ou

junho14

Se vocês me dissessem, há um ano, que hoje eu estaria escrevendo o que vou escrever neste post, eu não acreditaria. Ficaria extremamente feliz, mas acharia difícil como a minha vida teria mudado em tão pouco tempo. Então eu me lembro da célebre frase de Seth Godin (inspiração), que diz: “você não precisa de tempo – você precisa se decidir”, e entendo que todas as mudanças necessárias na nossa vida acontecem somente quando a gente toma realmente a decisão de mudar a qualquer custo.

Muitas coisas aconteceram de um ano para cá, mas a principal delas foi a minha mudança de perspectiva. Como vocês sabem, há um ano eu estava com o seguinte pensamento: a vida está ok, quero ter estabilidade, passar em um concurso público. Eu já vinha estudando há um bom tempo. Porém, no profundo do meu ser, sempre tinha uma voz que questionava: “será que é isso mesmo, Thais? você é uma pessoa que vive exclusivamente da criatividade e que gosta de desafios profissionais – será que passar em um concurso bom não colocará apenas uma âncora maior no seu barco?”. Conversar com alguns amigos me ajudou muito. Nada contra concurso público – eu continuo achando que é um ótimo caminho para quem busca estabilidade, bom salário e servir as pessoas. O problema não estava com o que eu ganharia passando no concurso – mas no que eu perderia.

No Sobre deste blog, está lá, há muitos anos, a seguinte descrição:

Eu acredito que todo ser humano nasce com uma missão. Alguns descobrem, outros não. A minha eu descobri que é ajudar as pessoas, inspirando-as a se tornarem mais organizadas. A forma que encontrei para colocá-la em prática foi criar este blog.

E aí, será que uma missão de vida dá para ser levada somente como atividade nas horas vagas? É claro que não. Mas como eu poderia viver disso? Afinal, viver do que se ama é o ideal para qualquer um. Mas não é todo mundo que pode largar emprego, sendo que sustenta a família, para se dedicar a algo incerto e que, por enquanto, é apenas um hobby. Porém, esse pensamento estava levando meu sonho para o túmulo junto comigo. Em um livro sobre Budismo que li este mês, li um trecho que me deixou comovida, que era mais ou menos assim:

Pense em todas as pessoas que estavam vivas há 120 anos. Nenhuma delas está viva agora.

Não dá um aperto no peito mas, ao mesmo tempo, uma sensação libertadora de saber que todos os micro problemas que temos irão embora em poucos anos? E que a gente tem tão pouco tempo de existência para perder, desperdiçando em atividades sem sentido?

Foi então que, lendo (e relendo) o livro do Tim Ferris, ele fala uma outra coisa que mexeu muito comigo, que basicamente é: o que de pior poderia acontecer se você fizesse aquilo que gostaria de fazer? Sério, liste o pior cenário e veja como poderia encará-lo, porque na maioria das vezes, o pior cenário é muito menos pior do que a gente pensava. E também: nunca peça permissão, peça desculpas. Se você pedir a opinião das pessoas, elas vão tentar te dissuadir do contrário, pois foram criadas em um sistema que impôe medo a quem deseja sair da caixa segura da estabilidade e dos modelos-padrão. Portanto, se quiser fazer e isso não prejudicar ninguém, faça e depois peça desculpas, mas nunca peça permissão. Eu, como mãe, ler isso, foi muito forte, como vocês podem imaginar. E foi aí que eu tomei a minha decisão.

Há pouco mais de um ano, também, eu assinei um contrato com a Editora Gente, que veio com uma proposta muito bacana para publicar meus livros, e a verdade é que, desde aquela época, eu não conseguia sentar e escrever porque estava simplesmente… ocupada. Eu escrevia “nas horas vagas” e o livro demorou demais para ficar pronto, porque eu nunca conseguia me dedicar a ele tempo suficiente. Mas aí, há dois meses, a editora veio com um ultimato: “precisamos lançar o livro em agosto, na Bienal. se você conseguir correr e finalizar este mês, dá tempo”. Foi ali que eu pensei: o que estou fazendo? estou colocando meus sonhos de lado em troca de que, exatamente?

E então, em abril, o mês mais atribulado da minha vida até hoje, resolvi encarar a finalização do livro e outras questões. Porque, afinal, eu só precisava me decidir. Só que eu já estava decidida. O que eu precisava fazer era colocar a coisa toda em prática de maneira que não prejudicasse a minha família. Conversei com o Daniel, que é uma pessoa incrível (de verdade), e ele me propôs fazer parte do time de instrutores da Call Daniel. Ou seja, tudo aquilo que tem a ver com a minha vida: ajudar as pessoas a serem organizadas, estava se materializando ali. E eu aceitei.

