ou

A leitora Valéria V. deixou um comentário em um outro post e eu achei que valeria a pena escrever um post a respeito:

Olha, Thais, estava aqui pensando…
Fiquei curiosa em saber se vc, que lê bastante, tem ou já pensou em ter um kindle (ou Lev ou Kobo)…
me desculpe caso já tenha falado sobre isso, mas não lembro de ter lido nada até hoje (te sigo há um tempo).
que tal se vc pudesse comentar algo sobre isso levando em conta o tema organização: tempo de leitura, disponibilidade, diminuição de volume físico, e também a organização com o dispositivo em si…

Estou numa dúvida cruel sobre se quero um e-reader, ou se algum outro gadget satisfaria a minha necessidade: disponibilidade de leitura em qualquer lugar, para ler os livros da facul (em pdf) onde estivesse…

Enfim, obrigada por eu poder fazer esse pedido!

Um abraço!

Querida leitora,

Eu tenho um Kindle. Comprei há cerca de um ano o Kindle mais simples, sem luz interna. Foi a melhor coisa que eu fiz. Uso bastante, apesar de amar os livros físicos, em papel. Já falei sobre isso em um post: Vale a pena ter um leitor de e-book mesmo já tendo um tablet?

Alguns leitores já me perguntaram também qual o critério para comprar um livro físico ou um e-book. No geral, compro o livro físico quando quero tê-lo em minha coleção, na estante, ou vou manusear muito (ex: livros de estudos). No Kindle, deixo para comprar:

  • Livros que só existem em formato e-book (na Amazon tem TANTOS!)
  • Livros que não tenho interesse em colecionar – só quero ler uma vez para conhecer
  • Livros que ainda não foram publicados no Brasil

Uma exceção a esses critérios são os livros do David Allen, que tenho tanto em versão física quanto no Kindle, pois uso muito no meu dia a dia.

O que você comentou sobre tempo de leitura eu já comentei em um post chamado Como você consegue ler tanto? O que vale para livros físicos, vale para o Kindle (só muda o formato, mas a logística toda é a mesma).

Sobre disponibilidade, a bateria do Kindle é muito boa. Costumo carregar a cada duas semanas, em média. Gosto de levá-lo em viagens e no dia a dia, apesar de ter um pouco de receio de usá-lo para ler em transporte público.

Sobre a diminuição do volume físico, não me importo muito com isso, visto que sou uma colecionadora de livros e bibliófila (eu GOSTO do tal volume). Não sei se usaria para substituir totalmente os livros físicos. Nunca sei qual o tempo de vida útil de um gadget e não gostaria de perder meu acervo daqui a dez, vinte anos.

Sobre a organização do dispositivo em si, gosto de criar listas por assunto, sem regras muito bem definidas. Tenho uma lista para livros sobre GTD, outra para livros sobre Organização, Biografias e por aí vai.

Talvez sua dúvida sobre se vale a pena ter ou não pode ser esclarecida no outro post citado ali em cima. Para mim, valeu. A experiência de leitura em um e-reader é muito diferente de um tablet, além de ele ser monotarefa, o que ajuda na concentração.

Há alguns dias a Tatiana Feltrin (siga o canal dela, é muito legal!) fez um vídeo comparando os três e-readers mais citados (Kindle, Kobo e Lev), e pode ajudar você a se decidir:

Obrigada por ter enviado o comentário. Espero ter esclarecido as suas dúvidas.

Thais Godinho
10/12/2014
Veja mais sobre:
52
Rapidinhas: David Allen e o planejamento
Lançamento: A arte de fazer acontecer, edição 2015
Meu sistema GTD atual – Março 2017

 

  1. Camila Dantas 10/12/2014

    Olá! Fazem 4 anos que eu troquei os livros de papel pelo meu kindle e estou super contente com a troca. Achei que teria dificuldade, mas me acostumei rápido e hoje mantenho comigo os livros que realmente amo (Gabriel Garcia Marques, Budismo e alguns livros do mestrado). Fora isso, dei tudo e comprei alguns novamente na biblioteca do kindle. Este e-reader é excelente, fácil leitura e manuseio, download de livros rapidíssimo, biblioteca gigantesca, bateria que dura semanas e sistema de inclusão de notas e “highlights” muito prático. Com tempo peguei prática e comecei a estudar no próprio kindle. Sou super satisfeita e recomendo. Troquei o prazer de virar as páginas pelo prazer de ver a % que eu já li. Um abraço!

