ou

Neste post, vamos falar sobre quanto tempo se leva para implementar o GTD, o que é necessário providenciar no seu espaço físico e as ferramentas utilizadas.

Tempo

Tempo inicial para aprender a teoria. Você pode ler o livro “A arte de fazer acontecer” (David Allen), ler os posts do blog ou fazer um curso.

Depois, de um a dois dias para implementar. Isso significa criar as listas nas ferramentas, providenciar material, arrumar seu espaço físico de trabalho, entre outras atividades.

Para virar um “faixa-preta” no GTD, a média é de dois anos. Porém, o aprendizado do GTD é para a vida inteira, então você só precisa começar.

Quanto tempo vou precisar investir nesse começo?

A ideia é que você invista de duas a três horas para fazer a sua primeira captura completa. Você pode fazer em um final de semana ou feriado, “se não tiver tempo”. Lembre-se que este é um investimento em você. Se achar que não vale a pena, não é obrigado a fazer.

Depois, você precisará processar todo esse material capturado, o que pode levar de seis a oito horas. O processo demora porque serão muito itens e a ideia é que você pense com inteligência sobre eles. Você quer ter controle sobre a sua vida, certo?

É importante saber que, no dia a dia do GTD, não será necessário gastar tudo isso de tempo. Estamos falando do começo, para quem nunca fez uma coleta na vida. Se você já coleta seus itens habitualmente e está utilizando a série como guia para revisão, não precisa passar novamente por este passo. Por experiência própria, gosto de uma vez por ano repetir esse processo para garantir que não esteja me escapando nada.

Procure não fazer esse processo depois de um dia de trabalho, quando sua mente estará cansada. Você precisa de concentração para lidar com essas informações.

Tente também não deixar passar muito tempo entre a captura e o processamento, porque você pode perder mais informações nesse meio-tempo. Se lembrar de mais coisas, continue capturando.

Espaço

A primeira coisa que você vai fazer para começar a usar o GTD é organizar o seu espaço de trabalho. Ele precisa estar organizado para começarmos de fato, pois não dá para trabalhar em um lugar bagunçado.

É importante que esse seja um espaço pessoal seu, e não dividido com um colega de trabalho ou membro da família. Não precisa ser um cômodo inteiro ou uma mesa – mas os limites precisam estar definidos.

O que você precisará ter nesse espaço: superfície suficiente para escrever e uma caixa de entrada. Só.

Você também pode querer ter:

  • um telefone
  • um computador
  • uma bandeja para ser a caixa de entrada
  • gavetas para pastas suspensas
  • estantes ou prateleiras

Dica legal: se você trabalha bastante fora ou viaja muito, vale a pena ter (também) um “escritório em trânsito”. Você pode providenciar uma pasta ou mochila com pastas e todos os itens que você precisa.

Que materiais eu vou precisar?

Basicamente, itens rotineiros de escritório:

  • papéis para anotar (muitos)
  • canetas
  • post-its
  • clips
  • grampeador
  • fita adesiva
  • elásticos
  • rotuladora (opcional, mas recomendo pela praticidade)
  • uma agenda ou calendário
  • uma lixeira vazia

Também serão necessárias ferramentas de captura. No geral, as pessoas costumam ter as seguintes ferramentas utilizadas como caixa de entrada:

  • caixa de entrada física, daquelas de plástico, madeira, couro ou qualquer outra similar
  • cadernos, blocos de notas, post-its
  • computador, smartphone, tablet
  • dispositivos de gravação de voz
  • e-mails

O que é importante é que você estabeleça um lugar para ser a sua caixa de entrada. Recomendo que seja um lugar físico, para simplificar.

Ferramentas

Não precisa usar uma única ferramenta para o GTD. O próprio David diz: escolha boas ferramentas para as diversas funções. Quem faz a sincronização entre uma e outra é você, sem dramas. O GTD vem da época que não existiam apps e nada sincronizava com nada, e sempre funcionou. Não é uma “limitação” técnica que fará com que alguém deixe de usar uma ferramenta ótima para implementar o GTD.

