1. Estamos gastando menos com comida desde que optamos por uma alimentação mais natural e simples. Hoje, nossas refeições se baseiam em carnes e vegetais. Filhote e marido ainda consomem massa e doces de vez em quando.
  2. Não compramos mais presentes em shoppings em datas especiais. Estamos dando valor à produção artesanal ou cultural. Isso não impede de presentear minha sobrinha com uma roupa que ela goste ou a outra com um livro que ela quer faz tempo – só deixou de ser a regra.
  3. Paramos de “fazer despensa” e compramos somente o que vamos consumir. Não sei vocês, mas é muito comum fazermos “compra de mês” e gastar muito dinheiro ainda na primeira semana do mês. Nós já tínhamos mudado esse hábito quando passamos a fazer compras semanalmente, mas intensificamos ainda mais agora comprando somente o que vamos consumir mesmo.
  4. Estamos lavando menos roupa. Pode parecer besteira, mas eu costumava usar a roupa uma vez e já lavar. Se a roupa ainda estiver limpa, volta para o guarda-roupa. Isso aumenta inclusive a durabilidade dela. Infelizmente não é possível fazer com camisetas, meias e outros artigos que ficam mais fedidinhos se usados mais de uma vez.
  5. Estou levando comida para o trabalho. Quando não levo, costumo gastar de 25 a 35 reais por almoço, o que é um absurdo. Se eu usasse esse dinheiro para fazer compras diariamente no mercado, poderíamos comer filé mignon todos os dias, por exemplo. É muito dinheiro!
  6. Quando vamos comprar algo, optamos sempre pelo mais barato – observando, é claro, a qualidade. Nas compras do mercado, de centavo em centavo a gente acaba economizando bastante. Outro dia mesmo fui comprar uma escova de dentes e já ia pegando uma de R$9 quando vi uma de R$2,70 e troquei. Elas eram equivalentes, mas a primeira era de uma marca famosa.
  7. Mudamos para um apartamento menos dispendioso. Ele é maior em metragem, mas tem somente dois quartos. O aluguel e o condomínio são mais baratos e ele é mais simples, mas gostamos muito mais daqui!
  8. Só compro roupas quando eu preciso. Eu gosto de moda, então para mim isso foi um processo lento. Porém, hoje, compro somente quando preciso de alguma coisa, e estou voltando a ser frugal, e não minimalista, nesse caso. Estava precisando de uma sandália para este verão (a minha tinha rasgado…) e poderia ter comprado uma na Arezzo, onde sempre compro, mas encontrei uma linda e confortável em uma loja de rua e paguei R$45 – menos da metade do que eu pagaria na outra.
  9. Deixar a luz do dia entrar no apartamento e ligar as luzes somente quando fosse necessário.
  10. Estou analisando tudo o que eu tenho e me desfazendo de muitas coisas de todos os tipos. Seja vendendo, dando de presente, doando, jogando fora. Hoje mesmo separei 80% das minhas bijouterias para doar, ficando somente com o que uso sempre e adoro.
  11. Aprendi a viajar somente com o necessário. Meu próximo desafio é fazer uma viagem internacional de mais de uma semana somente com uma mala de mão! É fundamental colocar na cabeça que viagem não é hora de levar todo nosso estoque de coisas, pelo menos para mim!
  12. Instalamos um filtro de água no apartamento novo. No antigo, o encanamento tinha problemas e só consumíamos água mineral.
  13. Comprar livros novos somente quando não tiver uma pilha muito grande de livros não lidos. Eu leio muito rápido e diversos livros ao mesmo tempo, mas costumo ter um limite pessoal de livros não lidos até comprar novos, para não virar uma bola de neve. Tem funcionado.
  14. Cancelei minhas assinaturas de revistas no iPad. Tinha várias. Usava muito como referência para o blog, principalmente as da Martha Stewart. Mas não estava mais conseguindo acompanhar como deveria, então decidi cancelar.
  15. Como não bebo mais, nem socialmente, estou saindo menos. Fui somente a dois happy-hours no final do ano (amigos e empresa) e, sem beber, tudo fica muito chato (porque todos estão bebendo e você fica de fora). Prefiro ficar em casa mesmo.
  16. Aliás, ficar mais em casa é muito bom. Estou saindo menos e curtindo atividades mais simples e cotidianas.
  17. Trocar sucos e refrigerantes por água. Bebo muita água e sempre tenho uma garrafinha comigo. Com o refrigerante, ainda chego lá. Tenho muito a melhorar.
  18. Voltei a caminhar. Não preciso mais marcar horário para fazer isso – deixo o dia a dia me trazer oportunidades. Em vez de ir de carro ou de ônibus em alguns lugares, estou indo a pé. Gosto de caminhar porque é um momento meu de reflexão, além de fazer bem para a saúde.
  19. Comer só quando eu estou com fome, e não de três em três horas. Acabo fazendo de duas a três refeições por dia normalmente e me sinto muito bem.
  20. Valorizo mais pequenos momento como fazer uma pausa no trabalho para tomar um café ou beber uma xícara de chá antes de ler na cama, na hora de dormir.
  21. Estou meditando todos os dias.
  22. Estamos aproveitando o que temos em casa, em vez de comprar coisas novas. Vivi durante um bom tempo com caixas da mudança cortadas embaixo organizando a nossa despensa, e poderiam ficar assim, se não fosse a minha vontade de deixar tudo bonitinho com cestinhos (baratos). A história de fazer compras na própria casa é incrível.
  23. Passei a me perguntar o tempo todo: eu preciso disso? e daquilo? Hoje mesmo estava tomando banho e vi a quantidade de produtos no box: shampoo, condicionador, sabonete líquido, creme esfoliante, creme para isso, creme para aquilo. Eu preciso só do shampoo e do sabonete… Não digo que devemos abrir mão do que já compramos (isso seria desperdício), mas vale a reflexão para diminuirmos aos poucos.

