ou

Sempre fui uma pessoa muito orgulhosa de fazer minhas próprias coisas. Não preciso de um marceneiro, porque gosto de mexer com madeira e pregos. Não preciso comprar pronto, pois sei fazer. Não preciso de uma faxineira, porque gosto de limpar a casa. Não preciso pagar uma costureira para fazer a barra da minha calça nova, pois eu mesmo farei isso um dia. Entre tantas outras atividades.

Fazer tudo o que puder em casa é maravilhoso porque, além de desenvolver nossas habilidades, também é uma distração, sem falar na economia (afinal, deixamos de gastar nosso dinheiro). Só que às vezes pode chegar um momento em que a gente começa a surtar um pouco com a quantidade de coisas que têm para fazer. Se esse momento chegar, eu aconselho que você aprenda a delegar.

Delegar é passar a responsabilidade daquilo para outra pessoa, seja pessoal ou profissionalmente.

Uma maneira de saber se vale a pena delegar atividades é calcular quanto vale a sua hora. Se você ganha R$20 por hora e trabalha oito horas por dia, isso equivale a R$160 por dia. Se você passa seu sábado inteiro fazendo faxina e isso está impactando outras atividades suas que são mais prioridade, você pode considerar contratar uma diarista por R$100 e ainda terá “economizado” R$60 seus. Esse é um exemplo pífio, mas que deixa claro o conselho.

Outro dia, um colega passou praticamente o dia inteiro resolvendo um problema com seu banco ao telefone. Perguntei se outra pessoa não poderia fazer aquilo para ele, e ele disse que “ninguém ia querer”. Eu respondi: “claro, de graça não, mas você tentou pagar alguém?”. Ele ficou surpreso com a sugestão e me disse que não tinha dinheiro para pagar. Eu disse: “oras, se você ganha R$200 por dia de trabalho, na verdade você perdeu esse dinheiro, já que passou o dia todo ao telefone. Se tivesse pago R$50 para alguém resolver esse problema para você, você ajudaria outra pessoa e teria um dia produtivo, sem se estressar com um problema pequeno”. Ele me disse que nunca havia pensado nisso antes. A gente não pensa mesmo.

É legal fazer tudo a gente. De verdade. Eu também sempre fui dessas. Mas chega um momento na vida de alguns de nós que algumas atividades deixam de se tornar prazerosas para se tornarem grandes estorvos. E que a gente percebe que não dá pra gente cuidar de tudo o que gostaria e da maneira que gostaria. Por isso algumas pessoas contratam empregadas domésticas, secretárias, assistentes, administradoras e outras pessoas responsáveis por serviços específicos. Delegar faz parte da vida. O que não pode é a gente deixar de cuidar de assuntos realmente importantes porque tem que cuidar de algo trivial, que outra pessoa poderia estar fazendo. Sempre que for o caso, pode valer a pena delegar.

Uma leitora outro dia me escreveu dizendo que tem dois empregos e não consegue encontrar tempo para limpar a casa e ficar com os filhos. Eu disse a ela que, se o segundo emprego compensava, ela deveria ao menos investir em uma faxineira dentro de suas possibilidades. Ela disse que não gostava dessa ideia. Perguntei se ela preferia contratar uma babá, então. Ela disse: “jamais”. “Então você já fez sua escolha”, eu disse. “Se você não pode delegar o cuidado com os seus filhos, você precisa delegar a limpeza pesada da sua casa. Ou então simplesmente fazer as duas tarefas de forma bem mais ou menos e aceitar o cansaço”.

Delegar tarefas e atividades é uma coisa boa. A gente pode não gostar de fazer isso porque se sente incompetente (“vão dizer que eu sou uma péssima dona de casa ou uma péssima profissional”) ou porque acha um gasto desnecessário (faça as contas), mas delegar é uma forma de começar a empreender. Se você tem essa ideia profissional, pode ser um bom começo. Veja as pessoas para as quais você delega atribuições como pessoas que você está contratando. Se você fosse presidente de uma grande empresa cujo nome é SEU NOME, você realmente pensa que você cuidaria de tudo? Não, então encare como uma decisão normal. Não se cobre. Delegue e abra espaço na sua vida para o que realmente importa – nem que sejam mais horas de lazer e descanso. Às vezes, isso é tão importante quanto todo o resto.

