ou

Eu acho sempre interessante fazer esse resumo do mês aqui no blog porque consigo ver todos os textos que escrevi e, além de tudo, resumir as minhas atividades. Apesar de novembro ter sido um mês excepcional por eu ter ficado em repouso e toda a minha questão com a saúde (leia aqui: 40 dias), eu fiz muita coisa! E esse é o tipo de análise que a gente só tem quando chega ao final do mês e vê tudo o que fez. O engraçado é que, mesmo fazendo bastante coisa, não foi pesado. Eu acho que consegui priorizar bem e alternar trabalho e descanso – um equilíbrio que vou tentar levar adiante, mesmo com a saúde melhor.

Para mim, duas coisas foram mais significativas com relação ao blog em novembro:

  1. O fato de conseguir escrever bastante e ter praticamente um mês de posts já adiantados. Faz muito tempo que não consigo fazer isso (geralmente minha margem é de uma semana), então me sinto muito feliz e organizada por conseguir me adiantar assim.
  2. Estou bastante insatisfeita com os problemas que envolvem o layout dele e alguns estruturais – algo relacionado com plugins e banco de dados. Por isso, estou um pouco desanimada de olhar para a cara dele e manusear o blog como um todo. As categorias estão sendo reestruturadas, mas não consigo editar os posts para que eles fiquem certinhos logo – esse é o principal problema. Dá vontade de deletar e instalar tudo de novo. rs

Vamos ver então quais os posts deste mês de novembro:

Além das linkagens de domingo e outros posts de divulgação que não inseri neste post. 🙂 Produtivo o mês, não? Foram textos bem legais e escritos com bastante carinho. Espero que tenham gostado.

Sobre a minha vida em si, o mês, como disse, teve muitos acontecimentos. Eu passei o feriado de Finados em casa, ainda de repouso, sem poder sair e me movimentar muito. Aproveitei para ler bastante e escrever para o blog.

No dia 7, ministrei o curso online “Organize suas finanças”, que foi muito bacana. Fiquei muito satisfeita com o material e todos os participantes gostaram também. (Veja todos os cursos online)

Na semana seguinte, fiz meu primeiro treinamento depois de ter ficado internada. Estava com um pouco de receio, mas confiante depois do aval do meu médico e sabendo que alternaria as partes do longo do dia com outra instrutora, a Michelle (obrigada!). O treinamento foi no Grupo Pão de Açúcar e eu fiquei muito feliz por ter voltado.

treinamento-gpa

O que eu tenho feito é trabalhar um dia em treinamento e descansar no dia seguinte – nunca fazer um treinamento dois dias seguidos. Essa foi a recomendação do meu médico e estou seguindo fielmente. No sábado, dia 14, ministrei o workshop “Construa seu estilo e organize seu armário” com a Ana Soares (do Hoje Vou Assim OFF) e, mais uma vez, foi muito legal.

301115-resumo01 301115-resumo02

Obrigada a todas que participaram!

Apesar de ser um dia gostoso, eu não fiquei muito bem de saúde (por causa do ar condicionado) e passei o restante do final de semana descansando.

Quase uma semana depois eu fiz um novo treinamento – desta vez o meu segundo treinamento piloto para a certificação Nível 1 do GTD. Falta apenas mais uma turma para que eu possa ir para o passo seguinte, que é a avaliação. Provavelmente farei em janeiro.

301115-resumo03 301115-resumo04

No dia seguinte (o feriado do dia 20), eu tinha me inscrito para fazer um retiro no centro budista, pois há tempos eu não fazia e estava sentindo muita falta. Acordei cedo e foi muito bom participar pela manhã, mas não me senti bem com o ar condicionado da sala e precisei ir embora. Hoje eu vejo que minha saúde não estava ainda tão boa, mas eu não teria como saber se não voltasse logo a trabalhar (também não pagaria minhas contas né minha gente).

Eu tive um treinamento do Vida Organizada (é um treinamento baseado no livro) no Assai, para um grupo de trainees. Foi muito legal. (Se você quiser levar o Vida Organizada para a sua empresa, veja mais aqui)

treinamento-assai

Meu último evento do mês foi no dia 28, quando ministrei a turma aberta em São Paulo para implementação do GTD no Evernote. Foi uma turma extremamente participativa e o dia todo foi um grande bate-papo de muito aprendizado de GTD.

turma-aberta

Como eu cheguei ao final do mês? Gente, não vou mentir: cansada, porém melhor de saúde. Tenho me cuidado com prioridade total, nunca fazendo qualquer coisa que vá contra o que o médico me disse para fazer. Vou tirar alguns dias de folga em dezembro para desconectar e descansar a mente e, sinceramente, estou ansiosa por isso! Eu não sei se os problemas do blog estarão resolvidos até lá. Peço paciência a todos – farei meu melhor como sempre para que vocês não fiquem na mão.

E vocês, o que fizeram em novembro?

Thais Godinho
30/11/2015
Veja mais sobre:
9
Lidando com duas (ou mais) carreiras
Leve para o ano novo: manter a caixa de entrada vazia
Gerenciamento do tempo hoje (o que é para fazer todo dia e toda semana) – GTD

A linkagem de domingo é uma coletânea de posts que eu li e gostei durante a semana anterior. Os assuntos não necessariamente têm a ver com organização, mas definitivamente sempre são relacionados ao blog. Os deste domingo são os seguintes:

O Vida Organizada está passando por uma reestruturação geral, especialmente com links e categorias.