  2. Amanda 11/12/2014

    Comprei um Kindle recentemente e ainda estou me adaptando a ele. Meu objetivo inicial era comprar o modelo mais simples, mas meu namorado acabou me convencendo a comprar um mais moderno porque me possibilita ter acesso a internet, usar aplicativos, ver vídeos e etc (acabei ouvindo o “diabinho” no outro ombro rs). Na hora fiquei me sentindo meio culpada pelo fator “distração” (afinal minha intenção era apenas leitura), mas acabou sendo útil porque estava viajando e com ele pude checar emails, redes sociais, Skype e o Evernote. Mas não instalei o Facebook, por exemplo, para evitar as notificações.
    Acho interessante para adquirir aquele tipo de livro que provavelmente lerei apenas uma vez, então não faz sentido tê-lo em casa. Mas para aqueles que amo e que pretendo reler e manusear bastante, como você disse, é preferível ter o livro físico.
    Uma detalhe que eu gostei é que costumo ler em inglês e quando surge uma palavra que desconheço o significado, basta tocá-la que abre um box com a definição no dicionário, ótimo para quem gosta de aprender outro idioma.
    Neste modelo também é possível visualizar PDFs, arquivos Word e até Powerpoint, então também serve para estudar.

    • Valéria Vieira respondeu Amanda 12/12/2014

      Amanda, qual o modelo do seu Kindle? o Fire?

      • Amanda respondeu Valéria Vieira 18/12/2014

        Sim, o Fire HD 6 de 8GB

  3. Cassia 11/12/2014

    Tenho um kindle e amo! Para livros de ficção, que dificilmente vou reler, é tudo de bom (ainda mais quando tenho que me mudar e fico livre do peso dos livros em papel). Também gosto muito para livros de autoajuda, em que vou negritando e adicionando notas conforme leio e depois fica mais fácil acessar o resumo do que me foi importante. Para livros técnicos, de faculdade, não curto muito, pois fica confuso o meu esquema de anotações e revisões. Também não gosto para livros de arte ou decoração, porque perde-se a beleza das fotos (o que pode ser resolvido com o uso de um app para tablet ou celular). No mais, excelente poder sincronizar os dispositivos. O lado negativo fica por não poder emprestar, doar, escrever uma dedicatória, ter uma desculpa para ir ao sebo, ou mesmo despertar aquela curiosidade que os amantes de livro têm quando se deparam com a estante alheia.
    Especificamente sobre o kindle, acho que em acervo (pra quem lê em inglês) e em atendimento ao consumidor, ninguém barra a Amazon. Fora que muitas vezes o valor do livro, em dólar, com IOF e tudo, acaba mais barato que o equivalente em português na estante virtual, contando o frete. Com a vantagem de não precisar aguardar a entrega (ah, e as amostras do kindle… show!)
    Em relação ao tablet, bem, depois de passar o dia olhando para uma tela luminosa no trabalho, ler no kindle é um alívio.
    Enfim, sou fã incondicional.

  4. Jane 11/12/2014

    Thais,

    Excelente post. Tive um Kindle comum, depois de um acidente que o danificou a Amazon trocou por um Kindle Paperwhite, porque não tinha o anterior em estoque.
    Eu amei! Para quem costuma ler antes de dormir, é excelente porque não é necessário ter outra fonte de luz, como abajur, por exemplo, que as vezes incomoda quem dorme ao lado. A luz dele não reflexiva, é super confortável para leitura.

    Você comentou sobre o receio de perder o acervo. Quanto a isso, o acervo fica armazenado na Nuvem, além de no próprio dispositivo, para o caso de troca de equipamento (como foi meu caso) ou até para ler no aplicativo no tablet, celular, desktop, etc.

    Finalmente também acho que uma experiência, ler o livro físico ou digital, não substitui a outra, alias acho que uma completa a outra. Faço sempre uma analogia com música, eu posso comprar/baixar uma música para ouvir no computadorou outro dispositivo, mas quando eu gosto mesmo quero ter o CD.

    Abraço!

    • Thais Godinho respondeu Jane 11/12/2014

      Mas o aplicativo pode ser descontinuado. ;D

      Veja, eu há alguns anos usava um palm. Investi um tempão comprando acessórios e inserindo informações no dispositivo. Depois de alguns anos, se tornou obsoleto.

      Não digo que estou fazendo a escolha mais acertada, é apenas a que optei para mim com base em outras experiências e gostos pessoais.

