ou

Continuando a nossa série Aprenda GTD, hoje vou falar um pouco sobre os níveis do GTD e como isso influencia na sua prática e no seu aprendizado.

O GTD tem seis níveis, que o David Allen chama de horizontes de foco. Os níveis servem como orientação para ajudar você a se organizar com o GTD – dá um caminho a ser seguido.

Isso significa, na prática, uma ordem para você começar a se organizar. Primeiro você organiza isso. Depois que essa primeira fase estiver ok, você começa a organizar o próximo passo. E assim vai.

E quais são esses níveis?

Nível Ground (“pé no chão”)

280515-aprenda01

Este nível do GTD é responsável por colocar sua vida em ordem. É quando você domina o caos. Ajusta seus prazos, lista o que precisa fazer, organiza seus horários – te ensina a ter um dia a dia mais tranquilo, sabendo que tudo está em seu lugar. É o momento que você pode aproveitar para destralhar sua casa, organizar seu espaço físico e sua mesa de trabalho como parte do processo. Ou seja: tudo o que comumente é ensinado sobre organização e gestão do tempo por aí se resume ao primeiro passo do GTD (rs). Muitas pessoas já se beneficiam inteiramente apenas deixando esse nível sob controle.

O que você deve organizar aqui: 

Próximas ações (tarefas), calendário (compromissos), e-mails, rotinas, reuniões, arquivos de referência, seu workflow, espaço físico.

Para fazer:

– Entender o que é o GTD
– Ler o livro
– Saber como funcionam os 5 passos
– Organizar um arquivo de referência
– Organizar seu espaço de trabalho
– Encontrar as ferramentas legais para implementar
– Fazer uma primeira coleta
– Organizar listas de próximas ações por contexto
– Inserir compromissos com data e hora, lembretes e prazos no calendário
– Organizar as demandas que chegam por e-mail
– Organizar rotinas
– Desenvolver checklists
– Organizar o espaço físico
– Revisar diariamente o que precisa ser feito, utilizando o calendário como guia, depois tarefas por contexto

Somente depois de deixar esse nível sob controle é que você pode começar a se preocupar com a organização do próximo. Na prática, significa apenas que não adianta você quebrar a cabeça com projetos sendo que não consegue domar seus e-mails na caixa de entrada! Você não ficou desorganizado da noite para o dia e não ficará milagrosamente organizado do dia para a noite. Tudo é um processo. Mesmo assim, apenas por tomar algumas providências com relação a este nível, você já verá diferenças significativas na sua vida.

Nível 1: Projetos

280515-aprenda02

Você provavelmente consegue identificar projetos em andamento na sua vida pessoal e no seu trabalho. No GTD, você vai aprender que a definição de projetos é muito mais simples e facilita a execução de tarefas que até então estávamos procrastinando ou não sabíamos por onde começar. A ideia é que você comece a pensar nisso apenas depois de organizar o Nível Ground, mas é claro que a vida acontece à medida que você está vivendo. Suas demandas não esperam você se organizar, então é necessário que você “se vire”. Porém, confie em mim: só pelo fato de você organizar o Nível Ground, muitos pratinhos vão deixar de cair. Confie no caminho que você está trilhando e faça as coisas com calma, até mesmo para consolidá-las.

O que você deve organizar aqui: 

Tudo o que demanda mais de um passo para ser concluído e pode ser feito no prazo de uma semana a um ano, em média.

Para fazer:

– Construir uma lista com projetos em andamento
– Fazer toda semana a revisão semanal do GTD
– Aprender a definir prioridades para a semana em questão
– Saber diferenciar projetos em andamento de “algum dia / talvez”

Quando você tiver seus projetos em ordem, poderá passar para o nível seguinte, que é onde você presta conta a outras pessoas – do seu chefe ao seu filho.

Nível 2: Áreas de foco

280515-aprenda03

O que você deve organizar aqui: 

Áreas da sua vida em que você tem diversos tipos de responsabilidades: finanças, família, casa, trabalho etc.

