procrastinacao

Acho que praticamente todo mundo já teve uma tarefa que simplesmente não saía da lista. Ou porque era difícil, ou porque era chata, ou porque você simplesmente não sabia por onde começar, entre outros motivos. E o que é mais engraçado é que vira e mexe aparece uma dessas novamente na nossa vida. E aí, o que fazer? Deixar para o último minuto? Vamos bater um papo sobre como lidar de forma mais saudável e com menos pressão com essas tarefinhas.

Como saber se a tarefa importante

Em primeiro lugar, ela tem um prazo? Se tiver, esse é um bom guia. Além de analisar o prazo, pergunte-se: essa tarefa diz respeito a um acordo que fiz comigo mesma(o) ou com outra pessoa? O que acontece se eu quebrá-lo? Como vou me sentir? Será que ela faz parte de um projeto importante para mim ou que afete outras pessoas da minha equipe? Outras perguntas legais a serem feitas é se a tarefa diz respeito a um objetivo que você quer alcançar, por exemplo. Tudo isso pode te ajudar a desenvolver a motivação necessária para executá-la.

Destrinche em pedaços menores

Podem ser pedacinhos ridículos como: preciso fazer uma apresentação. Ok, então primeiro vou criar o arquivo PPT. Ótimo, agora vou fazer o template da apresentação. Fiz. Na sequência, vou inserir os títulos. E por aí vai. Destrinchar em pequenos (até pequeninos) passos pode ajudar.

Use a técnica Pomodoro

Marque o alarme do seu celular para tocar daqui a 25 minutos e, durante esse tempo, trabalhe focada(o) nessa tarefa, fazendo o melhor que você puder. Quando o tempo acabar, você pode parar e continuar depois ou, se tiver tempo e quiser, pode finalizar a tarefa. O fato de você ser “obrigada(o)” a focar nela durante esses 25 minutos tira uma vontade sabe-se lá de onde de completá-la, o que é sempre bom para o cérebro (e para você como um todo, já que conseguirá engolir esse sapo).

Esclareça melhor o que fazer e feito significam

Analise sua tarefa com lentes de produtividade: O que é isso? Qual a primeira coisa que devo fazer com relação a esse negócio nesse momento? Quando posso considerar isso concluído? Isso te ajuda a esclarecer melhor o que sua tarefa significa. “Montar apresentação” pode parecer difícil de fazer, mas “Criar documento PPT com título da apresentação” não. Saber que “ter a apresentação pronta até quinta-feira” é o seu resultado desejado faz seu cérebro pensar melhor na estratégia que você vai percorrer para chegar até lá.

E você, costuma procrastinar tarefas? Como você lida com elas?

COMPARTILHAR
Artigo anteriorSaiba como priorizar suas atividades diárias
Próximo artigoComo fazer um planejamento mensal de aniversários
Meu nome é Thais Godinho e meu guarda-chuva profissional engloba três temas: produtividade, organização pessoal e criatividade. As formas de operacionalizar esse trabalho que eu amo são essas: escrevendo no blog, publicando livros, estudando, ministrando cursos e fazendo atendimentos individuais, ajudando as pessoas a se organizarem. Você pode acompanhar minha trajetória pessoal e profissional neste blog, que existe desde 2006.

8 Comentários

  1. olá thaís. Uma dica aparentemente tão simples, mas de tanto impacto. A partir do momento que comecei dividir as atividades em pedacinhos, passei a render muito mais no trabalho e finalmente consegui concluir tarefas que estavam há tempos atrasadas. Só me resta a agradecer por dicas tão preciosas que tornam o nosso dia a dia mais simples. Suas palavras e o estilo de organização que transmite aqui no blog são minhas fontes de inspiração. Obrigada.

  2. Oi Thaís, você conhece o scrum?
    É uma metodologia/framework muito usada em desenvolvimento ágil de software, e alguns dos princípios são definir entregáveis e quebrá-los em tarefas menores, e definir o que é o pronto (DoD – definition of done).
    É muito interessante como definir o feito nem sempre é tão trivial quanto parece, principalmente quando você pergunta o que é o “feito” para duas pessoas. É um ótimo exercício.
    Você arrasa, garota :*

  3. Procrastinação é o meu nome do meio! Quando tenho uma tarefa que eu considero “chata”, não consigo evitar de a adiar até começarem a me cobrar. Já comecei a usar a técnica de dividir em tarefas menores e ajuda.
    Ainda não experimentei os pomodoros mas acho boa! Com a sua ajuda eu vou chegar lá!

  4. Gostei da tua sugestão, Thais! Realmente ela funciona, pois fiz uma retrospectiva sobre tarefas “chatas” e realizadas por mim, e lembrei que utilizei (inconscientemente) essa divisão em partes menores. Assim conseguia avançar na conclusão das tarefas.
    Parabéns por tuas sugestões!

  5. Nossa eu ando muito desanimada com meu trabalho…. Me acomodei demais…..todo dia eu olho aquela papelada e não me da vontade nem de pegar na mão….e vai se tornando uma bola de neve e a preguiça aumenta muito mais. Fora que a tecnologia me permite fazer coisas bem mais agradáveis…. Vou tentar essa de fazer por partes……pois mesmo não gostando mais do que faço preciso do meu salário.

DEIXE UMA RESPOSTA