ou

140714-tim-ferriss

Hoje inicio uma série de posts com aprendizados sobre produtividade que tive lendo os livros do Tim Ferriss. Falei sobre o primeiro livro dele em um post anterior e muitos de vocês me pediram resenha – eu não teria como fazer uma resenha do livro, pois tenho muita coisa a falar a respeito. Precisei escrever uma série de posts, sendo este o primeiro.

Quem é Tim Ferriss?

Timothy Ferriss (nascido em 20 de julho de 1977) é um escritor americano, empresário, investidor anjo e palestrante. Em 2007 lançou seu primeiro livro, Trabalhe 4 Horas por Semana, e alcançou a posição nº1 na lista de bestseller do New York Times e nº1 na lista de bestsellers do jornal Wall Street Journal. Desde o seu lançamento, o livro Trabalhe 4 Horas Por Semana ficou sete anos consecutivos em listas de bestseller. Em 2010, Tim lançou o livro 4 Horas Para o Corpo e alcançou novamente a posição nº1 na lista de bestsellers do New York Times. Seu terceiro livro foi lançado em 2012, O Chefe de Cozinha de Quatro Horas, e alcançou a posição nº1 na lista de bestsellers do Wall street Journal.

O escritor também é investidor anjo e membro do conselho de algumas startups como Facebook, Twitter, Evernote e outras empresas. Fonte: Wikipedia

Meus amigos, entendam que Tim é o_cara. Quando eu li o primeiro livro dele, eu me senti tão juvenil em termos de produtividade que precisei mudar todo o meu esquema de vida para viver da maneira que eu achava que tinha que ser. Tomei a decisão que eu estava postergando há anos e, em pouco tempo, a minha vida e a vida da minha família mudaram completamente. Para começar, ele faz uma comparação entre o que fomos ensinados a acreditar desde pequenos e o que ele chama de conceito de “novos ricos”. Novos ricos são aquelas pessoas que vivem a vida plenamente, em vez de esperar a aposentadoria. Eles trabalham? Claro, senão como teriam dinheiro? O segredo é trabalhar da maneira certa. Como? É sobre isso o que eu vou falar nessa série de posts.

Algumas poucas frases apenas para iniciar o cutucão na sua vida:

– Não é para trabalhar para você mesmo, mas para fazer outras pessoas trabalharem para você. Delegar!

– Trabalhar somente pelo trabalho é muito improdutivo. É importante encontrar o menor esforço necessário para fazer o suficiente. Ou seja: se você pode fazer tudo o que precisa em duas horas, não precisa trabalhar oito horas por dia. E aí ele vai questionar todo o sistema no qual estamos inseridos.

– Trabalhar como louco a vida inteira para curtir uma possível aposentadoria é insano! Jogamos fora os melhores anos da vida esperando para curtí-la quando nem sabemos se teremos saúde para isso? Não faz sentido! O que ele propôe, então, é um modelo de trabalho que proporcione mini-aposentadorias de tempos em tempos.

– Da mesma forma, trabalhar a vida inteira para enfim descansar é outro conceito sem sentido. Significa que estaremos a vida inteira fazendo algo que não gostamos para finalmente descansar? O objetivo não é a inatividade, mas fazer algo que o estimula e dá prazer.

– Comprar coisas só vale a pena se isso for útil para você otimizar a sua vida e o seu trabalho. Comprar por comprar não serve para nada. Só faz a gente trabalhar para pagar dívidas e se encher de objetos que não precisa.

– Não é para ser o chefe nem o empregado, mas o proprietário.

– Ganhar dinheiro para garantir segurança e contas pagas, mas também para realizar sonhos. O dinheiro só pelo dinheiro não leva a nada.

– Ter mais qualidade e menos bagunça.

– Não é para apenas se livrar do que é ruim, mas ir atrás do que realmente é bom para você.