Para fazer:

– Construir um mapa mental com as áreas de foco e responsabilidade (os chapéus que você usa)
– Verificar as áreas que precisam da sua atenção imediata e pensar em projetos para elas
– Usar a lista de projetos para negociar prioridades com o chefe e outras pessoas com as quais se relaciona e presta contas
– Trabalhar aos poucos para garantir que velhos problemas de cada área de foco estão encaminhados para a solução
– Revisar as áreas de foco mensalmente, pelo menos

Nível 3: Objetivos de 0 a 2 anos

280515-aprenda04

É engraçado pensar que os objetivos devem vir apenas depois de termos organizado nosso workflow, nossos projetos e nossas áreas de foco. Porém, acaba fazendo sentido. De que adianta termos objetivos se não temos tempo para trabalhar neles? E isso não se organiza facilmente – é um processo. Significa o seguinte: antes de pensar em objetivos, vamos organizar a vida, colocar as coisas em ordem, entregar demandas no prazo, antecipar projetos, equilibrar as áreas da vida. Sem isso, como poderíamos saber até mesmo o que a gente quer em curto prazo? Conseguimos tomar melhores decisões. Aí os objetivos deixam de ser resoluções de ano novo aleatórias e passam a ser algo muito mais palpável, porque sua simples definição já veio de um trabalho mais substancioso que você começou a fazer anteriormente! É uma construção.

O que você deve organizar aqui: 

Tudo aquilo que você está trabalhando para alcançar e gera projetos nesse meio tempo.

Para fazer:

– Verificar que projeto ficou maior do que o esperado e pode se dividir em vários sub-projetos – resultando em um objetivo de curto prazo
– Verificar o que deve ser feito no prazo de hoje a 2 anos que contribua para a evolução em algumas áreas de foco
– Verificar se cada objetivo de 0 a 2 anos tem projetos relacionados
– Revisar o andamento desses objetivos a cada 3 ou 4 meses

Nível 4: Visão de 3 a 5 anos

280515-aprenda05

O que você deve organizar aqui: 

Estimativas que você pode fazer alguns anos a frente, para saber se seus objetivos condizem com onde você quer chegar.

Para fazer:

– Analisar as áreas de foco atuais e refletir sobre o que pretende para cada uma delas nos próximos 3 a 5 anos
– Verificar se o que você tem como visão bate com os objetivos de curto prazo
– Revisar anualmente, pelo menos

Muitas pessoas dizem ter dificuldade em pensar a médio prazo – “ai, não sei o que vou comer amanhã, imagina o que vou fazer daqui a 5 anos”. Ninguém sabe o que vai acontecer amanhã, de fato! Mas nós precisamos trabalhar com uma estimativa que, sim! pode mudar ao longo do tempo. Nada está escrito em pedra. Mas de que adianta eu trabalhar buscando alcançar um objetivo de curto prazo se ele não tem nada a ver com o que eu espero para a minha vida daqui a alguns anos? Estamos perdendo tempo? Então essa reflexão é necessária apenas para que você esteja vivendo uma vida legal para você, de acordo com o que você quer para ela.

Nível 5: Propósito / Vida

280515-aprenda06

O que você deve organizar aqui: 

Por que você existe? Suas tarefas, projetos, objetivos, áreas de responsabilidade refletem seus valores?

Para fazer:

– Descobrir sua missão pessoal
– Tomar decisões com base no propósito, sempre
– Analisar anualmente o que foi feito e a previsão para os próximos anos

Aqui o GTD te leva longe. Na prática, significa que a reunião que você tem agendada para hoje à tarde está alinhada com seus objetivos de vida, seus valores, sua missão pessoal. Tudo o que você faz é coerente – você não perde tempo com iniciativas nada a ver, nem com relacionamentos, coisas, empregos, cursos, atividades que não dizem respeito a quem você é de verdade, mas sem deixar de lado suas obrigações e responsabilidades.

E o mais legal é que, quando você chegar lá, pode sempre revisitar os níveis abaixo para promover melhorias. Sabe por quê? Porque a vida muda! E isso é maravilhoso! Agora, imagine se não existisse um “caminho a seguir” e, a cada mudança, sua vida voltasse para o caos? O GTD promove essa estabilidade – o estado de mente tranquila como água.

Os passos citados acima nos tópicos “Para fazer” são os assuntos que pretendo tratar nesta série. Nós vamos começar pelo Nível Ground. Logo, suas lições de casa até aqui são:

No próximo post, nós prosseguiremos com os tópicos seguintes.

Qualquer dúvida, por favor, poste nos comentários. Vocês estão conseguindo acompanhar?