Cada um dos itens acima daria um tópico a parte, e talvez eu faça mesmo. =)

100 Comentários

  1. Thaís, você está se mostra a cada dia mais sensata e é um exemplo para nosso mundo que se encontra em um consumismo desrnfreado. Parabéns pelo ótimo trabalho que realiza aqui. Você me inspira todos os dias e nesse um ano que venho aqui diariamente, aprendi muito. Ótimo 2014.

  2. Ah Thais… Cada vez me apaixono mais pelo seu blog!!
    E aderindo cada vez mais aos projetos:

    – Compras uma vez por semana;
    – Doar coisas que não usamos há mais de um ano;
    – Arrumar e ir minimizando até chegar ao ideal (para mim pelo menos, pois jamais conseguire ser 100% minimalista);
    – Comprar roupas e sapatos quando realmente precisarmos.

    Sabe que ontem resolvi doar muitas bijus também? Não tenho usado, e ficam entulhando e ocupando espaço… Roupas também vou doar várias, só me resta tempo para separar. Fazer a limpeza e destralhamento são projetos “com força” para 2014 !!!

  3. Que bacana essas suas reflexões, Thaís. Eu também quer implementar muito dessas coisas que você comentou, especialmente o fato das compras de casa. Aqui em casa fazemos uma compra que dura bastante tempo e acabamos acumulando muita coisa. Já propus pra minha mãe e ela topou, então beleza.

    Espero que consiga transformar, todos os dias, minha vida. Viver com menos tem me feito muito bem. Agora, com menos roupas (e olha que ainda tenho muitas) eu percebi que consigo exercitar minha criatividade na hora de vestir e me visto muito melhor!

    • Vou dar o exemplo do macbook (gosto dele).

      A pessoa precisa de um computador leve para levar em viagens.

      O minimalista não se importa em comprar um Macbook Air, pois ele é o melhor da categoria – porém, super caro.

      O frugal vai comprar um netbook que custe 5x menos.

      Uma pessoa minimalista é aquela que tem somente o essencial, mas isso não significa economizar dinheiro. Ela pode ter só uma calça jeans no armário, mas essa calça ter custado 500 reais.

      Uma pessoa frugal vai sempre em busca da economia (de volume e de preço). Vive uma vida simples, sem ostentação. Não liga para marcas.

      • Thais, vi que você usou esse exemplo em algum post mas não entendo direito. Entendo que em teoria um netbook 5x mais barato faz o mesmo que um Macbook (na prática não faz), mas também fica obsoleto mais rápido, sem contar que em geral é menos prático de transportar (em comparação com um Macbook Air, que cabe em um envelope, é levíssimo e cujo carregador, mínimo, serve pra iPod, iPhone, iPad e ainda como cabo). Não tem nada a ver com Apple não rs, mas é que não entendo muito qual a economia aí, me parece “barato que sai caro”, não? Ser frugal não tem também a ver com pensar na duração e custoXbenefício das coisas, além simplesmente do preço em reais?

  4. Thais, que post inspirador! Gosto muito dos seus textos sobre como tornar a vida mais simples! Tenho tentado fazer isso também… Ainda não consegui “destralhar” muitas coisas em casa, mas já coloquei como meta, e seu blog me ajuda muito nesse sentido. Um dia de cada vez, não é mesmo? Ontem, estava procurando em casa um caderninho para fazer algumas anotações pessoais/espirituais. O que encontrei foram vários bloquinhos espalhados… Por um instante, pensei: “preciso de um caderno específico para isso”. Depois, na mesma hora, mudei de ideia: “para que vou comprar outro caderno se tenho vários blocos aqui? Será mais acúmulo de papel, e eu já tenho tentado fazer uma boa limpeza em casa a esse respeito…”. Pronto! Não vou comprar novo caderno, não! E, naquele momento, acredite, lembrei-me dos seus textos sobre simplificar a vida! Muito obrigada por compartilhar suas experiências, que tanto nos ensinam e inspiram… Um abraço e um 2014 maravilhoso para você e sua família! 🙂

  5. curti muito! também estamos no mesmo caminho e, sobre o post anterior, sobre o temperamento de introversão, há muito tempo li o livro Vampiros Emocionais, pra quem trabalha com pessoas acho uma leitura válida.

    beijo e FELIZ ANO NOVO!

