ou

Outro dia comentei por aqui sobre os meus aprendizados nos últimos meses, desde que me tornei autônoma e passei a trabalhar em casa. Algo que eu ainda não tinha conseguido trabalhar muito bem, até quando escrevi aquele texto, foi a questão de separar trabalho da vida pessoal. Quando a gente trabalha em casa, não existe a separação física e, quiçá, a mental. no entanto, ultimamente venho entendendo que pode ser necessário fazer essa separação – ter o tempo do trabalho e ter o tempo para a vida pessoal.Estive pesquisando espaços de coworking e outras maneiras de tirar o home do home-office, mas esse é assunto para um outro post, em um futuro breve.

Neste Carnaval, eu fiz a experiência de não trabalhar. Isso incluiu: não escrever para o blog, não trabalhar no meu novo livro, não bolar ideias, não responder (e enviar) e-mails, entre outras atividades. Deu certo? Em partes. Veja neste post o que eu aprendi.

180215-carnaval

É fácil quando os outros não trabalham

O que mais me chamou a atenção sobre o fato de ter conseguido parar e descansar nesse feriado foi não ficar preocupada porque outras pessoas poderiam estar esperando alguma resposta minha ou o envio de algum documento ou trabalho. É engraçado porque, quando a gente começa a trabalhar em casa, pensa assim: “oh, que maravilha, vou para a praia de segunda a quarta e trabalho aos finais de semana”. Realmente pode funcionar, porém, eu não sei se funcionaria muito bem comigo nesse momento porque respondo para outras pessoas (clientes, colegas de trabalho, equipe). Não conseguiria ficar tranquilona na praia sabendo que poderia ter alguém trabalhando no horário comercial precisando de mim. Sei que é um pouco de FOMO, mas também é responsabilidade.

Por fim, o que realmente dá aquele click mental de pensar em “eu posso descansar nesse feriado” é o fato de saber que ninguém espera que outra pessoa trabalhe no feriado. Por isso, ninguém acha ruim se você não responder um e-mail ou mensagem. É normal! Pessoas não trabalham em feriados. Logo, mesmo sendo autônoma e tendo toda a flexibilidade de horários do mundo, eu ainda preciso de adequar ao calendário comercial para conseguir fazer as minhas folgas com mais tranquilidade.

E posso dizer? Foi ótimo! Passeei, fiz churrasco, brinquei muito com o Paul, levei minhas sobrinhas para passear, fui à livraria e tirei um maravilhoso cochilo à tarde! Eu sei que posso fazer essas coisas em um dia a dia regular, mas minha mente ainda não se acostumou exatamente com tudo isso! (nem as pessoas ao meu redor!)

Meu livro em destaque na Livraria Cultura <3

Meu livro em destaque na Livraria Cultura nesse final de semana <3

As ideias não param de chegar

Por mais que eu não estivesse “oficialmente trabalhando”, meu cérebro não sabia disso. É muito difícil para mim, porque amo muito o que eu faço. Logo, pensar sobre trabalho e fazer as coisas acontecerem faz parte de mim, de quem eu sou, da expressão da minha criatividade. Porém, se não cuidar, a tendência a virar workaholic é tremenda. Como lidar com as ideias?

Deixei fluir algumas coisas. Até sábado de manhã, eu precisava colocar no ar o novo formato para o pagamento dos workshops aqui no blog, o que acabou resultando em uma loja. Dá uma olhada! Por enquanto, há poucas opções, mas em breve vou povoar aquela seção com muitas coisas legais. Fiquei tão empolgada com esse assunto que trabalhei até de madrugada, na noite de sexta para sábado.

Outra atividade relacionada ao trabalho que eu fiz foi ficar ouvindo alguns webinars do GTD Connect, o que me deu a ideia de mudar todo o meu sistema GTD no Toodledo. Isso me perturbou um pouco, porque foi uma mudança drástica que eu ainda não me adaptei. Quando estiver à vontade para falar sobre esse novo sistema, publico aqui no blog. Isso me tomou bastante energia e dedicação intelectual durante uns dois dias.