Obrigada por tudo, pessoal. 🙂

Thais Godinho
28/05/2015
Veja mais sobre:
94
Zen To Done
Minhas aquisições do mês de agosto
Segredos do ex-CEO da Microsoft para equilibrar trabalho e vida pessoal

 

  1. Ana Luiza Rei 28/05/2015

    Tá ótimo para acompanhar 🙂
    E preciso dizer: as imagens do post estão lin-das, perfeito!
    Obrigada (mais uma vez) por compartilhar seu conhecimento conosco, Thais!

  2. Milena 28/05/2015

    Oi Thais! O texto está ótimo!!Muita claro e didático! Parabéns! Bjos,Milena.

  3. Geovana 28/05/2015

    Que delícia ler esse texto!! Venho lendo sobre GTD, através do seu blog e outras fontes, há muito tempo, entretanto não havia começado a colocar em prática efetivamente. Esse ano me propus a finalmente utilizá-lo por completo, mas encontrei muita dificuldade porque não sabia por onde começar e que ferramenta utilizar para gerenciar tarefas e projetos. Então depois desse impasse resolvi começar a fazer a primeira ferramenta que estive mais a mão (Google Agenda e Google Tarefas) e aos poucos, conforme a demanda. Bem nessa fase você apresenta esse post resumindo a estrutura do GTD e os passos para implementá-lo, que feliz coincidência!

    Realmente, implementar o nível pé no chão surte efeito imediato. O controle das tarefas e de tudo o que precisa ser feito garante uma tranquilidade, porque acaba com aquela sensação tenho muita coisa para fazer e não sei por onde começar!!

    Aguardo os próximos capítulos 😀

  4. Ana Barbalho 28/05/2015

    Thais,
    Não sei se isso só acontece comigo. Acho tudo muito didático, mas sinto muita falta de um exemplo, mesmo ficticio. Você poderia utilizar um exemplo? Pelo menos para mim, ficaria mais fácil compreender.
    Bjos. Sou sua fã.

  5. Carol 28/05/2015

    Essa série tá assim: 💜 Muito amor!

    Há alguns meses eu li a versão antiga do A arte de fazer acontecer, mas não consegui implementar completamente o GTD. O lado bom é que mesmo com meu GTD bem capenga muita coisa já fez diferença. Fiz um “caderno GTD”, mas não me adaptei muito bem e percebi que nem tudo precisa estar centralizado numa só ferramenta. Aliado às suas outras dicas de organização, estou fazendo aos pouco um destralhamento imenso no meu quarto e na minha vida e com essa nova série acho impossível eu não conseguir implementar o método de vez! (O novo livro do David já está na lista de próximas leituras!)

    Vc arrasa, Thais! Que nobre missão!

    Obrigada e obrigada!!!

  6. Diego Lima 28/05/2015

    Sem palavras, Thais… Obrigado pelas lições de casa e pela inspiração de sempre! Que qualidade de post, hein!

  7. Ana Jannke 28/05/2015

    Oi, Thais!
    Acompanho seu blog já há algum tempo, e pra mim este foi o melhor post sobre GTD que já li aqui.
    Parabéns! Ficou super claro e objetivo!
    É como um passo a passo para organizar a vida.
    Adorei!

  8. Carla Renata 28/05/2015

    Thaís,
    Estou adorando a série sobre GTD. Já li o livro e estou relendo. As lições de casa ajudam a nos encontrarmos dentro do processo. Sempre atropelei a prática querendo chegar na excelência final o mais rápido possível e sempre quebrei a cara. Muito por não me organizar dentro de cada etapa.
    Parece série de TV, todos na expectativa do próximo post.
    E mais uma vez, muitíssimo obrigada por nos ajudarmos.
    Super beijocas,
    Carla

    • Thais Godinho respondeu Carla Renata 28/05/2015

      Obrigada, Carla!
      Qualquer dúvida que tiver nesse meio tempo, me fala.

  9. Alana 28/05/2015

    Incrível, adorei!
    Engraçado como a gente atrai as coisas. Justamente hoje que descobri o método GTD e buscava mais informações a respeito, vocês escrevem esse belo post.
    Obrigada

  10. Vilma 28/05/2015

    Olha no seu último post sobre a série GTD,você pediu que separa-se vários materiais,eu separei todos aguardei ansiosamente para começar,e hoje me deparei com esse post de novo teoria,juro que fiquei um tanto decepcionada,eu esperava algo assim ,olha gente eu uso isso aqui para me ajudar ,dessa forma,desse tipo,eu faço assim,assim que me organizo,para que serve esse material que eu relacionei,desculpe a sinceridade mas foi o que pensei,e você têm bagagem para ensinar dessa forma,na prática.Quem não tá sendo produtivo e tá com a vida desorganizada,não tá com tempo de ficar lendo e relendo,quer algo mais na prática.