  6. Cuidado pra não radicalizar demais. Além do problema que falaram aí do metabolismo, nisso de só comer quando está com fome, se vc for levar ao pé da letra o “consumir só o necessário” e radicalizar demais, daqui a pouco vai estar com 1 sapato, 1 calça, 1 bolsa, morando em um casebre, enfim. Temos o direito de ter pequenos prazeres na vida também.

    • Oi Ana, com certeza. Eu já radicalizei e posso dizer que, apesar de ter sido uma experiência válida (por ter me feito valorizar muitas coisas), o caminho do meio sempre é o melhor.

  7. estou passando pelo mesmo processo. suas reflexçoes estao me ajudando muito! E voçe nao imagina o quanto todos os dias preciso ler o seu blog,ja faz parte da minha rotina. obrigada.

  8. Thais,
    Que história bacana. Gostei dos seus depoimentos sobre simplificar tudo. Estou lendo “A Parisiense” e amei o estilo das francesas, que tem muita coisa básica e as usa de um jeito despretensioso. O livro também fala das descobertas nas lojinhas de rua, de supermercado. A sua sandália se encaixaria nessa descrição.
    Deixa eu te perguntar uma coisa: O meu marido trabalha e as roupas dele ficam sempre gastas muito rápido. Como ele trabalha de forma informal, acaba usando as roupas de trabalho quando sai comigo e vice versa. Queria ter mais roupas de “giro” ( não sei se é assim que se escreve), e qual é a quantidade ideal de blusas e calças para quem trabalha? O aniversário dele é dia 14 e as pessoas sempre perguntam o que ele gostaria, e esse ano serão calças jeans!!!
    Eu gostaria muito de ver o quartinho do filhote, pois eu sempre “empaco” aqui em casa no quarto do filho, ele anda brincando com o vizinho e eles acham que as estantes do quarto dele são “supermercado” de brinquedos, ou seja, fica tudo pelo chão da casa.
    Feliz 2014 para você e os seus leitores que decidiram evoluir seja em qual for a sua área problema e não ficar só reclamando…Olhar para a frente, sempre!!!

    • Esse livro é lindo. Também tenho e adoro.

      Sobre roupas, isso é super pessoal. Teria que avaliar com que frequência gasta (em média) e se planejar para ir comprando. Ou investir em roupas mais caras, com tecidos melhores, que durem mais. Tenho no blog um post com uma planilha pra fazer esse controle.

      Obrigada por comentar.

  9. Oi Thais!

    Que seu post inspire cada vez mais pessoas a se observarem como seres sociais, e não consumidores.

    Já li diversas vezes que comprar semanalmente compensa mais que fazer compra do mês. Aliás, compra do mês é um hábito que herdamos de nossos pais/avós, que viviam com uma inflação descontrolada e um overnight que fazia tudo triplicar de preço. Atualmente, compensa você acompanhar semanalmente as promoções. Hj mesmo peguei uma promoção de 2 Vanishs por 19$ –sendo que em geral, cada um custa 15$.

    Com relação às roupas, a minha filosofia é simples: só fico com o que amo, nada mais. Sem essa de roupa de sair, de trabalhar, de ficar em casa. Estou sempre bonita, seja pra sair para jantar ou pra receber o carteiro. Claro,cada roupa na sua ocasião,rs, mas antes eu acumulava muito, pq não podia usar a camisa X porque ela era muito bonita pra ir ao mercado…Aí comprava uma camisa igual, só que de ir ao mercado,rs. Crazy!

    Enfim,vamos nos conhecendo,né?

    Um abraço!

  10. Ótimas dicas! Tenho 18 anos e estou aprendendo a me organizar, seu blog tem sido essencial!
    Ps: a única dica que não achei muito válida foi da alimentação de 2 a 3 vezes por dias…Isso não é saudável pq quando ficamos muito tempo sem comer nosso corpo armazena gordura.
    Obrigada por td! Que Deus te abençoe!

  11. Post perfeito…com certeza cada item dá um sim um novo post…teu blog é inspirador..virou minha leitura diária há tempos..obrigada por compartilhar…beijus

  12. Thais, adoro seu blog e seu trabalho. Queria deixar um comentário a respeito do item das malas de viagem. Fiz uma viagem de 20 dias com meu marido pela Europa com uma mala média apenas para nós dois. Sabe aqueles conjuntos com 3 malas? Então, a mala do meio… Sou super prática com mala, aqui no trabalho a galera diz q nessas horas eu pareço homem hihihi, mas o que me ajudou muito foi o livro da Gloria Khalil sobre esse assunto, vale a pena a leitura.

    Bjins,
    Marta.

