ou

Quando converso com alguns leitores sobre estudar para um concurso, fazer uma faculdade ou aprender um novo idioma, sempre ouço algo como: “Thais, eu sei da importância de tudo isso e gostaria de voltar a estudar, mas não consigo encontrar motivação”. Por esse motivo, resolvi escrever este texto com algumas reflexões que fiz sobre o assunto e espero que ajude quem estiver passando por esse momento de indecisão.

A motivação é algo extremamente pessoal. Significa exatamente isso: um motivo para a ação. Esse motivo não vem de fora – não adianta o chefe tentar te convencer que é necessário aprender espanhol se você, lá no fundo, achar que não vale a pena. Assim como para qualquer outra iniciativa, se você não tiver uma motivação real, você não conseguirá ter estímulo suficiente para agir.

Toda vez que você tiver uma ideia ou se pegar pensando em algo que deveria fazer, especialmente relacionado aos estudos, pergunte-se:

  • Qual o propósito disso? Por que eu quero fazer uma faculdade, passar em um concurso ou aprender esse novo idioma? O “por que” é essencial. Sem ele, não tem sentido fazer nada.
  • Onde eu quero chegar? Como eu me imagino depois de estar fluente nesse idioma, ter passado no concurso ou ter concluído a faculdade? O que isso vai me trazer de resultados na vida? Isso é uma certeza ou apenas suposição? Conversei com outras pessoas experientes nesse assunto para ter uma noção mais realista do que pode acontecer?
  • O que acontecerá comigo se eu não fizer isso que eu estou me propondo? Como será o cenário se eu não fizer essa faculdade, não estudar para esse concurso ou não aprender esse idioma?

São algumas questões para você refletir sempre que tiver em mente iniciar um novo projetos de estudos (não só de estudos, mas de qualquer projeto). Faça o teste. Pense nas respostas e talvez você descubra porque não tem motivação ou, pelo contrário: que a motivação é real e consistente, e não há dúvidas de por onde começar.

Aqui no blog há uma categoria inteirinha sobre motivação, que pode inspirá-lo/a com outras ideias. Boa sorte. 🙂

Thais Godinho
13/02/2015
Veja mais sobre:
17
Revisitando meu armário-cápsula de inverno (2017)
Como se desfazer das coisas – pequenas reflexões
Sua casa serve para você viver, não para armazenar coisas