ou

Eu não quero usar a palavra “crise” porque ela tem sido usada tanto ultimamente, para tudo, que ficou até banalizada. Prefiro dizer então que passamos por momentos difíceis, e que muitas vezes o que acontece no mundo, na economia, se reflete em nossos astral e em nossos sentimentos. Não é fácil viver bem sabendo que pode ser mandado(a) embora ou vendo crianças sírias sendo assassinadas na Europa no noticiário. Como a gente consegue passar por isso e ainda se manter bem, dentro do possível? Algumas sugestões:

Atenha-se aos seus valores

O que é importante para você? Quais seus princípios? O que te faz feliz? O que te deixa triste? Será que o seu dia a dia reflete os seus valores, gostos pessoais, desejos e motivações? Não sei se é exatamente hora de mudar (para mim, sempre é… a vida é uma mudança constante), mas a reflexão pode ser válida. Especialmente porque, no dia a dia, ao tomar decisões, esses valores fazem toda a diferença. Aí você também pode se desfazer do que não faz mais sentido para você e manter apenas o essencial, o que já é uma quantidade menor de coisas para se preocupar. Foco é importante.

Pare de falar em crise

Já falei sobre isso aqui no blog. Não estou “negando” a crise. Só estou sugerindo que a gente pare de focar nisso. Acredito muito em energias e acho que tudo o que a gente fala, a gente atrai. Quanto mais focamos no lado negativo das coisas, mais perturbada nossa mente fica com esse assunto e até a paciência e a esperança ficam menores no dia a dia.

Não brigue por política

Ser engajado(a) é legal, é excelente, mas as pessoas pensam diferente uma das outras e ideologia política é algo que se constrói com a vida, não algo que você muda porque ouviu a opinião de outra pessoa. Logo, não insista. Deixe cada um pensando da sua maneira. Se for trocar ideias, seja respeitoso(a). Não tolere desrespeito também. Não vale a pena manter por perto quem nos faz mal.

Não estagne a sua vida

Com tantos acontecimentos, é normal bater uma insegurança. No entanto, prossiga com seu planejamento. Investir em um curso, fazer um intercâmbio, procurar um emprego melhor, tirar férias. Não deixe tempos ruins paralisarem a sua vida por completo. Continue com seus planos. No final das contas, não existe estabilidade nunca. Tudo pode mudar a qualquer momento, com a economia em uma fase difícil ou não. Essa é a vida. Se você desanimar, não conseguirá sair do lugar. Ajuste suas metas à situação.

Descanse mais

A ansiedade não prejudica só a nossa mente, mas também nosso corpo (tudo está relacionado). Portanto, priorize mais seu descanso, suas horas de sono, seus momentos de lazer. Talvez valha a pena fazer um esforço extra aqui, agendar uma massagem, programar uma viagem, ir ao cinema, passear no parque, fazer coisas que normalmente você não faz por “falta de tempo”.

Guarde mais dinheiro

Muito do estresse vem da insegurança, especialmente financeira. Se isso te fizer melhor, guarde mais dinheiro do que está habituada(o). Procure reduzir gastos supérfluos, o que é uma boa prática financeira em tempos difíceis ou não.

Vamos cuidar de nós mesmos e ficar bem.

Thais Godinho
07/12/2015
Veja mais sobre:
7
Dá para viver sem pressa hoje em dia?
A importância do essencial
Separe a sua papelada para o imposto de renda

 

  1. fernanda 07/12/2015

    Ola! Muito interessante as suas dicas. Ainda mais nesse momento que o país está passando.

  2. Karoline Oliveira 07/12/2015

    Thais eu temo muito com esse lance de economizar.
    Sabemos que o que de fato sustenta nosso país são os microempreendedores. Se paramos de adquirir seus produtos e serviços, muitas pessoas acabarão desempregadas, o que pode piorar a situação difícil que vivemos. É lógico que devemos ser comedidos, mas isso vale para sempre e não só para agora.
    Uma vez escutei uma servidora pública federal dizendo: bom que agora aprendemos a não ser tão consumistas. É muito simples para ela que tem seu salário certinho todo mês não se importar com os comerciários, autônomos e etc, mas pra senhora que trabalha na marmitaria, saber que seus clientes não vão mais pedir o almoço com ela é ruim. Não seria o caso de sermos mais solidários e focarmos o dinheiro naqueles que serão mais atingidos neste momento?
    Também sou servidora pública mas penso diferente dessa colega.
    Abraço e excelente férias.

    • Thais Godinho respondeu Karoline Oliveira 09/12/2015

      Mas Karoline, eu não estou incentivando isso. Inclusive no post digo para ninguém parar com seus planos, fazer cursos, investir em si mesmo. Agora, o consumo desenfreado não estimulo nunca mesmo, com ou sem crise. E essa foi uma recomendação básica final, para quem está inseguro, achando que vai ser mandado embora ou algo do tipo. Consumir de forma consciente não significa não consumir. ;D

      Obrigada por comentar.

  3. Cris 08/12/2015

    Acredito muito que o pensamento concretiza…força do pensamento! A energia que está fluindo no país e no mundo é muito ruim…estamos em fase de transição de ciclos (e era previsto). O que temos que ter em mente é que as tempestades passam, mas temos que estar preparadas para elas. Confiar em você é de fundamental importância, o que temos que fazer nesse momento é nossa parte: Está desempregado? …inúmeras tentativas de envio de curriculum/entrevistas/contatos /network serão poucas, então a busca e a confiança tem que ser incessante. Se vc está empregado e o clima de instabilidade no mercado está grande…qual é o seu diferencial? Não se deixe abater pelo desanimo, lute junto com a empresa, por bons resultados, etc. E claro crer num Deus maior que tudo isso que dará a nós sabedoria e força para enfrentar TODAS E QUAISQUER dificuldades que possa aparecer…

    Obrigada pelas dicas Thais…são realmente muito relevantes

  4. Cler 21/12/2015

    Gostei memo dos seus conselhos. Obrigada!

  5. […] Passando bem por momentos difíceis […]

  6. Jéssica 31/12/2015

    Excelente texto.