  13. Adorei o post e estou fazendo uma lista de coisas que quero mudar no meu dia-a-dia e da casa para simplificar as coisas.
    Decidi que vou limitar a compra de livros. No ano passado somei tudo que havia gasto com livros e quase caí dura!!! Vou ser mais seletiva este ano e dar prioridade ao que tenho em casa e ainda não li.
    Tb troquei refrigerantes e suco por água… com limão. Vc não acredita como uma água com gás e uma rodela de limão siciliano fica charmosa e saborosa, muito saudavel e refrescante.
    Vc falou sobre os itens de banheiro, achei bacana. Uma vez te escrevi falando sobre como custa caro ser bonita e bem tratada, e como é importante pesquisarmos e desenvolvermos rituais de beleza que cabem no bolso. Vc bem que poderia escrever sobre isso né? Eu ia adorar ouvir você.
    Um abraço,
    Dulci

  14. Olá Taís, gostei muito do seu texto. Agora acho que seria interessante ser frugal com os métodos de organização. Partindo do pressuposto que tempo é dinheiro, e economizar tempo é reservá-lo para coisas mais importantes na vida, acho que seu atual método de organização com o evernote é meio perdulário com o tempo. Não sei se digo isso por despeito de não ter conseguido fazer por muito tempo, consegui deixar tudo certinho durante 1 ou 2 semanas apenas, mas o fato é que, durante o tempo que eu consegui fazer, tive a sensação de que deixei de fazer coisas importantes do trabalho para ficar organizando, organizando e organizando… Hoje olho para minha caixa de entrada com 284 notas sem processar e sinto um grande desânimo de não conseguir organizar, ao mesmo tempo que tenho dúvidas se isso é realmente necessário…
    Em vista desses novos conceitos que você vem aprendendo e aplicando de uns tempos pra cá (budismo, frugalismo, etc), o que você acha desse método que você vinha utilizando antes disso tudo? Acha que vale a pena ainda assim?

    • Cada um tem que encontrar o que funciona melhor para si em termos de organização. O que funciona para mim (e que posto no blog, por ser a minha visão – não teria como ser diferente) pode não servir para muitas pessoas. A ideia é cada um testar até encontrar o que funciona. O método GTD, em si, demora cerca de 2 anos para ser implementado de forma madura. Até eu, no começo, achava ele bem confusinho e desisti várias vezes, até que hoje é um hábito e nem saberia me organizar de outra forma, de tão completo que ele é para mim. Se não funcionou para você, recomendo que simplifique sempre, claro. Para mim, funciona muito bem. O que me faz perder tempo é não ter planejamento e ficar todos os dias decidindo o que tem pra fazer, esquecendo ideias, projetos etc porque não há qualquer método.
      Obrigada.

      • Obrigada pela resposta Thais, se leva 2 anos para implementar corretamente, então acho que eu estou sendo muito ansiosa. Quem sabe não tento mais uma vez… E gostaria de te dar os parabéns, dizer que aproveito muito as dicas que você dá, como aquela do ifttt, as dicas do evernote, e agora essas reflexões sobre a vida. Muito obrigada por ser essa pessoa tão generosa.

        • Não demora 2 anos para implementar corretamente, mas para ter maturidade no sistema a ponto de fazer mudanças e dizer “puxa, está funcionando lindamente e não sei mais viver sem”, rs. O David Allen diz que a gente consegue implementar em dois dias mesmo. Implementar uma coisa, se habituar e manter é outra, e demora mesmo, com qualquer hábito. Como o GTD pega todas as frentes possíveis, é natural que demore um tempo mesmo.

          Obrigada você por comentar. =)

  15. Thaís 🙂
    Bem bacana essa sua nova fase. Obrigada por compartilhar, de forma tão generosa, o seu aprendizado.
    Quando fazemos uma compra temos sempre que atentar para a diferença em comprar um produto e uma marca.
    Em relação aos itens de higiene pessoal..sabia que da para usar apenas um sabonete e um condicionador? O sabonete indicado é o Johnson’s baby gliceri,nado (serve pra rosto, pepeca, cabelo, corpo..) e o condicionador pode ser p lorys baby. A técnica se chama no poo e consiste em não usar shampoo, se lava a cabeça apenas com condicionador sem silicones, parafina, petrolato ê parabenos. Eu uso o sabonete no cabelo umas duas vezes nasemana

  16. Thais, vou adotar para mim alguns de seus exemplos, adorei!
    vou compartilhar minha experiência também:
    – viajo sempre somente com uma mochila que pode ser embarcada, além de não carregar coisas desnecessárias, ainda evito transtorno de correr risco de extravios ou ficar aguardando a mala na esteira do aeroporto. Além disso, facilita na hora de utilizar transporte público no trajeto de/para aeroporto e não preciso pegar táxi;
    – também utilizo algumas roupas mais de uma vez, e penduro do avesso no cabide, para facilitar a visualização das roupas já utlizadas;
    – ao invés de comer um doce, como uma fruta docinha, como bananam qua dá saciedade e é bem barata;
    – combinei com familiares próximos de dar presentes de natal em janeiro, assim o shopping está mais vazio e aproveitamos as liquidações;
    – produtos de higiene e limpeza, compro em mercados atacadistas e divido com os familiares, sai bem mais barato;
    – quando saio com amigos, sempre optamos por bares e restaurantes com comandas individuais, assim não gera desconforto e cada um paga o que consumiu.
    Espero que minhas dicas possam ajudar também!
    bjs

  17. Acho perigoso comer apenas quando se tem fome. Todos sabem que o metabolismo cai se nos alimentamos poucas vezes . 🙂
    Bj!