Thais Godinho
03/05/2014
Veja mais sobre:
15
Sugestão de site: conversão de medidas
25 maneiras de conhecer mais sobre você mesma(o)
Linkagem de domingo {47}

 

  1. Larissa Garcia 03/05/2014

    É um exercício de desapego, né? No meu caso, o principal problema é a teimosia e o perfeccionismo: será que fulano fará tão bem quanto eu, com a mesma rapidez e cuidado?
    Tenho muito o que aprender ainda! rs

    • Fabiana respondeu Larissa Garcia 04/05/2014

      Oi Larissa, há poucos dias tive uma conversa com meu marido sobre isso, acredito que delegar é um verbo que é casado com confiar. Quando pedimos para alguém fazer algo para nós temos que pensar no resultado esperado e não na forma que será feito. Dei um exemplo bobo a ele, disse que se ele pedisse a 10 pessoas para trocar a tv de canal, era bem provavel que boa parte das pessoas o fizessem diferente do jeito que ele faz, mas que no final o resultado seria o mesmo, desde que ele deixasse claro desde o inicio qual era o canal que ele queria. Temos que considerar a experiência pessoal e profissional das pessoas, todo mundo tem tv em casa, mas no mundo existem varios tipos de tv.

  2. Thaís 03/05/2014

    Delegar é um exercício, porque é difícil confiar que outra pessoa vai fazer do jeito que queríamos que fosse feito: será que vai ter a mesma responsabilidade? O mesmo cuidado? Mas enfim, é um exercício também de entender que o jeito do outro também pode ser bom, e quem sabe até encontrar alguém que o faça melhor. Eu tinha dificuldade de colocar uma faxineira aqui em casa, mas encontrei uma pessoa maravilhosa e que faz um trabalho melhor que o meu: eu sou muito detalhista, e limpar a casa se torna cansativo e demorado. Ela vem aqui um dia, faz uma limpeza geral, e depois eu me preocupo em limpar apenas o detalhes do jeito que gosto.

  3. Jaqueline 04/05/2014

    A minha dúvida é quando alguém não delega a tarefa, sabendo que esta com muitas tarefas.
    Tive muitas experiências neste ponto, sinto mal as vezes, porque as pessoas não aceitam auxílio nem de graça, imagina pagando.Mas eu refleti que você disse, sim, é falta de direcionamento de um pensamento.

    • Thais Godinho respondeu Jaqueline 04/05/2014

      Nem me fala, Jaque. Também já conheci muitas pessoas centralizadoras assim. Elas são as que mais sofrem, mas as pessoas ao redor sofrem também.

  4. Marina 04/05/2014

    Oi, Thais! Como sempre, muito bom seu texto. Venho passando por esse dilema também. Eu não delego, e tenho um monte de coisas esperando pra serem acabadas, e chegam até a me corroer por dentro. Eu faço as contas que você mencionou, e é sempre muito mais vantajoso eu fazer, porque ganho 5 reais por hora de trabalho e não há quem aceite trabalhar por isso como freela. Eu nem tenho muito como pagar, porque boa parte do que ganhamos já está comprometido com as despesas gerais. =(

  5. Pri 05/05/2014

    Eu também consigo me virar bem, aqui em casa a gente já fez vários móveis (baús, pufes, cabeceira de cama, estante) mesmo sem experiência a gente foi tentando e melhorando. Dou banho e faço tosa nos meus cachorros, faço minhas unhas, corto e pinto meu cabelo, faço jardim e, claro, limpo a casa. Comecei a acumular todas essas funções pra economizar mesmo e sempre que podia eu terceirizava. Agora que tenho mais tempo e menos grana, tô fazendo tudo… de todas essas coisas, a única coisa que não conseguiria delegar é a limpeza da casa. Acho caro, não acho que o serviço fique bom… o que eu faço pra facilitar a minha vida nesse sentido é comprar ótimos produtos de limpeza e no futuro pretendo investir em eletrodomésticos que facilitem ainda mais, como uma máquina lava e seca pra roupas, com isso não precisaria estender e passar a maioria das roupas. E penso até no futuro me dar de presente massagens e outros mimos com o dinheiro que eu gastaria com uma faxineira 🙂

  6. Bruna Zampieri 05/05/2014

    Nossa, muito interessante isso! Há alguns meses eu ‘ouço’ você falar sobre delegar e até cheguei a fazer isso umas poucas vezes, mas a verdade é que como seu colega eu sempre acho que “ninguém vai querer fazer” as coisas ou que aquilo vai atrapalhar a outra pessoa.
    Mas pensando bem, tem tantas coisinhas fáceis de fazer que eu venho adiando e que poderiam ser feitas em um só dia, que se eu pagar a alguém, me livro de várias pequenas obrigações e não me estressarei com nada, não precisarei comprometer meu pequeno intervalo de almoço e meu trabalho, manterei o foco naquilo que é realmente importante e que tenho realmente que fazer. Vai ser uma ajuda pros meus irmãos, que estão desempregados e me devendo dinheiro rsrs

