GTD é um método de produtividade criado por David Allen. Eu utilizo o método, então todo o Vida Organizada gira em torno do que aprendo vivenciando o método no meu dia a dia, há anos. Até meu conceito de organização é influenciado por ele. Procuro ir além do método aqui no blog, me referindo a outros assuntos, mas todo o mecanismo de funcionamento se baseia muito nas ideias do David. Sei, no entanto, que algumas pessoas até deixam de ler um texto do blog quando tem “GTD” no título porque acham que não diz respeito a elas, mas de fato o Vida Organizada é filho do GTD. Se você gosta do Vida Organizada, você pode gostar do que o GTD tem a te dizer. 🙂

Gostaria de compartilhar com vocês uma maneira nova, com novas lentes, de enxergar a implementação do método GTD.

O GTD é um método e, por isso, tem livros, cursos, textos na internet e muito conteúdo a respeito. Para implementar qualquer metodologia, são necessários estudo e prática. No entanto, o bom de todo método é que se trata de um caminho mastigadinho que apenas nos diz o que devemos fazer. O caminho das pedras já foi percorrido por outra pessoa, que nos dispôs a nos ajudar a chegar lá também.

O “caminho” do GTD é exemplificado em 5 passos: capturar, esclarecer, organizar, refletir e engajar. Mas, quando a gente fala em passos, parece que é uma coisa que a gente faz uma atrás da outra, meio processual e até rápida.

Esta semana ouvi um webinar do David onde ele começa a chamar os 5 passos não de passos, mas de hábitos. Porque é exatamente o que eles são.

Se você começar a ver esses 5 passos como hábitos, talvez fique mais fácil entender do que se trata a metodologia e onde você quer chegar nesse primeiro momento de implementação.

Esses são então os 5 hábitos que você tem que buscar implementar para dizer que está usando o GTD:

1. Capturar

Colete o que tem sua atenção. Não pense em uma coisa duas vezes. Se pensou em uma ideia muito legal, precisa fazer algo ou lembrou de alguma coisa que não pode esquecer, colete. Sua mente foi para ter ideias, não para armazená-las. Este hábito deve acontecer ao longo de todo o dia, sempre que você se lembrar de algo do tipo.

2. Esclarecer

Pegue cada item capturado e esclareça o que aquilo significa. Demanda algum tipo de ação? Se não, como vou lidar com essa informação? Se sim, qual é a próxima ação? Este hábito deve ser feito ao processar e-mails e sua caixa de entrada, geralmente entre 24 e 48 horas, dependendo da sua rotina.

3. Organizar

Depois de esclarecer o que cada coisa significa, armazene essas informações em categorias apropriadas, de modo que faça sentido acessá-las quando você precisa. Você não precisa saber que precisa comprar pilhas para o controle remoto quando senta para assistir tv, mas quando estiver no supermercado. O mesmo vale para exames médicos já realizados, ações que você precisa executar e projetos que precisam ser tocados. Este hábito está sempre em construção, pois você sempre buscará melhorias nos programas que usa e sistemas de arquivamento. Você pode considerar este hábito incorporado quando não pensa mais sobre os programas e formatos que está usando – tudo está funcionando bem.

4. Refletir

Revise suas informações regularmente para garantir que estejam atualizadas e as prioridades bem identificadas, se refletindo no seu dia a dia. Um ponto-chave desse quarto hábito é a revisão semanal.

5. Engajar

Utilize o seu sistema para tomar decisões com confiança, sabendo que está fazendo a coisa certa na hora certa.

Quando tudo isso acima for uma realidade para você, significa que você está usando GTD.

Se ainda não é, há melhorias a serem implementadas. Identifique o que precisa melhorar e então processe isso adequadamente. Lembre-se: você não tem problemas; você só tem projetos.

O GTD é um conjunto de hábitos, mas felizmente temos aqui mais de 35 anos de experiência de um profissional nos ensinando como fazer, além de vasto conteúdo disponível para aprendizado. Mas você precisa começar. 🙂 Todo esse estado de mente tranquila como água, vida organizada etc, só depende de você, do seu interesse, disciplina e força de vontade.

COMPARTILHAR
Artigo anteriorComo lidar com interrupções
Próximo artigoPesquisa Vida Organizada 2016
Meu nome é Thais Godinho e meu guarda-chuva profissional engloba três temas: produtividade, organização pessoal e criatividade. As formas de operacionalizar esse trabalho que eu amo são essas: escrevendo no blog, publicando livros, estudando, ministrando cursos e fazendo atendimentos individuais, ajudando as pessoas a se organizarem. Você pode acompanhar minha trajetória pessoal e profissional neste blog, que existe desde 2006.

21 Comentários

  1. Nossa Thais fiquei impressionada quando li que existem pessoas que não lêem qndo o título tem GTD, ” quanta ignorância né?”. Sempre vi seu blog é o Gtd, ligados ou interligados. E adoro os post que tem GTD ou não, acho que os assuntos sempre tem haver com alguma coisa que acrescente a nossa vida e isso é bom demais. Pode ter certeza de uma coisa, eu sempre incentivarei o seu trabalho, pois vc me ajuda muito.

