ou

Quantos de vocês declararam 2016 como o ano de pegar mais leve, ir mais devagar e/ou desapegar? Eu tenho ouvido muito isso de diversas pessoas este ano, além de ser uma delas. Será que todo mundo está cansando de viver uma vida sobrecarregada e com muita correria?

desapego-2016

Essa sobrecarga de informações, de coisas a fazer e de oportunidades é relativamente recente. Talvez 10 anos? Não faz tanto tempo assim que passamos a viver (sem aviso!) em um mundo 24/7. O fato de o smartphone ter se tornado acessório praticamente obrigatório, as redes sociais nos deixarem conectados o tempo inteiro e a necessidade de melhor aproveitamento do tempo de trabalho (trazendo possibilidades como trabalhar em casa, para diminuir o tempo de trânsito e gastos com viagens) são mudanças de hábitos que transformaram culturas e têm mudado toda a nossa forma de trabalho e relacionamentos.

Antigamente (e, por antigamente, eu me refiro a 15, 20 anos atrás), a gente podia bater o ponto às 17 horas e ir para casa descansar. A cabeça conseguia se desligar do trabalho e dormíamos cedo. Tínhamos tempo para tudo o que queríamos fazer. Era comum até mesmo ter tédio! Hoje, o tédio foi substituído pelo cansaço, quando não pela exaustão.

Esse caminho não tem volta. Sempre teremos muita coisa para fazer. O envolvimento criativo em um trabalho significativo faz parte de um profissional engajado e isso povoa nossa mente de ideias, novos projetos e planejamentos. Queremos nos conectar rapidamente. Até o e-mail se tornou uma forma mais lenta de comunicação! Não atender o telefone virou ofensa. As pessoas falam mais rápido, executam mais rápido, tomam decisões mais rapidamente.

maisdevagar-2016

Isso não significa que devemos apenas entrar no furacão e sair voando desesperadamente com ele. Podemos fincar os pés em uma base sólida e aprender a desenvolver a força do “não” – tanto para os outros quanto para nós mesmos. Mas como a gente consegue dizer não se tem tanta coisa acontecendo, tantas oportunidades surgindo?

É aqui que entra a aplicação prática do que descobrimos com nossos valores, princípios e missão pessoal. E essa descoberta pode ser fácil. No fundo, você já tem alguns desses conceitos definidos aí dentro de você. Eles podem surgir em momentos-chave da sua vida – geralmente quando você passa por um momento muito difícil, de reformulações, frustrações, sobrecarga mesmo, e consegue enxergar com mais clareza o que quer e o que não quer para a sua vida.

A grande questão é que, se você não parar conscientemente, vai parar inconscientemente. Se o ritmo te incomoda agora, já está te incomodando antes mesmo de você perceber. E essa necessidade de querer pegar mais leve é um passo corajoso que você está dando, porque ele vai na contramão do que todo mundo acha mais correto hoje em dia. Parabéns por isso. Você deve ter se decidido justamente porque seu corpo, sua mente ou seu espírito já deve ter dado um sinal de alerta. E o simples fato de você tê-lo escutado é incrível e de uma intuição super bonita, de conexão mesmo com quem você é.

segredo2016

Pare de se cobrar tanto. Pare de tentar ser perfeita(o). Ninguém é. Pare de querer fazer tanto. Curtir a vida – as conquistas que você alcançou até agora – não é crime. Dá para ir rápido, mas dá para chegar no mesmo lugar curtindo a trajetória também. Mesmo porque, se você não a curtir, pode ser que nem chegue lá. Aí tudo terá sido em vão mesmo.

Algumas coisas muito simples que você pode começar a fazer agora mesmo:

  • Pegue uma folha de sulfite e anote tudo o que vem à sua cabeça. Preocupações, coisas que precisa fazer, coisas que precisa lembrar. Apenas o fato de passar para o papel fará com que você já fique mais tranquila(o) por não estar armazenando algo que não precisava.
  • Respire com calma. Toda vez que se sentir nervosa(o), estressada(o), cansada(o), feche os olhos, por 3 minutos apenas, e preste atenção na sua respiração. Se algum pensamento vier, deixe ele ir embora. São apenas 3 minutos. Daqui a pouco você volta a trabalhar.
  • Faça uma atividade lúdica, fora do computador, de preferência. Se estiver em casa, brinque com o cachorro. Toque violão. Desenhe com os seus filhos. Pinte um daqueles livros de colorir que hoje em dia fazem sucesso. Cante sua música preferida. Regue as plantas.
  • Saia de casa (ou do escritório) e olhe para o céu. Contemple as nuvens, sinta a brisa nos seus cabelos. Feche os olhos e ouça os ruídos da rua.
  • Faça uma lista de tudo aquilo pelo qual você é grato(a) hoje. Pense na sua vida como é, e em quantas pessoas estão envolvidas para que ela seja da forma atual.