    • Thais Godinho respondeu Vilma 28/05/2015

      Vilma querida, organizar o material de referência leva MESES. Fico feliz que já tenha conseguido, mas a maioria das pessoas não consegue. Precisamos ir devagar para garantir o entendimento.
      Você já leu o livro?
      Tudo o que está na lista do nível Ground são as práticas que você pode implementar para já, se estiver adiantada. Vamos trocando ideias.

  11. Jaqueline Lima 28/05/2015

    Oi Thais,
    O ritmo está ótimo! E toda essa série vem bem a calhar com o momento que estou vivendo… coincidências boas da vida.
    Muito obrigada,
    Jaque
    http://www.verdemae.com

  12. Rafaela 28/05/2015

    Olá!
    Qual livro preciso ler!
    Onde encontrar?
    Bj

    • Thais Godinho respondeu Rafaela 28/05/2015

      O livro “A arte de fazer acontecer”, do David Allen (está no post indicado como lição). ;D
      Pode ser encontrado em qualquer grande livraria.
      Qualquer dúvida me fale!

  13. Thais 28/05/2015

    Thaís, seus post são sempre muito interessantes! Em breve começarei a trabalhar (assim espero!!!) e, com isto, pretendo começar a organizar objetivos futuros, finalmente! Mas claro, passos do nível ground sempre precisam ser analisados!

    🙂

  14. Jess 28/05/2015

    Oi Thais 🙂
    acho que estamos sim. eu pelo menos estou.

    No dia em que eu sentei para escrever o nível 50.000 – VIDA foi o momento mais impactante da minha vida, foi quando eu realmente pensei sobre quem eu sou e quais meus principais valores. Eu criei no evernote uma nota com cada valor que é importante para mim (como simplicidade e empatia) e na hora que olhei o conjunto eu pensei: Nossa! sou eu em algumas palavas! é fantástico. E impressionante como isso realmente te ajuda a analisar o todo das suas decisões e etc.

    Eu por exemplo deletei vários projetos e revisei muita coisa na minha vida, porque vi que no fim, não contribuíam para construir a vida que eu queria, baseada em meus princípios.

    Não sei muito bem em que nível eu estou. Acho que entendo um pouco de todos os passos, mas ainda me complico um pouco na execução.

    mas enfim, seus posts são sempre maravilhosos e uma grande luz para prosseguirmos na direção de uma vida mais fluída e organizada 🙂 obrigada!

    • Thais Godinho respondeu Jess 28/05/2015

      Obrigada, Jess. Esse exercício é incrível mesmo. Já pensou se tudo mundo fizesse assim?

  15. Fernanda Bragança 28/05/2015

    Simples e eficaz o modo como está apresentando a metodologia. Essa série e a “Guia efinitivo para usar o GTD no Evernote” estão se complementando muito bem.

    As imagens estão realmente lindas.

  16. kaisa 28/05/2015

    Oi Thais, adorei este post.
    Eu estranhamente comecei intuitivamente e pela facilidade de enxergar “meu todo” ao contrário
    e a fios tento implementar e me manter nos níveis dois e um.
    Fui/Estou cortando os projetos que não são mais tão prioritários ou ir readequando os que já existem para ter o propósito
    mais coerente para o que eu quero para mim.
    Minha maior dificuldade ainda é achar a melhor plataforma para as tarefas e a caixa de entrada e parar para processá-las. Por enquanto, uso mesmo a lista de papel e as agendas, mas não está bom.

    • Thais Godinho respondeu kaisa 29/05/2015

      Se você já tem um propósito, faz sentido.
      Mesmo assim, se seu workflow não estiver em ordem, você pode se frustrar por não chegar lá.
      Como o David costuma dizer, “se um navio afunda, não adianta o lado que ele está apontado”.

  17. Carol 28/05/2015

    Maravilha essa série! Acabei de ler o livro do David (versão antiga) e vai ser ótimo acompanhar seus posts sobre o assunto.