  18. Gostei do post!

    Dúvida:

    Tenho anotações de palestras espalhadas e quero organiza-las ocorre que não sei qual a melhor maneira de fazer

    Opções:

    • Digitalizar e organizar as anotações colocando – as em ordem de data no computador e depois passa-las para um caderno específico;

    • Separar uma parte do caderno caixa de entrada para as anotações referentes às palestras desse ano e paralelamente organiza-las em outro caderno colocando-as em ordem da mais antiga para a mais nova.

    Essa mesma situação esta acontecendo com a parte dos cursos.

    O que você sugere?

    Obrigada

    • No Evernote, não há necessidade de colocar em ordem de data, pois ele já organiza as notas dessa forma automaticamente – basta alterar a data na nota.

      Quanto ao restante, não posso opinar, pois é muito pessoal.

      Obrigada.

  19. Oi Thaís, tudo bem?
    Quanto ao item sobre malas de viagem, conseguimos finalmente fazer uma viagem internacional de 12 dias, no outono, somente com uma mala de bordo, cada um. Meu marido ainda levou mais uma sacola pequena que na ida serviu para levar os eletronicos, cabos, carregadores e afins e na volta serviu para trazer ‘algumas coisinhas gostosas’ da viagem. Foi bem mais light porque pudemos usar vários meios de transporte coletivo sem ficarmos esbaforidos : ) E ainda assim, algumas peças de roupa, nem foram usadas.
    Para a próxima, ainda poderemos enxugar um pouco mais. Esse será nosso próximo desafio!
    De vez em quando dou uma pesquisada na Internet sobre dicas de como fazer uma mala enxuta para viajar. Tem muitas dicas legais por aí.
    Devagar chegaremos lá!
    Um ótimo 2014 a você e aos seus!

      • Também simplifiquei bastante. Uma das coisas foi mudar de um apartamento enorme – que eu não conseguia limpar – para uma casa mais simples, bem pequena e com quintal. Agora, o certo é que: não fiz escolha melhor na minha vida. Consigo gerenciar bem melhor a casinha – apesar de ainda não estar 100% perfeita – e ainda cultivar uma horta (tomates, pepinos, capuchinha, temperos, mamão, abóboras, chás…). Tem almoços em que todos os legumes são do quintal. O pessoal do trabalho disse q sou louca por morar numa casa tão pequena. O q eles não sabem é o tanto que eu sou feliz por ter mudado do apartamento para essa casinha mais perto da natureza. Acordo com os passarinhos e pego menos congestionamento para trabalhar. O q mais poderia querer? Ah, de presente, ainda ganhei um bebê (a caminho). Vamos lá ser feliz em 2014!!!!

  20. 16:30 lendo este post me dei conta de que minha janela estava fechada e a luz acesa! Na hora já desliguei e deixei a luz natural entrar.
    Isso é algo que venho tentando mudar há algum tempo e tem dado certo, mas as vezes me pego no piloto automático ligando a luz quando não preciso..
    Tenho algumas decisões que fazem parte das minhas metas e resoluções e aos poucos vou incorporando-as no dia a dia.
    Ótimo post!

  21. Oi Thais,
    Tudo bem? Trabalho na produção da TV Globo e estou produzindo uma matéria sobre como se organizar e se planejar no trabalho em 2014. Gostaria de entrevistá-la. Você poderia me mandar os seus contatos para o meu e-mail pra gente conversar melhor?
    Obrigada e um Feliz 2014 pra você!

  22. Olá Thais, li seu comentário sobre a Johnson & Johnson, mas fiquei na dúvida. Sem querer me intrometer, mas o problema que você relatou é particular ou é algo da empresa, tipo teste em animais, essas coisas… Obrigada

  23. Thais, pq você não usa Johnson e Johnson? Fiquei curiosa. Desculpa se estou sendo intrometida, não é a minha intenção.

    • Diversos estudos associaram os produtos da marca com a incidência de câncer, especialmente em crianças. Também não concordo com a política da marca para vários outros assuntos.

  24. Ótimas dicas Thais, como sempre! Quero colocar essa do livro em ação porque ano passado comprei muitoa e não li quase nada, então tenho muitos pra me entreter durante 2014.

    Quanto a essa questão da alimentação, acho que vai de pessoa pra pessoa. Eu tentei comer de 3 em 3 horas, mas achei um sacrifício porque não sinto fome pra tanto. Tambem prefiro me alimentar quando sinto vontade e isso funciona melhor pra mim.

  25. 2º dia do ano e com dois posts, esse e o sobre as resoluções de ano novo, vc me motivou e inspirou a traçar algumas metas. Pelo menos lista-las, espero alcança-las, que é o principal. Feliz Ano Novo pra vc e sua família!

  26. Thaís,

    É impressionante a quantidade de coisas que tiro do meu quarto quando resolvo fazer uma “limpeza geral”! Coisas que podem ser doadas, vendidas, trocadas ou descartadas!

