ou

050814-livro

Oi pessoal! Passei apenas para compartilhar que o livro Vida Organizada já está em pré-venda no site da Livraria Cultura! Para comprar, clique aqui.

Uma leitora também comentou que comprou o livro na loja física também. Vou tentar passar em uma loja amanhã para ver se encontro!

Obrigada por tudo! Estou muito feliz. 🙂

Thais Godinho
05/08/2014
Veja mais sobre:
Livro Vida Organizada
44
Checklist de setembro 2013
Tríade do tempo: o método de Christian Barbosa
Checklist de julho 2015

Um dos grandes desafios na vida das mulheres é ter um guarda-roupa bom e funcional para trabalhar porque acontecem diversas mudanças: de peso, de gosto, de cargo, além dos tecidos que vão ficando gastos, peças que precisam de reparos e por aí vai. Como o meu estilo é mais clássico, o post vai acabar refletindo um pouco isso. Meu trabalho atual tem a seguinte configuração: trabalho em casa, com roupa casual, mas frequentemente preciso ministrar palestras e treinamentos, com roupa social, participar de eventos e reuniões. Por isso, meu guarda-roupa de trabalho tende ao social mais formal, que pode servir para quem trabalha em ambiente corporativo também.

Seguem as minhas dicas:

Tenha boas bases

040814-bases

Eu chamo de bases as roupas da parte de baixo do corpo, que seriam calças e saias. No dia a dia, prefiro a praticidade da calça, apesar de gostar de usar saias de vez em quando. Porém, eu prefiro montar o guarda-roupa primeiro com boas calças, pois são mais versáteis, e só depois investir em saias.

Gosto de comprar calças cigarretes, pois não preciso fazer a barra. Acho mais prático.

As cores que recomendo são: preta, bege, cinza e azul marinho. Com essas cores, consigo variar muito as combinações.

Também acho interessante ter mais de um par de cada cor. Já tive somente um e a peça se desgasta rápido, além de te deixar sem opção, caso esteja lavando.

Se seu trabalho permitir, ter pares de calças jeans escuro pode ser outra boa opção para suas combinações.

Invista em camisas

040814-camisas

Camisas nunca sairão de moda no ambiente corporativo, o que é ótimo, pois o acabamento formal é instantâneo.

Prefiro camisas de tecidos fluídos, que vestem melhor e não demandam tanto esforço de lavanderia. Camisas de algodão são chatas de passar e eu nunca mando engomar, pois não é prático. Ou seja, requerem cuidados que eu não tenho como assumir no meu dia a dia. Portanto, se você quiser usá-las, tenha isso em mente.

Em termos de quantidade, acho bom ter várias camisas brancas, off-white ou bege bem claro, pois são curingas. No geral, as camisas em tons pastel são mais fáceis de combinar e acho uma boa tê-las no armário, mas camisas estampadas e em cores mais fortes também têm seu charme. Fica a gosto da freguesa.

A terceira peça faz diferença

040814-blazer

Um recurso que sempre dá uma caprichada no look é inserir uma terceira peça: um blazer, um suéter, um cardigã, um trench-coat, uma jaqueta e por aí vai.

Não há regras aqui. Eu gosto de investir nas peças mais caras em cores básicas, pois sei que vou poder usar sempre. No entanto, se já tenho um sobretudo preto, me sinto à vontade para investir em um de outra cor, por exemplo, pois já tenho aquele básico, mas não compro um diferente se não tiver o básico em casa.

Minhas recomendações são as seguintes:

Blazer: preto, marinho, branco e vermelho (ou outra cor forte).

Suéter: preto, marinho, bege claro, bege escuro, marrom, cinza, vermelho. Para o cardigã, mesmas cores.

Trench-coat: preto, marinho, cinza, off-white e vermelho.

Saias e vestidos

040814-vestidos

Acho interessante ter alguns vestidos bons no armário, pois eles são versáteis e fáceis de vestir (basta uma única peça e estamos prontas). Porém, para trabalhar, vale a pena investir em tecidos mais encorpados.

