ou

260914-turmaaberta

A próxima turma aberta do treinamento GTD da Call Daniel será no dia 18 de outubro, em São Paulo. Há algumas novidades para esta versão: teremos uma turma exclusiva para quem utiliza o GTD no Evernote comigo ministrando o curso. Portanto, quem tiver interesse, inscreva-se já!

Muitas pessoas me perguntaram se será ensinado o sistema de tags que venho fazendo aqui na série especial do blog. A resposta é: NÃO. A série é para usuários avançados e o curso da Call Daniel é para quem quer aprender mais sobre o GTD e, neste caso, como implementar usando o Evernote. Será utilizada uma outra versão para o GTD no Evernote, mais simples.

Uma das opções para o treinamento é contratá-lo com acompanhamentos. O que isso significa? Se você optar por essa modalidade, ainda teremos algumas conference calls depois do treinamento para ajustar detalhes e, se você tiver interesse em falar sobre o sistema mais avançado que uso no blog, estarei à disposição.

Vejo vocês lá? ;D

Thais Godinho
26/09/2014
Veja mais sobre:
Call Daniel
28
Agenda com dicas do e-book 365 dicas para se organizar o ano todo
Resumo do mês de novembro 2015 aqui no blog
A principal dica de organização que eu aprendi com a minha mãe – participação dos leitores

Estou prestes a fazer uma nova viagem internacional e estou me tornando perita já em organizar esse tipo de coisa! Por isso, quis escrever um post com algumas dicas que podem ajudar quem estiver planejando uma viagem, seja para onde for e com a duração que for. São elas:

  1. Crie um caderno no Evernote para mantê-lo offline em seus dispositivos móveis que levará na viagem. Especialmente em viagens internacionais, nem sempre conseguimos conexão com Internet de maneira fácil e o tempo todo. Vale a pena deixar um caderno com informações sobre a viagem em offline, para acessar sempre que necessário.
  2. Nesse caderno, insira notas com seus documentos mais importantes digitalizados. Passaporte, reserva do hotel, passagens, recibos, cartões. Você nunca sabe quando acontecerá alguma coisa com os seus documentos e ter uma cópia deles pode facilitar de sobremaneira qualquer imprevisto que você tenha em terras estrangeiras.
  3. Leve lanchinhos para comer no avião. Eu sei que a maioria das companhias aéreas oferecem refeições, mas ficamos reféns não só dos horários como das opções. Eu gosto de sempre levar alguns lanches secos que posso comer para matar a fome, como amendoins, castanhas e chocolate.
  4. Utilize o Trip Advisor para saber mais sobre o hotel onde ficará hospedado. Se a nota for acima de 7, no geral é um bom hotel.
  5. Se for ficar mais tempo em algum lugar, pode valer a pena alugar um quarto ou apartamento, em vez de ficar em hotel. Utilize o Airbnb para isso – vem crescendo muito e é confiável. Ficando em um lugar assim, você pode preparar sua própria comida e lavar roupas. Se estiver em família, pode ser mais vantajoso financeiramente que ficar em um hotel.
  6. Vale a pena comprar um chip para ligações locais e Internet (boa) em todo lugar, especialmente se você não estiver viajando sozinho.
  7. Use uma daquelas bolsinhas estilo pochete, que a gente usa dentro da calça, para guardar seu passaporte e seu dinheiro.
  8. Separe seu dinheiro em montinhos do quanto pode gastar por dia, para controlar melhor.
  9. Compre um guia de viagem do local que você vai (só um basta) e vá lendo no avião.
  10. Crie uma resposta automática para os seus e-mails durante o período de viagem. Mesmo que esteja indo a trabalho, é simpático avisar que está com o fuso horário diferente e respondendo em horários alternativos.
  11. Compre suas passagens aéreas de madrugada (são mais baratas).
  12. Compare os preços das passagens para ida em uma terça-feira e em outros dias da semana. Geralmente, as terças-feiras são mais baratas – especialmente se você estiver comprando perto da data.
  13. Acesse o site Meet Up para saber se está acontecendo algum encontrinho que te interesse no local.
  14. Se estiver planejando fazer compras, leve uma mala média dentro de uma mala grande. Se for para os Estados Unidos, não compre a mala aqui – compre lá. É muito mais barato.
  15. Salve seus lugares preferidos no Google Maps.
  16. Se for ficar bastante tempo no local (mais de quatro dias), deixe para comprar artigos de higiene lá. Leve as miniaturas só para o primeiro dia.
  17. Nos Estados Unidos, vale a pena comprar coisinhas para o café-da-manhã e lanches esporádicos ao longo do dia em uma rede de farmácias chamada Wallgreens. Eu gosto de fazer uma boa refeição por dia, até mesmo para conhecer os restaurantes e provar a comida local, mas não dá para fazer isso com todas as refeições sempre. Vale a pena economizar nesse quesito e há ótimas opções. Para opções ainda mais saudáveis, há um mercado chamado Whole Foods.
  18. Use uma pequena necéssaire para levar suas bijous. Se não levar muita coisa, pode ser que caiba tudo em um porta-moedas. Sempre opte pelo meio de armazenamento mais leve em suas viagens.
  19. Tire os remédios das caixinhas para levar, para diminuir o volume.
  20. Tenha uma pastinha com divisórias para colocar todos os papéis e comprovantes que receber. Fica mais fácil organizar assim. Eu costumo ter as seguintes divisórias: hotel, avião, comida, compras, transporte, passeios. Apesar de digitalizar tudo aos poucos, ao longo da viagem precisamos manter alguns papéis, como passagens, tickets de shows etc.
  21. Leve uma garrafa de água vazia e encha-a na sala de embarque.
  22. Leve sempre um rolo de papel higiênico. Para não fazer volume, leve um já começado, pela metade.
  23. Leve roupas que não amassam.
  24. Vista o que for mais pesado e volumoso, como trench coats e botas.
  25. Viaje confortável. Nada como uma calça com tecido strech e um bom par de tênis.
  26. Leve sempre uma pashmina no avião. Além de proteger contra o ar condicionado, serve de travesseirinho.
  27. Máscara de dormir e protetor auricular são duas coisas sem as quais eu não viajo, seja onde for.
  28. Um acessório que também sempre me ajuda são aquelas luzinhas portáteis para ler livros. Uma pequena lanterna pode bastar. Deixe na bolsa.
  29. Em vez de levar um livro, leve um leitor de e-books. Certifique-se de que esteja carregado antes da viagem.
  30. O mesmo vale para tablets e ipods.
  31. Leve sempre uma bolsa pequena para carregar suas coisas no dia a dia. Já viajei com mala e mochila achando que levaria minha mochila para todo lugar, mas nem sempre dá. Em jantares, por exemplo, ou passeios. Cansa levar peso! Leve uma bolsa pequena e, se não precisar, você me avisa depois.
  32. Tenha sempre uma caneta à mão. Precisamos o tempo todo para preencher toda sorte de papéis e nada mais chato que ficar caçando uma caneta na bolsa.
  33. Não invente e leve peças básicas de roupas, com cores neutras. Use cores nos acessórios, que não pesam quase nada. Mas cuidado com os sapatos!
  34. Vale a pena levar sempre um par de chinelos para onde você vai. Nem todo hotel é tão limpinho, especialmente o chuveiro.
  35. Utilize aplicativos como o Foursquare para saber as melhores dicas de cada local, especialmente restaurantes.
  36. Use e abuse do seu Waze (aplicativo com informações sobre trânsito).
  37. Se for para os Estados Unidos, compre um cadeado aprovado pela TSA para usar em sua mala. Do contrário, ela poderá ser aberta e seu cadeado dará perda total. (leia mais sobre isso aqui)
  38. Se for para os Estados Unidos, evite fazer conexão em cidades como Miami e Nova Iorque (a não ser, claro, que esses sejam seus destinos). As filas da imigração são muito mais lotadas lá, pois são os destinos preferidos dos brasileiros, e você pode perder seu vôo seguinte.
  39. Salve um mapa do transporte público do lugar para onde você vai em seu caderno no Evernote. Muitas vezes, essa informação não é tão fácil de conseguir onde você vai.
  40. Tente fugir dos restaurantes e lojas que os turistas costumam ir, pois tendem a ser mais caros.
  41. Reserve o primeiro dia da sua chegada para descansar e se adaptar ao fuso horário. O mesmo vale para quando você voltar para o Brasil.
  42. Não compre coisas que você poderia comprar no Brasil. Sei que essa dica parece boba, mas quando fui pela primeira vez nos Estados Unidos, eu comprei tanta, mas tanta roupa. É óbvio que algumas coisas valem muito a pena a gente comprar lá, mas muitas também não valem. Tem que avaliar. Às vezes, a compra parcelada e com garantia até compensa o valor a mais que se paga.

Essas são as dicas que lembro de cara, agora! É engraçado como, à medida que a gente vai pegando experiencia, vai simplificando algumas coisas. Espero que essas dicas ajudem.

E, claro, se você tiver alguma, por favor, deixe nos comentários! Obrigada!

Thais Godinho
26/09/2014
Veja mais sobre:
18
Inspiração: Natal rústico
Enquete: Qual seu aplicativo preferido no celular para se organizar?
Como organizar: Estudos de um idioma sem pressa