As ferramentas que você precisará são:

Uma ou mais ferramentas para fazer a coleta

É importante que você anote tudo aquilo que não pode esquecer, no GTD. Quando você for começar a usar o método mesmo, vai fazer uma super coleta guiada, que será o tema do próximo post, provavelmente. E a ideia é que essa coleta vire um hábito para você. Portanto, faz sentido que você tenha sempre com você uma ferramenta para coletar.

A ferramenta de coleta mais comum que existe é o papel. Eu acho mais rápido de escrever, transportar, não dependo de bateria nem de limitações como “desligue seus aparelhos eletrônicos”. Minha ferramenta preferida para coletar é um simples bloco de papel e caneta, que tenho sempre comigo.

Você pode comprar bloquinhos ou usar folhas reaproveitadas de trabalhos ou impressões que não usará mais. Eu faço as duas coisas. Gosto de comprar um pacote da marca Spiral que vende na Kalunga, com 10 bloquinhos, e custa uns 9,50 reais. Sempre que sobra algum papel que não será mais usado por aqui, eu recorto cada folha em umas oito partes e utilizo para coleta também.

bloquinho-coleta

É importante fazer a coleta em cada pedaço de papel porque, ao processar, você já se livra dele. Além disso, você consegue se concentrar em um único item de cada vez. Mas claro que isso é a minha prática. Existem outras ferramentas de coleta, tais como:

  • Caderno (usei durante muitos anos)
  • Aplicativos de notas no celular (o próprio Evernote pode ter um caderno chamado “entrada”)
  • Aplicativos de tarefas que tenham uma área para entrada (o Todoist tem)
  • Gravador de voz
  • Enviar e-mail para si mesmo

Além dos bloquinhos, onde anoto ideias, coisas a fazer e lembretes diversos, gosto de usar folhas de sulfite para notas de reuniões e mapas mentais diversos que faço no dia a dia. Como gosto de digitalizar e enviar para o Evernote, a folha de sulfite é a ideal – fica bem certinha digitalizada.

Uma ou mais caixas de entrada físicas

É importante poder centralizar toda a papelada que você coleta em um único lugar, em vez de deixar tudo espalhado – uma coisa na bolsa, outra na mesa da cozinha, outra no escritório. Mesmo que você não faça a coleta do GTD em formato de papel, você ainda vai lidar com muitos deles no seu dia a dia, como contas, documentos, trabalhos dos filhos que vêm da escola, entre outros. É importante ter um lugar para centralizar o que chega até você, e esse lugar é a caixa de entrada física.

O ideal é ter uma em sua mesa de trabalho e outra em casa.

Eu utilizo uma comprada na Kalunga (que, na loja, está classificada como “organizador de escritório”), da marca Acrimet, que custa uns 45 reais:

caixa-de-entrada-gtd

Você pode usar uma bandeja de madeira ou de plástico ou até mesmo uma caixa de presente para ser a sua caixa de entrada. O importante é que ela seja de fácil acesso e sem complicações (como uma tampa). E deve ficar na sua mesa.

Como eu me desloco muito, também gosto de ter uma pasta dentro da minha bolsa ou mochila para os papéis, recibos e outros que chegam até mim ao longo do dia. Quando chego em casa, transfiro para a caixa de entrada. Eu uso uma pasta da David Allen Company que o Daniel me deu de presente (comprada nos Estados Unidos), mas você pode usar qualquer pasta.

Eu uso a vermelhinha desse jogo

Eu uso a vermelhinha desse jogo

Uma lixeira para papel

Pode parecer besteira falar assim, mas é importante ter perto de você uma lixeira para jogar fora papel. Eu recomendo que você já a deixe equipada com a sacola verde, que representa o lixo reciclável, e jogue somente papel ali dentro. Você vai usar bastante.

Algumas pessoas gostam de ter uma fragmentadora de papel. Ela não é necessária para o GTD, mas a lixeira sim. Use as variações que quiser.

Um tickler

O tickler é uma espécie de agenda física ou digital onde você insere documentos – bem resumidamente. A ideia é a seguinte: você assinou um documento que vai precisar novamente só daqui a 10 dias – onde você guarda? Você imprimiu o voucher do hotel para uma viagem que acontecerá somente em três dias – onde ele vai ficar? Você começará em um novo emprego no dia 27 e precisa levar muitos documentos – onde os colocará? Enfim, o tickler é para esse tipo de arquivo corrente que você vai precisar nos próximos dias ou meses.