Por fim, todo o esquema de trabalho que eu estou construindo gira em torno da minha missão de vida. Poderei me dedicar a ensinar as pessoas a usarem o GTD mas, além disso, terei muito mais tempo para o blog e poderei finalmente encará-lo como uma blogueira profissional. Isso eu já fazia antes mas, quando a coisa apertava, ele era o primeiro a ficar de lado (afinal, antes de tudo vêm as responsabilidades como mãe). E também investir em outras frentes ligadas à organização profissional, como você já pode ver na página de Serviços do blog. O mais incrível é que, mesmo sem tanta divulgação, tudo cresceu tanto, que estou com agenda fechada até quase agosto! E isso é tão maravilhoso! Me sinto privilegiada e muito contente por poder trazer essa novidade para vocês. Porém, a mensagem que quero deixar é a de que as coisas não simplesmente aconteceram do jeito que eu queria! Eu tive que fazer acontecer, e isso só rolou mesmo quando eu tomei a decisão de fazê-lo.

Em primeiro lugar, eu tive que decidir o que eu queria, finalmente. Não é fácil! Tem muita gente que já sabe o que quer desde criança, mas eu não era uma delas. Foi uma decisão que levou anos para ser construída até finalmente explodir para fora de mim.

Em segundo lugar, é preciso ter a consciência de que, se você não fizer, ninguém fará por você. São extremamente raros os casos em que alguém é pego do seu cotidiano e inserido em um ambiente onde é obrigado a empreender. Muita gente só pensa nisso quando é demitido de um emprego que acreditava ser para o resto da vida, mas aí perde tanto tempo pensando no que poderia fazer, quando poderia estar investindo seu tempo focado desde o início.

Em terceiro lugar, vá construindo seu cenário ideal aos poucos. Se um dia quiser escrever um livro, comece a escrever seu livro. Se um dia quiser ter uma loja, comece a ir atrás da logística para fazer isso acontecer. Tudo isso enquanto ainda estiver empregado ou na situação em que está hoje. Dá para ir levando em paralelo até você finalmente soltar a bicicleta dos braços dos seus pais e correr sozinho.

Mas o que realmente me fez decidir, depois de tudo isso, foi estar no meio da escrita do meu livro, que se resume basicamente em transformar sonhos em objetivos, e pensar: eu falo todas essas coisas, mas o que eu diria ao meu filho se ele me perguntasse se eu fui atrás dos meus sonhos? Como eu conseguiria olhar para ele e dizer que eu tinha deixado os meus sonhos de lado em troca de um emprego estável para sustentar a família? O que eu estaria ensinando a ele? A ser conformado e viver sem ir atrás dos sonhos em troca de um salário no começo do mês? Não é isso que eu quero que ele aprenda. Eu quero que ele seja um espírito livre, como eu sou, e que viva sua vida indo em busca de seus objetivos – mesmo que sejam, por fim, conquistar um emprego dessa maneira. Mas quero que ele saiba que ele tem uma mãe que o apoia 100% nas decisões que ele tomar, sendo pró-ativo. Quero que ele cresça sabendo que é possível e que se trata somente de uma escolha. Saber que agora eu sou essa pessoa me faz sentir um brilho enorme saindo de dentro de mim, esperando inspirar outras a fazerem o mesmo. Estou vivendo uma vida coerente com o que eu sou. E tudo começou com uma simples decisão.

Que tempos bons! Eu só tenho a agradecer a todos vocês e as pessoas que estão envolvidas em minha vida no momento! Vocês devem imaginar que eu tenha muitas ideias para fazer com o blog, e agora finalmente poderei fazê-las. Eu quase não acredito que isso esteja acontecendo. Muito obrigada.

Thais Godinho
02/06/2014
Veja mais sobre:
Editorial do mês
242
Se você tem dificuldades para dormir, pare hoje mesmo de fazer essas coisas
Enquete: Qual seu aplicativo preferido no celular para se organizar?

 

  1. Ju 05/06/2014

    Thaís, que post inspirador! Parabéns por ir atrás do seu sonho e por nos proporcionar este (e tantos outros) post sensacional! Tenho certeza que para muitas pessoas, assim como eu, o seu texto foi uma motivação a mais para seguir na busca! 🙂

    Muito sucesso no livro, no blog e outros projetos!

  2. Audrey 05/06/2014

    Quando seu livro sair, quero comprá-lo. Seu blog me auxilia muito.