O que Tim faz é um convite a pularmos desse trem errado que embarcamos sem nem nos darmos conta! Como ele diz, “a busca cega por dinheiro é a jornada dos tolos”. Trabalhamos enlouquecidamente, economizamos dinheiro, fazemos hora extra, gastamos tudo em contas, descansamos apenas nas férias e ainda chamamos isso de vida. Esperamos o final de semana chegar para conseguir resolver qualquer tipo de problema pessoal e passamos o sábado inteiro dormindo, porque estamos exaustos depois de uma semana puxada.

Lemos livros sobre gerenciamento do tempo, instalamos aplicativos e ferramentas, organizamos nossos e-mails, acompanhamos blogs de organização, e tudo para quê? Nada disso pode fazer milagre se não tivermos mais tempo para ter uma vida realizada, para ir atrás dos nossos sonhos. O que estamos perseguindo, para começar? Se queremos ficar ricos (exemplo), será que estamos no caminho certo? Será que trabalhar 10 horas por dia para virar gerente não fará apenas com que… trabalhemos 12 horas por dia por um salário um pouco superior, quando isso acontecer?

Estamos deixando de lado nosso bem mais precioso: a nossa vida. Ele fala a minha frase preferida dos últimos tempos, que é: “o ouro está ficando velho”. Empresas não seguram mais funcionários apenas com aumento de salário. Cada vez mais, as pessoas estão em busca de trabalho remoto e horários flexíveis, para conseguirem descansar e ter mais momentos de prazer. Ninguém precisa de 40 horas por semana para fazer qualquer tipo de trabalho – estamos todos perdendo tempo no trânsito, no deslocamento, iniciando computadores e tomando café no corredor. O modelo corporativo precisa mudar para atender essa demanda, antes que todas as pessoas enlouqueçam.

Você sabia que o estresse já é considerado a doença do século XXI? Se a gente não tomar uma providência, vai acabar tendo uma parada cardíaca, um colapso nervoso ou síndrome do pânico. Talvez você mesmo já tenha passado por isso ou conhecido pessoas que tenham. O mundo não vai mudar – aliás, só está piorando. Precisamos tomar a decisão de mudar e mudar imediatamente. A vida passa. Podemos morrer amanhã. O que precisamos é ter o poder de escolha. As opções são inúmeras, mas todas começam com o primeiro passo, que é substituir dogmas. E esse livro do Tim (Trabalhe 4 horas por semana) é um chacoalhão que ele dá em qualquer pessoa que o leia, e eu espero conseguir passar os principais conceitos dele sobre produtividade para vocês aqui, nessa série de posts.

Encerro este primeiro com uma provocação, tirada do mesmo livro:

“Você passou duas semanas negociando seu novo carro importado com a concessionária e conseguiu 10 mil dólares de desconto? Que ótimo! Sua vida tem algum sentido? Você contribui com algo útil para o mundo ou está apenas embaralhando papéis, batucando num teclado e voltando para casa para passar os fins de semana bêbado em frente à televisão?”

Até o próximo!

Thais Godinho
14/07/2014
Veja mais sobre:
38
Dúvida da leitora: ainda existe mercado para novas organizadoras profissionais?
1ª Conferência de Profissionais de Organização no Brasil
Montando um guarda-roupa básico para o trabalho (sem gastar muito dinheiro)

 

  1. Bruna 14/07/2014

    Uau, que incrível! Quero muito ler esse livro! Estou me organizando pra também seguir um caminho que é o que TANTO eu quero, de uma vida com menos, mas com mais tempo pra mim, pra aproveitar.