Mais para a frente nesta série eu vou explicar cada uma das funções que estou citando neste post direitinho. O que será necessário você ter, no caso do tickler, é um sistema que acomode 43 pastas – 12 pastas para os meses do ano e 31 pastas para os dias do mês. Eu acredito que a melhor maneira de se fazer isso seja usando um arquivo para pastas suspensas, como este da Ordene:

tickler-ordene

Eu tenho um arquivo (o móvel mesmo) com três gavetas para pastas suspensas e uso apenas uma delas (a primeira) para o meu tickler. Comprei na Tok&Stok (da linha Boss):

bossaq3_cvbr

Algumas pessoas me perguntam se podem usar uma pasta com 12 divisórias apenas para os meses, e eu sempre digo que é melhor usar o que funciona para cada um (melhor isso do que nada, digamos assim). Porém, não é o GTD mesmo. A recomendação de ter divisórias para os dias é importante seguir, e à medida que você for se aprofundando no método vai ficar mais claro o motivo.

Também dá para fazer o tickler em formato digital (é legal ter os dois). Você pode fazer isso de algumas maneiras:

  • Pastas no computador representando os meses e os dias
  • Cadernos, tags ou lembretes no Evernote, com a mesma função
  • Anexando arquivos a um evento no seu calendário (no Google e no Outlook dá para fazer)

Um arquivo de referência

Referência é todo aquele material que, por algum motivo, você quer ou precisa guardar. Certidões, documentos, comprovantes e toda sorte de arquivos. Eu recomendo que você tenha um físico (para tudo aquilo que ainda precisa ser físico – cartões de crédito, passaporte, documentos assinados, certidões) e um digital, para tentar colocar a maioria das coisas e liberar espaço físico em casa e no escritório, além da possibilidade de compartilhar, se necessário.

Para o arquivo físico, você pode usar:

  • Um móvel para pastas suspensas, como o meu ali em cima
  • Um arquivo menor para pastas suspensas
Esse é da marca Dello e vende na Kalunga

Esse é da marca Dello e vende na Kalunga

  • Pastas de plástico
  • Caixas (tipo aquelas de presente, decoradas)
  • Pastas de arquivo morto, de papelão ou de plástico

Para o arquivo de referência digital, você pode utilizar as seguintes ferramentas:

  • Um HD externo
  • As pastas do seu próprio computador
  • Evernote
  • Dropbox
  • Google Drive

Eu utilizo diversas ferramentas dessas, porque cada uma tem uma função diferente. Por exemplo: como regra geral, tudo vai para o Evernote. Porém, trabalho com arquivos mais pesados (vídeos, imagens, áudios) que não cabem no Evernote, então uso o Dropbox. Na Call Daniel, é usado o Google Drive para referência do time, então também preciso manusear por lá. Não precisa ser uma única ferramenta, desde que faça sentido para você. Basta criar processos.

A recomendação do David Allen para o arquivamento é arquivar em ordem alfabética e de uma maneira que seja dedutiva para você.

O que é importante sobre o arquivo de referência é que deve ser muito fácil de armazenar coisas nele e criar pastas. Se houver limitações, você vai acumular coisas fora dele outra vez. Pense nisso!

Uma ferramenta para criar listas

Todo o sistema GTD se baseia no manuseio de listas. Portanto, escolha aquela ferramenta que simplesmente funcione para você ou que você gostar mais. Todas as ferramentas abaixo suportam listas e são recomendadas:

  • Todoist
  • Evernote
  • Toodledo
  • Wunderlist
  • Outlook
  • Google Tasks
  • IQTell
  • Lotus Notes
  • Trello
  • GQueues
  • Remember the milk
  • OmniFocus
  • Things
  • Caderno de papel
  • Fichário
  • Pastas catálogo
  • Fichas 3×5
  • Lembretes do celular
Toodledo

Toodledo

O recomendável é que a ferramenta tenha alguma forma de fazer anotações em um item da lista, para informações diversas e planos de projetos.