    Boa sorte Thaís! Que Deus a abençoe nesta nova fase da sua vida!

  3. Natalice 05/06/2014

    Foi seu melhor post, melhor comentário e maior impacto. Anota aí… Ainda volto aqui pra te agradecer por hoje e te contar minhas vitórias. Continue iluminando!!! Gratidão imensa por sua vida!!!

  4. mari 05/06/2014

    Quebomquebomquebom! =D

    Fico muito feliz por vc…e tenho certeza que sua vida melhorou 100%! Muito sucesso! Bjos!

    Vou comprar os livros…vem autografá-los em Curitiba? ^^

  5. Ana Figueiredo 06/06/2014

    Prezada Thais,

    Venho pedindo direcionamento à Deus nesses últimos dias, e não é que me deparei com seu texto em minha caixa de email?

    Muito obrigada, veio como um presente de Deus mesmo. Super inspirador. Consegui me encontrar finalmente.

  6. Aline 06/06/2014

    Parabéns, Thaís! E obrigada!

    Na correria em que leio os seus posts, nunca tenho tempo de comentar, mas desta vez não tinha como só ler, não dizer nada.
    Pode ter certeza de que tanto quem te lê todo dia, comentando sempre, e até quem tem tempo de fazer apenas uma leitura dinâmica, como eu, somos todos muitos gratos a você. A minha vida mudou muito desde que comecei a ler o seu blog, há cerca de um ano. Minha maneira de ver a vida, de me organizar (!), de agir, pensar, viver, mudaram. Em proporções diferentes e devagar, mas a cada dia eu me conheço melhor. E tudo isso pelo conhecimento que você nos disponibiliza por aqui.

    Esse post me fez pensar em como preciso ver minhas prioridades e que não adianta nada ter vários empregos e se matar de estudar, sem sentir a vida, sendo refém do relógio.

    Espero que um dia, como você, eu consiga pôr rédeas na minha vida e ajudar pessoas a se enxergarem melhor.

    Você merece muito sucesso.

    Um abraço!

    • Thais Godinho respondeu Aline 06/06/2014

      Muito obrigada, Aline!

    • Glaucia respondeu Aline 08/01/2016

      Oi Aline, concordo com você em gênero, número e grau. É isso aí mesmo!!

  7. Tatiana 06/06/2014

    Thais, amo seus textos e seu blog, realmente o texto veio na hora certa, precisamos decidir o que queremos e qual a nossa missão. A algum tempo estou amadurecendo diversos conceitos de vida e amadurecendo a minha decisão. Sucesso e quero ir na Bienal conhecer o seu livro.

  8. Andrea Rosti 06/06/2014

    Thais,

    Incrível, esse é o melhor texto dos últimos tempos. E sabe porquê? Porque finalmente todas as peças se encaixaram para você… siga em frente amiga porque tenho certeza que este é o caminho certo.

    Depois de tanto plantar chegou a hora da sua colheita…

    Que o seu sucesso cresça cada vez mais!

    Beijos

  9. Janete 07/06/2014

    Thaís, leio de vez em quando seu blog, mas nunca comentei … a correria louca me faz ler rápido e só. Mas esse texto da sua epifania eh sensacional. Me inspirou mais ainda do que o habitual com seus textos … Parabéns e 1000 vezes Obrigada!

  10. Débora 07/06/2014

    Thais, eu sou funcionária pública a 10 anos em uma profissão, desvalorizada com péssimas condições de trabalho. Esse ano reduzi minha carga horária de trabalho e to me dedicando a outras atividades que gosto, e tenho pensado em daqui a um tempo abrir mão da minha matrícula. Claro que as pessoas me olham como se eu fosse louca, pois muitos gostariam de estar onde eu estou, mas eu percebo que coloquei uma âncora maior no meu barco mesmo, e sinto uma imensa vontade de tirá-la. Esse post era tudo o que precisava ler rs… e como funcionária pública que sou, te parabenizo por essa decisão, vc pode ir muito além… abraço!

  11. Kalinka Carvalho 07/06/2014

    Thais sempre leio o seu blog. Você é uma inspiraçāo e sabe como ninguém por em palavras sentimentos, desejos e conquistas. Essa mesma “decisāo” que teve que tomar eu passei por algo parecido, larguei a estabilidade de 7 anos de emprego para vir morar em outro país sem nada certo. Pouco tempo aqui é já tenho qualidade de vida, esperança em desafiar meus principiais medos e superá-los pouco a pouco. Lendo o que escreveu só me motiva a continuar e nāo desistir! Obrigada mesmo! Boa sorte! Ótimas conquistas!