Para saias, acredito que a saia lápis seja a campeã das peças clássicas. Cores que recomendo: preta, marinho e uma estampada.

Aprenda a gastar

Tudo bem pagar barato em camisetinhas que usamos por baixo de camisas ou suéteres, pois a qualidade não ficará evidente, mas algumas peças, que demandam bom caimento, devem ter qualidade melhor, e às vezes isso demanda um preço maior. Por sorte, muitas vezes encontramos peças boas e de bom caimento com preços acessíveis, e aí não devemos pensar duas vezes. Mas a ideia aqui é comprar menos e escolher mais, priorizando a qualidade. Eu, pelo menos, estou em uma fase da vida em que não posso usar qualquer roupa para trabalhar, com qualidade e caimento duvidosos. Portanto, o investimento na roupa é essencial, pois é a minha imagem.

Tenha bons acessórios

Vale a pena ter bons brincos, bons colares, boas pulseiras, bons lenços, boas bolsas e bons calçados para trabalhar, pois eles mudam completamente a cara da roupa. Mesmo uma roupa mais ou menos fica boa se você estiver com um bom par de sapatos. Minhas recomendações:

Brincos: um par de pérolas, um par de pérolas douradas, outro par de prateadas, um par com pontos brilhantes e um par com pingente.

Colares: dois ou três maxi-colares, um colar de pérolas e correntinhas douradas/prateadas.

Pulseiras, tenho variadas. Compro quando gosto de alguma e acho de boa qualidade. O mesmo vale para lenços.

Para bolsas, eu prefiro ter uma boa bolsa a usar várias ao mesmo tempo. Costumo ter uma grande, para o dia a dia, uma menor, para saídas curtas, e clutches diversas, para eventos.

Com sapatos, acho mais difícil restringir a quantidade, pois existem diferentes modelos e todos eles são importantes no guarda-roupa (para mim). No geral, para trabalho, tenho os seguintes:

– um scarpin mais chique, preto, com salto trabalhado, que uso para eventos e ocasiões mais formais;
– um scarpin baixo, preto, mais básico;
– um scarpin nude, mais básico também;
– sapatilhas e loafers de boas qualidade, que prezem o conforto;
– um par de botas pretas e um par de marrons;
– uma única sandália bege de salto, para diversas ocasiões (não gosto muito de sandália).

Com esses pares, eu consigo me virar bem. Gosto sempre de ter algum par com estampa de animal (píton, oncinha, zebra) para variar nos looks básicos.

Cinto, recomendo:

– um preto, de couro liso;
– um preto, de couro croc;
– um marrom, de couro liso;
– um marrom, de tressê;
– um colorido, como vermelho;
– um estampado, como de oncinha.

Aprenda a se maquiar

Para mim, o momento da virada foi quando aprendi a me maquiar, fazendo uma maquiagem leve e que corrigisse as minhas imperfeições no rosto (olheiras, marcas etc). Além de aprender a se maquiar, recomendo que invista em bons produtos de maquiagem também. Em vez de ter vários, tenha poucos e bons. Aqui vai a minha lista:

– primer;
– paleta de corretivo;
– base em pó;
– paleta de sombras em tons de marrom;
– blush rosado;
– blush pêssego;
– máscara;
– lápis marrom;
– lápis preto;
– batom cor de boca;
– batom vermelho.

Esses são os itens de maquiagem que uso no dia a dia, para variar.

As dicas acima foram dadas a partir da minha experiência montando um guarda-roupa para o trabalho. Caso queiram algo vindo de uma profissional, recomendo o workshop da consultora de estilo Ana Soares, que vai acontecer no próximo sábado, em São Paulo, justamente com esse tema:

Workshop-sp-2-535x586

Este post não é um publieditorial.

Thais Godinho
05/08/2014
Veja mais sobre:
33
Centralize suas ferramentas de organização
Leia blogs sobre organização
10 coisas simples e legais para fazer no inverno