Eu acredito que o mais importante, quando se fala em uma ferramenta de listas, é que seja fácil o acesso a ela, para usar sempre que necessário. Não adianta uma lista de mercado, por exemplo, que fica na sua casa, por mais linda que seja, sendo que você vai precisar dela quando estiver no mercado. Da mesma maneira, de nada adianta uma ferramenta incrível que você use no seu computador mas não consegue acessar de outro. Tudo isso deve ser observado.

Um calendário

É necessário utilizar um calendário para ações e lembretes com data e hora no GTD. Todas as ferramentas abaixo podem ser usadas com essa finalidade:

  • Agenda de papel
  • Google Calendar
  • Calendário do Outlook
  • Calendário impresso
  • Filofax
  • Moleskine planner
Google Calendar

Google Calendar

A recomendação do David é que o calendário seja visualizado semanalmente, então busque por essa configuração ao comprar uma agenda de papel, por exemplo.

Uma ou mais ferramentas para manusear arquivos de suporte a projetos

Você vai manusear informações referentes aos seus projetos e é necessário organizá-las. Para isso, você pode ter pastas físicas ou manusear arquivos digitais. Podem ser as mesmas ferramentas que você utilizou para seus arquivos de referência. A função é parecida – a diferença é que os arquivos de suporte a projetos estão em uso corrente e pode ser mais adequado deixá-los com acessibilidade facilitada. No formato físico, isso pode significar uma pasta mais próxima de você do que dentro de um arquivo, por exemplo. Monte a sua configuração!

Algumas ferramentas de listas sincronizam com ferramentas comumente usadas para arquivos de referência. Isso é ok. Porém, uma maneira de “sincronizar” é você simplesmente escrever no campo de anotação da tarefa na sua lista o local onde está esse arquivo, ou inserir uma URL (se o arquivo for digital) no mesmo campo. Não deixe de usar uma ferramenta que você gosta apenas por esse detalhe.

Encontre ferramentas que façam sentido para você! E nada é engessado – você pode mudar depois, especialmente no que diz respeito às listas. Porém, procure desde já encontrar a que gosta mais, porque isso é parte importante do processo.

Dúvidas? Poste nos comentários! 🙂

Thais Godinho
04/06/2015
Veja mais sobre:
Série: Aprenda GTD
57
Lançamento: A arte de fazer acontecer, edição 2015
Montando um sistema de arquivos de referência no GTD
Organize sua caixa de entrada de e-mails

 

  1. Denisar 04/06/2015

    Olá, Thais!

    Encontrei o seu site há algum tempo por acaso navegando no Youtube em um destes canais literários. Lá a mocinha estava falando sobre o blog preferido do ano (para ela) e citou o “Vida Organizada” como o melhor blog do ano (na opinião dela). Pois bem, eu fui pesquisar e de lá pra cá é muito difícil eu ficar um dia sem entrar aqui pelo menos uma vez. Ganhou minha admiração também e tem me ajudado em muitas coisas da minha vida.
    Mas, outro dia postei um comentário questionando sobre o método GTD, em minhas palavras perguntei mais ou menos assim “O que é esse tal método GTD?”. Porque realmente até o momento entendo muito pouco sobre o método, sempre leio as postagens aqui, mas me sinto muito perdido… Por outro lado ele me desperta muita curiosidade e vontade de aprender porque a minha vida tem sido tão corrida últimamente que acho que o GTD pode me ajudar de alguma forma a gerir meu tempo. Tenho dividido meu tempo entre trabalho e aulas na faculdade de engenharia durante a semana, estudos individuais à noite quando chego depois do trabalho por volta das 21 horas, curso de inglês aos sábados pela manhã e ainda estudo pra concursos públicos quando dá (seguindo o método de ciclos do Alexandre Meirelles)… Ou seja, está MUITO corrido tudo.
    Penso que esta série sobre os métodos GTD, começando do básico mesmo, pode ajudar pessoas como eu que ainda estão começando e entendem pouco… Já instalei o Evernote e digitalizei a papelada toda, já configurei as etiquetas e cadernos como vocês sugeriu etc, agora só preciso aprender a usar O GTD. rsrs
    Por favor, continue com a série nos ensinando o método.
    Aguardo ansiosamente pelas próximas postagens da série, obrigado!

    Afetuosamente,

    Denisar.