  12. Márcia 08/06/2014

    Parabéns!
    Quando sair o livro, comprarei com toda certeza. Sucesso pra você!

    Bjs
    Márcia

  13. Helena 08/06/2014

    Oi Thais. Sou nova aqui no seu blog. Encontrei a pouco tempo e já estou gostando.

    Uma dúvida: você comentou que não nasceu sabendo o seu grande sonho (sua missão) e que você levou anos para construir isso. Eu estou nessa busca hoje, a busca da minha missão, do que me dá aquele brilho no olho em trabalhar, sabe?
    Trabalhei durante 8 anos em empresas de que nunca me trouxeram essa felicidade que procuro. Muito pelo contrário, chegava em casa esgotada, sem energia, como se o dia-a-dia fosse uma verdadeira luta.
    O meu cenário atual é que deixei meu emprego, juntei algum dinheiro nesses anos e me dei ao luxo de ser desempregada. Hoje penso em empreender e ir atrás do que me faz feliz.

    Como você fez para encontrar isso? Para identificar o que te faz feliz.
    Se puderes me ajudar com dicas, te agradeço.

    Ah, e parabéns por ter realizado a conquista da tua felicidade. Eu acredito realmente que isso faça a vida ter um sentido, valer a pena.

    Beijos.

    • Thais Godinho respondeu Helena 09/06/2014

      Helena, é difícil dizer, pois cada pessoa é um caso. Comigo, jamais poderia prever. Nasceu como um hobby e se juntou à minha vida como publicitária – deu nisso. Mas diversos outros fatores me construíram da forma como sou hoje (a maternidade, por exemplo). Acho que nosso objetivo de vida deva ser descobrir essa coisa que faz a nossa vida ter sentido. Uma vez descoberta, não há dúvidas. Boa sorte e obrigada por comentar.

  14. Gustavo 08/06/2014

    Olá Thais!

    Me identifiquei muito com o texto também. No ano passado me questionei muito sobre o que era mais importante para mim (estabilidade, dinheiro, qualidade de vida) e qual meu futuro profissional.

    Tinha um ótimo emprego, uma vida relativamente tranquila (ok, com dores de cabeça também) e fazendo o que eu gostava. Mas faltava alguma coisa…

    Quase que em um golpe de sorte, consegui mudar radicalmente (para mim foi) a minha vida. Sai do emprego, montei a minha empresa, meu chefe virou meu cliente, foquei totalmente na minha área de interesse (gerenciamento de projetos), comecei a trabalhar em casa e a consegui a qualidade de vida que queria para mim.

    Tudo isso começou com uma decisão que por muito tempo eu adiei por “ter medo do futuro”. E o mais incrível é ver que depois de uma zona turbulenta e incerta, você se vê na posição que sempre sonhou.

    Gosto muito do seu blog, muitas vezes eu me vejo escrevendo seus posts 🙂

  15. Regi Deppe 09/06/2014

    Muito bom ler isso, Thaís! Nada contra o serviço público, mas seria um tremendo desperdício de talento.

    Precisamos de você “full-time” nesta empreitada da organização, ajudando tantas pessoas e fortalecendo cada vez mais a profissão de consultor em organização profissional.

    Parabéns por seu sucesso e sábia decisão. Vou querer um livro autografado, com certeza!

    🙂

  16. Marcia 09/06/2014

    Parabéns, Thaís. Inspirador. Também preciso da minha decisão.

  17. Keyseane Santos da Silva 09/06/2014

    Taís eu adoro seu blog e as suas palavras… São sempre muito inspiradoras. Eu estou num momento muito difícil. Estou estressada, cansada, não consigo mais gostar do meu trabalho e tenho estudado muito pra concurso. Além de tudo isso, sou doente! Tenho anemia falciforme e isso acaba comigo. Queria que você me desse alguma dica para descansar, estudar e trabalhar oito horas sem ficar doente ou me estressar. Eu sei que parece meio ilógico, mas eu tenho até me desesperado por causa disso. Eu tenho que partir de um ponto… Agradeço infinitamente só por você ler meu email, mas ficaria imensamente feliz se pudesse me responder. Com carinho <3

    • Thais Godinho respondeu Keyseane Santos da Silva 10/06/2014

      Keyseane,

      Não dá pra gente fazer tudo, querida! Eu aprendi isso na marra, ficando doente, estressada, e não vale a pena.

      Pense primeiro no que é importante. Se é passar no concurso (se for mesmo!), dê um jeito de melhorar seus estudos. De repente conseguindo um emprego mais flexível?