Para lidar com as ideias que vêm e vão, colete! Tire da cabeça e passe para o papel – deixe para lidar com elas quando voltar do feriado. Eu costumo processar minha caixa de entrada física (onde insiro minhas ideias) diariamente mas, para não “trabalhar”, decidi não fazer isso durante o feriado. Ficou bastante coisa para processar depois, mas acho que isso foi um ganho em termos de “ok, agora é hora de descansar. Você coletou a sua ideia incrível e pode lidar com ela quando voltar a trabalhar, na quarta-feira”.

Não trabalhar no feriado foi ótimo e me fez ver que dá para fazer isso com a consciência limpa. Agora quero ver se estendo para outras ocasiões também.

Thais Godinho
18/02/2015
Veja mais sobre:
30
As 7 listas básicas que você precisa ter para gerenciar seu sistema GTD
Pensando em uma rotina mais simples para 2015
As 4 durações das minhas tarefas

 

  1. Bianca Zoccoli 18/02/2015

    Olá Thais!!
    Acredito seja a primeira vez em que comento em algum post seu, mas já conheço seu blog há algum tempo e também sou apaixonada por organização.
    Inclusive, foi vendo seus posts que me senti impulcionada a fazer o curso de Personal Organizer no início do ano passado.
    Devido aos contratempos da vida, ainda não tive a oportunidade de exercer como um trabalho a organização, mas é um sonho que acredito possa começar a realizar nesse novo ano.
    Sobre seu post: Acho excelente vc ter conseguido não trabalhar no feriado. Acredito que trabalhar em casa nos deixe um tanto confusas com horários, etc e vc ter conseguido não trabalhar com certeza é uma conquista e tanto!!
    Admiro seu trabalho e seu compromentimento.
    Um beijo carinhoso, Bianca

    • Thais Godinho respondeu Bianca Zoccoli 18/02/2015

      Obrigada, Bianca! Tem muito disso mesmo. Acho que, da mesma maneira que a gente tem um período de adaptação quando tem o primeiro emprego, precisa se acostumar com os horários, é o mesmo processo para trabalhar em casa. Estou me adaptando ainda!

      Obrigada por comentar.

  2. Janaina 18/02/2015

    Infelizmente neste feriado eu tive que estudar/trabalhar pois viajaremos na semana santa e esticaremos por mais dias além daquele feriado. Você está corretíssima, é mais fácil tirar dias de folga quando a maioria das pessoas tb estão, a consciência fica bem mais tranquila!

  3. Fabiana 18/02/2015

    Eu fiz o mesmo. No sábado de manhã decidi que eu passaria longe de tarefas relacionadas ao trabalho e foi ótimo. Nunca assisti tantos filmes e séries em tão pouco tempo. De uns tempos pra cá também tenho separado os domingos para ficar longe do computador e resolver qualquer coisa relacionada ao trabalho. Foi revigorante porque hoje acordei com uma disposição imensa para trabalhar. Acho que é bom pra quem trabalha em casa ter estas pausas.

  4. Hugo Morais 18/02/2015

    Cara Thaís, já senti muita dificudlade de parar no período de feriado. Mas hoje não tenho mais dificuldades. Feriado é período de descanso! Faço minha programação de atividades para que no feriado eu possa descansar. Busco dormir, visitar alguns amigos, aprofundar uma leitura atrasada e outras atividades que não lembre as atividades de trabalho. Uma parte das minhas atividades é em casa. Senti muita dificuldade de separar casa e trabalho. Criei uns métodos para superar isso: Desligo o celular enquanto estou sem atividades em casa; Meu local de descanso é distante da mesa de trabalho; nunca penso no trabalho enquanto estou escutando meu rádio (sou fã de rádio), conversando com amigos, assistindo TV, etc.