  2. Comecei a ler o livro no início desse ano e, quando já estava na metade, percebi que o estava lendo de forma errada. Recomecei a leitura da mesma forma que estudo livros jurídicos: fazendo grifos e anotações. Parecia que eu tinha encontrado o mapa do tesouro! Então percebi que minha vida gira em torno do método há alguns anos em razão das dicas e textos do Vida Organizada.

    A grande verdade é que a maioria das pessoas só buscam truques, dicas, mágicas, isto é, tudo mastigadinho, porém quando há necessidade de uma busca maior de conhecimento, estudo de um método ou leituras mais vastas, o povo recua, por preguiça mesmo ou desleixo. 😉

    Enfim, continue espalhando o GTD, independente dos comentários negativos.

  3. Confesso que não conheço muito do método, mas não deixo de ler nenhum post por conta disso. Se não tivesse lido esse post, por exemplo, não teria aprendido sobre os 5 hábitos. Então, agradeço por manter o GTD no Vida Organizada 🙂

  4. Oi, Thais. Comecei a acompanhar seu blog quando vc se mudou para Campinas e tenho a impressão que nessa época não havia muitos posts sobre o GTD e eu entrava no blog todo dia. Agora nem tanto, porque, de fato, eu sou uma das que não lê os posts quando o título é sobre o GTD, por, de cara, sem motivo, achar que é só mais uma complicação, que não dá certo. Nem tento. Mas o post de hoje (que eu comecei a ler só porque vc disse isso), me clareou muito as ideias. Quanto ao capturar, por exemplo, fiz imediatamente: anotei num papelzinho, conforme foi me vindo à mente durante a tarde: “trocar o arquivo do texto corrigido”; “pagar a academia da Bruna” (que está vencida porque esqueci), entre outros. Agora estou aqui em casa e não sei bem o que fazer com isso, mas na hora foi muito bom, tive uma sensação de segurança. Obrigada por partilhar de uma forma tão simples e acessível. Um grande abraço!

    • Obrigada! Naquela época eu não estava tão envolvida porque hoje em dia eu trabalho com isso, e o blog acaba refletindo o que mais faz parte da minha vida, não tem jeito. 🙂 Obrigada por comentar! São bons hábitos de produtividade.

  5. Vou confessar: De uns tempos pra cá, eu pulava os posts sobre GTD 🙁 Eu achava muito complexo… e acreditava que não conseguiria implementar… Eu achava que não tinha pego a “essência da coisa” … Mas esse post me fez vê que eu utilizo o GTD como uma principiante, ainda com muitas falhas e com muito o que aprender. Acho que a minha vontade de absorver tudo do dia pra noite… me desmotivou 🙁 Mas vou recomeçar com mais paciência 😀 Obrigada Thaís !

  6. Que post maravilhoso!! Mais uma vez, obrigada.

    Eu tenho um pequeno problema com o primeiro hábito que não sei bem se é um problema. Algumas ideias que eu capturo acabam sendo anotadas no meu caderninho como um mini brainstorm. Dando um exemplo: estou no meu trabalho e tive a ideia de começar um boletim informativo do meu setor. Anoto isso e começo a puxar setas mil com os possíveis primeiros artigos, assuntos, pessoas que vão contribuir, enfim… Fica meio bagunçado, mas acredito que só assim consigo tirar isso da minha cabeça para depois prosseguir com outros hábitos. Você acha que isso de alguma forma é problemático?

    Abraços.

  7. Thais, obrigada por esse post!

    Nos outros post sobre o gtd eu sempre o via como um vilão. Meu deus, uma complicação para eu simplificar?
    E nesse me foi esclarecido a simplicidade dele, e que é algo que a gente faz, ao menos em partes, em todos os aspectos da vida.
    A partir desse vou tentar estudar mais sobre ele, e tentar aplicá-lo.

    Muito obrigada mesmo!

    Beijos.

  8. Thais, serei honesta porque acho muito bobo as pessoas dizerem que quem não tem interesse em ler os textos de GTD tem problema.

    Eu não consigo acompanhar o método, acho que os textos sobre ele são muito enrolados, diferente de outros textos seus. Coloquei na minha cabeça que vou ler pra entender como é isso, mas até agora não me parece nada novo, nem o melhor método do mundo e as leituras são até um pouco chatas.

    Adoro demais o teu trabalho, mas é isso. A opinião de alguém que pula os textos de GTD. 🙂

    • Oi Alexandra, tudo bem?

      Obrigada pelo feedback. Mas eu recomendo que você não acompanhe quando for algo sobre o GTD. Apesar de você não entender, há muitas pessoas que vêem no Vida Organizada uma referência sobre o tema, pois há poucos blogs em português que abordam a metodologia. Além disso, eu sou a única Master Trainer no Brasil, o que me coloca em papel de referência e fomentadora do tema, então posts sobre GTD sempre estarão aqui no Vida Organizada.

      Espero que entenda.

      Bjo

DEIXE UMA RESPOSTA