    Bjos

  18. Larissa Garcia 29/05/2015

    Oi Thais! Tenho uma duvida!
    Nas tarefinhas de casa, as duas ultimas tarefas direcionam para um mesmo link (post do dia 6 de maio). É isso mesmo?
    Obrigada por preparar essa série com tanto carinho e atenção. Eu já tentei implementar o GTD varias vezes e acabei me enrolando no meio do caminho. Estou amando que agora tenho alguém pra segurar a mão e dizer: “hey, agora vamos juntas!” 🙂
    Bjo bjo!

  19. Carla Corrêa 29/05/2015

    Oi Thais
    Esta perfeito, bem esclarecido, e as imagens estão lindas.
    Beijos

  20. Michele Maticoli 29/05/2015

    Thais, adorei o post!!!! Espetacular! Você está de parabéns! Estou implantando o GTD e você não tem ideia de como tem me ajudado. Estou acompanhando tudo do blog. Beijão.

  21. Adriana 29/05/2015

    Esta série de posts está muito boa! Bem didática e mais fácil de saber como implementar, por onde começar, o que deixar para depois… Adorei!

  22. Lanna Freitas 29/05/2015

    Thais, época perfeita pra começar o GTD! Estarei entrando de férias muito em breve, logo, vou ter mais tempo de ler o livro com calma e ir aplicando o GTD, ao passo em que reflito sobre o que quero da minha vida.

    • Thais Godinho respondeu Lanna Freitas 29/05/2015

      Que legal, Lanna. Ótimo momento para começar esse processo que é contínuo.

  23. Juliana 29/05/2015

    Parabéns, estou amando a série sobre GTD.

  24. Carine 29/05/2015

    primeiro parabéns pelo blog e, pela tua experiênc, a é possível implementar cada nível do gtd em um mês? Trabalho com metas e se vc achar possível nao final do ano estarei vivendo o gtd de forma iniciante mas ja com todos os níveis

    • Thais Godinho respondeu Carine 29/05/2015

      Depende muito de pessoa para pessoa! No geral fazendo um curso você aprende em um dia e leva outro para inserir informações no sistema. O David dá dois dias, mas é que leva tempo para você se acostumar com tudo, construir o hábito, sabe?

  25. Anelise 29/05/2015

    Thais, seu blog é excelente, adoro, está me ajudando muito a produzir mais no trabalho e na vida. Digamos que aplico uns 10% de GTD e mesmo assim a diferença é enorme.
    Conheci seu blog apenas esse ano, em tão pouco tempo minha produtividade e motivação mudaram para melhor graças à sua orientação.
    Muitos abraços!!!

  26. Amanda 29/05/2015

    Muito bacana este metódo! Tenho aprendido… bastante eficaz.

  27. Paula Viecelli 29/05/2015

    Adorei, Thais!
    Fiquei feliz em saber que estou no nível 2! Ainda tenho dúvidas sobre os projetos “algum dia/talvez” mas venho trabalhando aos poucos para entender e melhorar o status dos meus projetos ou até diferenciar o que é projeto ou tarefa.
    O post está ótimo, já acompanho o blog e guardo uma parte dos links nas minhas referências para consulta rápida. Fluido e leve para ler, o texto de hoje facilita muito para quem está começando.

    Após tantos anos seguindo seu trabalho, agora estou finalmente conseguindo implementar o GTD.
    Obrigada e até o próximo post!

  28. Paula Viecelli 29/05/2015

    E estou adorando as fotos dos post mais recentes, estão lindas!

  29. Gabriela Cunha 29/05/2015

    Oi Thaís!!
    Faz mais ou menos um ano venho acompanhando seus posts e principalmente aos relacionados ao GTD. Inclusive, adaptei- o ao Evernote e sinto que vem dando certo. Não existe sensação melhor do que chegar no final do dia/ semana/ mês/ bimestre/semestre e ter a sensação de ufa! Consegui fazer, consegui cumprir! Muito legal! Porém, ainda sinto certa dificuldade relacionada ao foco. Se puder falar alguma coisa a respeito, grata! E desde já grata por (sem nem saber) me orientar, abrir meus olhos em muuuuuuitas coisas.
    Beijos.

    • Thais Godinho respondeu Gabriela Cunha 30/05/2015

      Oi Gabriela, tudo bem?
      O GTD proporciona foco. Acho que quando chegar na parte da execução pode ficar mais claro.
      Obrigada por comentar.

