A gente fala tanto sobre ter uma lista de coisas a fazer. Você já pensou em criar uma lista de coisas para não fazer?

Estar doente esta semana me fez pensar bastante sobre isso. Não que eu já não pense – afinal, é meu trabalho. Falo sobre organização, sobre foco, sobre escolhas e definição de prioridades. Mas eu notei que nunca, aqui no blog, eu falei sobre a lista de coisas para não fazer. O que seria isso?

Significa analisar agora sua agenda (ou calendário), suas listas de coisas a fazer, seus projetos, objetivos, tudo, e se perguntar: o que não precisa estar aqui agora? O que pode ficar para depois ou até mesmo ser excluído? Ou seja, promover o destralhamento das coisas a se fazer também, não só dos objetos em nossa casa ou local de trabalho.

E essa análise deve ser constante – pelo menos uma vez por mês, eu diria, ou quando você sentir que sua vida está caótica, estressante, desequilibrada. Sempre é um bom momento de reduzir, tirar coisas, focar em outras mais importantes.

E é claro que, quando a gente tem valores definidos, objetivos de curto a longo prazo etc, fica mais fácil ter parâmetros para fazer essas escolhas, porque sabemos quem somos e onde queremos chegar.

O que quero dizer é que estamos no meio de outubro e tenho certeza que muitos de vocês podem ter coisas importantes a fazer, que se propuseram a fazer ainda este ano, e não fizeram ainda. Por quê? Porque (provavelmente) mantiveram atividades e ocupações que te tiraram do caminho, te distraíram. Aproveite essa época do ano para fazer uma análise disso tudo e focar no que ainda quer completar nos próximos dois meses e meio.

E não é “porque o ano está acabando” que devemos fazer isso. Não! Mas é que ter uma deadline nos ajuda a atribuir senso de urgência a determinadas coisas que queremos alcançar. É ou não é?

Faça essa análise assim que puder. Tire o que puder. Foque no que realmente é importante. Tenha uma lista de coisas para não fazer.

Se achar complicado, use as seguintes perguntas como guia:

  • Você tem achado mais fácil ou mais difícil tomar decisões na sua vida ultimamente? O que você pode aprender com essa constatação?
  • Sua intuição te diz que você deveria estar fazendo alguma coisa agora? Quais os riscos de fazer? Quais os riscos de não fazer? O que de pior pode acontecer se você fizer? O que de melhor pode acontecer?
  • Na sua vida, você costuma se arrepender mais das coisas que fez ou das coisas que acabou não fazendo?
  • O que está causando um barulho maior na sua vida nesse momento? Algo que te preocupa e que você sabe que precisa resolver, mas não sabe por onde começar? É exatamente por aí que você deve começar. Como você pode silenciar esse barulho? O que te deixaria tranquilo(a) com relação a essa situação? Só de refletir um pouco sobre o assunto você pode chegar a insights interessantes.

Boa semana.

27 Comentários

  1. Oi Thais, como esta a saúde? Espero que esteja se recuperando 🙂
    Acho esse tema muitíssimo interessante – destralhamento de atividades, foco no essencial- e estou mergulhada nele nos últimos tempos, principalmente devido aquele livro q te indiquei em outro post (O Essencialismo).
    Minha vida estava muito bagunçada, fiz mtas escolhas por achar que eram boas oportunidades (entrei em uma faculdade pública concorridissima, mas me desliguei, fiz um curso técnico q não vou seguir na área, etc), mas depois da lida do livro (e tbm das suas dicas no blog) decidi me dedicar profundamente em uma coisa e fazer o melhor q eu puder nela – no caso, concurso público.
    Enfim, adorei o post e é exatamente o que eu estou buscando no momento. Estou me desviando de TODAS as ideias que não foram concebidas por mim (esse roteiro que a sociedade, q nossos amigos seguem mas q n pode ser o q a gente quer, ex: escola>faculdade>aposentadoria) e me perguntando “o que EU quero para mim? o que EU quero q a minha vida seja?”, encontro várias respostas que me fariam felizes, mas eu pego A MELHOR e invisto nela. SÓ nela. Estou tentando ter FOCO meeeesmo. Preciso me disciplinar!

    Beijão e fica bem logo!

    obs.: você é a minha blogueira favorita 😉 uma pessoa muito especial que me ensinou muito mesmo. Desde os 18 estou aqui lendo suas postagens (tenho 21) e vc me ajudou a lidar com os dilemas da vida adulta (sair de casa, etc). MUITO obrigada! Te desejo o melhor, sempre 😀

    • Desculpa me intrometer, mas achei seu comentário muuito pertinente e, junto com o post, tem tudo a ver com as minhas reflexões recentes. Acho que me perdi na fase de “coleta” e entulhei as “próximas ações” com muitas coisas que, no momento, seriam melhores ficar em “talvez / algum dia”.
      Vou procurar o livro que vc indicou. Em troca, te sugiro “As intrépidas aventuras de um jovem executivo”, do Daniel Pink. Gostaria de tê-lo lido antes. Simples e certeiro.

      E Thaís, melhoras! Ah, eu fui na reunião do GTD aqui no RJ e amei! Pessoas muito legais e interessantes :o)
      Torcendo pra conseguir vaga na turma piloto :o)

  2. Oi Thais!!
    Acho que esse é o post q eu precisava para colocar algumas coidas na minha vida em ordem!
    Obrigada pela inspiração de sempre!!!