    • Thais Godinho respondeu Denisar 04/06/2015

      Obrigada, Denisar!
      E depois me diga o nome da vlogueira para eu agradecer também.
      Se tiver alguma dúvida sobre a implementação do GTD, fique à vontade para postar.

      • Denisar respondeu Thais Godinho 05/06/2015

        Olá, Thaís.

        Pois não, a vlogueira chama-se Pam Gonçalves do canal “Garota It”.
        Não sei se é indelicado da minha parte deixar o link aqui, mas de toda forma o canal dela é esse: https://www.youtube.com/user/TvGarotait

        Novamente, obrigado por tudo, sigo acompanhando…

        Atentamente,

        Denisar

    • Simone Alencar respondeu Denisar 04/06/2015

      Entrei ha poucos meses no mundo do GTD. Estou só com o pé e a produtividade aumentou um absurdo! Já tenho lazer sem culpa 🙂
      Sugiro que vc leia o Guia Introdutório que a Thais tem aqui no blog, foi com ele que eu comecei. Tem também um grupo de GTD no Facebook, onde dá para tirar as duvidas. E, é claro, os livros do David Allen e da Thais.

      Boa sorte e não espere ter tempo para implantar o GTD. Ele que vai te dar tempo!

      Simone

      • Denisar respondeu Simone Alencar 05/06/2015

        Olá, Simone.
        Obrigado pelas dicas!

  2. Hugo Cravo 05/06/2015

    Muito bom o post!
    Eu uso o wunderlist + evernote. Esse conjunto é sensacional. Com o primeiro, da até pra dispensar o calendário. Todas listas ficam lá. Uso o segundo para manter documentos digitalizados.

    • Thais Godinho respondeu Hugo Cravo 05/06/2015

      A vantagem de usar uma agenda é ver os blocos de tempo – questão da dimensão.

      • CamilaP respondeu Thais Godinho 08/06/2015

        Olá!
        Pra mim é wunderlist + evernote + sunrise!
        O sunrise recebe as tarefas do wunderlist e os alarmes do evernote, ou seja, sincronização perfeito hehe
        Claro que sempre rola anotar alguma coisa em papel, caderninho ou sei lá o q…
        O snrise é perfeito pros blocos de tempo 🙂

  3. Nay 05/06/2015

    Amei o post! Descobri que ainda me faltam algumas ferramentas essenciais, como o INBOX em casa.
    Também uso o Google Calendar (agenda) e Evernote (arquivo de referência digital). Para listas, estou usando o Todoist há 8 meses e amando!

  4. Leticia 05/06/2015

    Oi Thais, obrigada pela série, muito bom o post.

    Estou tentando implementar o GTD e ainda sinto algumas dificuldades. Talvez, por trabalhar na área acadêmica eu tenha estranhado um pouco a terminologia, por exemplo: “projeto”, usamos muito para outra coisa. Enfim, vou errando aqui, acertando ali e sempre seguindo em frente.
    Estou usando o Toodledo+Evernote e no Toodledo vi que existe a função outlines, aliás muito parecido com o workflow, como posso usar esta função?

    Abraços

    • Thais Godinho respondeu Leticia 09/06/2015

      Oi Letícia, tudo bem?
      Vou responder sua dúvida em um post que entrará no ar em 10/06.
      Obrigada por comentar!

  5. Mari Abramo 05/06/2015

    não tem sobre métodos de organização de estudo? 🙁

  6. Rhayana Cordeiro 05/06/2015

    Olá, Thais!

    Estou acompanhando o seu blog e quase terminando de ler o livro do David e me surgiu uma dúvida a respeito do processo de coleta. Normalmente, antes de ler a respeito do método GTD, eu processava imediatamente as tarefas que chegavam até mim em vez de deixar em uma caixa de entrada. A minha dúvida é o que faço, por exemplo, com as demandas que chegam e precisam ser feitas no mesmo dia, mas que não posso concluir no momento em que elas chegam. Qual solução você sugere?? Jogar na caixa de entrada e processar a mesma todo dia? Criar uma lista para tarefas do dia??
    Só quero uma alternativa, que como li no livro, me faça confiar no sistema.

    • Thais Godinho respondeu Rhayana Cordeiro 09/06/2015

      Oi Rhayana, tudo bem?
      Sua dúvida será respondida no post que entrará no ar em 10/06.
      Obrigada!