      Bjo

      • Davi Dalben respondeu Thais Godinho 11/12/2014

        Thaís, você tem razão no seu receio.

        Quando adquire um livro digital, você não compra o livro, e sim o direito de utilizá-lo dentro daquela plataforma. Por isso não é possível emprestar o livro para amigos (apesar de já haver discussão sobre isso e a proposta do empréstimo, sim). Isso também vale para músicas da iTunes Store e outras lojas virtuais semelhantes.

        Ninguém sabe o que vai acontecer se a Amazon fechar as portas. Então, se o objetivo é colecionar, melhor adquirir a versão em papel.

        • Thais Godinho respondeu Davi Dalben 11/12/2014

          Obrigada, Davi!

        • Adriana Sanches respondeu Davi Dalben 12/12/2014

          Olá,
          Pois essa é a minha dúvida: eu tenho um kobo, se futuramente optar pelo Kindle eu perco os e-books que já comprei ou tem como fazer a transferência de uma “nuvem” para outra??? Obrigado, Abraços,

          • Davi Dalben respondeu Adriana Sanches 17/12/2014

            Adriana,

            Perder, não perde, pois sempre poderá lê-los no Kobo. Mas, para ler esses livros no Kindle, salvo engano, terá que comprá-los novamente na Amazon. Não conheço forma legal de migrá-los.

  5. aline almeida 11/12/2014

    Valeria, aqui em casa eu tenho o Kobo e o meu marido o Kindle. O kindle é muito melhor pra grifar, fazer as escolhas…o kobo é lindinho, mas deixa a desejar. Se estiver em duvida qto a esses dois, fique com o Kindle. Abs.

  6. Jane Pereira 11/12/2014

    Oi Taís acho o seu blog o máximo! Poderia me indicar um post que vc fez e não consigo encontrar deixei para ler numa outra oportunidade e não marquei a data, agora não consigo encontra-lo. O post falava de uma avaliação sobre como está minha vida de pessoa ,mãe, esposa, profissional. Gostaria muito de ler será que pode me mandar o link da página!! Obrigada!!

  7. Bia 11/12/2014

    O melhor kindle é o mas simplesinho. A tela parece um livro, não é multitarefa, é levinho e muito prático.

    Eu não tenho muito medo de usar em transporte público porque nem acho ele tão caro assim. Se for parar pra pensar que o celular mais pobrinho custa quinhentos reais e a gente usa o celular por aí, nem é uma grande ostentação usar o kindle. E se quiserem me roubar o prejuízo real é menor rs.

    Eu tenho sensibilidade ao brilho da tela porque meu olho é bem sensível e claro, então a claridade excessiva num geral me machuca. O Kindle é incrível e uma ótima solução para quem quer ler num dispositivo móvel.

    Não dispenso minha estante cheia de livros, mas eu só li a quantidade enorme de livros que li esse ano por causa da portabilidade e praticidade do kindle. Esqueço o celular em casa, mas não esqueço dele.

    Sou apaixonada e suspeita para falar. Adoro a loja da Amazon e os milhões de livros que ela tem a um preço muito bom – principalmente os estrangeiros. Também dá pra jogar apostilas e outros materiais pra consulta no kindle, dispensando uma papelada tremenda.

    Vale a pena? Se você gosta de ler e gosta de portabilidade e praticidade, sim. Não substitui totalmente o livro para quem gosta dos livros de papel – meu caso – mas é muito legal.

    É um gadget barato se comparado com os Iphones da vida e pra mim é muito mais útil. Se eu soubesse que ia amar tanto, teria comprado há uns cinco anos, não há dois…kkkk

  8. Carolina Rodrigues 11/12/2014

    Recomendo muito um blog sobre e-readers: vidasempapel
    Eu tive o Lev com luz, foi o primeiro que comprei, gostei da experiência de leitura e usava em qualquer lugar, principalmente no ônibus e metro de SP. Muito prático, lia um livro por semana. Depois vi a resenha do kindle e fiquei fascinada, não resisti e encomendei com um amigo que viajou para exterior o kindle voyage (sem previsão de venda no Brasil), sensacional novos recursos de leitura, pesquisa e construção de vocabulários, criar perfis de leitura entre adultos e crianças que usam o mesmo e-reader, edição dos grifos em arquivo editavel no computador… Enfim é o top do momento, mas digo sempre tanto o Lev, Kobo e Kindle são maravilhosos na duração da bateria, qualidade do e-ink para leitura (sem brilho da tela) e marcação de trechos/páginas só pesquisar qual te atenderá mais.