    Minha namorada está me ajudando nesse processo e me “policiando” para que eu não compre um novo livro sem eu ter lido o anterior. Estou pensando em ler mais e-books e pegar livros na biblioteca.

  27. Simplesmente adoro post com este tema! Thais, o ano de 2013 pra mim foi de grandes descobertas e seu blog foi um caminho da salvação que me levou a mudanças de atitudes como por exemplo cortar os excessos. Eu estava cega, num caminho de endividamentos e não percebia o quanto minha vida estava desorganizada. Com você, descobri o blog da Rita e muitos outros que me inspiraram para a mudança de comportamento. Só tenho a agradecer e peço a Deus que lhe dê muita saúde e prosperidade para continuar inspirando as pessoas. bjs

  28. Olá Thais, mais um ótimo post! Também tenho repensado muita coisa e acreditado cada vez mais que menos é mais!

    Quanto a alimentação, entendi que vc está adotando uma alimentação páleo. Muito bom! Tenho certeza que você sentirá os benefícios. 🙂

    Um 2014 incrível para vc e sua família!

    Bjocas

    P.S. Impressionante como as pessoas realmente acreditam nessa falácia de que o metabolismo fica lento quando não se come de 3h em 3h! Não dê ouvidos! 😉

  29. Oi Thais!

    Feliz 2014!
    Parabéns como sempre pelo artigo.
    Gostei quando você escreveu que se alimenta quando senti fome, pois fazia assim e era magra, depois que passei a comer de 3 em 3 horas, engordei um pouquinho, portanto somente como quando sinto fome. Acredito que é de metabolismo e muito pessoal.
    Obrigada por compartilhar, o blog está ótimo!!!
    Abraços,

    Valéria

  30. Muito bom o post! O exemplo do banheiro é super real: impressionante como compramos 500 coisas e usamos sempre as mesmas três (mesmo caso das bijuterias, acontece comigo também).

    Eu que trabalho com comunicação e publicidade, acabo estudando e buscando muitas referências sobre o assunto e percebo que, casa vez mais, as marcas criam nas pessoas necessidades que elas nunca tiveram:
    – Álcool em gel
    – Enxaguante bocal todos os dias
    – Absorvente de uso diário (os ginecologistas até criticam)
    – Água termal
    – Etc, etc, etc.

    Estou vendo o dia em que não teremos mais imunidade…

    Hoje na hora do almoço falávamos sobre isto, tem pessoas que acham que uma aspirina por dia faz bem… Outro dia um amigo de trabalho perguntou “alguém quer um Dorflex?”, como se estivesse oferecendo uma bolacha.

    As indústrias fazem uma lavagem cerebral e é difícil sairmos dela…

    Enfim, é uma discussão que vai longe e é sempre bom ver que tem pessoas dispostas a falar sobre isto, a sair do universo do consumismo e ir para uma vida mais simples e, consequentemente, mais feliz!

    Parabéns :).

  31. Oi Thaís, adoro seu blog venho todos os dias dar uma olhada, gostaria de te parabenizar pelo belo trabalho. Em relação ao post só não gostei da parte das festas, eu não bebo, nunca bebi, mas nem por isso deixo de sair e me divertir com pessoas que bebem.
    Beijos, parabéns.

  32. Oi Thais!!! Quando der escreve um post sobre meditação. Tenho tentado praticar diariamente e gostaria de saber qual técnica vc tem adotado!!!! Amo seu site e passo aqui diariamente para ver as novidades…. Um grande abraço

  33. Thais, você falou que você come basicamente carne e vegetais, mas só imagino isso em refeições como almoço e jantar. O que você come nos intervalos? E comprando só o que vai consumir (alimentos), você vai quantas vezes ao mercado por semana? Obrigada por tudo! Nem sei o que eu seria sem os seus ensinamentos.

  34. Olá Thais! Feliz 2014!
    Alguns comentários sobre alguns tópicos:
    – Presentes de shopping: também passei a comprar fora de época. Só quem ganha no dia 24-25 são as crianças, mesmo assim, foram comprados logo após o dia das crianças. Se não rolar um brinquedo artesanal ou educativo, pergunto aos pais o que a criança está precisando (nem sempre escuto “roupas” como resposta);
    – Uma amiga do trabalho organizou uma troca de bijous. Até os meninos levaram as das esposas para participar. Uma pulseira que eu só via quando arrumava a cômoda agora não sai do braço de uma colega.
    – Gosto muito de artesanato e estou sempre trocando materiais com minha mãe e minhas tias;
    – Lembro que quando era criança, as escolas que ficavam próximas à minha faziam um feirão para troca ou venda de livros a preços simbólicos. isso era divulgado em 5 ou 6 escolas, os pais se inscreviam com os livros que tinham pra oferecer, isso ficava algumas semanas exposto nas escolas e na data marcada, todos iam na quadra de uma das escolas e efetuavam seus “negócios”. Teve ano que minha só precisou comprar os itens de papelaria. Acredito que hoje isso ainda deve existir é só procurar.