  30. Jessica 29/05/2015

    Oi Thais!
    Realmente a série está maravilhosa!
    Eu sempre tenho dúvida em como classificar as disciplinas da faculdade.
    A faculdade é uma área de foco/responsabilidade, certo?
    Aí cada disciplina seria um projeto? Em cada uma delas eu tenho vários trabalhos, com várias ações, eu classifico eles como sub-projetos?

    Parabéns e obrigada por compartilhar tudo isso com o mundo!
    =)

    • Thais Godinho respondeu Jessica 30/05/2015

      Oi Jessica,

      Na verdade é assim: imagine a faculdade como uma grande área de foco. Cada disciplina, em si, é como uma sub-área de foco. Dentro de cada área de foco, temos projetos. “Estudar para a prova de matemática”. “Fazer trabalho do artigo X”. E temos tarefas.

      Se você tratar uma disciplina como projeto, foge um pouco do que o GTD entende como projeto.

      Qualquer dúvida, me fala.

  31. Vanessa 30/05/2015

    Thais, sei que essa não é uma série sobre GTD no Evernote, mas parece que agora existe a opção de gerenciar tarefas no aplicativo, através de caixas de seleção e separação por cores… Gostaria de saber sua opinião sobre o assunto, quando puder, sem pressão! 😀

    Acompanhando loucamente a série, obrigada por tudo!
    Abraço!

  32. geu 30/05/2015

    Parabéns pelo blog. Fico sem saber qual a melhor forma de organizar tarefas e projetos. Ainda sou da turma do papel talvez por isso nao tenho conseguido implementar o metodo. Desde ja obrigada

    • Thais Godinho respondeu geu 31/05/2015

      Vou falar sobre esse assunto, espero que ajude.
      Obrigada por comentar!

  33. Nay 31/05/2015

    Thais, estou amando a série e saboreando cada pedacinho de post! Resolvi deixar esta leitura para o fim de semana para que eu pudesse ler com bastante calma e atenção.
    Estudo e tento aplicar o GTD já faz anos, mas realmente não tinha me atinado até agora que precisamos avançar nos níveis gradualmente.
    Achava que só existissem duas opções – ou vc faz o nível ground (GTD horizontal) ou domina todo o processo, com áreas de foco, objetivos de curto, médio e longo prazo. Talvez por isso, nunca tenha conseguido implementar para valer o GTD vertical… Parecia tão difícil determinar meus objetivos de longo prazo, e alinhar tudo sem estar com os projetos efetivamente sob controle!
    Mas este post clareou a minha visão e me fez perceber que realmente precisamos incorporar bem cada etapa, em um processo gradual e bem consolidado.
    Hoje acredito que me encontro na fase 2. Vou dominá-la antes de avançar no nível 3. rsrs

    Obrigada, mais uma vez!

  34. Eduardo Felix 01/06/2015

    Olá Thais!
    Parabéns pelo bog,venho acompanhando desde o início do ano passado e aprendo mais a cada post. Estou achando muito boa esta série e o tempo está sendo suficiente para acompanhar e implementar suas dicas.
    Também tenho lido o livro do David Allen, mas sempre me deparava com o mesmo problema: Como definir os objetivos, com metas e projetos relacionados. Sentia que estava “colocando a carroça na frente dos bois”. Com esta sua visão de níveis nesta série, me parece que vou conseguir incorporar de vez o GTD no meu dia-a-dia.
    Muito obrigado por compartilhar com tanta generosidade este seu conhecimento!

  35. Beth 09/06/2015

    Thaís, Tudo bom?

    Eu tenho uma dúvida. Tenho um objetivo de médio prazo, não é bem uma visão.
    Meu sonho é ser Juíza e acabei de formar em direito, ou seja, tenho 3-5 anos pela frente de estudos, provas e prática jurídica. Assim, tenho um pouco de dificuldade em como encaixar isso fora do nível 3. Porque, apesar de ser um objetivo a médio prazo é um objetivo bem concreto, pelo qual condiciono minha vida, meus horários e projetos de curto prazo desde agora.
    Desculpa se a pergunta não ficou clara.
    E parabéns pelo blog, estou sempre acompanhando!