      Cuide da sua saúde em primeiro lugar, garanta seu sustento se isso for necessário, e estude.

      Boa sorte.

  18. Leandro Vicente 09/06/2014

    Olá!
    Eu comecei a ler seu blog faz cerca de um ano após fazer uma pesquisa do Google do tipo “como ser mais organizado”. Na época eu estava entrando em colapso (lembrando que tenho 19 anos), confesso que ainda sou bastante desorganzizado sobretudo no que diz respeito a disciplinar o meu aprendizado dos conhecimentos que lido no dia a dia (faculdade, livros sobre outros temas, inglês, fotografia etc). Bem, seu blog tem me ajudado bastante e sempre que um texto me chama mais atenção eu compartilho com amigos.
    Já nesse texto em especial algo me chamou muito atenção pois eu e meus amigos sempre discutimos essa questão do equilíbrio entre “o quê quero fazer” vs “o que tenho que fazer pra ter os recursos”, discutimos muito isso pois temos objetivos de vida que não considerados muito rentáveis pela opinião popular, mas EU já decidi que não quero deixar o dinheiro ditar as regras – ele é bem vindo sim, desde que EU esteja no controle e não ele – e muitas vezes é necessário sacrificar o quê quero para por isso em prática, mas tenho a consciência que é temporário. Sei que muitos pensam como eu mas acabam se acomodando – esse é meu maior medo – mas textos como esse de hoje me ajudam a me encorajar mais para arcar com os compromissos que assumi comigo mesmo.

    Muito obrigado!

  19. Cristiane Meloni 10/06/2014

    Que texto inspirador, querida Thais!
    Acredito que muitos leitores como eu, agora devem estar se perguntando, qual minha missão? Se não nasceu sabendo vamos aprender e descobrir nossa missão.
    Tenho focado muito nisso ultimamente, principalmente quando vc dedicou seus ultimos 15 anos para cuidar dos filhos e casa. Mas nunca jamais de ser mãe e responsável pela casa, mas sim ir em busca de minha missão e do que realmente quero para minha vida.
    Esse sim é um excelente exemplo, como você fez perante seu pensamento em que legado deixarei para meu filho.
    Muito, muito sucesso na sua nova (velha) jornada!
    Abraços fraternos e seguirei seus passos em tomar decisão também

    Cristiane

  20. gi 10/06/2014

    Faz uns meses que acompanho seu blog e realmente sou a prova que você inspira as pessoas a serem mais organizadas. Hoje li esse lindo texto sobre seu novo caminho e me emocionei. Há mais de treze anos deixei o caminho “seguro” pra ir em busca dos meus sonhos e só colhi bons frutos….
    Boa sorte!

  21. Renata 11/06/2014

    Nossa, Thais…sou uma leitora assídua do seu blog, mas gosto de ler no atacado! rsrsrs E não comento com a mesma frequência com que te leio…Mas esse post não deu pra resistir…
    Passei pelo mesmo processo que você, sabia o que queria, levei em paralelo por um bom tempo, quase procrastinei mais um pouco a decisão, até que resolvi mudar de vida de vez em 13 de novembro de 2014, quando pedi demissão para me dedicar à minha loja virtual!
    Fazer esse movimento também mexeu demais comigo, em termos de questionar meus valores, prioridades (um deles era ficar mais tempo com meu filho), necessidades (financeiras, por exemplo) pra viver da forma mais coerente possível!
    Engraçado que nesse processo de decisão, além de imaginar o pior cenário, desenvolvi uma estratégia para enfrentar os meus medos, parecida com essa passagem que você citou do livro budista. Só que no meu caso eu me projeto como uma senhora idosa, no fim da vida mesmo, e me questiono: quando eu chegar lá, esse meu medo de hoje ainda será relevante? E, na maioria das vezes, o problema vira pó, ou melhor, poesia. Descobri que a vida é feita pra fazer, errar, acertar e se divertir com o processo, mas sempre com responsabilidade sobre as decisões. Eu não fujo da raia, mas minha condição depois disso é apenas a de viver uma vida escolhida por mim e fugir da inércia! Eu brinco que sei dançar conforme a música, mas agora tô gostando de ser a DJ da minha vida! rsrs
    Enfim, ainda não estou 100% certa, mas estou vendo que minha missão na vida tem a ver com preservar a memória das pessoas. Minha loja também é sobre isso: reunimos as melhores informações sobre a vida das pessoas em produtos únicos, em estilo de infográfico, pra preservar tudo de bom que acontece com a gente! Te convido a conhecer: http://www.studiominemosine.com.br! Aceitamos visitas, pitacos, sugestões, críticas, elogios e…compras! rsrsr Ahhh, se por acaso te interessar alguma parceria, também estamos à disposição…de certa forma, organizamos as informações da vida de um jeito beeemmmm lindo e diferente!
    Parabéns pela decisão! O pior cenário acho que era nunca ter se decidido, né?!
    Sucesso, sorte, entusiamos e coragem pra essa nova vida que já se mostra espetacular!
    Abraços!
    Renata

    • Thais Godinho respondeu Renata 18/06/2014

      Renata,

      Demorei um tempão para aprovar seu comentário porque gostaria de responder correspondendo o carinho com o qual ele foi escrito.

