ou

Na semana passada, aproveitei a vinda da Ana para São Paulo para nosso workshop Construa seu estilo e organize seu guarda-roupa (vou falar mais sobre ele nos próximos dias!) e agendei para fazermos uma análise de cores – um serviço específico oferecido por ela, que é consultora de estilo. Foi tão legal e impactante na minha vida que quis escrever um post contando para vocês!

Vale começar explicando o que é essa análise de cores e para que serve.

A análise de cores é um método que identifica quais são as melhores cores e tonalidades para cada pessoa. Há cores que rejuvenescem, suavizam a textura da pele, valorizam os traços nos deixam com carinha mais descansada e até iluminam o rosto. Outras salientam manchas, rugas e olheiras, e até nos deixam mais apagadas, com carinha de cansadas. As cores não reagem da mesma maneira em cada pessoa e a análise da coloração pessoal identifica temperatura (quente ou fria), profundidade (delicada ou suave) e intensidade (mais viva ou mais opaca) de cores na gente, dando o direcionamento das coordenações!

O sentido é o de encontrar as melhores cores que vão acompanhar as cores que a gente já tem: nossa pele, cabelo e personalidade e guiar na construção do guarda-roupa. A cor tem que harmonizar e valorizar esse conjunto e não se destacar mais que o nosso rosto! Normalmente a própria cliente já tem um feeling das cores que mais funcionam, por exemplo: quem se sente bem de azulão, lilás e pink pode ter coloração fria e quem se curte de laranja, salmão e vermelho pode ter coloração quente.

Quem quiser usar alguma cor que não esteja na cartela pode driblar isso reforçando cores da cartela na maquiagem, usar algum acessório como colar, brinco ou um lenço próximo ao rosto na cor que favoreça ou usar essa cor mais distante do rosto, na parte de baixo do look e em menor proporção no caso de estampas.

Texto: Ana Soares

Quem convive comigo já me ouviu falar pelo menos uma vez sobre o assunto e, no workshop de sábado, muitas participantes ficaram curiosas, então este post é para explicar como foi o processo e tirar dúvidas!

Em primeiro lugar, queria contar de onde surgiu a motivação para fazer a análise. Eu trabalho com a minha imagem, então estou em um processo de construção do meu estilo, de saber o que fica bem, o que não fica, e como posso valorizar mais quem eu sou externamente através de algumas “técnicas”, por assim dizer.

No passar dos anos, eu já comprei muitas roupas e itens de maquiagem que acabava não usando e não sabia por quê. Muitas vezes, achava uma cor maravilhosa mas, ao vestir, não conseguia usar. Não me sentia bem.

Eu já tinha percebido que algumas cores ficavam bem em mim e outras nem tanto, mas não tinha qualquer parâmetro para escolha. Já tinha lido diversos textos na Internet sobre temperatura das cores mas, libriana que sou, achava cada hora que uma cartela de cores combinava mais! Eu precisava de ajuda profissional!

Foi aí que perguntei à Ana se poderíamos aproveitar a presença dela em São Paulo para realizar este trabalho, e ela topou.

Nos encontramos durante o dia, porque a análise precisa ser feita com a luz natural.

200815-cartela01

Como explicado no texto acima, são observadas muitas variáveis, todas envolvendo seu tom de pele, cabelo, íris. A Ana faz uma observação atenta e minuciosa, compara, faz perguntas. O processo todo levou cerca de 1h30 a 2 horas.

Ela “neutralizou” o cabelo e a roupa que eu estava usando com uns paninhos, assim pôde analisar criteriosamente meu tom de pele. Ah, vale dizer que ela me pediu para não usar nadinha de maquiagem nesse dia, pois senão isso poderia prejudicar a análise. Ao cobrir cabelo e roupa, ela foi testando diversas cores de tecidos perto do meu rosto para observar e comparar.

Ela foi vendo se o meu tom de pele era quente, frio ou neutro. Meu tom de pele é quente, meio amarelado, então depois desse diagnóstico ela foi testando possíveis cores que combinassem mais (ou não!) comigo, para me mostrar na prática aquilo que ela estava vendo.