    Um Abraço!

  35. Um relato sobre o item “banheiro”:
    há uns meses atrás eu não ficava um minuto sequer sem coceiras, rinites, descamações. Sou química e já estava pensando em mudar de área pra me livrar das alergias e não me submeter ao tratamento caro, demorado e cheio de efeitos colaterais que meu médico prescreveu. Mas… os 5 nos de universidade não foram em vão e eu pensei: e se eu diminuir a exposição em casa, afinal, uso EPI no trabalho”.
    Troquei a maquiagem pela mineral, diminui a frequência de uso dos esmaltes (e a coleção deles), uso aveia e mel como esfoliante/hidratante, folha de babosa para hidratação capilar, troquei ao máximo os produtos de limpeza “de fábrica” por vinagre e bicarbonato, lavo as roupas com sabão de coco, quando faço tratamentos em salão de beleza com produtos que não são da minha rotina, fico alguns dias usando apenas desodorante sem fragrância, perfume sobre a roupa e sabonete infantil. Foi dito e feito: hoje estou bem melhor de saúde e nem sinto falta dos tempos em que meu marido dizia que se sentia na seção de perfumaria do supermercado quando olhava minha penteadeira.
    Durante a transição, eliminei quase tudo de industrializado da alimentação e fui pedir ajuda a uma nutricionista nesse quesito. Ela me passou uma dieta detox de alguns dias que sempre faço quando enfio o pé na jaca (comer fora, carregar na maquiagem para uma festa etc). Ela explicou que mesmo não sendo alérgica especificamente às fórmulas que eu usava, a sopa que eu fazia no meu corpo com elas me deixava sensibilizada. Hoje só tenho as alergias “de sempre”, camarão e poeira e mesmo quando uso alguns produtos esporadicamente não sinto nada. Debato muito com minhas amigas, principalmente as mães de meninas, que enchem seus pimpolhos de formulações quilométricas encontradas em farmácias e supermercados e as crianças acabam visitando mais o pediatra que os avós.
    Desculpa o tamanho do texto 🙂

  36. Aprendo muito com seu blog! Não leio todos os dias, deixo acumular posts, gosto assim… Aí reservo umas horinhas do meus dia e leio tudo com uma xícara de café (adoro) ao lado!!

    Beijos.
    Tenho feito algumas mudanças na minha vida também, isso é bom, deixa a vida bem mais leve!

  37. Conheci seu blog hj, através de outro blog de decoração queridinho meu, o ACQMVQ (A CASA QUE MINHA VÓ QUERIA).

    Eu já pratico várias de suas dicas por necessidades de tempos atrás. A necessidade nos faz ter e comprar só o que precisamos. Ensinamento aprendido desde a infância e em períodos de trabalhar para pagar a facul, períodos de desemprego, etc. E meu espírito prático instalou o hábito! Quando eu me dou um pequeno prazer, é quase um luxo muito bem apreciado!

    Deixo aqui uma dica a respeito de livros. Costumo comprar livros (usados) através de um site que reúne sebos e livreiros do Brasil todo. Compro até livros paradidátidos que a escola do meu filho pede no decorrer do ano. Cada sebo tem a sua forma de pagamento e funciona muito bem. Nunca tive problemas. Mesmo com frete fica bem mais barato e os livros chegam exatamente como descritos.
    http://www.estantevirtual.com.br

    Fica a dica! Beijos

  38. Thais,
    Esse post é o que eu estava precisando para fortalecer o projeto MENOS É MAIS na minha vida! Vou imprimir as dicas e espalhar em lugares que vejo sempre, para lembrar de manter as coisas simples em evidência! Adorei o blog, estou sempre aqui lendo e me inspirando nas suas postagens! Parabéns pelo trabalho.. Muito sucesso e realizações em 2014, e SEMPRE! Beijos

  39. Que lista linda! Estou completando um ano de minimizar compras e simplificar a vida em família. Nunca fui muito consumista, mas hoje tenho um desapego que muito me agrada. Não me importo mais em repetir vestido em festa (vestidos lindos, clássicos, de boa qualidade), sapatos do dia a dia (afinal minhas 3 sapatilhas velhas não machucam meus pés), cortar meu cabelo e fazer as unhas em casa (dá menos trabalho do que dirigir até o salão, o custo é zero e o resultado: ouso dizer que é o mesmo).
    Não tenho mais vergonha em dizer que levo uma vida tranquila, que me permito tirar uma soneca à tarde quando sobra tempo, que apesar de três filhos eu não vivo arrancando os cabelos!
    O tempo que me sobra com a simplificação da rotina invisto em leitura, brincadeiras, papo com as vizinhas, cozinhar (muito!), cervejinha com o marido, piscina com as crianças ou simplesmente fazer nada!
    E com o dinheiro que sobra, invisto em alimentação de qualidade, viagens e educação das crianças..
    Obrigada por toda a inspiração!

