ou

O que é uma vida organizada?

Uma vida organizada é uma vida realizada. Feliz. Coerente com o que somos, o que queremos, o que sentimos. Cada pessoa tem a sua organização pessoal. Organizar, como já disse algumas vezes aqui, não é colocar coisas dentro de caixas. Não adianta nada a gente guardar o que não deveria estar na nossa vida. Quando a gente guarda algo que não serve ou que não sabe qual a finalidade, está na verdade apenas adiando ou escondendo. E isso vale tanto para sentimentos e sonhos quanto para meias furadas.

Ter uma vida organizada, enfim, é viver de forma plena, promover mudanças (quando necessárias), se planejar para conquistar sonhos. É o desejo de querer mais aliado à satisfação com o presente.

Como as pessoas podem se organizar em casa?

Nossa casa é um projeto vivo que sempre demanda muita coisa para fazer. É importante cada um saber quais as necessidades da sua própria residência e encarar as tarefas como problemas que precisam de soluções. Todo dia precisa lavar a louça? Então não adianta reclamar a respeito – pense em como otimizar a coisa toda. Divida a tarefa, tenha uma lavadora, lave tudo de uma vez, lave aos poucos, enfim – encontre a solução que funciona melhor para você e a dinâmica da sua família. Não existe solução padrão, ideal ou regrada.

É fundamental atentar para o tamanho de cada residência. Uma kitnet terá necessidades totalmente diferentes de uma casa com cinco quartos, e o que serve para uma pode não servir para a outra. Da mesma forma, uma pessoa que fica fora de casa das 5h às 23h tem uma disponibilidade de tempo diferente de uma pessoa que trabalha em casa. Tudo isso deve ser levado em conta ao planejar soluções para uma residência.

Eu era (e ainda sou) muito a favor de tentarmos fazer tudo por nós mesmos, mas hoje acredito que a praticidade deva falar mais alto. Estamos todos bastante ocupados, então não vejo sentido em deixar o filho de lado para limpar atrás da máquina de lavar, só que isso precisa ser feito! Se eu não tenho tempo, tenho que aprender a priorizar, e óbvio que, para mim, ficar com o meu filho é mais importante. O mesmo vale para estudos, projetos, sonhos. Se alguém tiver condições financeiras para investir em bons profissionais, se quiser utilizar o tempo com algo que tenha prioridade maior, deve fazer isso sem sentir culpa.

O fato é que não dá para a gente fazer tudo o que a gente tem vontade. Até tem, mas não ao mesmo tempo. Logo, se você tem um emprego, passa o dia todo fora, ainda quer estudar, cuidar da casa e da família, entenda que vai ter que diminuir suas expectativas com relação a praticamente todas as frentes. Ou então, adiar uma coisa ou outra ou até mesmo deixar de lado.

Como as pessoas podem organizar o seu trabalho?

Em primeiro lugar, quero deixar claro que gosto de definir trabalho como tudo aquilo que você se dedica, com remuneração ou não. As pessoas tendem a achar que trabalho se resume a emprego, mas não é só isso. Uma pessoa que não tenha emprego não tem trabalho então? Não é assim que funciona. Cuidar da casa, dos animais de estimação, bordar toalhas, escrever, cozinhar, se dedicar a um instrumento, organizar um grupo de estudos na igreja e tantas outras atividades também são trabalho.

O primeiro passo é conhecer todos os trabalhos presentes na sua vida. Conhecendo cada um deles, é importante estabelecer rotinas e hacks para facilitar o dia a dia e melhorar a produtividade. A regra é clara: se uma pessoa está estressada com o multitasking ou a falta de tempo, é porque precisa tomar uma série de providências pessoais. E só a própria pessoa pode encontrar essas soluções pois, para isso, é necessário entender todo o contexto de vida dessa pessoa, do seu trabalho e do que precisa fazer, com o ânimo que tem. São muitas variáveis e, por isso, não existe uma regra geral nem como outra pessoa fazer isso por ela.

Como as pessoas podem organizar a vida em família?

Estamos falando sobre relacionamentos aqui. Além de a gente ter que se organizar, ainda precisa lidar com o estilo de organização de outras pessoas que convivem conosco. Logo, o segredo é ter muita paciência e ser tolerante com as pequenas coisas. Não dá para estragar um casamento porque um dos dois riscou a panela de teflon na cozinha.