    Sou muito fã do seu blog.
    É uma atividade diária minha, ler o blog Vida Organizada antes de começar a trabalhar. Comprei seu livro, já fiz a leitura e gostei muito.
    Parabéns pelo trabalho!
    Abraço! Hugo Morais

  5. Renata Coelho 18/02/2015

    Olá Thais, acompanho suas redes sociais desde que você escrevia o blog de maternidade durante a gravidez e nascimento do Paul. Sempre leio tudo que você posta aqui, porque me tornei autônoma há pouco mais de três anos.
    Aqui a questão é como descobrir uma folga, porque fotógrafos trabalham quando tá todo mundo em casa né? Festas, ensaios fotográficos, casamentos, são todos nos finais de semana ou feriados, ontem mesmo eu fotografei uma festa à noite.
    Então eu simplesmente não consigo folgar e nem descansar. Tudo está sempre ligado, meu celular, computador e principalmente minha mente e isso é muito desgastante. Aos finais de semana (dias de descanso) eu estou trabalhando e durante a semana eu também estou trabalhando porque o pessoal espera minhas respostas durante a semana também.
    Será que tem uma solução pra isso? rsrsrs.
    Também venho sentindo cada vez mais necessidade de tirar o home-office da home também rs.
    Parabéns pelo seu conteúdo sempre de qualidade 🙂

    • Thais Godinho respondeu Renata Coelho 18/02/2015

      Eu pegaria dois dias da semana para simplesmente não trabalhar e o mundo que entenda.
      Coloque umas respostas automáticas e já deixe claro que você não atende segunda e quarta, por exemplo.
      Boa sorte!

  6. Victoria Morena 18/02/2015

    Thais, estou tão feliz com as novidades do blog que não me aguentei e já comentei com você pelo Facebook, mas não posso deixar de registrar aqui também!
    Fiquei muito feliz com a loja do VO, ficou clean e de fácil entendimento para todos.
    E gosto de ver sua “evolução” como autônoma. Acredito que aos poucos você vai acostumando e “fazendo as suas regras” para que esse ciclo seja cada vez mais produtivo e coeso.
    Descanso é algo muito importante, e mesmo trabalhando home-office não podemos esquecer.
    Eu trabalho home-office somente quando há feriados prolongados ou quando tenho algum contra tempo sério. Eu gosto dessa experiência, mas a empresa onde trabalho ainda não abriu essa oportunidade.
    Depois desse feriado, volto com a mente renovada e pronta para encarar os próximos dias! Vamos lá!
    Um ótimo dia para todos!

    • Thais Godinho respondeu Victoria Morena 18/02/2015

      Obrigada, Victoria! O bom da quarta-feira de cinzas é que todo mundo um pouco mais renovado e pronto para se organizar mesmo.

    • Renata Coelho respondeu Victoria Morena 19/02/2015

      Muito obrigada pelas dicas 🙂
      Realmente preciso fazer algo do tipo pois senão a gente perde a sanidade de vez.
      Beijos.

  7. Jeyza 18/02/2015

    Thaís, já acompanho seu blog há um bom tempo, inclusive, já li e reli vários posts seus desde 2007. Recentemente participei do workshop organize-se em 2015 e estou empenhada em ser mais produtiva. Seu post de hoje tem muita relação comigo, pois sou professora e trabalho a todo momento, não só na sala de aula. E também não consigo ficar sem trabalhar nos feriados e fins de semana, sempre estou preparando aulas e corrigindo. Foi assim que encontrei seu blog, em busca de me organizar para dar atenção a todas minhas áreas de foco. Um beijo grande e obrigada!!!

    • Thais Godinho respondeu Jeyza 18/02/2015

      Obrigada você, Jeyza. Espero que esteja conseguindo se organizar para atingir objetivos.

