ou
Imagem: zoeclaudia.tumblr.com

Imagem: zoeclaudia.tumblr.com

1. Aprenda a diferenciar o fundamental do essencial. Comer é fundamental; estar bem alimentado para ter energia no dia a dia e fazer as coisas acontecerem é essencial. Dinheiro é fundamental; ter um trabalho que te dê prazer, reconhecimento e satisfação e que, além de tudo, tenha uma compensação financeira, é essencial. Esses são apenas exemplos. O que é essencial para mim, pode não ser essencial para você. Porém, tome cuidado para não achar que algo fundamental é essencial. Essa simples distinção pode te ajudar a tomar decisões mais eficazes com relação ao seu tempo.

2. Aprenda a dizer “não”. Sabe o pior que pode acontecer se você disser não para alguma coisa? Receber antipatia de volta. Você consegue lidar com isso? Particularmente, prefiro parecer antipática que ficar menos tempo com a minha família porque aceitei uma responsabilidade por não saber dizer “não”. Também pode acontecer de te excluírem de alguma turminha, isso em âmbito pessoal e profissional. Fazer o quê? Quando a gente chega em uma certa idade, meio que sabe o que faz bem e o que não faz bem pra gente. Ser excluído de uma turma que não entende que você sabe definir prioridades, talvez seja o melhor acontecimento da sua semana. Não se culpe. Se você não pode ou não quer fazer algo, simplesmente diga “não”. Apenas tome cuidado para não prejudicar outras pessoas ao fazer isso (pelo menos, é por onde eu me guio).

3. Pare de fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo. Se precisar utilizar a Internet, abra somente uma guia do navegador – nada de deixar carregando Facebook, e-mail, agenda e todo o resto nas outras guias. Se estiver almoçando, almoce. Não fique conferindo suas mensagens no celular ou conversando sem prestar atenção na comida. Fazer mais de uma coisa ao mesmo tempo deixa a nossa mente muito mais agitada, mesmo que na hora a gente não perceba. E isso gera estresse.

Só três dicas para te dar um up nessa segunda-feira. =)

Thais Godinho
20/01/2014
Veja mais sobre:
23
Dúvida respondida: como começar no GTD?
O que levar na mala de bordo e na bolsa de mão
5 maneiras de se motivar em um trabalho que não é o dos sonhos

 

  1. Renata 20/01/2014

    Excelente, Thais! Faz uns dois anos que acompanho o blog, e não faz muito que venho aplicando essas três dicas: tem dado muito certo. O que eu adicionaria também é executar as tarefas no contexto certo, por exemplo: sair do trabalho e não levar trabalho. Pode parecer bobo, mas as vezes essa mania de fazermos “uma coisinha a mais” do trabalho em casa nos leva a aumentar pra “duas coisinhas a mais” e assim vai…

    Outra opinião: te vejo numa pegada mais forte com a simplicidade agora, e fico feliz por ti. Confesso que ja me perguntei se você não pararia com aquele ritmo frenético de um milhão de coisas pra fazer…até que chegou o momento! boa semana pra vc! beijo

  2. Bruna 20/01/2014

    Ótimas dicas, Thais. Sou cheia de fazer mil coisas ao mesmo tempo e aos poucos tenho melhorado isso!
    Abraço!

  3. Tamires 20/01/2014

    Dicas maravilhosas!
    1 e 2 são tranquilas e já fazem parte do meu modo de ver. No 2 gera muita discussão com marido que Nunca diz não, então às vezes no único tempo que tem para descansar ele está fazendo favores que as pessoas poderiam fazer sozinhas.
    No 3 você me pegou, abro “N” páginas ao mesmo tempo enquanto converso no celular e com música ou Tv ligado. E percebo o quanto isso deixa meu cérebro zonzo. Preciso aplicar!
    Obrigada pelas dicas!
    Tenha uma ótima semana!

  4. Amanda 20/01/2014

    Olá,

    Eu costumo almoçar na empresa onde trabalho, ou seja, sempre tem alguém conversando sobre pendências justo nesta hora… Eu como muito devagar e isto já é motivo mais do q suficiente p/não conversar – rs, então, já deixei claro q estou concentrada na comida.

    Qdo me cobram alguma coisa, pergunto se tal tarefa foi assunto durante o meu almoço e explico q consigo me desligar do mundo naquela hora…

    Se tiver pressa, for urgente, me peça enquanto estou na sala q atendo prontamente, senão, nada feito!

    Ah! Mas como eu consegui atingir este nível de “teletransporte”? – rs. P/digitar, por exemplo, leio mentalmente, repetindo tudo q está escrito, ou seja, me desligo de conversas paralelas.

    Mesmo sabendo q o meu trabalho não pode ter erro (emissão de nota fiscal, por exemplo), o pessoal não respeita e fica tagarelando como se não houvesse amanhã…

    Bjos,

  5. Ana Claudia 20/01/2014

    KKKK Leio esse post ao mesmo tempo em que tenho facebook aberto, e-mail aberto (dai recebi a notificação do post) e janela das coisas do trabalho abertas… Acho que está na hora de fechar as janelas extras, preparar um chá e voltar ao foco. 🙂 Thanks pelo “puxãozinho de orelha” na hora certa.