Thais Godinho
29/11/2015
Veja mais sobre:
4
Como organizar: Pós-graduação (2)
Os 6 melhores vídeos do Christian Barbosa que você precisa ver agora
Como eu estou usando o arquivo de referência rápida do GTD atualmente

Viver uma vida mais simples não é tão difícil. Trouxe neste post algumas atividades que faço aqui no meu dia a dia que ajudam a manter minha casa limpa e arrumada sem muito esforço, apenas seguindo o fluxo da nossa vivência dentro de casa.

Eu acredito que sejam mais hábitos que atividades pontuais:

  • Não deixar a louça acumular. Quero dizer: sujou, lavou. Quando faço comida, preparo tudo antes (pico os legumes, separo as carnes e os ingredientes). À medida que vou cozinhando, vou lavando o potinho ou prato que foi liberado. Não vou mais usar a faca, lavo. Quando termino de cozinhar, não tem absolutamente nada para lavar que não seja a própria panela com a comida feita. Quando terminamos de comer, já lavamos pratos, garfos e talheres. A FLY Lady fala tanto sobre a gente não ir dormir sem deixar a pia brilhando, como se fosse um momento ritualístico que a gente precisasse parar a vida para ir lá limpar a pia (sozinha). Aqui em casa é algo que acontece à medida que a vida acontece. Meu marido lava, eu lavo. Um aproveita para limpar a pia – o outro aproveita para limpar o escorredor. Não é um evento. Faz parte do nosso dia a dia.
  • Limpar o banheiro levemente. Aqui em casa não existe “dia a da faxina”. Eu acho legal limpar todos os dias um pouco, sob demanda, sem deixar a sujeira se acumular e sem fazer com que qualquer um perca um tempão limpando. Para mim é natural dar uma geral na pia toda vez que vou lavar as mãos ou escovar os dentes, ou dar uma esfregada no box quando vou tomar banho. Não faço isso sempre, mas faz parte da minha vida, sabe?
  • Fazer a “dança dos cômodos”. Eu adoro esse negócio! Funciona da seguinte forma: vai sair de um cômodo? Dê uma olhada para ver se algo não pertence a ele e você pode levar esse objeto para o cômodo certo. E eu fico chocada como sempre tem alguma coisa, haha. Uma peça de roupa, uma embalagem vazia, um livro, qualquer coisa. E é claro que, se deixar, você nunca sai desse fluxo e fica arrumando as coisas, indo para lá e para cá. Essa definitivamente não é a ideia. A ideia é justamente aproveitar quando se vai de um lugar para o outro. Quem tem escadas em casa pode se beneficiar muuuito dessa prática aproveitando quando sobe e quando desce, em vez de ter que fazer isso de propósito apenas para guardar as coisas. Ter esse hábito tão enraizado tem sido fundamental aqui nesses dias que estou de repouso e não posso levantar e fazer muito esforço (leia aqui: 40 dias). É um hábito tão simples e mantém a casa arrumada facilmente.
  • Passear pela casa com a famosa “sacolinha”. Antes eu fazia isso todos os dias – agora faço ocasionalmente, quando me dá vontade. Mas é basicamente pegar uma sacolinha e sair pela casa recolhendo o que for lixo. É muito comum termos papéis, folhetos de delivery, recibos, embalagens vazias de shampoo, cosméticos vencidos e tantas outras coisas que viraram lixo e nem percebemos. Não tem uma vez que eu faça isso que a sacolinha não saia cheia. Esse processo é fundamental para destralhar a casa e manter as coisas organizadas, porque não é possível organizar tralha. Se você fizer isso sempre, nunca precisará fazer um destralhamento radical.
  • Passar aspirador. Eu tenho um aspirador bastante prático que é um modelo que ganhei da Electrolux anos atrás, que parece uma vassoura. A bateria já não dura tão bem como no começo, mas dá para passear com ele pela casa e tirar cabelos, pelo de cachorro e outras poeirinhas. Tenho um aspirador mais completo que uso quando estou inspirada mas, para o dia a dia, ele funciona bem. Meu marido gosta de passar pano úmido no chão uma ou duas vezes por semana e, não tendo pó, facilita bastante o trabalho. Pode parecer um exagero usar muito aspirador, mas aqui em casa entra bastante poeira e, depois que eu tive problemas respiratórios, o cuidado foi redobrado. Nós temos cachorro também, então achamos fundamental e um grande fator que mantém a casa limpa.
  • Ter uma caixa de entrada para centralizar os papéis. Pode parecer muito “GTD user” esse item, mas o fato de ter uma bandeja onde centralizamos absolutamente todos os papéis que chegam da rua, todos os dias, facilita em muitos sentidos. Quando fiquei internada e não estava em casa podendo processar o que estava ali dentro, sempre que meu marido precisava de algo, ele sabia que estava ali. A coisa toda flui de maneira tão natural que eu realmente não sei como viver de outra forma procurando papéis por toda a casa. É algo que considero o básico do básico.

Todas essas medidas acima incluem atividades que consideramos simples e básicas no geral, como arrumar roupas, arrumar a cama, guardar a louça etc. Elas não citam especificamente, mas captam a ideia geral do que fazemos aqui em casa e que nos ajuda a ter um ambiente doméstico sempre limpo e arrumado.

Sou a favor de uma vida livre de obrigações com relação à casa. Penso que a casa seja nosso santuário – o lugar onde curtimos ficar, descansamos, convivemos com as pessoas que gostamos. Não é para ser um fardo, uma obrigação. Temos que ter uma relação mais leve com o lugar onde moramos, aproveitando melhor a experiência de viver ali, o que inclui, claro, cuidar desse lugar. Mas sem separar momentos de lazer dos momentos “tenho que fazer”. São todos partes de uma mesma coisa.

Thais Godinho
28/11/2015
Veja mais sobre:
15
O que significa ter um blog profissional
Use rotinas para melhorar sua produtividade
Aplicando o GTD ao seu espaço físico – como começar