    🙂

  2. Eleandra 14/07/2014

    Olá Thaís,

    Sou uma leitora assídua do seu blog, embora não tenha comentado até hoje …., encontrei ele “por acaso” (que na verdade é a coisa certa acontecendo na hora certa!), enquanto procurava algo do tipo, como organizar minha vida, estou com 38 anos e estava desmotivada com meu trabalho e minha organização geral de vida, a mais ou menos um ano comecei a ler seu blog, e a implantar várias das coisas que você ensina.
    Hoje, enfim, preciso dividir minha alegria e agradecer por você ajudar tanto minha vida, passei no vestibular de letras na minha cidade e fui tão bem que ganhei bolsa integral para cursá-la!!!!! Começo em agosto e estou eufórica por ver que a vida está caminhando para onde eu gostaria, como você bem diz: é questão de tomar uma decisão.
    Então quero agradecer a você Thaís, por me mostrar que é preciso agir, por me mostrar que é possível abraçar projetos e alcançar sonhos, no meu coração você é uma amiga real e não virtual, que lê pensamentos inclusive, pois publica aquilo que preciso para seguir em frente, então só o que posso te dizer é: OBRIGADA.
    Que sua vida siga recheada de luz, energia e alegrias, porque tudo que você sente transborda em felicidade e excelência no seu Blog.
    Beijo do Rio Grande do Sul!!!
    Eleandra

    • Thais Godinho respondeu Eleandra 14/07/2014

      Eleandra, meus parabéns pela sua conquista! Vem muito pela frente agora e eu desejo a você uma vida profissional repleta de satisfacoes.
      Obrigada por vir até aqui dividir isso comigo.

    • Brena Caroline Santos Soares respondeu Eleandra 15/07/2014

      Que bacana Eleandra!! Fiquei emocionada ao ler essas linhas.
      A Thais me ajudou muito também, em todos os aspectos da minha vida.
      Acho que ela mereceria um prêmio por esse trabalho maravilhoso que exerce de forma tão fantástica.
      Boa sorte nessa nova fase!
      Um abraço aqui de Minas =))

  3. Samanta 14/07/2014

    Excelente! Eu li o livro do Tim nas férias…
    Uma das coisas que ele fala (tvz seja pro próximo post) é sobre o Princípio de Pareto, onde 20% dos clientes são responsáveis por 80% da receita e nos faz rever como perdemos tempo com coisas inúteis! Por isso que concordo que trabalhar menos nos faz produzir mais… mas vai colocar isso na cabeça da sociedade? A coisa está se abrindo, ainda bem, mas acho que vai ser bem aos poucos!

    Beijos
    http://vestidasdeluz.com.br

  4. Hingridy 14/07/2014

    Olá Thais

    Nossa esse post era exatamente o que eu precisava, concordo plenamente que o “sistema corporativo” deveria se adequar as necessidades das pessoas do seculo XXI. Eu sofro muito com isso e ultimamente sinto que vivo pro trabalho e nao vejo outras alternativas senao continuar no mundo corporativo.

    Obrigada por mais uma dica!

    bjs

  5. THSS - RS 14/07/2014

    Olha, Thaís…

    Parabéns pelo post…
    Agora estou indo encontrar esse livro… Vai ao encontro com que eu penso…
    (Pensava que eu era doido por pensar diferente)

    Att
    Obrigado

  6. Michele 14/07/2014

    Amei, este livro esta na minha estante para ser lido, e eu só fico postergando por falta de tempo rs.
    Muito bom o post e cada vez que leio o seu post fico só pensando quando será a minha hora de sair e fazer aquilo que eu amo e que parece impossível e distante que dê certo. Impossível que não coloque a minha família e minha filha em risco (em termos de estrutura).
    Sonho em ter qualidade de vida, poder dar mais atenção à minha casa, meu marido e filha.

