ou

Quem tem filhos em idade escolar já deve estar acostumado a receber diariamente uma agenda com anotações – especialmente os mais novos. Quando meu filho entrou na primeira escolinha, ele tinha pouco mais de um ano. Como era bebê e ficava bastante tempo na escola, a agenda vinha com muitas informações: quantas mamadeiras tomou, quantas fraldas trocou, o quanto comeu de papinha e por aí vai. À medida que a criança vai crescendo, as informações registradas ficam menos detalhadas (porque a criança fica menos na escola mesmo). O que poucos pais e mães percebem é que a agenda é uma verdadeira ferramenta de comunicação da família para com a professora e a escola, e pode escrever de volta também, sem ser apenas para avisar sobre coisas diversas. Veja como ser pró-ativo(a) com a agenda do seu filhote:

220814-agenda-filho

1. Quando começa em uma nova escola ou inicia o ano letivo

Você pode deixar um recadinho se apresentando (brevemente) para a professora e dizendo que deseja um bom ano para ela, e o que espera que seu filho experiencie. Por exemplo, seu filho pode estar indo para a escola pela primeira vez e pode estranhar, ou tem um irmão mais novo com quem ele é acostumado a brincar, ou estranha quando é contrariado, esse tipo de coisas. Essas informações ajudam muito a professora a entender o contexto de onde a criança vem, e assim pode promover atividades de integração diferenciadas. Também é uma maneira de dizer que você tem participação ativa na educação do seu filho e que o canal está aberto para tirar dúvidas e responder outras questões. A professora poderá até mesmo caprichar mais nas informações que registra na agenda do seu filho por causa disso, porque sabe que quem está do outro lado estará lendo de verdade.

2. Compartilhar conquistas pessoais do seu filho

Algumas conquistas, como dar o primeiro passo, passar a usar o troninho, escrever uma palavra, cantar uma música inteira, entre outras, vão deixar a professora muito feliz (por fazer parte) e poderão servir como inspiração para atividades escolares. Sabendo que o seu filho fez isso, ela pode até mesmo celebrar essa conquista com ele e seus amiguinhos na escola, além de encaixar atividades diversas que ele já possa explorar.

3. Contar quais seus interesses culturais

Escrever qual a música que ele mais gosta, seus desenhos preferidos, cores, comidas, se ele ama o animal de estimação, pode ajudar a professora a ter mais empatia com o seu filho (e vice-versa). Ela pode cantar a musiquinha para ele ao longo do dia, entregar sempre o lápis de cor com a cor preferida, falar sobre o desenho que ele gosta e por aí vai. A única maneira dela saber disso é escrevendo na agenda.

4. Informações sobre a saúde e o estado de espírito

Muitas vezes, a criança dorme mal porque ficou agitada ou teve uma febre passageira. Essas são informações importantes que podem justificar o comportamento na escola. Sabendo o cenário, a professora acaba sendo até mais tolerante, caso seja uma ocasião excepcional. O mesmo vale para situações felizes – ganhou um novo irmãozinho, foi sua festa de aniversário, dormiu na casa dos avós etc. Além de entender como a criança está chegando, a professora também se sente parte do dia a dia da criança, mais do que seu papel na escola.

5. Explicar como tem sido a evolução do aprendizado

Contar se a lição de casa foi fácil ou difícil, se ele teve interesse, se prefere números a desenhos, letras a músicas, e por aí vai. Essas já são informações mais avançadas que uma especialista em pedagogia vai apreciar saber. Ela poderá avaliar se seu método de ensino está sendo eficaz e prestar atenção na reação dos outros alunos da turma também.

Ter esse meio de comunicação melhor explorado com a professora e a escola é uma maneira de garantir que seu filho tenha um bom dia e seu aprendizado escolar seja acompanhado de perto.

Alguém aqui já faz isso? Compartilhe ideias!

Thais Godinho
22/08/2014
Veja mais sobre:
20
Estratégias simples para acabar com um hábito ruim
Dicas para uma casa minimalista e organizada
Como organizar: Rotina de atividade física