ou

Estou procurando parceiros para me ajudar a levar os workshops do Vida Organizada para outras cidades (inicialmente, as capitais). Procuro locais que tenham estrutura para receber um curso de 4 a 6 horas, com disponibilidade para coffee, estrutura de projetor, telão etc, com capacidade para até 35 pessoas e cadeiras com mesas.

Tenho interesse especial em espaços de coworking. Podemos inclusive fazer uma parceria para usuários locais também.

Se você conhecer um lugar legal para indicar ou for o proprietário, por favor, entre em contato! Tenho tido um pouco de dificuldades para encontrar esses lugares em outras cidades.

Workshop "Construa seu estilo e organize seu guarda-roupa" no Rio de Janeiro, com Ana Soares

Workshop “Construa seu estilo e organize seu guarda-roupa” no Rio de Janeiro, com Ana Soares

Workshop "Construa seu estilo e organize seu guarda-roupa" no Rio de Janeiro, com Ana Soares

Workshop “Construa seu estilo e organize seu guarda-roupa” no Rio de Janeiro, com Ana Soares

Nós também estamos buscando parceiros com relação a outras ideias, como sorteio de brindes nos workshops e até mesmo patrocínio. É uma maneira bem legal de levar sua marca a um público segmentado.

Workshops disponíveis:

  • Organize sua vida
  • Construa seu estilo e organize seu guarda-roupa, com Ana Soares, consultora de estilo e blogueira do Hoje Vou Assim OFF, um dos melhores blogs de moda do Brasil

São workshops sucesso de público total em SP e no RJ, que queremos levar a outras cidades para conhecer leitores de todos os estados e, assim, poder ajudá-los a se organizarem para terem mais qualidade de vida.

Se puder e quiser ajudar, por favor, entre em contato através do e-mail workshop@vidaorganizada.com. Obrigada!

Thais Godinho
20/08/2015
Veja mais sobre:
21
7 ideias de presentes para o Dia das Mães
O que é a técnica Pomodoro e como utilizar
Tente esvaziar todos os dias a caixa de entrada do seu e-mail

Como eu contei no post anterior, fiz a análise de cores com a Ana Soares (consultora de estilo e blogueira do Hoje Vou Assim OFF) e, depois disso, resolvi abandonar o conceito atual de armário-cápsula e reavaliar todas as minhas roupas de acordo com a cartela que funciona bem para mim, que é a Outono puro.

200815-cartela03

Fiz a análise de cores na sexta, fizemos nosso workshop no sábado e, no domingo de manhã, eu peguei a mala onde tinha guardado todas as roupas que não selecionei para o meu armário-cápsula de inverno e levei para o quarto para analisar peça a peça. Eu já tinha algumas peças em mente que estavam guardadas mas, no geral, foi uma agradável surpresa abrir a mala e me deparar com roupas que eu não lembrava que eu tinha! Afinal, foram mais de dois meses usando somente as peças do armário-cápsula. Foi como comprar muitas roupas novas de uma só vez! Essa é uma vantagem legal do armário-cápsula, eu acho – essa “redescoberta” divertida.

Munida da minha cartela de cores (acima), eu separei todas as minhas roupas (as da mala + as do armário-cápsula) em três pilhas:

  1. Roupas com as cores da minha cartela favorável
  2. Roupas que não têm cores da minha cartela
  3. Roupas que não têm cores da minha cartela, mas quero usar, gosto e quero “dar um jeito”
Sim, eu também fiquei meio "OMG" colocando essa quantidade enorme de roupas na cama

Sim, eu também fiquei meio “OMG” colocando essa quantidade enorme de roupas na cama

Incrível a quantidade de roupas. Juro que fiquei chocada. Acima, vocês podem ver à direita a pilha com as peças que têm a ver com a minha cartela de cores. Ainda não recebi a cartela impressa com as cores e usei meu tablet para comparar, mas pretendo fazer uma nova análise com mais precisão quando tiver a cartela impressa.

Meu primeiro sentimento foi: puxa, eu tenho até que bastante roupas com as cores da cartela. Daria até para montar um armário-cápsula só com elas. 🙂 Então o que eu fiz foi guardá-las no guarda-roupa, já para ter uma noção do volume.

Analisando tais peças, também já percebi escolhas melhores que eu poderia fazer. Uma blusinha de tal cor com um tecido mais natural, um caimento melhor. Pensar sobre o nosso inventário de roupas é um exercício muito legal.

200815-armario03

Depois eu peguei a pilha de roupas que não tinha nada a ver com a cartela nem achava que valeria a pena investir e guardei de novo na mala. Daqui a três meses eu avalio de novo, com mais calma, e então separo para doar aquilo que realmente não tem mais nada a ver comigo.

Da pilha de roupas com cores que não são da cartela, mas eu queria manter, eu fiz o seguinte:

  • Peguei as partes de baixo (saias, vestidos, calças) e vesti, buscando fazer aquela combinação que a Ana ensina, da proporção de 5 partes de cima para 1 parte de baixo.
  • Se a parte de baixo não tivesse muitas partes de cima combinando, ela iria para a mala também. Esse exercício foi surpreendente porque a maioria acabou não combinando mesmo, então eu guardei. Ou seja, eu iria manter por simples apego ao negócio e nunca ia usar!
  • Eu tenho muitas camisetas de bandas (a maioria preta) e de serviços que eu divulgo, como o Hootsuite, o Todoist e o Evernote. Eu achei legal manter, mesmo sendo de cores que não componham a cartela.
  • Eu também tenho algumas partes de cima de outras cores não tão favoráveis que eu vou tentar usar fazendo aqueles truques de usar um acessório ou a maquiagem. Porém, quando arrumei no guarda-roupa, já fiquei um pouco desanimada de cara, pensando: “puxa, não combina mesmo com o restante”. Mas vou dar uma chance. No geral, o que eu vejo é que algumas peças que não são da cartela combinam apenas com outras que também não sejam, tipo uma camisa azul pastel com uma calça cinza chumbo.

Guardei essas roupas identificando, com um adesivo laranja, que elas não pertencem à minha cartela de cores. Com isso, pretendo no dia a dia tentar perceber o uso e combinação delas com as outras peças, para tentar substituir aos poucos (ex: trocar a jaqueta de couro preta por uma marrom) e observar se elas estão realmente sendo usadas. Trata-se apenas de um uso mais consciente das minhas peças. Estou adorando fazer!

200815-armario04

Agora se trata de uma construção do estilo mesmo, buscando entender essas cores e fazer novas combinações. Engraçado que, quando uso preto, já não me sinto da mesma maneira. Estou louca por um laranja, verde, amarelo. Fazer a análise de cores abriu muito o meu leque de opções e tem me ajudado a valorizar mais meu estilo ao me vestir.

Essa análise continua. Aguardem cenas dos próximos capítulos. 🙂

Thais Godinho
20/08/2015
Veja mais sobre:
Armário cápsula, Cores, Estilo, Moda
11
5 desculpas para não destralhar a casa
Parede preta na sala e menu semanal
Bolo de chocolate da Julia Child