Eu acredito que a observação seja a principal parceira da organização da família. Se uma criança sempre joga a toalha ou a roupa suja no chão do banheiro, talvez esteja faltando um cesto ali, e não uma bronca. Portanto, vale a pena observar as pistas que a bagunça traz.

Outro ponto importante é a humildade no relacionamento com a família. Uma mãe e um pai não são donos do bebê, assim como uma pessoa que seja mais organizada não manda na casa só porque a outra não liga muito para isso. Atenção: este é um ponto de vista pessoal. Não acredito na disciplina através de ordens e antipatia, mas sim através do entendimento e engajamento de cada um. Quando meu marido não faz alguma coisa que eu ache legal fazer para manter a casa organizada, eu mostro a minha alternativa e pergunto a opinião dele. Muitas vezes, ele acha legal e implementa, porque viu motivo naquilo; não foi uma ordem. Assim como muitas vezes ele pode achar uma enorme besteira fazer aquilo e, sinceramente, pode ser mesmo. Serve para eu repensar e ver se não estou complicando demais as coisas. O fato é que nada é feito na base do grito, mas do trabalho em equipe, observando as necessidades de todos e o estilo de arrumação de cada um. A organização tem que ser o caminho mais fácil, senão não será possível nunca.

E aí vale colocar outro ponto também, que é: veja se ter uma família organizada é mais importante que ter a própria família em si. Não vale a pena viver brigando porque um é super organizado e o outro é bagunceiro. Não se trata de abrir mão, mas de ter prioridades. Eu prefiro ter uma casa mais sujinha a brigar com meu marido porque ele não limpou algo que deveria ter limpado, por exemplo!

Como as pessoas podem organizar os seus momentos de lazer?

A vida é uma só. Dividimos em áreas porque fica mais fácil de a gente entender as necessidades e planejar soluções. No caso das atividades de lazer, eu entendo que a melhor maneira de organizá-las é realmente priorizá-las tanto quanto se fossem um compromisso profissional, se elas forem importantes para você. Isso vale tanto para o cinema na quarta à noite quanto para a viagem que você sempre quis fazer para um determinado país.

No dia a dia, acabamos deixando o nosso lazer de lado em detrimento de oturas atividades que parecem mais importantes, mas o lazer também é importante. Acredito que ter isso em mente já nos ajude a pensar nessas atividades de uma forma diferente.

Como as pessoas podem organizar seu próprio bem-estar?

Priorizando. Para tudo, o que define se a organização vai dar certo ou não é saber priorizar. Se você prioriza a sua saúde, a sua alimentação, o seu sono, o seu conforto, você encontra espaço para eles na sua agenda tão apertada. Se para você não for prioridade, vai ficar claro. Tem gente que não gosta de dormir muito e dorme quatro horas por dia, enquanto há pessoas que precisam dormir mais de 10 horas diariamente. Oras, se dormir 10 horas por dia é uma prioridade para você, você tem que aceitar que deixará de lado outras atividades nas próximas 14 horas.

A vida é assim mesmo, esse Tetris que a gente faz com as 24 horas que temos todos os dias. Se a gente não definir o que for prioridade, fica tudo extremamente caótico em pouco tempo e ninguém consegue viver desse jeito.

Outro ponto que eu gostaria de ressaltar antes de terminar esse texto é sobre a importância do esforço pessoal. Não adianta esperar que a Thais, do blog, ou qualquer outra pessoa, pegue você pela mão, organize sua vida e pronto, mágica feita! Primeiro, porque isso só é possível se você tiver alguém ao seu lado, fazendo um acompanhamento profissional mesmo de coaching, aliado ao trabalho de um assistente ou secretário. Ou seja: caríssimo e para poucos! Se você não é essa pessoa, aceite que terá que se esforçar e mudar sua vida, se quiser se organizar. Ninguém, além de você, pode fazer isso. Ninguém, além de você, pode sentar e analisar sua vida, gerando direcionamentos. Dicas são apenas dicas, versões do que uma pessoa muito específica faz com a sua vida. Nem tudo serve para todo mundo e nem tudo pode ser seguido à risca. Você precisa encarar sua vida de frente, definir quais são as suas prioridades e pensar em soluções para os problemas que tem, e isso é absolutamente pessoal.

Espero que você tenha um mês de abril maravilhoso, cheio de significado e vivido de acordo com o que você acredita que deva ser.

Thais Godinho
01/04/2014
Veja mais sobre:
Editorial do mês
35
Planejamento do escritório
20 dicas fáceis, baratas e incríveis de organização
4 dicas de estudos definitivas para 2016