  8. Lucia 18/02/2015

    Há 8 anos tenho esta autonomia sua, mas de verdade mesmo, ainda não tenho autonomia alguma…. Se é escravo de si mesmo, se você se coloca na obrigação de, não há liberdade verdadeira; a liberdade real começa no mental e depois vai pra prática.
    Veja: primeiro veio a liberdade de criar o próprio trabalho, ter suas próprias diretrizes. E o que se faz? Se sobrecarrega de trabalho! E, ocorre até porque se gosta muito dele…e porque se tem outras obrigações ou se acredita ter, um misto de responsabilidades reais, necessidades internas de se testar,ou mesmo provar a si mesmo e aos outros suas capacidades….
    Depois, pode-se chegar a exaustão, culpar os outros, que “precisam” tanto de nós, que exigem esta rapidez de resposta, que não entendem nossas necessidades, na verdade sentimos culpa de “não dar conta do recado” ( outra armadilha…de novo somos nós e não os outros).
    Enfim, reconhecemos que somos humanos, imperfeitos, incompletos e que nada que façamos mudará isto e esta compreensão finalmente nos liberta para encontrar o ponto de equilíbrio entre as várias áreas importantes da vida, pois não somos apenas trabalho, apesar de amarmos o que fazemos.
    Parabéns, você está indo rápido! Logo chegará no equilíbrio!
    Eu ainda brigo comigo para conseguir relaxar sem culpa…olho ao redor e preciso sair de casa para descansar, veja que loucura! Mas tenho certeza que estou no caminho certo e já vislumbro o meu ponto de equilíbrio, com sua ajuda….Obrigada!
    Ah, quero dizer que percebi que você estava trabalhando de sexta prá sábado de madrugada….você respondeu super rápido meu comentário! 😉
    Obrigada!
    Lu.

  9. Fran Araújo 18/02/2015

    Thais, há tempos quero lhe escrever e não paro, é tudo tão corrido….enfim, amei este post. Realmente depois que comecei meu blog, não tive tempo pra mais nada e enfim chegou o carnaval. E minha mente não queria parar de trabalhar. Mas antes de viajar, me organizei, deixei post do blog e publicações no face agendados e fui pro feriadão curtir com meu esposo. Amo seu blog, tentei ficar no seu grupo do face, mas quase fui expulsa rsrrsrs…..vou tentar retornar! Parabéns pelo seu maravilhoso trabalho.

  10. Anna Monteiro 18/02/2015

    Olhan eu acho que sou um ser à parte nesse nosso amado planetinha…rssss eu não sou exatamente autônoma, mas ver uma semana sem fazer nada pra mim ainda soa como algo muito estranho! Eu vejo como uma excelente oportunidade de se adiantar, ver que todo mundo vai estar correndo depois pra terminar as tarefas e vc já vai ter terminado. O ano acaba mais cedo e Dezembro todo inteirinho de férias depois. Pra mim é uma enorme e maravilhosa sensação de dever cumprido! No sábado, comprei 6 livros e estou no meio do 4o. Li sem parar e por puro e verdadeiro prazer, mesmo sendo livros sobre trabalho. Para um Concurso, por exemplo, já estou alguns passos à frente de muito candidato! 🙂 E o melhor disso é que deu pra alternar períodos de ócio e de leitura, além, é claro, de organização do lar! Olhei e separei minuciosamente todos os armários e vários itens vão embora, abrindo espaço para o novo =) Na minha opinião, isso é que é um feriado bem aproveitado (pra quem não viajou ). E o meu nem terminou! Só termina no domingo.

    Pena q não lembrei do seu livro, Thais! Mas acabo de pegar a agenda aqui para ele ser incluído na minha lista =)

    Abraços!

    • Thais Godinho respondeu Anna Monteiro 19/02/2015

      Mas Anna, concurseiro é realmente outra categoria de pessoas haha Assim não vale. Estava me referindo a trabalhar, apenas.