O segredo para pegar mais leve é simplesmente ir mais devagar. Agora mesmo. Se concentrando na única coisa que você deveria estar fazendo nesse momento. Se estiver almoçando, não mexa no celular. Coma direito, preste atenção nos sabores, no efeito da comida dentro do seu corpo. Pode pensar na vida, sempre. Faz parte. Mas, se a gente não for mais devagar, nunca consegue pensar nela. E o resultado a gente já conhece, não é?

Thais Godinho
04/02/2016
Veja mais sobre:
22
Como relaxar ao final de um longo dia
Porta-remédios
Rotina diária para cuidados com mente, corpo e espírito

 

  1. Jessica Ramos 04/02/2016

    Muito obrigada por esse texto, Thais! Mexeu comigo!

  2. Amanda 04/02/2016

    Thais,

    Todas as vezes em que tentei organizar minha vida você esteve presente.
    Saí de casa aos 18 anos e desde então tentei por vezes organizar as coisas de casa e a vida em geral e em todas as vezes acabava parando no seu blog.
    Nunca consegui chegar aonde eu queria, no entando, este ano, a meta para mim não foi bem pegar leve, foi pegar pesado no sentido de adquirir novamente o controle sobre as coisas da minha vida.
    E desde o fim do ano passado voltei a seguir o blog, comprei seu livro e recomendei para toda a minha família.
    Obrigada por ter se decidido que esta é sua missão de vida, com certeza esta sua decisão facilitou muito a minha! Hehehe!

    Um grande beijo e tudo de bom! 🙂

    • Thais Godinho respondeu Amanda 04/02/2016

      Obrigada, Amanda. <3

  3. Abe Gomes 04/02/2016

    ótimo post! Obrigada por escrever!!!

  4. yasnaya 04/02/2016

    Eu, já estou querendo acelerar, preciso me sentir mais viva e conquistar mais, porque toda a minha vida fui devagar, agora estou partindo pra cima.
    O que eu achei importante foi você escrever: “Se concentrando na única coisa que você deveria estar fazendo nesse momento” – isso é muito importante pra não surtar 😀

    Vou considerar tudo, planejando, para dar tudo certo, pra não me frustrar, mas também se acontecer bola pra frente.
    Adoro isso aqui visse!!

    xero

    • Thais Godinho respondeu yasnaya 04/02/2016

      Conquistar mais não significa se sobrecarregar. É justamente o contrário, viu? Fazer mais, com menos tempo e menos estresse. É o que estamos ensinando aqui.

      É engraçado como é uma coisa comum que as pessoas pensam – ir devagar significa fazer menos. Só que é muito, muito pelo contrário. Se trata de aprender a aproveitar melhor o tempo que tem, fazer as coisas com mais significado, as coisas CERTAS, deixar de lado o que não faz diferença.

      Obrigada pela oportunidade de comentar isso.

      • Nay respondeu Thais Godinho 05/02/2016

        Uau, excelente!!! Este comentário deu um novo sentido ao post.
        Obrigada, sempre, Thais!

      • Lorrene respondeu Thais Godinho 09/02/2016

        A cobrança por mais resultados, sempre na quantidade e não na qualidade, é tanta que ao falar em foco dá a sensação de realizar menos. Uma das coisas que acho interessante no Christian Barbosa é o conceito de urgente, das tarefas que eram importantes mas adiamos ao ponto de virarem urgentes e quando junta um monte, tudo é urgente e ficamos na situação “e agora, por onde começar?”. Só que parece que essa questão do urgente, do multitarefa, tá realmente comum e desejável e quem for longe disso fica com a fama que tá realizando menos.

        Acho que a correria que justamente não nos deixar realizar mais, gera retrabalho, as distrações, que recorremos justamente para sair da sensação de correria e no final além de não desfazer a correria, ainda desperdiça o tempo que poderia ser melhor aproveitado. Estamos correndo sem direção, percebendo que realizamos menos do que gostaríamos e achando que correr mais resolveria. Muito obrigada mesmo pela reflexão.

      • Lorrene respondeu Thais Godinho 09/02/2016

        Aproveitando, lembra que você postou no instagram fotos de livros de mindfluness que recebeu de uma editora e depois resenharia eles no blog? No geral, o que acho dos livros? Acredito que para começar a parar com a questão de pressa, seria justamente praticar o mindfluness.

        • Thais Godinho respondeu Lorrene 12/02/2016

          Eu leio um trecho por dia, mas ainda não terminei de ler todos. São realmente ótimos e têm tudo a ver com essa questão.

  5. Adriano 04/02/2016

    Olá Thais.