    Ah Thaís, fiz questão de ter seu livro impresso 🙂
    Ainda compro livros que sei que vou reler e que irei colecionar, ficou mais saudável a minha relação e-books e livros impressos.

    • Thais Godinho respondeu Carolina Rodrigues 11/12/2014

      <3

    • Valéria Vieira respondeu Carolina Rodrigues 12/12/2014

      li esse blog. muito bom mesmo! também recomendo, e já li por lá as análises comparativas feitas entre os 3 principais e-readers disponíveis no mercado.

    • Bia respondeu Carolina Rodrigues 15/12/2014

      O Livro da Thais eu comprei em papel porque é do tipo que eu queria manter.

      Fico me comendo por dentro porque ela indica que a gente rabisque o livro, e eu tenho pudorzinho kkkkk

      Fiz todos os exercícios num papel a parte. Meu livro continua intacto (fora o meu nome que eu escrevo, não escrevo em livro de jeito nenhum).

      Deve ser uma espécie de obsessão doentia, mas eu tenho. Não rabisco livros…

  9. Mariana 11/12/2014

    Oi Thaís, meu comentário não tem nada haver com essa postagem. Mas gostaria de falar que sigo seu blog já faz um ano pelo menos e que cada vez gosto mais de entrar aqui, às vezes entro pra ler de novo algo que li e gostei das dicas, uso muito a busca e arquivos, as vezes quando não encontro algo olho nos comentários ou penso, ah se não tem de certo ela vai postar em algum momento sobre isto.. É sempre encontro respostas pra todas minhas dúvidas de organização. arrendei um restaurante e me vi obrigada a virar uma pessoa organizada, seu blog me inspira e me ajuda muito! Comprei e li os livros do Christian Barbosa que você indicou, adorei! Mantenho sempre por perto para referências, no último mês comprei o do David Allen que ainda estou processando aos poucos e está semana estou esperando ansiosamente chegar seu livro (não consegui achar nas livrarias da minha cidade 🙁
    Enfim! Obrigada a me ajudar e a tantas outras pessoas, seu trabalho é incrível! E sinto que está cada vez melhor.
    bjs e muito sucesso

  10. Valéria Vieira 12/12/2014

    Thais, como sempre, uma querida! 🙂
    Muito obrigada pelo post, me senti importante! rs

    Sobre o assunto, os links com posts antigos eu já os tinha acessado quando escreveu, mas agora eu achei que vc (pelo menos para mim) esgotou o assunto.
    Obrigada pela sua atenção, e com certeza vou fazer uma escolha mais consciente e certeira!

    um bjo! 😀

  11. Na 12/12/2014

    O kindle certamente foi uma das minhas melhores aquisições da minha vida.
    Também me considero suspeita, pois chego perto de ser uma kindlemaníaca… Mas, realmente, é difícil não se apaixonar. O infinito mundo da leitura a um toque dos dedos é algo que considero fantástico.
    O mais legal é que ele propicia a experiência de ler em momentos e ocasiões que o livro de papel não permite (ou permite com um pouco de malabarismo): na manicure, no elevador, na esteira…
    E pelo fato de só exigir uma mão para manuseio, também pode ser uma ferramenta bacana para pessoas sem movimento em um dos braços.
    O que posso dizer? Recomendo muitíssimo!!!

  12. Adriana Sanches 12/12/2014

    Olá,
    Oi Thais, comprei o meu kobo em uma época que minha estante não cabia mais livros e não sabia mais aonde colocá-los. Hoje, com uma estante nova e muito maior, compro os e-books basicamente quando tenho dúvidas sobre se o livro é mesmo importante para mim, ou se não conheço o autor. Gosto muito da alternativa de ter livros digitais disponíveis, mas ainda acho que eles poderiam ser mais baratos. Alguns são praticamente o mesmo preço do livro de papel. Ainda assim compro um novo modelo de e-reader quando precisar. Parabéns pelo ótimo blog!
    Abraços,

  13. Kamila 12/12/2014

    Só um comentário sobre o kobo: já vi na Internet várias pessoas comentando que com pouco tempo de uso a tela ficou manchada. A resposta da empresa costuma ser que isso se deu por alguma pancada no aparelho, mau uso. Por isso não efetuam a troca. Mas em todos os depoimentos que vi as pessoas disseram ter sido cuidadosas. Pesquisem sobre isso antes da compra.