      • Rhayana Cordeiro respondeu Thais Godinho 09/06/2015

        Okay!! Aguardo ansiosa. 😀
        Obrigada pela atenção!!

  7. Danniel Bustamante 05/06/2015

    Olá Thais,
    Bom, acompanho o blog já há algum tempo, aplicando várias dicas de organização ao meu dia a dia. Porém, mais recentemente, após ler o seu livro, resolvi comprar o livro do David Allen e tentar aplicar o método GTD à minha vida. Ainda o estou estudando e aprendendo, e apanhando (rsrsrs), mas deixa eu aproveitar o comentário e te perguntar o porque do David criticar as pastas suspensas? Pois eu, infelizmente, não consigo visualizar nenhuma outra estrutura para implementação da sistemática…
    As pastas que ele fala, que ficam em pé sozinhas na gaveta, sustentadas por chapa móvel, você tem ideia que pastas seriam essas?
    Obrigado e abraço!

    • Thais Godinho respondeu Danniel Bustamante 09/06/2015

      Oi Danniel, tudo bem?
      Vou responder sua dúvida em um post que será publicado em 10/06.
      Obrigada!

  8. Renata 05/06/2015

    Thais, eu estou, aos poucos, apreendendo o método…Devo dizer que bastou eu definir as ferramentas de coleta que muito coisa melhorou, principalmente o meu jeito pensar. Estou acompanhando suas dicas e comparando com o que estou fazendo. Por favor, não pare de nos ajudar…rs. Obrigada!

  9. Beatriz Pinheiro 06/06/2015

    Olá, Thais!
    Primeira vez que comento por aqui e já tenho que te agradecer por compartilhar sempre que pode dicas tão boas para nos organizar! Obrigada!
    Então, eu gosto bastante do método GTD e estou tentando aplicá-lo na minha rotina, porém gostaria de sugestões para o uso de um tickler. Não tenho espaço suficiente no meu quarto (ambiente de trabalho/estudo) para ele no momento. Você tem alguma sugestão?

    Grata,
    Bia.

    • Thais Godinho respondeu Beatriz Pinheiro 09/06/2015

      Oi Beatriz, tudo bem?
      Vou responder sua dúvida em um post que será publicado em 10/06.
      Obrigada!

  10. Flaviano 06/06/2015

    Olá. Você usa um organizador de escritório como o da foto, com as pastas e divisões, como sua caixa de entrada? O mais comum são as caixas de bandeja tradicionais. Poderia nos explicar melhor como você faz?

    • Thais Godinho respondeu Flaviano 06/06/2015

      Uso apenas a divisória da frente como entrada e as outras para arquivos de suporte a projetos.

  11. Michelly 07/06/2015

    Thais, esse organizador de escritório da Kalunga inclui as pastas coloridas, como está na imagem?

  12. Jéssica 07/06/2015

    Olá Thais. Primeiramente, parabéns pelo blog. Eu acompanho faz tempo, apesar de ser a primeira vez a postar algum comentário!rs. Pois bem, estou empolgada a implementar o GTD junto com o seu acompanhamento, porém estou com uma dúvida cruel sobre projetos e como consequência as ferramentas para gerenciar. Nao consigo identificar o que seja um projeto e como que vou gerenciar isso, entende ? Por exemplo, qndo penso em algo que quero da minha vida, acho que caio mais em objetivos (pois são de longo prazo).
    Será que vc poderia me dar alguns exemplos e como seria gerenciar tal projeto ??
    Abraços; )

    • Thais Godinho respondeu Jéssica 09/06/2015

      Oi Jéssica, tudo bem?
      Vou responder sua dúvida em um post que será publicado em 10/06.
      Obrigada!

  13. Zilda 09/06/2015

    Oi Thais! Adorei esse post pq me ajudou a começar a implantaçao do Gtd, li o livro, mas ainda me sentia meio perdida, teus posts foram uma luz no fim do tunel. Obrigada!