    • Thais Godinho respondeu Beth 11/06/2015

      Não tem problema, nada é 100% engessado ou 100% apenas visão. O que determina é o período mesmo. Pode ser algo bem definido, mas em tanto tempo, é apenas uma visão. Vários imprevistos podem mudar seu curso nesse meio-tempo (ou não). Serve para planejamento.

  36. Helen Günther 11/06/2015

    Olá, Thaís!
    Estou implementando o GTD e sigo sempre seu conteúdo para isso (além do livro). Utilizo o Evernote e o Google Agenda.
    Estou com uma dúvida: como você recomenda organizar as rotinas (no Evernote ou na Agenda)?
    Obrigada!
    =)

    • Thais Godinho respondeu Helen Günther 12/06/2015

      Organizo de acordo com as recomendações do David mesmo. Se tem data e hora, fica na agenda. Se não tem, fica na lista de tarefas.

  37. Liliane 16/06/2015

    Tô adorando ler seu trabalho, já me inspirou aa destrakhar minha casa. Infelizmente tenho depressão e às vezes bloqueio tudo e paro de batalhar meus projetos de vida, mas eu estou tentando, e seu trabalho tem me ajudado muito! Obtigada! , bjs
    ah! Adorei a organização da bolsa, é minha cara!

  38. Fernanda Ayer 17/08/2015

    Comecei a acompanhar hoje, já li as lições e ordem até agora e estou continuando, quando tentei ler o livro achei bem complicado depois de uma certa parte e acabei desistindo, mas queto e preciso muito fazer. Qual é o livro que vc diz que ele lançou em 2015?

  39. Elisandra Lopes 18/08/2015

    Olá Thais,

    Sou nova o blog e estou seguindo as tuas indicações para organizar a minha vida que anda um pouco baralhada e por isso alguns objectivos estão engavetados. Estou a sentir-me um pouco frustada, não sei para onde começar …
    Estou com algumas dúvida na implementação do GTD … após a etapa da recolha (coleta), segue o processamento certo ? nesta fase devemos organizar as nossas tarefas e projectos atibuindo as tags que criamos, certo ?
    Como aplicar a ténica do foco Horizontal e Vertical ?
    Aproveito também para questionar qual a estrutura para a etiqueta “00.000 ft – Ações” que recomendas a quem está a iniciar?

    • Thais Godinho respondeu Elisandra Lopes 20/08/2015

      Olá Elisandra, tudo bem? Obrigada por ter escrito. Espero conseguir esclarecer suas dúvidas.

      O GTD tem 5 passos: coletar, esclarecer (processar), organizar, refletir (revisar) e engajar (executar).

      Após coletar, você vai processar cada item coletado. Para processar, é importante seguir o fluxo do processamento do David, disponível aqui no blog e no livro. São várias questões a se considerar.

      Foco horizontal é aplicar os 5 passos. Vertical é uma maturidade do seu sistema, que você vai implementando depois de dominar o nível básico, que é o seu workflow. Não se preocupe com isso agora. ;D

      O guia do Evernote como um todo é recomendado para usuários experientes do GTD, então não recomendo para iniciantes.

  40. Gabriel 26/08/2015

    Olá, Thais. Boa tarde.

    Estou saindo do nível ground para o nível de projetos. Entretanto, tenho uma dificuldade: preciso quebrar o projeto em tarefas que caibam nas listas de “Next Actions” ou “Someday”?

    Pegando o meu exemplo prático: tenho o objetivo de tocar um instrumento musical (bateria… :D). Criei um projeto de 6 meses para ir acompanhando a minha evolução, mas entendo que é uma coisa que “não tem fim”. Ou seja, a cada 6 meses, terei de ter um projeto para esse objetivo. A operacionalização que adotei foi reservar uns horários na minha semana para praticar um pouco. Você acha que assim funcionará ou poderei me perder com o tempo?

    Obrigado!

    • Thais Godinho respondeu Gabriel 30/08/2015

      Oi Gabriel,

      Sua dúvida traz conceitos tão importantes que vou responder em formato de post. 🙂

      Obrigada por perguntar!

      • Gabriel respondeu Thais Godinho 01/09/2015

        Eita! :O

        Muito obrigado pela atenção, Thais. Quanto terminar o post, favor me mostrar! 😀 Mais uma vez, muitíssimo obrigado pelo seu trabalho!

