ou

Toda vez que preciso fazer alguma referência à revisão semanal aqui no blog, vejo que o último post que escrevi sobre ela era muito centrado no Evernote, então poderia não servir como guia geral para quem utiliza outras ferramentas. Ela também poderia parecer muito extensa para quem está aplicando o GTD inicialmente.

Depois de fazer um pouco do curso do David Allen (veja aqui o que eu aprendi com o DA em Amsterdam), eu passei a ver a revisão semanal como um momento para get clear, get current and get creative (algo como esclarecer, se atualizar e ser criativa). O próprio David disse que essas três fases podem ser divididas ao longo da semana, para não “estafar”. Aliás, a melhor coisa do GTD é essa permissão, né? Às vezes a gente ouve alguém falar “tenho duas revisões semanais” e você fica “qqqqq, e pode?”. Tudo pode, se facilita. As três fases descritas para a revisão semanal nada mais são que o agrupamento dos passos para a revisão semanal que já estão no livro, a saber:

Get clear

  • Colete papéis e materiais avulsos na sua caixa de entrada
  • Processe toda a sua caixa de entrada
  • Esvazie sua mente

Get current

  • Revise suas listas de próximas ações
  • Revise os acontecimentos na semana anterior
  • Revise os próximos acontecimentos na sua agenda
  • Revise a sua lista de coisas que estão aguardando resposta
  • Revise suas listas de projetos
  • Revise quaisquer checklists importantes

Get creative

  • Revise as listas de algum dia / talvez
  • Seja criativa e corajosa!

Quando conversamos com ele, perguntei qual seria o único passo que ele deixaria na revisão semanal, se tivesse que escolher. Ele disse: “revisar os projetos”. Yes! Então eu entendo que revisar os projetos seja aquilo que efetivamente tem que ser feito semanalmente, acima de tudo. Ou seja: se acontecer de eu ter meia hora para fazer a minha revisão semanal, o que eu vou olhar são os projetos, claro.

No livro “Making it all work”, ele dá algumas sugestões de revisões além da semanal. Eu tenho, como já postei aqui uma vez (minhas revisões no GTD), revisões diária, semanal, quinzenal, mensal, sazonal, semestral e anual. Todas elas me ajudam a manter meu sistema funcionando e meu dia a dia mais organizado, com tranquilidade. Portanto, o que eu tenho feito na minha revisão semanal é apenas:

1. Checar a agenda da semana e fazer um descarrego mental

Basicamente, isso significa ver a agenda da semana que estou planejando e ver se falta algum compromisso ali. Às vezes, vejo que tenho uma reunião na quarta das 15 às 17 horas, mas não inseri os períodos em que estarei me deslocando. Eu acho importante inserir esses períodos não só para ter a noção de tempo como para bloquear meu calendário, caso queiram agendar algum compromisso comigo naqueles horários. Ou então eu sei que vou jantar na sexta à noite com uma amiga, mas ainda não tinha colocado na agenda. Esse é o momento de inserir esse tipo de informação.

Outra coisa que gosto de fazer é deixar minha semana “pronta”, fluindo. Isso significa, por exemplo:

  • Segunda de manhã tenho uma reunião em um local que preciso pegar dois ônibus para chegar. Já entro no Google Maps, pego o número dos ônibus e deixo essas informações no meu calendário. Também já deixo separado o material que vou aproveitar para ler na condução (fica na minha pasta).
  • Terça de noite vou a um evento que fica perto do metrô X e dá para ir a pé da estação até lá. Eu salvo um print do percurso que fiz no Google Maps e insiro como anexo na minha agenda do Google, para consultar, se necessário.
  • Quarta eu agendei para fazer as unhas no salão Y. Coloco o nome da manicure e o telefone do lugar, caso precise ligar para reagendar, se tiver um imprevisto.
  • Etc.

Em resumo, o que puder ser providenciado para facilitar a minha semana, eu providencio. Essa etapa costuma durar de 10 a 40 minutos, dependendo da complexidade da minha semana (tem semana que eu tenho mais e semana que eu tenho menos compromissos, como todo mundo).

2. Checar as próximas quatro semanas para ver se algo demanda a minha atenção

É quase como uma visão do mês corrente para saber se tenho que antecipar algumas providências. Por exemplo: se daqui a três semanas farei uma viagem, o que falta? Se na segunda-feira da outra semana eu preciso entregar um trabalho, como vou organizar o meu tempo na próxima semana para me dedicar a ele?