  40. Thaís, gostaria de propor uma outra análise de nossa atual sociedade. Algo que acontece muito (pelo menos aqui no RJ) e que faz parte do meu dia a dia.
    Noto que as pessoas tem VERGONHA de dizer que fazem algo por conta própria, ao invés de contratarem alguém ou comprarem pronto.
    Venho notando isso há alguns anos:
    – pessoas que tem carros simples na garagem mas acham coisa de pobre lavar e por isso contratam alguém para fazer isso
    – torcem o nariz quando dizemos que cuidamos nós mesmos da nossa piscina
    – faço meu próprio sabão de roupas (aquela receita da Rita) e as pessoas acham que estou ficando pobre (não entendem que faço o sabão para respeitar a saúde da minha família e por ser algo simples de fazer)
    – faço meu próprio pão e as pessoas me chamam de Amélia
    – não entendem porque eu ESCOLHI ficar sem empregada doméstica
    – acham um absurdo eu não trabalhar fora e lavar as cuecas do meu marido (mas cada um faz a sua parte, não?)
    – perguntam por quê não contratamos alguém para montar um móvel, ao invés do meu marido (mas se ele sabe e quer fazer, qual o problema?)

    O que está acontecendo com o orgulho de fazer nós mesmos? Para ser admirada, uma pessoa deve contratar outra(s) para fazer absolutamente tudo? Limpar seu banheiro, cuidar do seu filho, lavar seu carro, cuidar do jardim, escolher suas roupas, dirigir, fazer um simples conserto dentro de casa? Claro que não é todo mundo que sabe cozinhar, consertar, passar roupa, mas muitas coisas temos capacidade de fazer, basta um pouco de organização e dedicação (eu citaria também o desapego, porque não há problema em algo não sair perfeito)….

    Essa foi uma reflexão que tive com amigos e marido um dia desses, e gostaria de saber sua opinião.
    Um abraço

    • Não tá fácil pra ninguém mesmo. Minha opinião é: não ligar para as outras pessoas. Sempre agradeço a opinião e não dou corda para discussão, e neeem me estresso. Vivo uma vida coerente com minhas crenças e só devo algo para a minha família e à minha própria consciência. ;D

  41. Cada vez que venho aqui só aprendo mais com seu blog, há uns meses atrás eu me desfiz de muitas roupas e sapatos minhas e do meu marido que já não usávamos mais e doei e foi ótimo, e olha o empurrãozinho pra tomar coragem e separar tudo veio lendo seu blog. 🙂

  42. Descobri o seu blog ontem e já estou simplesmente apaixonada! Parabéns por compartilhar tantas dicas e reflexões! Também amo o assunto organização e sempre tento simplificar a vida (apesar de ainda ter um longo caminho para chegar lá) Acredito que aquilo que precisamos nos é oferecido, basta prestar atenção… por isso neste início de ano, época tradicional de “destralhar” a casa, a vida e a rotina, as dicas do blog estão sendo maravilhosas! Estarei sempre por aqui para acompanhar as novidades. Um ótimo 2014 para você! Bjs

  43. Oi Thais, adorei as dicas de simplicidade, porem gostaria de te dar um conselho sem reprovação. Não deixe de sair com os amigos, as vezes uma saidinha é muito gostoso e alegra a vida. Estou a 1 ano e 6 meses sem beber, pois engravidei e estou amamentando e procuro sempre que tenho tempo ( que é pouco) sair com os amigos e tomo agua com gás ( que adoro). Me divirto mesmo sem beber.
    PS: não precisa publicar meu comentário ok? gostaria realmente de dizer isso para vc pq, pode parecer estranho, mas tenho um carinho enorme por vc.

    abraço
    Renata

    • Obrigada, Renata, mas eu continuo saindo – só diminuí. Saíamos muito, especialmente porque meu marido é música e toca de 2 a 3 vezes por semana. Diminuímos de 3 para 1, por exemplo. Beijo.

  44. oi Thais, cheguei aqui no seu blog por acaso (eu estava escrevendo no meu sobre como vida organizada e acabei encontrando este link) e acho que já estou no quarto ou quinto post que leio completo =)
    dicas super uteis, tudo fácil de achar, realmente um primor! mas este post em particular eu adorei porque são práticas que tenho adotado ao longo dos anos na minha vida, então me identifiquei muito! Um assunto que gostaria de sugerir (que não sei se você já abordou, se sim sorry!) é a questão da vida a dois (ou a três, quatro no caso de famílias com filhos). Comento isto porque sou realmente muito organizada, mas meu marido não e acabamos sofrendo com as manias um do outro…já melhoramos muito, mas no começo foi bem difícil sincronizar, transmitir a necessidade de manter tudo organizado, e do ponto de vista dele, nem tudo precisaria estar milimetricamente no lugar como eu desejava, enfim, é sempre complicado impor as coisas, então negociamos muito (e após alguns anos continuamos negociando…rs)
    abraço grande!

    • Oi Vanessa,
      Já comentei sim. Na verdade, o teor do blog é mais ou menos esse, de que todas as tarefas em casa sejam divididas entre a família, então todos os posts acabam tendo um pouco sobre isso.
      Espero que ajude. Obrigada por comentar!

DEIXE UMA RESPOSTA