  6. Telma Maciel 20/01/2014

    Essa dica nº 3 é essencial! Qtas vezes sentamos junto com um monte de gente pra comer algo juntos e, qndo percebemos… ngm tá conversando ali naquela mesa e sim nos celulares… eu tenho evitado ao máximo. E tbm tenho tentado focar nisso de não fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo. Até msm pq, eu não sou o tipo de mulher q

  7. Telma Maciel 20/01/2014

    Essa dica nº 3 é essencial! Qtas vezes sentamos junto com um monte de gente pra comer algo juntos e, qndo percebemos… ngm tá conversando ali naquela mesa e sim nos celulares… eu tenho evitado ao máximo. E tbm tenho tentado focar nisso de não fazer duas ou mais coisas ao mesmo tempo. Até msm pq, eu não sou o tipo de mulher q consegue cozinhar e fazer outra coisa ao mesmo tempo… a comida sempre queima… rs
    Boa dicas! Todas!
    Bjs

  8. Mara 20/01/2014

    Oi Thais!
    Parabéns pelo blog, o post de hoje foi para mim!!!
    Bj
    Mara

  9. alexandre 20/01/2014

    Muito obrigado pelas dicas! Parabens pelo blog!

  10. Agradeço primeiro a Deus, pela oportunidade de conhecer este blog, realmente estou aprendendo dicas valiosas , obrigado por passar estas informações.

  11. Lolis Nabok 20/01/2014

    Adoro a filosofia do post. As vezes não estar dentro de determinados grupos pode ser o melhor para nós. O difícil mesmo é dizer não, rsrs. A terceira dica venho usando no meu dia-a-dia a algum tempo e isso me traz uma sensação de serenidade. Muito bom fazer uma coisa de cada vez.

  12. Sabrina Santiago 20/01/2014

    Acho que mais do que diminuir o ritmo, esses ‘macetes’ nos incentivam e nos encaminham a ter, também, uma vida mais presente, mais centrada no agora. Se nós nos deixamos levar livremente, acabamos perdidos num futuro agora ou não passado do agora que só existem na nossa mente. Você só existe no agora. Seus sentimentos também. Sentir! Ah… ♥

  13. Clara 21/01/2014

    O item 2 é fantástico, gera muita contrariedade e me chamam de “sistemática”, por não aceitar convites sem fim… É o preço do sossego! Tudo verdade, parabéns , clara.

  14. Rosário 21/01/2014

    Olá Thais! Adorei este seu post, pois ando a tentar fazer isso mesmo: abrandar o ritmo.
    Dizer não para alguns trabalhos e para algumas pessoas e passar mais tempo comigo e com os meus. A vida passa a correr e um dia olhamos para trás e o fica…
    Adoro ler o seu blog.

  15. Ana Yuan 21/01/2014

    Nossa adorei este post, serviu direitinho principalmente no quesito fazer várias coisas ao mesmo tempo;;;gastamos energias demais e nada termina. Vou focar mais para fazer uma coisa de cada vez com calma,,rss valeu e parabéns
    http://www.antestardedoquenunca1.blogspot.com

  16. Du 25/01/2014

    Tudo isso tenho mania de fazer, até que agora depois de um cansaço sem fim, parei com tudo. Sempre digo que não precisamos da metade do que temos em casa, mas a minha se eu desfizer de 70% ainda sobra coisa, e nem sou eu que compro, é dado e doado por amigas. ( Umas amigas que me dão até coisas quebradas) , mas agora dei um basta, quando falam vou te dar isso, Digo: não quero. Vou viajar e te trazer um souvenir: Não traga.

  17. C. Vieira 03/02/2014

    Thais, este é um dos textos de que mais gosto no seu blog. Já li e reli um monte de vezes buscando exatamente ir mais devagar, principalmente nas cobranças e preocupações que faço/tenho comigo mesma. Sou ansiosa num nível “mach 3”; e, por isso, passo dos limites, tentando quebrar barreiras da velocidade e do tempo na minha vidinha. No fim, fico cansada e estressada mas não satisfeita com os resultados. Com certeza, ir mais devagar, apreciar o caminho até a meta seja o mais certo a fazer.

    Ah, só um hiato: a dica 1, eu acredito esteja equivocada sobre o significado de fundamental e essencial. Comer é essencial, não fundamental. Pois fundamental vem de fundamento, ou seja, princípios, regras, bases criadas por nós como sendo importantes (ou não). E essencial vem de necessidade primordial, imprescindível, como as fisiológicas (comer, beber, dormir e etc.).

    “Essencial é tudo aquilo que você não pode deixar de ter”. Enquanto fundamental é ferramenta que você escolhe usar ou não para alcançar o essencial. Assim, a dica está correta mas é preciso inverter a posição das duas palavras no quesito “comer” porque comer realmente é essencial, necessidade básica.

    Abraço pra ti!

  18. ana - hvaoff 12/09/2014

    Thais, que post PERFEITO! Vc escreveu pra mim. Hoje mesmo me vi fazendo uma reunião no skype enquanto ligava pra outro cliente e acertava um detalhe de um trabalho no photoshop. Meu deus, Não! Eu preciso aprender a dizer não!

    Obrigada por abrir meus olhos. 🙂 Beijos!

  19. Lucas 29/06/2015

    A 3ª dica é a que mais pega…rs. Sempre achei que fazer várias coisas ao mesmo tempo agilizaria meu tempo, ôh ilusão!

  20. izabele 16/11/2015

    eu custumo almoça vendo as mensagem que chega no meu whatsapp nn presto muita atençao na comida e tambem a vezes almoço assistindo tv tambem nn me dexa presta atençao na comida