      Eu não saberia agradecer o que você escreveu. Me comove muito quando os leitores compartilham comigo as suas história, pois me sinto privilegiada. Obrigada por ter feito isso. Fico contente pela sua decisão, pelas suas iniciativas e por ter tirado um tempinho do seu dia para me dizer tudo isso e passar tão boas vibrações.

      Fique bem!

  22. Rose Ribeiro 13/06/2014

    Thais! Parabéns querida! Encontrei seu blog sem querer, enquanto buscava uma receita de bolo de fubá rs. Suas palavras me incentivaram a organizar a minha vida física e profissional, ainda mais q estou em meio a um desemprego, elas vieram como uma brisa suave que me trouxe paz e esperança em investir meu tempo e a mim mesma naquilo que acredito. Obrigada! Bjs.

  23. Suane 18/06/2014

    Adoro seu blog e seus textos. A genuinidade com que escreve é motivadora. Obrigada.
    Voce já é um, mas desejo ainda mais sucesso!

  24. Cris Machado 18/06/2014

    Olá, Thaís!

    Há dias não lia o blogue, estava sem novidades, estou mal acostumada a todo dia ler algo legal nele… Hoje vendo os e-mails, entrei e, nossa, quanta novidade, até chegar neste texto!!!

    Nossa, chorei, de tão emocionante e motivador. Há anos leio seu blogue, estou lendo o livro do Allen e etc. Mas, duas coisas me emocionaram (pois as estou vivenciando): o poder de UMA decisão e a motivação que só um filho é capaz de nos dar! Quando penso no que estou fazendo (ou não) da minha vida, penso imediatamente em como minha filha verá isto ou como o meu exemplo a ensinará a viver, e minha visão e ação mudam completamente… Bem o papo poderia ser longo, mas, por fim duas coisas:

    1. Muito obrigada pela sua missão de vida inspirar a tantos – inclusive a mim.
    2. Muito boa sorte, prosperidade, que a sua vida se ilumine 10×10 vezes!

    Gratidão,

    Cris Machado

  25. MELISSA 20/06/2014

    Olá Thais, tudo bom? eu fiz um comentario aqui e ate saiu bem pessoal. Eu estou esperando ele ser moderado e aparecer aqui. aconteceu alguma coisa? vc nao gostou do que escrevi? te incentivei e expressei a forma como eu me sinto.

    se nao quiser, sem problemas, mas eu so vim aqui para perguntar se vc ficou chateada ou algo do tipo.

    acompanho seu blog e nao entendi pq o meu nao apareceu. apesar de ser um longo comentario. beijos

    • Thais Godinho respondeu MELISSA 20/06/2014

      Oi Melissa, todos os comentários são moderados porque assim eu posso controlar quem eu já respondi ou não. Não apareceu nenhum comentário seu por aqui. Como o servidor do blog estava com problemas, poe ser que não tenha vindo. Pode enviar de novo, se quiser.

      • MELISSA respondeu Thais Godinho 20/06/2014

        Poxa, que pena! 🙁 eu escrebi um textao… estava inspirada e sensibilizada… acho que nao gravei em nenhum lugar.. uma pena.. 🙁

        Se eu me sentir assim de novo escrevo.

        Mas eu contei um pouco das decisoes que eu tb tomei e te dei parabens pelas suas.

        beijos!