O planejamento no GTD é semanal, mas isso não significa perder de vista o que vem a seguir. Não é para planejar o que vai fazer daqui a quatro semanas, mas para ver o que já está marcado e antecipar o que puder, para não deixar nunca nada de última hora. Se tiver algo a ser feito, eu coleto e coloco na minha caixa de entrada.

Esta etapa dura de 5 a 10 minutos, em média.

3. Revisar meus projetos

É neste momento que eu faço a revisão dos meus projetos. Todo projeto em andamento tem que ter pelo menos uma próxima ação definida. Se não tiver, ele muda de status. Como uso o Toodledo, ele pode ir para Someday, Hold, Waiting, enfim, depende do status do projeto mesmo.

Atualmente eu tenho registrado a quantidade de projetos que tenho ao final de cada revisão semanal. Minha meta é chegar sempre aos 30, mas acabo ficando na média de 50 a 60 (o que considero bastante).

Esta é a parte mais demoradinha da revisão semanal e eu costumo levar de 40 a 60 minutos nela. Faço questão que seja feita com atenção, também.

4. Checar o que está como status “Planning”

No Toodledo, quando eu processo algo que é um projeto, eu coloco como “Planning” (no status), porque assim sei que vou planejá-lo na revisão semanal seguinte. É claro que há projetos que já são processados com várias próximas ações, mas alguns não. Exemplo: comprar uma máquina lava e seca. Isso não é urgente – posso planejar daqui a sete dias, no máximo. Logo, coloco o status “Planning” e, na próxima revisão semanal, eu mudo o status para “Active” e insiro as próximas ações. Desta maneira, ele vira um projeto em andamento.

Em média, quando vou fazer minha revisão semanal, me deparo com 3 ou 4 projetos com o status de “Planning” para inserir as próximas ações, o que costuma durar cerca de 10 minutos.

5. Ver as principais próximas ações da semana para estimar o tempo na minha agenda

Esta é uma etapa que faço somente se já não tiver estourado as minhas duras horas de duração para a revisão semanal. Tem vezes que a revisão semanal dura uma hora, uma hora e meia e até duas horas. Nunca durou menos de uma hora, porque é meu momento de atenção a todos os pontos acima. Portanto, se ainda restar um tempinho, eu dou uma olhada no que tenho planejado de próximas ações (que são tarefas, em resumo) para a semana planejada para estimar o tempo. No geral, sempre sobra esse tempo e consigo fazer.

Funciona assim: no Toodledo, é possível colocar o tempo estimado para cada tarefa que você insere no sistema. É chato de fazer toda vez, mas ajuda muito.

Depois da revisão semanal, clico em “Calendar” no próprio Toodledo e vejo as atividades que tenho planejadas para os dias daquela semana. É aqui que eu posso ver, por exemplo, que tenho umas 6 horas planejadas de atividades para a minha segunda-feira mas, na minha agenda, eu vejo que vou passar a segunda-feira inteira fora, em compromissos! Isso me dá uma visão do tempo que eu tenho e posso tomar providências. Vejo o que pode ficar para terça, adianto algo na sexta, excepcionalmente faço hora extra no dia, enfim. Se eu não fizer esse balanço, como saberei?

Pode inserir atividades “sem data” na agenda?

O David Allen é catedrático sobre o que entra na agenda: o que tem data atrelada. Agenda não é lista de desejos. Porém, muitas pessoas gostam, somente na revisão semanal, de inserir as atividades da semana na agenda, para ficar mais fácil de executá-las no dia a dia.

Algumas pessoas gostam de inserir tais atividades na agenda. Eu às vezes faço isso – tenho fases. Atualmente, estou em um período de não inserir. Quando está na agenda, é fato que o compromisso acaba ficando maior porque a gente confia na agenda – deve ter algo de científico nisso. Portanto, se funciona com você, use. Eu recomendo o sistema de duas cores para organizar suas atividades na agenda, que serve justamente para esse manuseio de próximas ações. Essa “inserção” deve ser feita somente na revisão semanal, e não para um mês inteiro, por exemplo, senão vira bagunça mesmo.

Os critérios para inserir tais atividades (que eu recomendo) são os seguintes:

  1. Por tempo, ou seja, atividades que demoram para ser executadas. Penso que de 30 a 90 minutos seja um tempo considerável. Menos do que isso você consegue encaixar ao longo do seu dia e mais do que isso já pode ser quebrada em duas ou mais tarefas.
  2. Por nível de foco, ou seja, atividades que você precisa estar concentrado totalmente (e aí você coloca naqueles períodos do dia em que você vai estar mais disposto) e atividades que podem ser feitas com o cérebro “morto” (que você coloca naqueles períodos em que você geralmente fica exausto ou sem se concentrar direito, normalmente).

