obrigada Sabrina! Tem só umas duas ou três lojas das quais ainda recebo emails de promoção mas é uma boa cancelar essas também.

  13. carolina falcao 20/05/2016

    outro post certeiro. tenho pensado tanto nisso, ainda mais que esse ano meu orçamento ficou muito pesado e tenho rebolado para manter as contas em dia. ainda não consigo juntar muito dinheiro, mas só a mudança da consciência com relação a isso (está sendo um trabalho de dois anos pra cá) já fez uma diferença imensa. esse é para guardar e reler de vez em quando, pra lembrar.

  14. Fabiane da Cruz Bento 20/05/2016

    Thais sempre economizei dinheiro e agora fiz uma compra de uma casa financiada agora parei para pensar mais e economizar mais ainda principalmente porque a casa e a dos meus sonhos e precisa dar aqueles retoques para ficar com a minha cara , nada pode si perder,tento aproveitar o máximo de tudo. Obrigado pelas suas dicas são muito valiosas , eu trabalho em um supermercado e sei quanta enganação existe.

  15. Cristiane Luzia 20/05/2016

    Thais, já li vários textos sobre educação financeira, mas confesso que do jeito que você colocou me incentivou a prestar mais atenção na hora de gastar. Obrigada!

  16. paula 22/05/2016

    Eu sempre tento fazer isso, administrar meu dinheiro mas não consigo controlar, tenho um pequeno negocio e não consigo administra e controlar o serviços domésticos e ainda faço um curso são três tarefa . Antes de chegar no final de semana não organizei nada ai fico toda perdida.
    Gostaria que vc me passe uma sugestão boa para eu poder me organizar.

  17. Maria José Santos 22/05/2016

    Olá Thais, adorei o seu artigo, como todos os artigos que leio, ajudam-me sempre muitissimo, pois tento seguir as suas sugestões.
    Thais, não tenho o hábito de fazer comentários, talvez por falta de tempo, Mas hoje tenho duas coisas para lhe dizer; primeiro, Obrigada Thaís por me ter ajudado sem saber! Num periodo complicado da minha vida em que tudo corria mal, com muitas mudanças a nível profissional, estava a passar também por uma fase depressiva, fiquei sem empregada, que colaborava aqui em casa, havia mais de vinte anos. Na altura, necessitei de me organizar, de cuidar eu própria da minha casa, apesar da minha vida profissional que me ocupa o dia inteiro, trabalho num hospital e faço clinica privada. Procurando por soluções na internet encontrei o seu blog! Subsescrevi-o de imediato, isto aconteceu há mais ou menos três anos. Até hoje, o seu blog faz parte dos meus recursos diários para me descontrair, sentir bem, motivar e inspirar! Por isso, obrigada Thaís por existir e fazer parte da minha vida! Tenho um grande carinho pelo Brasil, pois a minha familia materna, vive quase toda em São Paulo. Eu sou portuguesa e vivo em Portugal. A segunda coisa, que tenho para lhe dizer, é que motivada pela Thaís criei o meu próprio blog, aos cinquenta e dois anos, há um ano atrás, numa altura em que me sentia muito só, quando os meu filho mais novo saiu de casa para ir estudar para a faculdade para a capital que é Lisboa e fica a trezentes km de distância. O mais velho também já tinha partido de casa anos antes para estudar, Actualmente já acabou o seu curso, é médico. Hoje sinto-me feliz, tenho o meu blog que me distrai e tenho essas leituras diárias maravilhosas que fazem sentir bem.
    Obrigada Thaís! Desejo-lhe tudo de bom na sua vida. Beijinhos
    Maria José
    https://avidaemtonssuaves.wordpress.com/

  18. Anna 24/05/2016

    Ola Tais,
    Sempre fui uma pessoa imediatista, eu sempre fui do tipo que preferia um marshmallow hoje a dois no futuro mas voce me inspirou,conheco o blog ha uns 3 anos mas de um ano pra ca venho pensando muito em organizacao financeira,mudei meus habitos,fiz um fundo para o futuro e me planejei para a poupanca mensal. Me arrependo de nao ter comecado mais jovem,pois por menor que seja o valor poupado sempre vale a pena, acho que o que desanima muitas pessoas e isso,acham que para poupar e preciso sobrar quando na verdade poupar deveria ser uma prioridade. Morei fora alguns anos e observei muitas familias que vivem sem luxos, investem em moradia ,educacao e o futuro, o resultado e que depois dos filhos formados o casal tem condicoes de viajar e aproveitar a velhice com dignidade e sem depender de ninguem. Antigamente eu achava que isso era porque ganhavam muito bem mas na verdade conheco muita gente que ganha bem e nem a casa propria planejou. Espero que sirva para avaliarmos nossos habitos de consumo,hoje quando eu quero comprar alguma coisa me pergunto muitas vezes o porque, e para estar bem no meu circulo social? e para imprecionar aqueles que nem conheco? e pra me sentir bem simplesmente por consumir? Planejamento financeiro e um assunto que nunca e demais,aguardo mais posts,obrigada.

  19. sonia correia 25/05/2016

    Gostei das dicas, também fui muito consumista, mas depois de me endividar muito, gasto apenas o essencial, ainda estou na minha recuperação, dificil e sofrida, agradeço pelas lições.

  20. Marcia Meirelles Iório 03/06/2016

    Obrigada! Você não faz ideia do quanto estou aprendendo com você.
    Estou passando por um momento financeiro difícil, e a leitura dos seus textos além de me apontar onde foi que eu errei para estar vivendo dias assim, tem me inspirado a mudar para não errar tanto novamente. Seu modo de escrever é como uma conversa agradável e amiga. Muito sucesso e saúde pra você.
    Estou lendo além do Blog, o seu livro Vida Organizada e já espero ansiosa pelo Casa Organizada. Que bom ter te conhecido! Um fraterno abraço, Márcia.

  21. Simone 10/06/2016

    Oi, eu tenho uma dica que sempre penso antes de comprar alguma coisa, tento entender se o item que vou comprar é uma real necessidade ou apenas um desejo . Pra ajudar a decidir penso em como as pessoas antigamente viviam com relação a este item de consumo, por exemplo, as mulheres de bem antigamente, as abastadas, tinham apenas 3 ou no máximo 4 vestidos ( já pensou nisso!?) e sobreviviam, então porque agora preciso a cada estação comprar e comprar mais tantas peças? Esta é minha principal arma contra gastar desnecessariamente.

    • Jaque respondeu Simone 24/06/2016

      Muito interessante esse seu jeito de pensar Simone. Obrigada por compartilhar!

  22. […] Fonte: Vida Organizada […]

  23. Mirtes 01/12/2016

    Amei suas orientações.

  24. Regiane Barbosa 26/12/2016

    Perfeito post! Quando parcelei o cartão de crédito e me vi sem dinheiro, tive um surto comigo mesma. Percebi a loucura que era o consumismo e surgiu o desejo de mudança. Hoje agradeço a Deus por ter melhorado e estar pensando no futuro.