  26. Thais,voce é uma inspiracao pra mim…..

    Monica Loureiro Jorge

  27. Cau Sansil 20/06/2014

    Oi querida, acabei de conhecer seu blog e estou amando. O interessante é que ontem eu estava procurando estrategias d organizaçao pessol e me deparei com umvideo sobre o assunto. E hj ao ler sobre decoraçao entrei por acaso aqui e ja estou faz algum tempo, gostei muito do seu cantinho.
    Sobre o seu texto é realmente inspirador. Sou estatutaria, tenho 2 empregos publiccos mas nao estou satisfeita. Ha muito tempo ensaio abandonar tudo q conquistei, quero novos ares. Falta um pouco de coragem p encarar o desconhecido.
    vc me insoirou
    Super bjosss

  28. Sibelle 21/06/2014

    Querida Thais,

    Que felicidade vc me deu com esse post! Fico triste apenas de saber que o mundo dos concurseiros perdeu uma das concurseiras mais organizadas. Sou servidora pública municipal (sonhando em ser Federal), e percebo o quanto o ambiente organizacional público carece de pessoas organizadas, de métodos eficientes para realizar as atividades do dia-a-dia. Trabalho na Secretaria de Educação (muito papel, muitos funcionários) muito do que eu aprendo aqui, aplico lá…

    #Ficaadica

    1 – Há um tempo eu fiz um comentário aqui falando sobre a FazInova, a empresa da Bel Pescer. Falei: “Thais vc poderia ministrar cursos online na FazInova”. E vc respondeu: Me faltam braços! …Bem, acho que agora, vc poderia voltar a pensar na idéia. \o/
    2 – Não sei se vc conhece o projeto Geração de Valor, do empresário Flávio Augusto da Silva, tem tudo haver com vc, e com essa nova fase da sua vida. Dá uma busca na internet, assiste os vídeos dele no youtube. 😉

    Muita Sorte nessa nova fase da sua vida! Te admiro muito!
    Sempre acompanharei seu trabalho!

    Bjo Grande!

  29. Michelly 02/07/2014

    Thais, esses dias mesmo eu estava relendo o Sobre do seu blog, e achei muito inspirador. Fico feliz que você agora você está vivendo plenamente sua missão, abraços

  30. Simone Dassoler 03/07/2014

    Extremamente inspirador.
    Obrigado!

  31. Luiza 15/07/2014

    Thais, tenho certeza que não foi a toa que me deparei com seu post hoje. Já me inspirou tantas vezes. Obrigada sempre! Muito sucesso e sentimento de realização na sua jornada! Não tenho a menor duvida que você é e sempre será motivo de inspiracao e orgulho para seu fiho. Um beijo!

  32. Ivan 16/07/2014

    Thais,

    Esse é o seu melhor post! Sou seu leitor há algum tempo e gosto muito do conteúdo, mas esse último texto foi além do normal.

    Eu me identifico muito com a parte sobre a ilusão que a estabilidade trazida por um concurso público traz (vivo essa vida há um ano e meio, quando tomei posse). Apesar de ganhar muito mais do que quando era advogado, todo o meu estímulo para viver foi se acabando, especialmente por uma série de coisas ruins que vejo dentro e fora da instituição.

    Durante a Copa (meu único momento de distração em meses), fui inspirado novamente pelos meus sonhos de adolescente, que não pude realizar por falta de dinheiro; sempre quis ser jornalista (todos os meus testes vocacionais apontavam para isso), mas, onde eu morava, não havia oferta de curso – por isso, fiz Direito. Como fã do jornalismo esportivo (sei bem que a área é extremamente concorrida, paga muito pouco para quem começa e etc.), recebi como um sopro de vida a possibilidade de fazer novamente um novo vestibular, e, futuramente, construir uma carreira na busca pela notícia. Nossa, isso parece tão claro para mim, que é quase como se eu tivesse quebrado correntes!

    Vou dar um passo de cada vez, e conciliar o cargo com estudos para o vestibular, e, posteriormente, com a faculdade, até chegar a hora de estagiar na área; é tudo muito arriscado, mas eu sinto que preciso viver por mim hoje e amanhã.

    Obrigado mais uma vez pela inspiração.

    Abraço!

  33. Neide 23/10/2014

    Post perfeito. Eu estou em um momento da minha vida onde a maternidade e outras coisas viraram uma verdadeira bola de neve que passou por cima da minha carreira. Muito inspirador imaginar que em alguns anos não estarei mais aqui. Valeu, Thais!

  34. Renan 05/02/2015

    Este texto era o que eu precisava agora. Estou com 29 e cheguei a um ponto em minha vida que preciso mudar e parar de adiar meus sonhos. Não quero mais deixar pra depois e tenho muito medo de chegar em meus 80 lamentando não ter feito o que eu gostaria de ter feito, tendo prostituído minha vida.
    Obrigado pelo texto. E obrigado a minha esposa Dayana Miras Horan por ter me indicado este texto.