200815-cartela02

No geral, existem 12 cartelas de cores possíveis, baseadas nas estações do ano. A minha cartela de cores boas é a Outono puro, o que, como falei para a Ana, não poderia ser mais propícia – eu sou totalmente “outono puro”!

200815-cartela03

De cara, o que logo me chamou a atenção foi: não tem preto! E quem me conhece sabe como eu gosto de usar preto – talvez pela viés roqueira ou algo assim. A Ana disse que já tinha reparado que o preto não ficava tão bem em mim (inclusive eu estava de preto nesse dia).

E aí eu pergunto para vocês, né minha gente: como você faz quando descobre que só duas das quase 40 peças do seu armário-cápsula têm cores da sua cartela? Conselho da Ana: “Thais, o armário-cápsula é um exercício legal para você começar a pensar sobre o que combina, o que não combina, a descobrir como comprar de forma mais consciente e fazer combinações. Mas se você já aprendeu isso, chega. Eu não acho legal nada proibitivo – sou a favor da educação e conscientização na moda?”. E não é?

Eu não quero ficar usando peças de roupas que não me valorizem apenas porque me propus a fazer o armário-cápsula. Naquele dia, eu decidi que faria uma análise apurada de todas as minhas peças e me ateria à cartela de cores que a Ana analisou como a melhor para mim. Já digo que foi o dia que decidi não usar mais o armário-cápsula, o que passei a mudar no domingo.

O legal de analisar a cartela acima (já estou apaixonada por ela!) é ver como posso usar tons neutros que tenham mais a ver. O branco fica super contrastante em mim, mas um amarelinho ou bege não! Mesmo os tons mais escuros – marrons, verdes, azuis, são mais amarelados. Eu saí da análise de cores já querendo mudar tudo!

200815-cartela04

Sobre o preto: posso usar? Gente, nada é proibido! Poder eu posso, mas preciso saber que não é a cor mais adequada, apenas, ou que me valoriza mais. E então posso compensar usando acessórios com as cores certas próximos ao meu rosto (colares, brincos, lenços) ou caprichando na maquiagem com o mesmo objetivo. Ou até mesmo usando uma roupa preta estampada, cuja estampa tenha as cores que me favoreçam.

“O mais bacana de saber a sua cartela de cores, é perceber que a cor certa pra você te ilumina; você recebe elogios, destaca o olhar. A cor que não favorece ressalta possíveis manchinhas e refletem tons na pele que nos deixam apagadas. Mas o melhor foi também saber que nada é impeditivo! Se você ama determinada cor que não te favorece, alguns artifícios podem ser empregados.”

Ana Soares

Naquele dia eu cheguei em casa e já fui analisar meu armário-cápsula (só tinha duas peças favoráveis…) e os acessórios que eu tinha que poderiam ser usados, e descobri que as roupas que eu mais gostava de usar (tirando o preto, que já me acostumei!) tinham cores da cartela. Verde militar, azul petróleo, abóbora, mostarda. E fiquei me sentindo meio boba porque, puxa, internamente eu já sabia disso. Por que passei tantos anos da minha vida comprando roupa preta, branca, azul marinho, porque pensei que eram os tons básicos que serviam para todo mundo? Falta de conhecimento de moda mesmo.

E aí você vê como moda é uma coisa importante não apenas para como você se mostra para o mundo, mas para fazer você se sentir melhor, aumentar sua auto-estima e, com isso, sua confiança para lidar com o mundo. Se todo mundo soubesse a importância de um trabalho como esse, pensaria um pouco mais antes de sair comprando qualquer peça em liquidações.

Depois do workshop de sábado, onde já avisei todo mundo sobre a transformação, eu decidi reservar minha manhã de domingo para pegar minhas roupas que estavam guardadas + as roupas do armário-cápsula e fazer uma nova seleção. O resultado foi surpreendente, mas vou contar em um próximo post!