    Essa deve ser a segunda vez que comento no blog. Apesar disso, acompanho quase que diariamente há alguns anos. O blog é um espaço virtual em que eu gosto de estar; ele é muito íntimo, calmo e generoso. E muito generoso! Me permitiu refletir sobre mim mesmo e minha vida. É incrível como a organização nos traz auto conhecimento e esclarecimento. Tudo fica mais claro!
    Enfim, muito obrigado por manter o blog com tanta dedicação. Você merece todas as coisas maravilhosas que deseja 😉

    p.s O novo layout está ficando ótimo. Me lembra a revista ‘Vida Simples’, um design mais voltado pro essencial. Parabéns! Ele reflete o que você fala.

    • Thais Godinho respondeu Adriano 05/02/2016

      Obrigada, Adriano.

  6. Jhonny Oliveira 05/02/2016

    Excelente texto, me fez refletir.
    Obrigado!

  7. Mariana 05/02/2016

    Lindo post, obrigada!

  8. Jéssica 05/02/2016

    Olá Thais! Me identifiquei muito com o seu texto. Sabe, ultimamente tenho me pegado pensando por diversas vezes no valor que “pegar mais leve” tem em minha vida. Eu sou uma pessoa naturalmente tranquila, gosto muito dos momentos comigo mesma, de ler um livro, curtir a natureza, valorizar as pequenas coisas da vida e os momentos mais simples em família. Tenho para mim, e, pelos seus textos, acredito que partilhe desta ideia, que estes momentos são os que mais nos agregam valor, que nos fazem crescer e evoluir, só por escutar o que acontece dentro da gente. Em contra partida, sempre há os que acham que não estamos produzindo quando estamos nestes momentos, quando, pelo contrário, a calma nos torna mais produtivos e racionais. Não que me importe, mas recebo julgamentos, mesmo que sutis, por eu não compartilhar da vida corrida. Há muitos anos eu encerrei minhas contas nas redes sociais (recebo constantemente um “como assim você não tem Facebook??!), assisto muito pouco a TV aberta e acompanho as noticias por cima, sem me deixar influenciar por informações externas, que a sociedade nos impõe e molda quem quer que sejamos. Não acho que sou xiita por pensar assim, mais deixar me conectar mais comigo mesmo e menos com as informações externas, me faz processar melhor estas informações transmitidas e absorver de fato somente o que interessa. Somos bombardeamos por informações por todos os lados, pela mídia, pela imagem o que os “amigos” da internet querem passar para você, pelo status ‘ocupado’ que você precisa mostrar para as pessoas para se mostrar produtivo, quando tudo isso é na verdade distração para você deixar de ser quem você é e ser mais o que a sociedade quer que você seja. Se livrar de tudo isso é se tornar mais amável com você mesmo, ter autoconhecimento, apreciando as coisas que não cobram, que são simples e maravilhosas… A natureza, o marido, a família, você mesmo! Mesmo que muitos não concordem, eu fico feliz em compreender isso aos 29 anos, pois tenho um vida inteira para aprender e aproveitar. Compartilho da ideia de pegar mais leve, sempre!

  9. Deborah 05/02/2016

    Thais!! Otimo texto! Otimas reflexoes e otima escrita! Parabens e obrigada!

  10. […] fazer um cantinho de leitura super aconchegante. ♥ A Thaís fala nesse post dela, como ir mais devagar em 2016 ! Vale super a pena ler […]

  11. Karina Vit 05/02/2016

    “..Você deve ter se decidido justamente porque seu corpo, sua mente ou seu espírito já deve ter dado um sinal de alerta.”

    Thais, como esse texto mexeu profundamente comigo.
    Por alguns instantes eu pensei que estivesse remando contra a maré, mas não. Apenas escutei o meu corpo e meu espírito, e atualmente, a cada dia, antes de fazer algo ou tomar alguma decisão, me pergunto: Por que isso é importante pra mim?
    Tem feito toda a diferença.

    Te agradeço profundamente.
    <3

  12. Debora 05/02/2016

    Thais,
    que texto inspirador!
    Que delícia!!
    Obrigada por isso!

  13. Flora 05/02/2016

    Que texto lindo Thais. Leio o seu blog já há algum tempo mas nunca tinha comentado. Hoje não pude deixar passar, me identifiquei 100% e tenho praticado algumas dessas coisas e tem me feio muito bem! Parabéns por ter escrito algo tão bonito.

  14. Luciane Carneiro 15/02/2016

    Fiquei muito feliz ao ler esse texto, Thais. Adoro seu blog, e leio todos os posts, mas esse tive também que comentar. Desde o final do ano passado venho dizendo aos meus próximos que quero que 2016 seja um ano tranquilo, simplesmente. É muito bom saber que mais pessoas querem o mesmo, estamos realmente precisando disso. Seu blog é inspirador, continue com esse ótimo trabalho que nos ajuda a viver melhor! Um forte abraço!

  15. Mariza Fontinha Azevedo 22/06/2016

    Oi Thaís, que legal ! Tudo a ver com meu momento. Realmente as redes sociais me deixaram muito estressada.
    Toda hora reclamo disso, e agora encontro seu inspirador texto. Estou tentando desconectar… por uma vida mais
    leve. Grata