    • Adriana Carvalho respondeu Kamila 14/12/2014

      Olá Kamila, Tenho um kobo há um ano e três meses e a minha tela “não manchou”. Está perfeito. Gosto muito apesar de achar os livros digitais ainda caros…
      Abraços,

      • Anamaria respondeu Adriana Carvalho 15/12/2014

        Caros e a loja pequena para não-ficção.

  14. Anamaria 13/12/2014

    Oi Thaís. Tudo bem? Estou descobrindo seu blog aos poucos, minha vida está um caos, preciso dar um jeito nela rs e espero que me ajude como ajudou outros. Já li sobre o método gtd em outros blogs, ainda preciso ver o jeito como VC usa pra ver se me ajuda .
    Feito esse comentário nada a ver com o post, quero salientar que tenho un Kobo glo. Gosto dele , mas q loja virtual do aparelho me decepciona, como estudo ciência politica e a maioria doa livros atuais sai lá fora e aqui quase nunca , comprei um monte de livro no APP do Kindle.
    Resolvi comprar um aparelho do kindle e ver no que dá. Todo mundo fala muito bem dele, daqui a uma semana vou postar aqui contando o que achei.

    Parabéns pelo blog

  15. Nádia 17/12/2014

    Adorei esses três critérios que você usa pra comprar um e-book, acho que vou adotá-los! Tenho um Kobo Glo e o aplicativo do Kindle no no meu notebook e no computador do trabalho para os livros da Amazon. AMO livro físico (sou bibliotecária de formação, então aí já viu kkk) mas resolvi comprar um e-reader depois de uma viagem de um mês que me vi carregando muito mais peso que o necessário graças a todos os livros e guias de viagem que resolvi levar. O pior é que leio MESMO, mesmo na praia! Então adorei poder concentrar tantos livros em um só dispositivo, além da possibilidade de destacar partes do texto, tomar notas, usar o dicionário até “dobrar a página” *-*

    Confesso que nunca tive muito critério, se estou numa livraria e vejo um livro que me dá vontade de ler naquele momento compro mesmo… se tenho dúvidas quanto a outro, baixo o e-pub ou o pdf. Se gosto muito de um e-book que comprei ou baixei, compro o físico. Meu livro favorito, “A história sem fim”, tenho o físico em português que comprei há dez anos, depois consegui o e-book em inglês, em seguida em português e ainda tenho um exemplar físico da 1ª edição no idioma original (alemão) que meu namorado encomendou de um antiquário na Alemanha – tenho um semestre só de alemão hahaha, mas sou tão feliz por ter meu, com sua capa de seda e tudo mais <3

    Enfim, gosto de ter os dois mundos à minha disposição e acho que vale a pena sim!

    :*

  16. Eleandra 18/12/2014

    Oi Thais!!
    Já postei um comentário uma vez(este ano), sobre as mudanças na minha vida, que você ajudou a proporcionar, estou cursando letras (um sonho antigo que contei a você quando escrevi da outra vez), enfim, mesmo não comentando, frequento diariamente seu blog e te agradeço todo dia por você dividir tudo com a gente!Obrigadaaaa!
    Mas o que me fez escrever agora é porque sinto que minha vida é vazia de compromissos perto da sua e fico perdida sobre os métodos usados para organização (GTD,Evernote, etc) sinto que não preciso de tanto mas preciso me organizar mesmo assim, então queria perguntar se não tem uma maneira mais simples para organização, do tipo:para pessoas que tem menos compromissos ou algo assim, desculpe se for uma grande bobagem o que eu digo, mas tento implantar as listas de prioridades e os métodos e faltam coisas para preencher (chego a questionar onde andam meus compromissos!), inclusive procurando aqui no blog, encontrei o post sobre o caderno da Vivian (lá de 2012!) e ADOREI, mas não encontrei post detalhando o método dela depois, para eu tentar usar…..(se houver vc pode me dizer???)
    Enfim espero que,se possível, você possa dar uma dica sobre isto!!
    Obrigada
    Eleandra Bonatto
    Obrigada!!!

  17. Maurilio Magalhães 03/02/2015

    Não foi comentado isso, e é algo que eu tenho interesse em saber.
    Algum desses e-readers fazem anotações e salva as palavras que não conheço? Gosto de escrever quando estou inspirado e de anotar palavras que não conheço para tentar aplicá-las ao vocabulário. Os leitores digitais dão esse tipo de opções?

    • Thais Godinho respondeu Maurilio Magalhães 03/02/2015

      Desconheço! Me avise se descobrir, por favor.