Muitas pessoas ficaram interessadas no sábado sobre esse serviço que a Ana oferece, então quero deixar aqui o contato dela para quem quiser saber mais e contatá-la para fazer um orçamento: hojevouassimoff@gmail.com ou através de seu blog Hoje Vou Assim OFF. A Ana vem bastante a São Paulo e pode atender clientes daqui sem qualquer problema, basta combinar! Eu recomendo MUITO. Obrigada, Ana. <3

Thais Godinho
19/08/2015
Veja mais sobre:
Beleza, Cores, Estilo, Moda
53
Quando não estiver em um dia muito produtivo, faça uma coisa de cada vez
O que te inspira a limpar a casa?
Mais espaço de armazenamento no Google Drive

 

  1. Marilia 19/08/2015

    Olha, vou te dizer uma coisa, não aderi ao armário cápsula porque na minha cidade é verão o ano todo, não faz sentido, mas aderi ao conceito do consumo consciente, desapegar e analisar o estilo. Descobri que adoro o conforto em primeiro lugar e demorei semanas pra me achar, e agora sei que sou “street básico” (e passei anos achando que era rocker, mas não), foi e está sendo um exercício intenso de auto-conhecimento. Percebi que amo roupas coloridas, e que um AC não me permitiria usar a minha cartela de cores, mas deixaria muito limitada. Sei que mudo meu estilo de acordo com o bronze da minha pele (que pra quem mora no Nordeste um fim de semana basta). Ou seja, o conceito minimalista do AC está sendo adotado, mas número X de peças, não! Estou desapegando de tudo que você pode imaginar, em casa, roupas, sapatos, livros, maquiagem, tudo que for em excesso, sem me limitar à quantidade, mas a qualidade, até porque minha demanda de roupas é enorme, e 40 peças em uma semana vão muito fácil, lavo roupa todos os dias, são muitas peças mesmo. Gostaria muito de analisar minha cartela de cores, quem sabe um dia. Excelente post e curiosa pra ver o próximo sobre o seu AC novo.

    • Thais Godinho respondeu Marilia 19/08/2015

      Seu processo parece incrível. Obrigada por comentar. Eu acredito que essa construção do estilo tenha tudo a ver também.

  2. Camila 19/08/2015

    Thais, fiquei chocada com a comparação das cores. Como o vermelho ficou muito melhor que o roxo!
    Eu moro no mesmo bairro que a Ana e acho que vou pedir um orçamento.
    Tenho percebido como o meu guarda-roupa é colorido e estampado. E também como as lojas, pelo menos aqui no Rio, oferecem mais esse tipo de peças. Eu gosto muito, mas pra quem quer minimizar o guarda-roupa, peças estampadas não são muito fáceis de combinar.
    Estou ansiosa pelos próximos posts porque esse assunto de guarda-roupa tem me chamando a atenção.

    • Thais Godinho respondeu Camila 19/08/2015

      Eu também fiquei chocada! Tomara que você consiga fazer, porque é realmente impactante! Obrigada por comentar.

  3. Elaine 19/08/2015

    Adorei ler o seu depoimento. Sou consultora de imagem também, em Brasília, e sei bem como a vida das minhas clientes mudaram quando conheceram as suas cores. Sucesso com sua nova imagem, cuide bem da sua marca que é você! Já te acompanho por aqui há um tempão. Bjs

    • Thais Godinho respondeu Elaine 20/08/2015

      Obrigada, Elaine!

    • Gabi Gonçalves respondeu Elaine 21/12/2016

      Oi Elaine, vc pode passar seu contato? Queria muito fazer esse tipo de serviço aqui em Bsb

  4. Dayana 20/08/2015

    Tenho uma intuição de que eu seja outuno, mas pode ser porque acho as cores tão lindas! A única certeza que tenho é de que sou definitivamente quente, adoraria saber quanto às variações. Pena que moro no DF… Se alguém souber de algo parecido por aqui 😉

    • Thais Godinho respondeu Dayana 20/08/2015

      Mas veja só: outono ainda mais três cartelas (outono puro, suave e profundo!). Eu acho super difícil definir – antes ficava meio maluquinha. Acho que só um profissional mesmo consegue.