    • Brena Caroline Santos Soares respondeu Michele 15/07/2014

      É difícil mesmo Michele. Atitudes como essa requer muita coragem, muito diálogo, aceitação e cumplicidade da nossa família e dos amigos.
      Hoje mesmo, conversei com um amigo que conseguiu recentemente tomar essas decisões. Moro em Betim-região metropolitana de Belo Horizonte (uma cidade feia e extremamente violenta na minha opinião). Esse meu amigo é um excelente músico, cantava em diversos bares e casas de show aqui na região e como a maioria dos jovens queria terminar a faculdade, ganhar muito dinheiro, trocar de carro, sair com os amigos, viajar, futuramente comprar um apartamento bacana e continuar aproveitando a vida.
      Até que conheceu ‘a garota dos seus sonhos” e com pouco menos de um ano juntos estavam “grávidos” rs. E depois que o filho deles nasceu, parece ter nascido outro homem, rs com interesses que iam completamente ao contrário do que ele queria e do que os outros esperavam dele.
      Conversou com a namorada que é acima de tudo uma cúmplice e uma grande companheira sobre o que queriam quanto ao futuro, quanto a educação do filho e etc e etc… E quando vimos, ele vendeu o carro juntaram as economias e compraram uma casinha linda numa cidadezinha que parece ser uma delícia de viver. Ela foi alguns meses antes na cidade fez um concurso na área de enfermagem com uma carga horária ótima e foi aprovada. Ele transferiu o curso dele para uma cidade próxima e está fazendo a última fase de um processo seletivo em uma empresa de médio porte lá na região.
      Achei bacana como eles tomaram as decisões juntos e se planejaram mesmo pra que tudo desse certo agora. Hoje eles estão lá, trabalhando e aproveitando a vida e o filho. Ambos querem ter tempo para de fato estarem presentes na educação da criança. Querem também que ele brinque nas ruas, que se mantenha longe de tanta tecnologia (pelo menos enquanto for possível) enfim, que ele aproveite de fato a infância assim como eles aproveitaram. Ambos anseiam também por curtir a instituição casamento, aproveitarem o tempo juntos, serem um pelo outro sempre assim como foram até agora.
      Inspiradora essa história não é mesmo? Quantas pessoas querem coisas semelhantes mas não conseguem se planejar como este jovem casal fez (ele 25, ela 20)… Quantos se planejam mas não tem coragem de dar esse reviravolta na vida!!
      Espero ter ajudado.
      Um forte abraço, e boa sorte na sua jornada
      =)

  7. Marcela Rodrigues 14/07/2014

    Olá Thais!
    Uau!! Esse livro parece ser ótimo e me deixou muito curiosa.

    Iniciei no fim do ano de 2013 uma pequena mudança na minha vida. Resolvi entrar pelo ramo de festas infantis, que é algo pelo qual tenho paixão, e tem dado certo. Meu foco são festas pequenas e caseiras. Pois tenho consciencia de qual publico posso atender. Sou mãe, esposa e ainda trabalho na gráfica da família. De modo que divido meu tempo para me dedicar a tudo isso. E tem funcionado. Apesar do meu louco cansaço no fim do dia.

    O livro me fez pensar em ‘como poderia viver esses preceitos’ numa empresa como a minha?! A muitos anos vejo meu pai e minha mãe trabalhando sem parar, sem férias e etc. Satisifeitos por um lado. Mas perdidos por outro. E tenho medo de chegar ao nível deles. Apesar de eu trabalhar muito ainda consigo ter finais de semana de descanso, e pequenas viagens (para cidades próximas) também nos fins de semana. Nunca tirei férias.

    Por isso tenho me perguntado ‘como poderia aplicar isso numa empresa onde todos os pedidos são urgentes’?! Bom, acho que vou ter que ler mesmo o livro. Estou realmente interessada 😉 Vou acompanhar as resenhas. Ótimo post Tais!

    Abraço.

  8. Thais 14/07/2014

    Que post empolgante! Super curiosa para ler os próximos!

    Mais uma vez, obrigada pelas dicas 😉

  9. Noelle 14/07/2014

    Olá Thais!

    Já estou vendo que vou amar essa série de posts! Esse livro é simplesmente SENSACIONAL!
    Recomendo também “Os Segredos da Mente Milionária” que juntamente com o “Trabalhe 4 horas por semana” mudou completamente minha forma de pensar em relação ao dinheiro e à própria vida.
    É realmente uma sacudida mental que faz você refletir e sentir a necessidade de agir imediatamente.
    Agradeço ao meu pai por ter me apresentado ambos os livros durante a minha graduação, pois sem eles eu estaria terminando meu curso ainda com a mentalidade da “corrida dos ratos” ou “jornada dos tolos” (como muitos de meus colegas).