  11. Patrícia Carla Chagas 18/02/2015

    Cara Thais,

    Parabéns pelos excelentes conteúdos do seu blog!
    Este post me fez refletir sobre o meu momento atual, embora eu não seja autônoma nem trabalhe no sistema home office, mas estou de licença do trabalho para me capacitar, estou em término do doutorado.
    Venho percebendo que se não me organizar com horários bem definidos, aliados a alguns momentos de pausa, as coisas se descontrolam. Vou rever meu planejamento para conciliar melhor as atividades, afinal serão 8 meses de trabalho de escrita da tese, em casa.

    Obrigada por compartilhar textos tão significativos!
    Um abraço,
    Patrícia

  12. Kátia Barboza 19/02/2015

    Ansiosa para saber mais sobre a mudança do seu sistema GTD no Toodledo!
    😉

  13. Claudia Hi 19/02/2015

    Ai que delícia Thaís!

    Eu estou a muito tempo pensando em sair de onde eu trabalho, e estava em busca de outro emprego, mas percebi que eu só estaria trocando de endereço porque os problemas, a carga horária seriam praticamente a mesma coisa. Fora que provavelmente eu receberia menos do que agora. E depois de ler alguns blogs (inclusive o seu), estou tentando virar freelancer e trabalhar em casa. Mas meu objetivo é conseguir trabalhar viajando! Quero conhecer novos lugares, culturas, comidas, pessoas, enfim viver a vida enquanto posso sabe!

    Obrigada por ser uma das minhas grandes inspirações!

    bjaoo

    O Pequeno Lírio

  14. Juliana Rigon 19/02/2015

    Thais querida!
    Adoro acompanhar seu instagram!
    Sempre fui muito organizada, mas desde TIREI a minha loja de dentro de casa, minha vida mudou drasticamente, e nao estou AINDa me adaptando muito bem!
    Vivo esquecendo o que mais preciso no escritorio em casa,pq nao cabe tudo no balcao da loja… e assim vai…

    Mas o q quero comentar, é que pela primeira vez, realmente eu tirei o feriado pra FERIADO mesmo desde que abri minha loja…

    Como sempre foi tudo em casa, eu aproveitava, respondia um email de cliente, whatsapp, fazia contagem de estoque, etc….

    E agora eu to me sentindo PERDIDA dentro de casa, sem saber as vezes o que fazer, pq resolvi chegar em casa e DESCANSAR de verdade, nas ultimas semanas…

    No feriado, acho que vi uns 6 filmes, coisa q nao fazia ha tempos e amava de paixao….

    Consegui organizar minha penteadeira, que ha 5 meses estava desorganizada….

    Fiz coisas de casa, como eu nao fazia ha tempos…

    Entao esta fazendo muito bem eu separar casa do trabalho…to voltando a curtir coisas q nao sabia q poderia curtir sendo autonoma, que muitas vezes me punia por nao estar trabalhando e ter tanto trabalho acumulado!

    Mas a gente precisa mesmo desse tempo nosso!

    Continue sempre com esse trabalho incrivel que voce faz!

    Uma eterna admiradora!