      Talvez a Ana conheça alguém. Nós mesmas estamos querendo levar nosso workshop para BSB, então talvez você consiga combinar essa análise com ela quando formos.

    • anne respondeu Dayana 21/08/2015

      a elaine que comentou logo acima de voce eh consultora e mora em brasilia 😉

    • Lúbina respondeu Dayana 21/08/2015

      Oi Dayana!! eu moro em Brasília e fiz uma consultoria com a Vivil (vivil.imagem@gmail.com). Excelente profissional, recomendo muito! :* Sucesso para você!

  5. ANA CAROLINA 20/08/2015

    Nossa fiquei MUITO interessada!!! Mas moro em Vitória/ES…difícil achar algum serviço desse tipo por aqui. Rs. Mas quem sabe quando ela for no Rio eu não vá até ela né? Beijo

    • Thais Godinho respondeu ANA CAROLINA 20/08/2015

      Olá Ana,
      Ela mora no Rio de Janeiro.
      Entre em contato com ela!

  6. Leticia 20/08/2015

    Oi, Thais
    Eu fiz minha análise de cores em fevereiro de 2011 (em Curitiba) e digo que mudou a minha vida! Sou verão e a partir de então não compro nada se não estou com minha cartela de cores para roupas, acessórios, maquiagens e pedras/joias. Amei sua explicação!
    Quero ver se consigo fazer este armário cápsula, porque achei a proposta super interessante.
    Amo seu blog, dicas e posts. Um abraço.

    • Thais Godinho respondeu Leticia 20/08/2015

      Muito legal você deixar seu depoimento, Letícia. Todo mundo que eu converso, que fez essa análise, fala que foi um divisor de águas mesmo. E é! Obrigada por comentar.

  7. Camila 20/08/2015

    Adoraria fazer uma análise de cores e ter uma cartela de cores como guia para comprar roupas.
    Sempre tenho dúvidas na hora de escolher uma roupa colorida (estampada então nem se fala!), então acabo comprando preto. (O pessoal deve achar que eu vivo de luto! rs)
    Enfim, adorei a dica.

  8. Debora 20/08/2015

    Oi Thais,
    também fiz minha análise de cores com a Ana e foi demais: mudou minha vida mesmo!
    Tem mais de um ano isso e desde lá para cá só venho colecionando elogios! Faz uma diferença enorme mesmo usar as cores que te favorecem!
    E somos gêmeas: também sou outono puro kkkk

    Espero que essa informação também transforme a sua imagem para muito melhor, como aconteceu comigo.
    Beijos

  9. anne 21/08/2015

    nunca fiz essa analise mas tenho certeza absoluta de que minha cartela de cores eh essa, tambem! principalmente depois que fiquei ruiva passei a prestar mais atencao nisso. ate fiz as pazes com ostons de rosa mais quente/antiguinhos, acho que fica otimo com a cor do meu cabelo atual, vermelho acobreado.

    ate as biju dourada que eu amo aparecem ali no cantinho… (nesse momento sinto pena dos sonserinos com cartela de cores outonal, haha)

  10. anne 21/08/2015

    aah e por favor, digam que voces vao fazer esse workshop de novo,eu queria TANTO ir mas tou super sem grana 🙁

  11. Gabriela 21/08/2015

    Esse definitivamente é um serviço que tenho que buscar. Além de ser super positivo para o meu autoconhecimento, algo que busco muito, estou em um processo de seleção das minhas roupas e saber as minhas cores favoráveis seria muito útil. Outro ponto que tenho interesse é em uma consultoria de estilo. Seria tão mais fácil que alguém analisasse o meu estilo e me dissesse qual é, pois ir em busca de peças só com a intuição muitas vezes me faz perder dinheiro.

    • Thais Godinho respondeu Gabriela 21/08/2015

      É uma construção em conjunto. O profissional apenas direciona, e é maravilhoso!