    Parabéns pelo post! Espero ansiosamente pelos próximos =)
    Abraços

    • Thais Godinho respondeu Noelle 14/07/2014

      Obrigada, Noelle!

    • Brena Caroline Santos Soares respondeu Noelle 16/07/2014

      Olá Noelle, um amigo me indicou “O Segredo da Mente Milionária” a uns 2 anos atrás. Este livro também mudou a vida dele! Quanto a minha, até ajudou, principalmente na época que li, na época tinha dívidas, comprava compulsivamente coisas baratas e desnecessárias. O livro me ajudou a me dar uma centrada e acabar com isso. Mas infelizmente não continuei a praticar os preceitos do livro… =( Vou relê-lo para ver se volto aos eixos. Que bom que seu pai te passou toda essa bagagem ainda jovem. Vou fazer o mesmo se tiver um filho. =)
      Fiquei curiosa pra saber o que é corrida dos ratos e jornada dos tolos! Já vou pesquisar !!
      Abraços

  10. Nina Batista 15/07/2014

    Thais,

    Você mais uma vez complementando e fazendo evoluir meus questionamentos… Como as perguntas é que movem as descobertas, as criações, tenho de agradecê-la por me ajudar a descobrir minha própria vida. Soou forte? Mas foi bem adequado: tempo é vida. E tanto tempo que perdemos e tanto queremos perder mais.

    Os conceitos do Ferris são a evolução do gerenciamento do tempo. Estava com a sensação de que não havia tempo suficiente, tinha consciência de que estava desperdiçando muito desse tempo e agora estava mergulhando em tudo relacionado a produtividade e gerenciamento do tempo, pra dar conta de tudo em umas 7 horas de trabalho diário… rsrs. Bem, acho que não preciso dizer que esses posts e a indicação do livro chegaram na hora certa.

    Já disse uma vez e repito: seus posts são em prol da saúde pública… rsrs

    Simplesmente obrigada!

    Beijos

    P.S.: hoje reli o post onde você fala do seu destralhamento de esmaltes… Thais, por favor, fale mais sobre o minimalismo nesse universo-feminino-vaidoso-guloso-hiperbólico. As mulheres estão comprando etiquetas com nomes esdrúxulos, a mesma cor que está lá na gaveta (intacta), cada dia mais caras e sem qualquer tipo de compromisso dos fabricantes em estimular a captação dos vidros (e o meio ambiente? Já me peguei imaginando 50% das mulheres das brasileiras jogando cada uma um vidrinho de esmalte velho fora e os arrepios me fizeram parar…).

    • Gabi respondeu Nina Batista 18/07/2014

      Oi Nina!

      Aqui em SP, no bairro da Liberdade, tem uma loja chamada Ikesaki que tem um posto de recolhe os vidrinhos de esmaltes, se não me engano patrocinado pela Risqué.

      Costumo juntar os meus e das colegas pra levar de uma vez…Já pedi para outras lojas perto de casa para colocar esse mesmo posto de coleta…Vamos ver!

      Abs,
      Gabi

  11. Claudia 15/07/2014

    Ola Thais! Depois que li esse post fiquei doida procurando o livro e não achei! Está em falta!!! Voce sabe onde posso encontrar no formato livro ou ebook? Bjs e parabéns!!!

  12. Vivi Lemes 15/07/2014

    Oi Thais!

    Sim, esta postagem sacudiu mesmo. Quase chorei na última citação.

    Sempre tive esta inquietação, desde meu primeiro ano trabalhando assim, 9 horas por dia.
    Ainda me considero bem jovem (23), tenho medo de estar tendo esta reflexão cedo demais. Meu inconsciente me diz “que preciso trabalhar duro por pelo menos um tempo pra começar a viver”. rsrs
    Consegui o livro e vou lê-lo, só tenho a agradecer pela indicação. Acompanharei os posts sempre tbm.