    Beijao

    Juli Rigon
    @useimeucartao

  15. Luciana Figueiredo 19/02/2015

    Thaís, eu vou lhe deixar o meu comentário a respeito de se trabalhar em casa: assim como vc, sou empreendedora e trabalho de casa há um ano e meio. Tenho um negócio online muito pequeno e estou começando um negócio offline, mas meu escritório continuará sendo em casa por bons meses ainda.
    Eu vou te dizer: EU SEMPRE SEPARO O TRABALHO DO PESSOAL. Para mim, é exatamente como se eu estivesse lá no meu ex emprego próximo da Av. Paulista, no qual eu levava quase 2 horas pra me locomover (2 de ida + 2 de volta!), mas sem o transtorno do trânsito e locomoção. Essas mesmas horas de locomoção são exatamente as que eu uso para dar conta dos serviços domésticos (a atitude de empreender forçou a redução do meu padrão de vida e hoje não tenho mais faxineira e dou conta de tudo sozinha), além de fazer coisas pessoais ou simplesmente descansar.
    Como meu marido tem um emprego convencional, eu continuei seguindo todos os horários dele (e os da maioria), tal qual emendar – ou não – um feriado, horários no dia-a-dia e férias regulares. Eu não vou ao cinema às segundas-feiras! Eu trabalho como todo ser comum. Aos sábados e domingos, eu faço coisas pessoais (seja em casa ou fora).
    Mas muitas vezes preciso sim trabalhar aos sábados, mas isso é sempre uma exceção à regra, que vale apenas quando meu cliente precisa – e não quando EU preciso.
    Horas extras são feitas à noite ou pela manhã em dias de semana – e compensadas em folgas tal qual um ser normal.
    Meu escritório fica num canto da casa e posso falar? Me acostumei tanto ao meu cantinho que não faço NADA que não seja trabalhar no horario de trabalho – a não ser que tenha um motivo claro e justificado.
    Ou seja, meu escritório só mudou de lugar, mas minha rotina não.
    Eu penso assim: e se eu tivesse funcionários? E se eu tivesse que dar o exemplo?
    Ora, meus clientes não tem nada a ver com minha mentalidade moderna e empreendedora. E eles querem falar comigo nos horários deles. Ontem atendi uma cliente por whasapp mais de meia noite! Normal? Não! Mas precisei. Uma exceção, portanto (a qual eu estaria obrigada ainda que fosse funcionária).
    Portanto, eu acho que trabalhar em casa dá certo SE você ESQUECER que está em casa.
    Da mesma forma, às 18:30 ou 19:00 eu deixo o expediente (trabalho 10h por dia, salvo exceções) e simplesmente, quando abaixo a tampa do meu notebook e apago a luz do escritório, eu saí do trabalho – e entrei na casa – ainda que isso seja só no meu cérebro!
    Pode ser estranho no começo, mas vc se acostuma, e logo fica tudo normal.
    Quando parar de se questionar, vc estará trabalhando e pronto! tudo resolvido.

  16. Milene 20/02/2015

    Thaís, o equilíbrio é um eterno desafio. Trabalho com organização de casamentos e por muito tempo trabalhei home office. Como meu melhor horário é sempre à tarde e à noite, acabava que dormia e acordava super tarde e o tempo que estava acordada, estava trabalhando. Resultado foi que acabou com a minha saúde. Eu não tinha essa separação do parar um pouco e descansar, simplesmente não desligava.

    Há um ano estou compartilhando o escritório com uma amiga e minha vida é outra. Chego do escritório, descanso, vejo um pouco de tv e se for necessário fazer algo ainda à noite já que a minha energia é muito melhor neste horário, faço sem problemas.

    Outra coisa que tive que me policiar foi quanto ao horário de responder e-mails, atender telefone, hoje só faço isso em horário comercial. E nas segundas pós-eventos tiro o dia pra descansar o corpo e a mente.

    Minha qualidade de vida é outra. Eu vivia com enxaqueca, hoje estou muito melhor. Ainda que não leve uma vida das 8h às 18h como a maioria das pessoas.

    • Thais Godinho respondeu Milene 23/02/2015

      Sim, é difícil continuar no formato das 8 às 18h. Para a gente tudo bem, mas as pessoas ao redor (especialmente família) estranham um pouco.

      Obrigada por compartilhar.

  17. Bel Frazão 24/02/2015

    Olá Thaís. Gosto muito da maneira como você aborda esses assuntos e é muito bom perceber que muitas das minhas angústias são partilhadas por outras pessoas. Isso nos faz mais humanas! Como é difícil desligar do trabalho quando somos “donas” do nosso próprio tempo, não é mesmo? Eu venho escrevendo sobre organização há um tempinho e me organizar para ser autônoma foi essencial. Seu blog sempre me inspira!!!!

  18. Roanny Garcia 04/01/2016

    Que rotina linda!

  19. […] Eu aprendi sobre: não trabalhar no feriado […]