Também há a alternativa de colocar as atividades na agenda para ter uma visão da semana e tirá-las na sequência para não ficar uma coisa opressora (como particularmente me sinto às vezes, quando insiro as atividades).

E se tiver muita coisa para um mesmo dia?

Pode acontecer de você ter atividades para um dia que realmente precisam ser feitas naquele dia e tem tempo de menos? Sim, claro. Aliás, é bastante comum. Aí, para decidir o que fazer (sem ter que trabalhar 30 horas), basta aplicar os níveis do GTD:

  • Nível 0: compromissos, próximas ações
  • Nível 1: projetos
  • Nível 2: áreas de foco
  • Nível 3: objetivos de 0 a 2 anos
  • Nível 4: visão de 3 a 5 anos
  • Nível 5: propósito e princípios

Como fazer isso? Vá batendo uma tarefa com a outra utilizando os níveis como critério de decisão. Se você compara duas tarefas e uma delas diz respeito a um projeto e a outra não, você privilegia a do projeto. Se ambas têm a ver com um projeto, você privilegia aquela que contribui para o sucesso nas suas áreas de foco. Se ambas fazem isso, você privilegia a que tem a ver com seus objetivos. E assim vai. Muitas vezes, o critério de desempate é o último nível – seus princípios. Isso é bem legal! Dificilmente duas tarefas continuarão empatadas mesmo depois de terem passado pelo filtro de todos os níveis. É assim que se decide prioridades no GTD.

Existe dia certo para a revisão semanal?

Eu gosto de fazer na sexta de manhã, mas é flexível. Se por acaso eu tiver compromissos o dia inteiro na sexta, faço na quinta. Procuro não deixar para fazer aos finais de semana para não ficar “pensando em trabalho” quando, na teoria, deveria estar descansando. Já fiz muitas revisões semanais aos domingos e eu sentia que a minha semana mal tinha começado e eu já estava pensando no que ia fazer. Sobre fazer às segundas, não gosto (há quem prefira). Para mim, a semana tem que começar com tudo já planejado.

A pessoa começa a escrever sobre a revisão semanal e quer falar sobre o livro inteiro! Enfim, espero que o post possa servir como referência para a revisão semanal, tenha demonstrado como eu faço atualmente e tenha trazido boas dicas. Dúvidas e depoimentos sobre como vocês fazem, por favor, deixem nos comentários. Obrigada!

Thais Godinho
23/02/2015
Veja mais sobre:
Meu uso do GTD
36
Sobre agenda, gostos pessoais e produtividade
Algumas evoluções no apartamento

 

  1. Luane 23/02/2015

    Como sempre, ótimo post. Eu ainda estou começando a me organizar e não uso 100% do GTD, mas também tenho feito uma revisão semanal que na verdade é mais uma coleta do que fazer naquela semana, porque não distribuo nada pelos dias. Aos poucos, vou evoluindo 🙂

  2. Michelle 23/02/2015

    Que legal, Thaís, inspirador.
    Pretendo conhecer e começar a aplicar o GTD este ano.
    bjs, adoro teu trabalho!

  3. Ana 23/02/2015

    Post sensacional!! Muito obrigada pela dedicação!!

  4. Ivana 23/02/2015

    Você parece que adivinha o tema que a gente ta precisando de um help! Post maravilhoso, completíssimo. Finalmente consegui definir uma revisão semanal!

  5. Rafaela G 23/02/2015

    Oi, Thais!
    Muito bom o seu post.
    Eu já me inscrevi para um curso do Call Daniel aqui no Rio. Duro vai ser esperar até setembro, que é quando poderei participar.
    Bjs e uma ótima semana!
    Rafaela

  6. Letícia Moraes 23/02/2015

    Oi Thaís! Foi bastante esclarecedor esse seu post… Eu estava agora fazendo a minha revisão semanal, e estou bastante preocupada, porque para fazer todas essas etapas (clear, current e creative) acabo perdendo toda a tarde para planejar o que fazer durante a semana. Na hora eu fico querendo redefinir minhas prioridades, redefinir minha estrutura no evernote de organização e também no caderno que eu utilizo para próximas ações/projetos e agenda semanal. O que você me sugere? No momento utilizo o evernote para conteúdo, revisão pessoal e áreas de responsabilidade; utilizo um caderno para ações relacionadas ou não a projetos e minha agenda semanal para compromissos, como você disse. Meu problema mesmo está sendo no tempo que estou levando para realizar a revisão semanal (3h-3h30min). Sinto que minha mente está mais leve, mas ao mesmo tempo que eu perdi uma tarde toda! Obrigada por tudo…

    • Thais Godinho respondeu Letícia Moraes 24/02/2015

      Pela minha experiência, quando vejo que tem alguém demorando na revisão semanal é porque está executando coisas enquanto revisa.