  13. Marina 15/07/2014

    Eu precisava ler isto. ..rs
    Obrigada

  14. Jess 17/07/2014

    Eu discordo de alguns pensamentos desse cara, mas o central que ela aborda é muito verdade em nossas vidas.

    Eu hoje trabalho por conta, e felizmente tem dado muito certo. Claro que por uma imaturidade no sentido da produtividade, acabo trabalhando mais horas que devia e se sentindo muito cansada por isso. Em contrapartida, tenho mais dias de folga, cozinho muito, curso uma universidade e um curso técnico e ainda tenho tempo para me dedicar a casa, meus gatinhos, a hobbies e ao blog que também tenho. Sito que tneho uma vida um pouco mais plena que a maior parte das pessoas ao meu redor e me pergunto como elas conseguem viver em um ritmo de 8hrs de trabalho por dia + 4hrs de transito e descanso no FDS e férias… Claro que cada um vive conforme pode (ter filho pra criar e uma série de responsabilidades maiores pesam também!) mesmo assim, é triste.

    O tempo é hoje e viver já está mais do que no limite de vencimento 🙂

    • Claudia respondeu Jess 26/07/2014

      Eu estou aqui refletindo.. E se todos lessem esse livro? Pra quem vamos delegar nossas tarefas? Ninguém mais vai querer trabalhar subordinado, ninguém mais vai querer ter um emprego formal… Como seria isso? Só alguns privilegiados??

      • Thais Godinho respondeu Claudia 26/07/2014

        Isso nunca vai acontecer. A natureza tem uma coisa maravilhosa chamada equilíbrio natural, que garante que os seres humanos tenham suas diferenças.

  15. […] já falei dele em neste post, mas vale repetir o post da minha musa Thais Godinho sobre vida X trabalho X produtividade […]

  16. Claudia 26/07/2014

    Oi Thais! Estou lendo neste momento e por conta do seu blog o livro Trabalhe 4 horas por semana. Estou gostando muito. Todavia eu não só gostaria de ler, como também fazer uma resenha de cada capítulo, para assimilar melhor. Você teria alguma dica de como fazer? Seria o caso criar perguntas e respostas como fazem os concurseiros??? Que ferramenta você usa? Evernote ou bloco de anotações? Mind maps funciona? Obrigada!

    • Thais Godinho respondeu Claudia 28/07/2014

      Não faço nada específico ou metódico… creio que cada assunto demande um aprendizado diferente de pessoa para pessoa também.

  17. Cristiane Meloni 28/07/2014

    Olá Thais. Muito bom, já alivia minha curiosidade e vontade de mudar!!!
    Estou a procura do livro, mas não estou conseguindo. Edições esgotadas.
    Aguardamos cenas do próximo post. rsrs

  18. Cláudia Lima 06/08/2014

    Amore, bom dia!

    Dá pra me explicar o termo ser proprietário?
    Normalmente se entende que o proprietário trabalha mais que o chefe e o empregado.
    Não entendi.

    Adoro você; seus textos, o Vida Organizada!
    Você me inspira. Bjs!

    • Thais Godinho respondeu Cláudia Lima 11/08/2014

      O Tim dá o exemplo perfeito: não seja o operador nem o maquinista do trem, mas o dono da ferrovia.

      Qual a carga de trabalho do dono da ferrovia, em comparação aos outros dois?

      Não se trata de trabalhar menos, mas de aprender a delegar e trabalhar com qualidade, economizando tempo. ;D

  19. Renato Santos 09/09/2014

    Ótimo texto. Estou lendo o livro e realmente mudou totalmente minha maneira de pensar. Continue comentando sobre, sempre acompanharei.

  20. Camila 31/10/2014

    Nossa agora fiquei com uma baita vontade de ler os livros dele 😀