  14. Maria Carolina Urizzi 11/06/2015

    Thais!! Este é o post definitivo!!!!
    Estou acompanhando o blog há uns 2 meses, tenho gostado muito de tudo q leio por aqui, e sim, estou tb interessada em GTD, porém confesso q ainda não tava sentindo a coisa na prática… e esse post conseguiu me fazer entender q, guardadas as devidas proporções, o GTD já é uma prática q eu adoto há mto tempo, mas não via como procedimento, como método.
    Este texto foi bastante importante para a minha compreensão, e tb para aparar algumas arestas q resultarão em melhoria profissional e pessoal. Irei mantê-lo na caixa de entrada sinalizado p consultas oportunas 😉
    Com mta gratidão e carinho,
    Carol

  15. Eliane 16/06/2015

    Thais, você recomenda integrar agenda com o aplicativo de listas? Uso Google calendar e Todoist, e hoje descobri e instalei uma extensão do Todoist dentro do Calendar e do Gmail.
    Obrigada,
    Eliane

    • Thais Godinho respondeu Eliane 18/06/2015

      Recomendo inserir manualmente para ter mais controle.

    • Simone respondeu Eliane 18/06/2015

      Eu recebi uma sugestão de usar o Sunrise e estou gostando muito. Ele é integrado com o Google Calendário. Coloca as tarefas sem horário em cima e as com horário ele coloca direitinho. A vantagem do uso dele é que acho que facilita a visualização de blocos de tempo livre para incluir o q não tem horário fixo.
      Tem funcionado legal comigo! #ficaadica

      • Thais Godinho respondeu Simone 20/06/2015

        Já usei e não gostei. Dá erro na sincronização (não sincroniza todos os eventos), o que quase me causou problemas. Para mim, confiança no app é fundamental.

  16. Felipe 09/07/2015

    Olá, Thaís.

    Já li o livro do David há um tempo, mas só decidi implementar o método, de fato, a partir de agora. Como estou pensando nas melhores ferramentas a adotar, me surgiu uma dúvida bem básica: Como você fazia quando usava caderno como ferramenta de coleta? Usava uma página para cada item coletado? Itemizava ao longo da folha do caderno? Gosto muito de gadgets e apps, mas acho que me sairei melhor na metodologia se primeiro adotar ferramentas físicas.
    Obrigado desde já.

    • Thais Godinho respondeu Felipe 09/07/2015

      Não, anotava uma coisa depois da outra, com a data em cima.

      • Felipe respondeu Thais Godinho 09/07/2015

        Entendi. Mas então, nesse caso, o próprio caderno seria a ferramenta de coleta e caixa de entrada né?! Não sei se me adaptaria.
        Obrigado.

        • Thais Godinho respondeu Felipe 09/07/2015

          Mas a caixa de entrada É para coleta. Não entendi sua dúvida. =/

          • Felipe respondeu Thais Godinho 09/07/2015

            Eu posso ter feito confusão, mas entendi que usando um caderno, eu não destacaria as páginas e inseriria na caixa de entrada. Com o uso do caderno para coleta, eu iria inserindo os itens nas páginas de coleta e processando sem precisar colocar na caixa de entrada (não sei se fui claro ou se piorei a coisa rs).

            • Thais Godinho respondeu Felipe 13/07/2015

              O David taca o caderno inteiro na caixa de entrada e processa ao final do dia.

              Particularmente, penso que como vc vai fazer não importa muito, desde que siga a ideia. ;D

  17. […] último post da série Aprenda GTD, eu falei sobre que ferramentas podemos usar para aplicar o GTD. Hoje eu gostaria de continuar na […]

  18. Orlando 29/09/2015

    Oi Thais !

    Qual a sua opinião sobre o Google Keep, estava pensando em usar ele no lugar do Wunderlist.

    Suas séries sobre o GTD são incríveis, parabéns pelo excelente trabalho que faz.

    Abraço.

    • Thais Godinho respondeu Orlando 29/09/2015

      Nunca usei muito, Orlando! Se testar, por favor, me fale! 🙂
      Obrigada por comentar!

  19. Suellen Soares de Moura 30/09/2015

    Oi Thais, tudo bem?