      Outra solução que encontrei foi tirar a revisão do Algum dia / Talvez (faço quinzenalmente, em separado).

      Espero que ajude.

      • Letícia Moraes respondeu Thais Godinho 18/07/2015

        Obrigada, Thaís, ajudou sim!!

        Eu gostaria de saber também como eu poderia fazer para conseguir focar só na Revisão semanal em si, porque eu fico lembrando de fazer várias coisas à medida que eu vou inserindo na minha agenda/lista de tarefas. Por exemplo: Preciso ir segunda feira pegar senhas da minha formatura. Mas acontece que antes eu preciso perguntar a alguém onde e como pega, aí eu já saio mandando mensagem para as pessoas, pedindo informação. Nesse pedindo informação, a minha revisão dura cerca de 3 a 4 horas. Também admito que estou com resistência de fazer a revisão semanal toda a semana porque eu demoro muito fazendo. Acaba sendo um ciclo ruim, sabe? Ainda não sobre muito bem lidar com isso…

        Obrigada! Adorei esse mês de autoconhecimento! Estou lendo mais coisas a respeito, dando um pouco mais de atenção à espiritualidade e até entrei na terapia. Penso até em fazer um coaching lá na frente também.

        Abraço grande

        • Thais Godinho respondeu Letícia Moraes 29/07/2015

          Se pensar em algo para fazer no meio da revisão semanal, faça o que faz quando lembra de algo enquanto executa outras atividades: colete e lide com isso depois, no processamento.

          Pelo que você descreveu, vale a pena dar mais atenção ao processamento, que é quando vc pensa sobre as atividades e toma decisões.

          Obrigada por comentar!

  7. Kátia Oliveira 23/02/2015

    Olá Thais!

    Gostaria de deixar meus sinceros parabéns pelo seu blog.
    Já faz algum tempo que comecei a me preocupar com organização e descobri o seu blog. Sempre acompanho seus posts e posso dizer que aprendi muito com suas dicas.
    O que mais gosto, é que você realmente sem preocupa em manter a simplicidade em todas as etapas de organização, seja da casa ou da vida pessoal.
    Ainda estou em fase de aprendizado, enfim, parece que esta fase sempre nos acompanha, a diferença está nos níveis e necessidades específicas de cada um. Aprendi que é preciso paciência, pois o aprendizado ocorre aos poucos, em etapas como já mencionei. Com relação a minha casa, minha maior dificuldade ainda é de montar um cardápio semanal, mas ainda chego lá.
    Queria deixar meus parabéns e mais uma vez, você deve ter ouvido muitas vezes, dizer que o seu blog consegue realmente ajudar muito as pessoas no sentido de ter uma vida mais tranquila e produtiva. Nestes nossos dias em que se valoriza a pressa e a falta de tempo, ter alguém que nos lembre de que é possível viver melhor com nossa família, através de algumas mudanças de hábito, é quase um oásis no meio do deserto. Tá certo, exagerei um pouco na figura, mas meu objetivo é enfatizar o quanto você está fazendo um trabalho importante.
    Parabéns!

    Kátia

  8. liza 23/02/2015

    Thais,

    eu leio muuuuito o seu blog (fiz o workshop de organização para o ano!) e vejo que você costuma tratar bastante do tema “somos ocupados, como nos organizar estando tao ocupados” e tal. Só que eu tenho pensado… minha vida não é tão ocupada assim! Se eu tirar o tempo de facebook, instagram, netflix etc me sobra um bom tempo, sabe? E aí eu nao consigo muito usar o GTD, porque fico me sentindo meio inútil, vazia haha na hora de fazer as revisões. Tipo “vou concluir que eu nao tenho nada pra fazer”. Alguém mais passa por isso?
    Assim, eu trabalho, sou casada (mas não tenho filhos), tenho amigos (ainda bem!), mas, sei lá, sinto isso.

    Não sei se isso rende um texto, mas minha organização tem se deparado com esse “problema”. 🙂

    beijo!