  7. Michele 05/05/2014

    Thais,
    Agora você pegou no meu calcanhar de aquiles. Perfeccionismo e detalhismo nem são as minhas dificuldades e sim o delegar. Já tive problemas no trabalho, em casa com o marido pois eu não sei mesmo delegar!
    Eu começo delegando a pessoa: faz isso, faz aquilo e as coisas vão bem. Dá algumas semanas e a pessoa já não me vê como autoridade sabe? É assim com as faxineiras, com o pessoal da obra (sou Arquiteta). Meu marido me diz que sou legal demais e falo bastante, o que faz as pessoas se aproximarem e “relaxarem”.
    Estou vendo o aprendiz celebridades e me vi muito no Nico Puig. Uma pessoa que não consegue delegar, é legal por natureza sabe?
    Eu tive que sair do canteiro de obras, mesmo amando, pois preferi trabalhar por conta própria e ser legal somente com meus clientes. Aqui em casa estou sem faxineira e estou sempre mudando, pois quando sinto que elas “relaxam” eu troco. Com o meu filho, não consigo colocar em babá e ele agradece! A mãe está sempre presente!
    Eu sinto que delegar para alguém em ascensão, que está crescendo profissionalmente é bom, é bacana. Realmente não dá para fazer tudo.
    Eu estou com a seguinte frase: mudo o meu mundo ou mundo eu. E sinceramente não vou ser uma pessoa que não sou apenas para parecer bem sucedida perante aos outros. Mudei o meu foco no trabalho, estou me aperfeiçoando em Teologia, uma área que a minha vocação “legal” aflora sabe? Sou mãe super presente para o meu filho. Toco a casa quando posso e quero, uma área por vez. Trabalhinhos pequenos eu ainda delego ( como costura e faxina), mas gosto de fazer as coisas do meu jeito.
    Poderia estar muito bem sucedida na minha profissão, mas eu sofria muito com o efeito sanduíche era pressão de cima do chefe e pressão embaixo com essa mão-de-obra civil que não tem comprometimento com nada. O meu trabalho se resumia a ser babá de peão. Para você entender, veja esse programa da Cindy Stumpo. Ela conseguiu ser uma pessoa durona e exigente e sofre para fazer a filha Samantha ser do mesmo jeito que ela.http://www.hgtv.com/real-estate/9-tips-for-hassle-free-home-construction/index.html

  8. Marcia MM 05/05/2014

    Oi. Adoro seu blog. Maravilhoso. Que tal um post sobre delegar tarefas aos familiares que moram na mesma casa? Sou solteira moro com minha mae idosa, minha irmã e sua filha (preguiçosa)e sua neta. Tenho depressao, detesto sujeira. Adoraria ter uma casa organizada e bem limpa. Minha mae também. Tambem temos bichos, galinhas, gatos, caes, flores. E’ difcil, porque nem todos cooperam. Abraço.

    • Thais Godinho respondeu Marcia MM 12/05/2014

      Oi Marcia, tudo bem? O blog na verdade é a favor da divisão de tarefas nas famílias, então todos os posts têm esse teor relacionado. Não tem nada muito específico sobre isso, mas há alguns posts que falam sobre esse problema de um limpar e o outro sujar etc. Espero que ajude. Obrigada por comentar!

  9. Auxiliadora do Carmo Sales Oliveira 08/05/2014

    Delegar simplesmente é confiar que outras pessoas, além de você, têm capacidade e competência para realizar as tarefas tão bem ou até melhor que você! Às vezes, o receio de que o outro faça melhor pode impedir essa iniciativa de designar outra pessoa para realizar aquilo que “é seu”. Acredito, sim, que nestas situações também precisamos e muito exercitar o desapego! Obrigada pelo texto Thais, muito pertinente!

  10. […] falta de tempo. Mas será que tem mesmo valido a pena? No blog da Thais, ela propõe: Delegar tarefas é uma coisa boa (já […]

  11. Luciana 15/07/2015

    Eu cheguei em um ponto que não consigo delegar as tarefas de casa, estou sobrecarregada demais… já não tenho tempo pra mim mesma. Me ajude

  12. Claudia 21/09/2015

    Querida Thais, vou viajar por 1 semana e minha ajudante continuará trabalhando em casa para cuidar dos cachorros e da casa. Gostaria de delegar algumas tarefas de organização pra ela fazer na nossa ausencia, ja que vai sobrar bastante tempo pra ela fazer as coisas. O que voce acha eu poderia pedir pra ela fazer? Pensei em pedir pra ela lavar as cortinas, fazer arrumação nos guarda-roupas, mas ainda assim, vai sobrar tempo…rsrs. Voce teria alguma sugestão? Ps. Adoro seus posts inteligentes!! Obrigada