ou

Escrevi este post originalmente para o grupo GTD Brasil no Facebook, mas quis trazê-lo para desenvolver com mais profundidade aqui no blog.

É muito comum, quando começamos a nos organizar, querer fazer tudo perfeito e de maneira completa. Uma agenda totalmente organizada, pastas de e-mails por assunto, Evernote devidamente etiquetado, muitos cadernos e pastas funcionando lindamente.

A tecnologia, então, oferece tantos recursos que dá vontade de testar todos. Todos os aplicativos, todos os gadgets, todas as receitas no IF, todos os filtros no Todoist.

Quando alguém me mostra todo o seu complicado sistema, cheio de recursos, eu fico me perguntando se aquele mesmo sistema será sustentável se a pessoa passar por apertos – de uma semana cheia de compromissos a uma semana internada em um hospital.

Sempre que você organizar algo em sua vida, pergunte-se se a solução encontrada é sustentável. Se é algo que você consegue fazer de forma simples, que não te atrapalhe no dia a dia, causando a sensação de perda de tempo. Deve ser o contrário.

Claro que qualquer tipo de modo de organização não vem de milagres. Um esforcinho diferente você vai ter que fazer – que seja escrevendo uma lista. O que estou querendo dizer aqui é que, muitas vezes, o esforço pode ser simplificado.

Quando eu criei aquele guia definitivo para uso do GTD no Evernote, eu frisei mil vezes que era para usuários avançados tanto de GTD quanto para Evernote por que motivo? Por que sou chata? Não. É porque ele tem tantas variantes, tanta coisa para fazer, que se você não for usuário de GTD nem do Evernote, vai se confundir ainda mais. Vai ser um sistema complicado. Você vai aliar tanto o aprendizado do GTD, que é para a vida toda, quanto o aprendizado dos recursos de uma ferramenta cheia de coisas, como o Evernote, quanto a logística do uso das etiquetas. Se você já usa GTD e Evernote, só tem que se habituar com o manuseio das etiquetas, o que é bastante simples.

Mesmo assim, não considero aquele modelo o mais simples de todos. E aí ele cai nisso que estou falando aqui: é um sistema que se sustenta nos piores momentos?

Construa seu sistema para os seus piores dias – não para os melhores.

O sistema mais detalhado e completo do mundo pode parecer perfeito, mas o trabalho para mantê-lo compensa?

Foi por esse motivo que eu venho simplificando cada vez mais o meu sistema.

Tem dias que estamos tão sobrecarregados que, se for difícil inserir uma próxima ação nova, algo está errado.

E é importante perceber isso para promover essas mudanças mais simples.

Thais Godinho
16/11/2015
Veja mais sobre:
9
Linkagem de domingo {48}
Erros de finanças que a gente comete ao longo da vida (e como consertá-los)
Atividades que você pode fazer no aeroporto se não tiver Internet