    • Thais Godinho respondeu liza 24/02/2015

      Dá uma olhadinha na página 90 do livro do GTD e depois você me fala. XD

  9. Sandra 23/02/2015

    Olá Thais,
    Otimo post, muito esclarecedor.
    Comprei o seu livro e li-o em algumas horas, e estou a recomendá-lo a toda a gente. Apenas tive pena que a capa fosse diferente da edição brasileira.
    Parabéns pelo seu trabalho e votos de muito sucesso.

    Sandra Lopes

    • Thais Godinho respondeu Sandra 24/02/2015

      Oi Sandra,
      Infelizmente não tive qualquer interferência no processo de publicação e escolha da capa em Portugal.
      Fico feliz que tenha gostado do livro.
      Bjs

  10. Sofia 23/02/2015

    Muito Bom Post Thaís! Estava mesmo a precisar! Obrigada.
    Beijinhos de Portugal!

  11. Tamires 24/02/2015

    Oi Thais! Podia fazer uma série explicando como usar o GTD com o Toodledo assim como fez com o Evernote? Estou tentando me adaptar com a ferramenta, que realmente me pareceu mais intuitiva para criar as tarefas do que ficar criando notas no Evernote, mas fico um pouco perdida de como criar a estrutura. Dei uma olhada no outro post que tu mostra como se organiza, mas acho que podia ter um com as etapas de forma mais detalhada.
    O que mais gostei no processo é começar a pensar o que se quer para a vida, os propósitos e princípios. Me dei conta que não tinha parado realmente para refletir sobre isso ainda…

    • Thais Godinho respondeu Tamires 24/02/2015

      Olá Tamires, tudo bem?
      Há diversos posts no blog sobre o Toodledo, inclusive um guia muito detalhado e completo explicando como aplicar o GTD na ferramenta.
      Dê uma olhada na categoria ali no menu.
      Abs

      • Tamires respondeu Thais Godinho 24/02/2015

        Sim sim, já tinha lido todos 🙂 O problema é que, por enquanto, não estou pensando em utilizar a versão paga porque quero ver se me adapto com a rotina e a ferramenta (sei lá, usar uns 3 meses ao menos). Então não tenho sub-tasks.
        Com isso achei melhor complicado, por exemplo, de separar na pasta “Casa” as coisas que são para serem feitas uma vez (pendurar um quadro, comprar espelho, etc) de algo que seja semanal como a limpeza (estou colocando as tarefas de limpeza similar como diz em um dos posts). Coloquei o assunto na frente das tarefas, mas a visualização complica um pouco porque todas se misturam.
        Fico na dúvida se colocar um Goal como “Limpeza” e um para cada projetinho (“Espelhos”, “Quadros”) ajudaria ou se tem uma forma melhor. Sei que só usando a gente descobre o que é melhor para nós, mas um pouco de experiência sempre ajuda!

        Ah, e aproveitando a tua experiência com o blog, podia dar umas dicas no assunto também 🙂

        • Thais Godinho respondeu Tamires 24/02/2015

          O Toodledo tem um recurso chamado “Lists” que serve para você inserir rotinas, checklists etc. É questão de customizar qualquer ferramenta para seu uso pessoal.

          Goal é para objetivos a serem alcançados. Como você está falando, seria melhor usar Tags.

          Acho que não entendi as suas dúvidas, para falar a verdade! Vocâ usa o GTD? Porque minhas recomendações são sempre com base no método.

          Bjo

          • Tamires respondeu Thais Godinho 24/02/2015

            Estou tentando! rs Mas estou aprendendo tudo por aqui, ainda não consegui pegar o livro para ler. O que (acho) que entendi estou tentando colocar no Toodledo. Estou na fase das tarefas, passando a criar os projetos.

            Vou dar uma olhada com mais calma nessa funcionalidade de listas e dar uma lida em tudo com calma de novo. Mas achei legal colocar as coisas de rotina nas tarefas porque tem o recurso de repetição, achei isso ótimo!

            Só um exemplo para explicar: quero fazer um espelho para o banheiro. Isso se transformaria em projeto porque tem mais de uma ação (procurar lojas, verificar orçamentos, instalar, etc). Só que como eu não tenho a funcionalidade de sub-taskts, minhas tarefas e projetos ficam todos juntos. Estava tentando achar uma forma de diferenciar os projetos das tarefas. Acho que as tags são melhores mesmo!

