ou

A gente fala tanto sobre ter uma lista de coisas a fazer. Você já pensou em criar uma lista de coisas para não fazer?

Estar doente esta semana me fez pensar bastante sobre isso. Não que eu já não pense – afinal, é meu trabalho. Falo sobre organização, sobre foco, sobre escolhas e definição de prioridades. Mas eu notei que nunca, aqui no blog, eu falei sobre a lista de coisas para não fazer. O que seria isso?

Significa analisar agora sua agenda (ou calendário), suas listas de coisas a fazer, seus projetos, objetivos, tudo, e se perguntar: o que não precisa estar aqui agora? O que pode ficar para depois ou até mesmo ser excluído? Ou seja, promover o destralhamento das coisas a se fazer também, não só dos objetos em nossa casa ou local de trabalho.

E essa análise deve ser constante – pelo menos uma vez por mês, eu diria, ou quando você sentir que sua vida está caótica, estressante, desequilibrada. Sempre é um bom momento de reduzir, tirar coisas, focar em outras mais importantes.

E é claro que, quando a gente tem valores definidos, objetivos de curto a longo prazo etc, fica mais fácil ter parâmetros para fazer essas escolhas, porque sabemos quem somos e onde queremos chegar.

O que quero dizer é que estamos no meio de outubro e tenho certeza que muitos de vocês podem ter coisas importantes a fazer, que se propuseram a fazer ainda este ano, e não fizeram ainda. Por quê? Porque (provavelmente) mantiveram atividades e ocupações que te tiraram do caminho, te distraíram. Aproveite essa época do ano para fazer uma análise disso tudo e focar no que ainda quer completar nos próximos dois meses e meio.

E não é “porque o ano está acabando” que devemos fazer isso. Não! Mas é que ter uma deadline nos ajuda a atribuir senso de urgência a determinadas coisas que queremos alcançar. É ou não é?

Faça essa análise assim que puder. Tire o que puder. Foque no que realmente é importante. Tenha uma lista de coisas para não fazer.

Se achar complicado, use as seguintes perguntas como guia:

  • Você tem achado mais fácil ou mais difícil tomar decisões na sua vida ultimamente? O que você pode aprender com essa constatação?
  • Sua intuição te diz que você deveria estar fazendo alguma coisa agora? Quais os riscos de fazer? Quais os riscos de não fazer? O que de pior pode acontecer se você fizer? O que de melhor pode acontecer?
  • Na sua vida, você costuma se arrepender mais das coisas que fez ou das coisas que acabou não fazendo?
  • O que está causando um barulho maior na sua vida nesse momento? Algo que te preocupa e que você sabe que precisa resolver, mas não sabe por onde começar? É exatamente por aí que você deve começar. Como você pode silenciar esse barulho? O que te deixaria tranquilo(a) com relação a essa situação? Só de refletir um pouco sobre o assunto você pode chegar a insights interessantes.

Boa semana.

Thais Godinho
19/10/2015
Veja mais sobre:
Objetivos, Prioridades
27
Próxima turma aberta da Call Daniel em outubro
Hoje não tem post!
Dúvida da leitora: o que fazer com os comprovantes de débito?