    Sou uma desorganizada por natureza e minha via está um caos! Espero encontrar no GTD a minha pedra de salvação para ter uma vida mais tranquila e sob controle.
    Tive meu primeiro contato com o GTD através do seu blog e desde então venho lendo outros blogs sobre a metodologia, mas só agora de fato comecei a ler o livro do David Allen, além de estar acompanhando esta série.
    Estou me preparando para a minha primeira coleta (pretendo fazê-la pós fechamento de final de mês comercial), e já reuni as ferramentas listadas neste post. O que mais está me deixando com dúvidas é a ferramenta para criar listas.
    Li O Guia Definitivo para usar o GTD no Evernote, mas apesar de me parecer uma ferramenta com muitos recursos, achei complexa a estrutura de Tags.
    Baixei o Todoist, e ainda não mexi, mas uma ferramenta que me chamou a atenção foi o OneNote. Achei simples de mexer, e gostei do fato dele se integrar tanto ao meu e-mail pessoal quanto ao profissional (recurso que o Evernote também permite).
    Você pode me ajudar com sua experiência, o que seria mais válido para escolher a melhor ferramenta?

    Obrigada.
    PS.: Adoro seu blog, e pretendo fazer um dos seus cursos futuramente!

    • Thais Godinho respondeu Suellen Soares de Moura 30/09/2015

      Olá Suellen,

      O guia do Evernote é realmente avançado para quem está começando. Não recomendo começar por ele.

      Acompanhe essa série do “Aprenda” que ela foi feita para iniciantes mesmo. A parte 10 sai na segunda-feira.

      Obrigada por comentar!

  20. Celia 10/11/2015

    Oi Thaís, tudo bem?

    Será que você podia fazer um post comparando o uso do Trello com o Evernote? Procurei vários reviews na internet, mas ainda não achei um que me mostrasse realmente qual ferramenta é melhor para o quê.

    Como você é simplesmente incrível para essas coisas, pensei em pedir sua ajuda! hahaha.
    Enfim, vai como uma sugestão de post 😉

    Abraços!

    • Thais Godinho respondeu Celia 13/11/2015

      Obrigada pela sugestão. Vou pensar sobre ela, porque não sei exatamente como compará-las. O Trello é bastante usado para projetos e tarefas, enquanto o Evernote serve mais para referências etc. Elas são bem diferentes. Mas vou pensar haha

  21. Antônio 28/11/2015

    Olá, Thais! Primeiramente, parabéns pelo blog, sensacional! Gostaria que me tirasse uma pequena dúvida: é possível eu utilizar tudo isso digitalmente? Pois quero muito iniciar o método, contudo, não quero gastar muito com estes materiais. O que me sugere? É possível?

    • Thais Godinho respondeu Antônio 29/11/2015

      Claro! Muitas pessoas aplicam o GTD apenas com ferramentas digitais!
      Sugiro que acompanhe a série de implementação no Todoist!

  22. Valéria 09/08/2016

    Thais, estou com uma dúvida. É acho que vc pode me ajudar 🙂
    Na pág. 142 do livro do David Allen, ele fala sobre ter 3 bandejas que servirão como caixa de entrada e de saída. Reli várias vezes mas não consegui entender o objetivo delas, já que ele sugere ser melhor concentrar tudo em uma só caixa de entrada. Fiquei confusa. Mas desde já agradeço de coração se puder me ajudar.
    Bjs

    • Thais Godinho respondeu Valéria 11/08/2016

      A ideia é ter caixa de saída para você não ter que levantar da mesa toda hora. Quando levantar, leva o que está ali.

      Entrada mesmo é só uma, geralmente a de cima (mais prática).

  23. Valéria 26/08/2016

    Muito obrigada!!!!!!

  24. Lucas Gullo 01/11/2016

    Ola Thais,

    Sou um admirador do seu trabalho e venho acompanhando seu blog a algum tempo.
    Estou com uma dúvida em relação a arquivo fixo. No dia a dia para a lista de tarefas utilizo o Todoist, mas tenho me deparado com a seguinte dúvida: o que fazer com as ações que estão em papel? Por exemplo: Recebi na minha caixa de entrada física um documento que precisaria ser levado ao banco. Após o esclarecimento da minha caixa de entrada eu conclui que ele deveria estar na minha lista de próximas ações no contexto na-rua, e é ai que fica minha dúvida. Devo ter um arquivo de próximas ações para as coisas físicas ou devo guardar esse documento no arquivo de referencia e lançar na minha lista do Todoist como próxima ação no contexto na-rua?

    Obrigado!!!