            Obrigada! 🙂

            • Thais Godinho respondeu Tamires 27/02/2015

              Quando eu usava a vs gratuita, eu criava uma folder para cada projeto OU uma task por projeto, e destrinchava as tarefas nas notas da task.

  12. Nay 24/02/2015

    Salve, Thais Godinha!
    Que post maravilha! Nunca mais farei revisões semanais sem acompanhar este fantástico passo-a-passo.
    Apenas para compartilhar, a minha maior dificuldade na revisão semanal é ganhar consistência, pois não tenho conseguido ser religiosa com ela, e, nas semanas que não faço, o sistema todo fica uma bagunça.
    A minha segunda maior dificuldade é rever projetos em andamento e os próximos projetos. Acho difícil demais priorizar as várias ações, especialmente quando isto envolve encarar alguns “esqueletos no armário” – assuntos que já deviam ter sido resolvidos há duas ou três semanas, e que vem sendo procrastinados. Na verdade, o meu GTD vertical ainda não está bem formulado. Talvez isto é que esteja travando este processo de priorização…

    Agora, gostaria de deixar uma contribuição, que inclui nas minhas revisões semanais e, quando faço, é tão bom! Passei a fazer, como “sobremesa” da revisão semanal, o programa de lazer do fim-de-semana. Me inspirei num livro da Laura Vanderkan (What the Most Successful People Do On the Weekend), que fala da importância de planejarmos com qualidade nossos finais de semana, sob pena de ficarmos à toa e não conseguirmos vivê-los de verdade, nem nos reabastecermos para a semana seguinte.

    Obrigada, mais uma vez, Thais, e boa sorte a todos os leitores com suas revisões! 🙂

    • Thais Godinho respondeu Nay 26/02/2015

      Nay, obrigada por comentar.

      A grande coisa da revisão semanal é a frequência mesmo. Muita gente que usa o GTD acaba não fazendo semanalmente – eu mesma, durante anos, não entendi a importância de fazer semanalmente – fazia quando dava (às vezes rolava mais de uma vez por semana – outras, uma vez por mês, sabe?). Hoje em dia não consigo ficar sem, nem que seja para apenas revisar algumas coisas. Dá uma segurança enorme.

      O que facilita é criar um evento recorrente semanal na agenda, porque ele serve como lembrete de fazer.

      Talvez ajude!

      • Nay respondeu Thais Godinho 27/02/2015

        Sim, você tem toda a razão! Vou fazer o teste do evento recorrente, e bloquear a minha agenda nas sextas-feiras para isso.

        Aliás, vou fazer agora minha revisão semanal acompanhando este superpost.

        Obrigada, mais uma vez! Amooo o seu blog e tudo o que você escreve nele. <3

  13. Jaqueline 25/02/2015

    Thais, muito obrigada, este post foi muito esclarecedor.
    Pergunta: Por que devo priorizar uma tarefa simplesmente por ser de projeto em relação a uma tarefa que não é de projeto?
    Entendo que na maioria das vezes as tarefas de projeto são parte dos nosso objetivos maiores, então, são prioritárias. Mas algumas vezes existem tarefas que não fazem parte de projetos, como por exemplo, marcar um médico ou dentista, mas são prioritárias em relação a uma de projeto.
    Só queria um insight seu, se for possível.
    Beijos e tudo de melhor para você!!!

    • Thais Godinho respondeu Jaqueline 25/02/2015

      Nesse caso é uma tarefa que diz respeito a uma área de foco, então ela é mais importante que uma de projeto.

  14. H. LIMA 01/03/2015

    Tenho uma duvida de como ‘ inserir’ as tarefas no planjemaneto semanal.
    Ao colocar na agenda, me parece poluir , mesmo que crie uma lista e nao coloque horas.

    Ao usar agenda eletronica , operacionalmente me parece mais dificil

    Tem alguma dica de como faz na prática ?

    • Thais Godinho respondeu H. LIMA 01/03/2015

      Se te atrapalha, não coloque. Eu não coloco, mas algumas pessoas preferem.

  15. […] um planejamento semanal. O melhor dia para fazer isso pode ser sexta ou segunda, a seu critério. Nesse planejamento, você […]

  16. mauralucia de souza pires 07/10/2015

    Não sabia priorizar minha vida li este artigo a primeira vez. E já gostei mas e como priorizar a nossa alimentação o que devo fazer.obrigado

  17. […] um planejamento semanal. O melhor dia para fazer isso pode ser sexta ou segunda, a seu critério. Nesse planejamento, você […]