  35. Rock Jammies 08/03/2015

    Olá Thais 🙂
    Bem, este texto diz-nos muitooooo! Estávamos numa situação em que o emprego não nos satisfazia profissionalmente e ninguém nos valorizava… demorou muito tempo até ter coragem de nos despedirmos e rumar-mos a uma nova aventura, com o objetivo de sermos felizes!! Será pedir muito?! Alguns podem achar que sim. Muitos podem achar que o que fizemos foi um capricho.. “ah, despediu-se porque não tem filhos pra cuidar” ou então “ah pra ela é muito fácil porque não tem contas pra pagar”. É sempre assim que os outros pensam: que para eles é sempre difícil e para os outros é sempre fácil. O que é mentira, claro! Há que ter coragem… a vida são dois dias 🙂
    Beijinho e obrigada pelo post inspirador!

  36. Regina Ecco 13/04/2015

    Demais.. muito inspirador!
    Obrigada por compartilhar suas experiências conosco!

    Sucesso!!!!

  37. […] comentei em alguns posts anteriores, estou começando a trabalhar por conta própria e, assim, uma das providências que […]

  38. […] de agradecer todos os comentários no post Tudo começa com uma decisão, o editorial do mês de junho. O carinho de vocês me deixou muito emocionada, e me sinto […]

  39. Paula Ono 03/10/2015

    Olá, Thais!
    Interessante como o novo layout do blog facilita o acesso a conteúdos antigos mas sempre atuais!
    Esse post é muito bom e me faz refletir sobre meus sonhos, objetivos e missão…
    Abraços,
    Paula

  40. Raquel 14/10/2015

    OI Thaís, eu sempre tive vontade de ir a um curso ou evento seu, mas agora quero mais ainda porque tenho certeza que você deve estar ainda mais iluminada. bjs

  41. Val 12/12/2015

    Thais,

    seis dias depois de ler esse texto, meu pai morreu por uma doença que eu nem sabia que ele tinha. choque. um dos meus melhores amigos e uma das pessoas que mais me incentivaram a sempre ter a cabeça erguida e seguir em frente. quando eu li, não sabia que minha vida ia mudar completamente.

    pouco mais de um ano desse texto, às vesperas de um novo ano, procurei reler porque tenho um carinho muito especial por ele. a vida muda, a gente muda e se não decidirmos AGORA correr atrás do que a gente precisa, nunca saberemos o que deixamos de aproveitar. e neste pequeno espaço de tempo entre ler este post pela primeira vez e estar aqui comentando, concluí ciclos inacabados, mudei de emprego que não me fizeram bem, terminei uma pós e entrei em outra. casei. estou pouco à pouco organizando anos de bagunça acumulada na casa da minha mãe. terminei amizades que não tinham mais futuro. tanto em tão pouco tempo.

    no meu caso, toda a mudança da minha vida começou na decisão do meu pai não me dizer que estava em um estágio terminal de um cancer extremamente agressivo. ou talvez tenha começado quando vi que não existe o amanhã ideal se não corrermos atrás agora mesmo. de qualquer forma, aprendi que realmente tudo começa com uma decisão.

    te acompanho há anos desde a gravidez do paul e fico imensamente feliz de vê-la realizando seus objetivos. fico agradecida por você fazer diferença na minha vida também, mesmo que não saiba.

    um beijo.

    • Thais Godinho respondeu Val 15/12/2015

      Puxa, Val, fiquei emocionada com seu comentário. Agradeço muito sua presença e seu carinho.

  42. Meriane 30/12/2015

    Muito Bacana!

    estou neste caminho, e suas experiencias tem me ajudado muito.

    lhe admiro muito!

  43. Monica 27/01/2016

    Thais, parabéns pela coragem! Isso me falta.
    Me formei na área da educação pois objetivava trabalhar meio período na mesma escola onde meus filhos estudariam e assim poderia dar bastante atenção para a casa e família.
    No fim da faculdade passei em um concurso pra trabalhar no banco …. depois de um tempo larguei esse emprego pra voltar ao objetivo original. Passei em outro concurso na área da educação, mas no fim das contas faz tempo que trabalho o dia inteiro e só vejo meus filhos à noite.
    Eles cresceram (13 e 8 anos), perdi um tempo precioso. Curto muito estudar e pesquisar coisas na área de design de interiores, mas não tenho coragem de largar outro concurso … de novo.
    Como meu marido está sempre mudando de emprego, minha estabilidade me prende, mesmo o salário não sendo alto, é o famoso “pingadinho, mas sempre”.
    Estou optando pela segurança em detrimento à realização. Isso me faz mal, mas falta coragem de assumir o risco.
    Parabéns a você que conseguiu!

  44. […] pouco mais de dois anos, eu escrevi um post no blog contando para vocês a decisão que eu tinha tomado de sair do meu emprego, deixar de lado […]