  12. Vania Lacerda 23/08/2015

    Interessantíssimo este post. Essa questão das cores é sempre um ponto que pega… A única cor que tenho certeza absoluta que é “minha”, que estaria em qualquer possível cartela é o azul-turquesa. Sei porque é a cor que fatalmente me rende elogios qdo visto, independente do tipo da roupa.

    • Thais Godinho respondeu Vania Lacerda 24/08/2015

      E é uma cor maravilhosa também!

      Dá uma olhada na cartela que tenha a cor – pode ser uma indicação da melhor cartela para você!

  13. Raquel Leite 24/08/2015

    Olá, Thais e Ana! Adorei a experiência e a redescoberta de estilo. Mas fiquei na dúvida quanto a não considerar o tom de cabelo, cobrindo-o. Eu sempre preferi tons claros próximo ao rosto, pois o marinho, marrom e preto deixavam meu cabelo super apagado (meu tom de pele e castanho do cabelo são bem parecidos com o seu, Thais!). Hoje que estou com o cabelo puxando para o loiro, adoro o contraste com peças escuras. Pode explicar? 🙂

    Beijos!

    • Thais Godinho respondeu Raquel Leite 24/08/2015

      Considera sim, mas a Ana pode explicar melhor.

    • ana soares respondeu Raquel Leite 27/08/2015

      Oi Raquel! Considero sim o contraste pele/cabelo/sobrancelha e cores dos olhos, eles fazem parte da análise da estação junto ao método das bandeiras de cores. Considero a profundidade e intensidade da pele e a personalidade da cliente inclusive! 🙂 Esse método isola o rosto para chegarmos a um resultado final mais preciso, mas se eu sinto que o cabelo pode influenciar nisso, faço a análise sem isolá-lo, isso vai muito do olhar e sensibilidade da consultora de estilo! No da Thais eu já tinha os elementos que precisava e isolar o cabelo acabou não influenciando tanto – também sempre pergunto pra cliente do seu feeling, das cores que gosta…Beijos, espero ter esclarecido!

      • Raquel Leite respondeu ana soares 28/08/2015

        Obrigada pela resposta, Ana! Esclareceu sim 🙂
        Beijo!

  14. Sybylla 24/08/2015

    Super sou Outono Puro, mas também tô cheia de roupa preta no armário! Hahaha! 😀

    Interessante a questão das cores. Nunca me ocorreria sobre qual cor me deixa mais jovial ou menos cansada. Vou começar a reparar melhor nisso.

    Obrigada, Thaís!

  15. Daniela Dantas 26/08/2015

    Eu estou seguindo mais a concepção do Oficina de Estilo (5 partes de cima para cada parte de baixo) do que para o armário-cápsula em si.
    Acabei ficando com peças que tb tem a ver com meu tom de pele (eu sou outono profundo), mas depois de um tempo vi que nem todas estão no meu gosto pessoal… Então desisti de verde mais claro, vermelho, azul celeste… Pelo menos no guarda-roupa de inverno.
    Como diz a Ana, não é proibido, mas devemos sempre usar, além do que nos cai bem, aquilo que nos faz sentir bem…
    PS.: fiquei um tempo offline e agora estou me acostumando com as mudanças do site!!!

  16. Katia Ferreira 06/09/2015

    Que reviravolta! Thais…
    Mas adorei saber disso e já sigo a Ana no instagram.
    Vamos aprender a brilhar!

  17. Eliane Fortes 15/11/2015

    Thais, fiz essa análise há 3 anos, e mudou muito a forma como eu me via e como usava as cores nas roupas. Eu sempre achei que minha pele combinava mais com as cartelas de outono, tons mais fechados, e sempre usei cores sóbrias: preto, cinza, vinho, mostarda, azul marinho. Porém durante a análise fiquei CHOCADA com os testes das cores na minha pele: simplesmente as cores que eu mais usava me “davam” olheiras, enfatizavam linhas de expressão, deixavam com aparência cansada… a pior foi a cor terracota, que me criou um queixo duplo!!!