  18. Patrícia 08/04/2015

    Thaís, pode me falar das funcionalidades do 3G do kindle? Compensa?

    • Thais Godinho respondeu Patrícia 08/04/2015

      O meu não tem 3G. Particularmente, acho que não compensa (por isso que comprei um só com wifi).

  19. None Concursanda 11/04/2015

    Olá, Thais! Sou sua seguidora há anos, adoro o seu blog e participo de todos os seus grupos no face. Estudo para concursos há dois anos e meu local de estudo é uma papelada só. Quero reduzir isso. Estou na duvida quanto a compra do e-reader, pois leio muitos pdf´s e “preciso” grifar, do contrário pra mim não funciona. Quero saber se o e-reader me dá esta opção para grifar. O grifo é com caneta específica? Preciso comprar um a parte ou já vem junto?

    Bjs

    • Thais Godinho respondeu None Concursanda 13/04/2015

      Dá sim mas, no seu caso, recomendo o uso de um tablet com apps específicos para interação com texto (tem um montão, cheios de recursos legais).

  20. Cristiani 15/04/2015

    Oi Thais, bom dia!

    Pretendo comprar um e-reader e gostaria da sua ajuda.
    Tenho vários livros em PDF e quero um leitor que posso salvar esses livros nele. Isso é possivel?
    Se eu optar pelo kindle fico restrita em comprar livros apenas na Amazon ou posso comprar qq ebook?

    Obrigada

    Cristiani

    • Thais Godinho respondeu Cristiani 15/04/2015

      Olá Cristiani,
      Que eu saiba, existem programas que convertem todos os tipos de arquivos, mas eu nunca testei. Vale a pena fazer uma pesquisa no Google.
      Desculpe não poder ajudar.

  21. Patricia Regina Degani Skerlak 13/05/2015

    Uma dica boa de loja charmosa que vende muita coisa para organização(inclusive organizador de gaveta para meias e lingeries) é a Casa & Loja na Rua Clodomiro Amazonas,588 no Itaim bibi e a Mirabile na Rua João Cachoeira,1509 na Vila Nova Conceição.
    Abç
    Patricia

  22. Cris 14/06/2015

    Olá, Thais!

    Sou ex-tre-ma-men-te desorganizada e decidi acabar com isso recentemente. Comecei buscando blogs sobre o assunto, pois sequer sei como limpar e organizar uma casa. Tenho dúvidas muito bobas. Não sei se é adequado perguntar por aqui, mas não custa tentar: o que faço com as roupas que usei durante o dia, mas que ainda não estão sujas, ou seja, que poderei usar novamente, como calças jeans? Existe algum lugarzinho no seu blog para tirarmos esse tipo de dúvidas ou buscar soluções em conjunto? 😀

    Obrigada pelas suas dicas! Tenho certeza de que o blog será muito útil para mim.

    • Thais Godinho respondeu Cris 26/06/2015

      Eu acho muito anti-ecológico lavar uma roupa depois de usar. Só lavo se estiver suja ou com um cheiro ruim (geralmente camisetas, camisas, roupa íntima – claro – peças assim). Todo o restante: calças, casacos, suéteres, vão para o armário normalmente.

    • Ilka respondeu Cris 24/07/2015

      Olá, eu faço assim: as que sei que vou usar de novo na mesma semana, dependuro atrás da porta do quarto. Fica organizado e arejado.
      As que não sei quando vou usar de novo (casaco, jaqueta, vestido), dependuro do novo no guarda-roupa, mas do lado avesso.
      Abs,

  23. Fernanda 25/08/2015

    Amo o meu kindle! Li muito mais depois que comprei. Fiz uma resenha aqui https://www.youtube.com/watch?v=TgLsH1M4aK4

  24. Lita 09/10/2015

    Olá, eu gostaria saber se os e-readers (pelo menos algum deles) tem opção para mudar a linguagem do aparelho (funções, diccionarios, etc.), ou todos eles vem com o portugues sem posibilidade de ingles ou espanhol

    • Thais Godinho respondeu Lita 09/10/2015

      Oi Lita, boa pergunta. Eu não saberia dizer, mas talvez no site de cada fabricante tenha essa informação.

  25. Rogério Rosa 11/03/2016

    Olá Thais Godinho.

    Gostaria de vossa avaliação quanto a aquisição de um e-reader para quem utiliza livros da área de ciências exatas e da natureza.

  26. Jorge 20/07/2016

    Obrigado pelas dicas