  3. Thais, adoro seu jeito de escrever. Me sinto recebendo novidades de uma prima distante. Tudo o que você diz combina com nosso dia a dia. Você é sensivel, diz o que pensa e pelo jeito, não fica ensaiando. Diz e pronto! Parabéns!
    Adorei o Post, vou colocar em prática.
    Adorei o livro da Patricia Lages que você indicou. Já comprei e estou lendo.
    Beijos, melhoras.

  4. Olá Thais,

    Desejo melhoras e uma pronta recuperação para você.
    Que bom este texto. Realmente, nunca havia pensado sobre isso e achei muito interessante mesmo.
    Obrigada!!!

    Beijos!

  5. Querida Thais,

    Como sempre gosto muito do que você escreve e te admiro pelo seu jeito de ser e que você deixa bem claro pela maneira que passa assuntos tão importantes, que nos ajudam tanto.Melhoras e espero receber mais textos maravilhosos.

    Beijos.

  6. Oi Thais!

    Sou uma leitora assídua do blog e posso dizer que esse post foi fundamental pra mim. Não sei se já te falaram, mas você consegue expressar com muita clareza e verdade seu estado de espírito, e até mesmo seu humor às vezes, e isso faz com que a gente se sinta muito próximo a você. Sim, tem o toque pessoal do blog, que faz parte do seu estilo de escrita e da linha editorial, mas acredito que o seu talento nos atinja um pouco mais fundo, de uma maneira que poucos escritores fazem. Estou torcendo para que você se recupere logo e que você se cuide com bastante amor e carinho, como se você fosse seu filho! Já pensou, que loucura! Nós mães somos mesmo assim, cuidamos de todos e de tudo, e às vezes precisamos de uma lista de coisas para não fazer. Ideia coletada! Mais uma vez obrigada, e uma plena recuperação. Beijos! <3

  7. Oi Thais!

    Que pena que você não está muito legal. Passando pra te desejar melhoras. Descanse bastante, beba muito líquido e se concentre em melhorar 🙂

    Estou lendo a nova edição do GTD em português e estou com a mente – e a caixa de entrada – borbulhando! Estou gostando bastante do novo approach, não sei explicar se é porque agora já aplico o GTD há um tempo ou se é porque o livro ficou mais óbvio na nova edição, mas ao mesmo tempo que parece que eu estou lendo um livro novo, eu concordo com tudo! Me pego quase balaçando a cabeça afirmativamente ao final de cada parágrafo rs

    Quando terminar de ler faço um comentário mais específico.

    Beijos e se cuide!

  8. Olá Thaís!
    A quase um ano minha tia indicou teu blog pra eu acompanhar, ela me mostrou várias tabelas e dicas que vem executando através de tuas idéias e dicas e eu Ameeeei!

    Estou atualmente me sentindo em “rotação de 360 C” KKKKK, tenho uma filha de 4 meses, voltei a trabalhar, tranquei a facul, não exerço a função que “estudei”, minha vida financeira ta uma bagunça, e não sei o que fazer!
    O que me consola são teus post e os posts do pessoal que comentam aqui.
    Te desejo melhoras, e Parabéns pelo teu trabalho! bjs

  9. Oi Thais,
    Eu tenho o hábito de fazer listas do que não fazer, mas com coisas que já fiz e sei que me fazem mal ou que atrapalham meus projetos. As vezes algo como “não brigar com tal pessoa” ou “não deixar de fazer algo em função de outra coisa”. Parece bobo, mas me lembra de situações que já viveciei, uma memória de experiências que não deram certo.
    Beijos, boa semana.

  10. Parabéns Thais, eu estou muito nessa vibe de redefinir minhas prioridades, estou lutando com muitas coisas só por ter pressa mas talvez não seja por esse lado que eu tenho que ir e uns posts desses servem para me abrir os olhos!
    Beijos

  11. Thaís, só quero deixar um comentário, não tem muito a ver com o tema não!!! Toda vez que me sinto desmotivada, que olho para as coisas que faço e não vejo os benefícios que me trazem, eu sempre entro no VO e a inspiração, garra e determinação “voltam para dentro de mim”. Muito obrigada por isso!!

  12. As listas são sempre bem vindas, te direcionam, e te guiam…até mesmo as que não fazer, pois te dá segurança para o que está “em aguardo” e o que de fato não é para ser feito, fiquei um pouco confusa no decorrer da leitura, ou seja, é para fazer depois ou é para NÃO fazer? Beijos Thaís…se cuida, melhoras…e repouso 😉

  13. Nossa Tais, vc não tem noção de como o seu blog me ajuda. Sério, eu li todos os posts do site e aprendi e aprendo muito com vc. Melhoras!

    bjs

  14. OI THAIS TUDO BEM?
    VOU FAZER ISTO,AS VEZES A GENTE QUER ESCOLHER O MAIS FACIL A FAZER OU AS VEZES O QUE NAO TEM TANTA IMPORTANCIA PARA FAZER NAQUELE MOMENTO.MAS VOU FAZER ISTO.OBRIGADA
    MELHORAS.

DEIXE UMA RESPOSTA