    Após quase 2 horas, eu e minha consultora chegamos na minha cartela: Primavera Clara! De cara comprei blusas amarelas, pink, verde água, turquesa, e todos passaram a comentar que eu estava com a aparência mais “feliz”! Eu que sempre trabalhei com cores (sou arquiteta e designer de eventos), subestimava o poder delas sobre minha própria aparência. Foi realmente um divisor de águas. Super recomendo!

    • Thais Godinho respondeu Eliane Fortes 15/11/2015

      Primavera Clara é uma cartela linda… a Ana ficou em dúvida durante um bom tempo entre ela e a minha.

      Concordo sobre ser um divisor de águas… como eu comprei roupa errada toda a minha vida!

      Obrigada por compartilhar.

  18. Cilene 14/12/2015

    Gostei muito e me interessei em fazer a análise em cores. Uma pena que a profissional não responde 🙁
    Mandei e-mails, deixei recado no blog e nada.

    • Thais Godinho respondeu Cilene 15/12/2015

      Que estranho, Cliene! Faz tempo? Porque a Ana participa de muitos eventos, dá aulas, e não tem assistente, por ex. Talvez ela demore uns dias para responder mesmo.

  19. Márcia 29/12/2015

    Thais, estou louca de vontade de fazer uma análise cromática. Só estou com medo de descobrir que 2/3 do meu guarda-roupa não funcionam e pegar bode das roupas, que eu gosto e custaram $…

    • Thais Godinho respondeu Márcia 30/12/2015

      Mas esse descobrimento é importante, não é?

      De qualquer forma, você não precisa se desfazer das roupas – existem truques de stylist para contornar essa questão. 🙂

      Boa sorte.

  20. […] Eu fiz: análise de cores em consultoria de estilo […]

  21. […] peca a peça) Essa peça tem uma cor que me favorece? Você pode saber mais sobre análise de cores para se conhecer […]

  22. Eliane A. Duvekot 05/02/2016

    Oi Thais,
    Fiz essa análise de cores, há 30 anos atrás…
    Sim, foi entre 1985 e 1987, quando só estudava e conheci uma mulher maravilhosa, americana,
    que deu uma aula fantástica sobre as cores e sua influência nas nossas vidas!
    Fiquei apaixonada por “minha” Cartela: Primavera!
    Naquela época, eu acho que não existiam as subdivisões nas estações…
    Gostaria muito de entrar em contato com a Ana.
    Você poderia me passar os contatos dela?
    Muito obrigada!
    Ah, sigo você há bastante tempo!
    Amo seus posts!
    Bjss

  23. Munique 02/03/2016

    Olá Thais,
    Sou fã do trabalho da Ana, fiz consultoria com ela há 2 anos e amei!!!! valeu cada centavo!
    Hoje compro muito menos e de maneira mais seletiva e consciente (penso e repenso antes de comprar). A análise de cores é ao mesmo tempo incrível e frustrante…rs. Descobrir que o preto não lhe cai bem é terrível!! Mas fiquei feliz em saber que o marrom e o verde que tanto amo, me caíam bem foi muito bom!!! Minha cartela é primavera pura!
    Realmente super indico o trabalho da Ana!!!!

    Beijos!!!

  24. Rita 24/06/2016

    Alguém poderia indicar uma profissional que faz este trabalho em BH, por favor?
    Obrigada

  25. Márcia 16/07/2016

    Gostaria de saber onde posso comprar a cartela de cores Outono Suave.

    • Thais Godinho respondeu Márcia 17/07/2016

      Oi Márcia, tudo bem?
      Ao contratar o serviço, a cartela vem inclusa.
      Outra opção é mandar imprimir em uma gráfica da sua região.

  26. […] A Thais Godinho, do Vida Organizada, foi minha cliente de análise de cores e na época ela até compartilhou a sua experiência com o processo e como isso foi transformador nesse post. […]

  27. Jeane 19/08/2016

    Legal, ajudou bastante. Por gentileza onde vende mostruários de tecidos, já pronto? Em Brasília, ou cidade satélite.

    Responda no meu email por favor!

  28. Jeane 19/08/2016

    Em Brasília onde vende mostruário de cores de tecido?

    Obrigada