  41. Jefferson 23/09/2015

    Thais

    estou começando a colocar em prática os níveis ground, um, dois e três simultaneamente. Sim, porque a vida não para, então eu acho que dá para levar esses níveis em conjunto. Na verdade, do três eu apenas citei/formulei o enunciado, mas enquanto eu ajeito o ground, o um e o dois, eu já tenho em vista o três. Achei fabulosa a tua didática. E acredito que encontrei o caminho para domar a mente, retirar da memória RAM aquilo que não precisa estar sendo processado a todo instante. O mais surpreendente, contudo, encontrei na explicação do nível 5, particularmente nessa frase: “Tudo o que você faz é coerente – você não perde tempo com iniciativas nada a ver, nem com relacionamentos, coisas, empregos, cursos, atividades que não dizem respeito a quem você é de verdade”. Essa é, provavelmente, a verdadeira liberdade.
    Obrigado por me ajudar tanto!

  42. […] de fazer? Colocar as atividades importantes nos 6 níveis de trabalho que são utilizados no GTD (aqui tem um post mara, explicando direitinho os níveis do GTD) e tchanran,  e foi assim que eu […]

  43. Daniele 26/12/2015

    Olá, Thais! Estou adorando o site! Comecei a ler recentemente sobre organização e GTD.
    Os links que vc disponibilizou como lições de casa dão “página não encontrada”.
    Abs,
    Daniele

    • Thais Godinho respondeu Daniele 26/12/2015

      Oi Daniele, tudo bem? Há um aviso na lateral do blog explicando porque isso está acontecendo, infelizmente. 🙁
      Mas obrigada por avisar.

  44. Helder 26/12/2015

    os links dos itens abaixo estão ‘ quebrados ‘

    ” Ler este texto do blog que faz um resumo do método GTD.
    Ler o livro do GTD, ou pelo menos começar, para acompanhar esta série. O ideal é ler o livro inteiro.
    Ler este texto sobre os cinco passos.
    Organizar um arquivo de referência e espaço de trabalho”

    • Thais Godinho respondeu Helder 26/12/2015

      Oi Helder, tudo bem? Basicamente todos os links dos posts estão quebrados pois tivemos um problema no servidor. Há um aviso na lateral do blog, por favor, dê uma olhada.
      Obrigada.

  45. Jéssica 30/12/2015

    Olá Thaís, não consigo abrir os links no final do texto, as páginas não estão abrindo.

    Obrigada pelos textos sobre GTD, estou iniciando nele.

  46. Andrea Alves 08/01/2016

    Leio o blog há mais de dois anos, mas nunca conseguimos aplicar o GTD. Dessa vez estoue empenhada e começando hoje. Estou muito feliz com as dicas e sei que terei sucesso! Obrigada Thaís! Não será fácil, mas preciso começar!

  47. […] o planejamento da vida, dentro de tudo aquilo que a gente já sabe sobre horizontes de foco, mas planejar os compromissos, de fato, por trimestre. Essa ideia na verdade eu tirei do Steve Jobs […]

  48. Cristiane 12/01/2016

    Oi Thais,
    Adoro o blog!!!!
    Estou começando a ler a série agora – meio atrasadinha kkkk – e quando fui clicar no link ‘organizar arquivo de referência e mesa de trabalho’ não foi encontrado. Será que o problema é só comigo acessando do celular?
    Se não for incômodo daria para verificar?
    Estou muito interessada em lê-lo.
    Obrigada pelas dicas.
    VC tem mudado a vida de muitos como eu!!!

    • Thais Godinho respondeu Cristiane 13/01/2016

      Oi Cristiane, tudo bem?
      Na lateral do blog há um aviso sobre o problema com os links. Por favor, dê uma olhada.
      O texto está no blog – usando o sistema de busca, consegue encontrá-lo.

      Obrigada.

  49. […] organizar os níveis mais elevados. Para saber mais sobre eles, pode ser interessante ler o post da série Aprenda GTD equivalente a este assunto. Se não o leu, sugiro que o faça antes de […]

  50. Nivia 11/03/2017

    O bom de ler seus textos é que você exemplifica melhor que o David. Lembro quando eu li essa parte (final do capítulo 2), achei interessante, mas não via muito diferença entre a nível 0 e o nível 1. Lembro-me de achar interessante a ideia, mas não tinha certeza de como aplicar.

    Agora que li o seu texto, tenho certeza que estou no nível 0!

    • Thais Godinho respondeu Nivia 13/03/2017

      Obrigada por comentar.