ou

Este ano foi a primeira vez que dei aulas. Era uma coisa que eu queria desde nova – cheguei até a entrar em uma faculdade de licenciatura, mas acabei saindo por não conseguir conciliar com o trabalho (já era formada e trabalhava na área). Poder dar aulas em uma disciplina da pós-graduação tem sido muito gratificante, pois o foco é sempre na prática do mercado e é isso o que eu sempre espero de um curso, especialmente de gestão, como é o caso.

Como vocês sabem, tenho passado por uma imersão total no Evernote e estou utilizando a ferramenta para gerenciar absolutamente tudo na minha vida. Não poderia ter sido diferente com as aulas, então neste post eu vou explicar um pouco como venho fazendo e dando super certo, porque talvez possa ajudar outros professores que vivem por aí com seu monte de papéis.

Imagem: Theed Hub

Imagem: Theed Hub

Para começar, eu tenho uma tag de projeto com o nome da instituição e a turma. Assim: “! Instituição – Turma X”. Nessa tag, eu vou colocar absolutamente tudo relacionado a essa turma. Desde o início, quando estávamos no planejamento da disciplina, coloquei notas das minhas reuniões com as coordenadoras e informações diversas sobre as turmas, como por exemplo: em que pé está o TCC? que aulas já tiveram? Então, quando eu precisasse acessar algo relacionado a eles, bastava clicar nessa tag. Muito simples de administrar ao criar novas notas e mais fácil ainda de visualizar.

Também é extremamente útil para organizar trabalhos. Crio uma sub-tag dentro da tag principal da turma para cada trabalho. Em vez de pedir que me entreguem em formato de papel, peço que me enviem por e-mail. De lá, vai direto para o Evernote, onde eu tageio com a tag da turma e do trabalho em questão. No nome da nota, coloco o nome dos alunos, apenas para facilitar a visualização (mas, se eu tivesse um número enorme de turmas, ficaria inviável e deixaria o trabalho para a busca do Evernote mesmo).

Para professores que recolhem trabalhos e provas em papel, não há muito o que fazer além de ter uma pasta por turma. Pelo menos é como eu faria se fosse o meu caso.

Imagem: Evernote.com

Imagem: Evernote.com

Dá para usar o arquivo de referência rápida (termo do GTD) para as aulas também. Quando preparo uma aula, suponhamos, para o dia 4, basta deixar todas as notas relacionadas a ela marcadas com o dia 4. Isso é legal porque facilita na hora de visualizar o que vou precisar para aquela aula específica. Quem tem muitas turmas pode se beneficiar com isso, especialmente se dá mais de uma aula por semana.

Outra coisa que eu faço é clipping de notícias e artigos interessantes que eu quero usar nas próximas aulas. Como nosso curso precisa de atualização o tempo todo, gosto de trazer os exemplos mais recentes para utilizar em sala de aula. Utilizo uma expansão do Google Chrome chamada Clearly que serve exatamente para isso – ela manda o artigo direto para o Evernote. A nota entra no meu caderno default (Inbox), e quando processo eu uso a tag da turma em questão e a da aula (também uso sub-tags para aulas).

Tenho uma nota para cada aula e, nessa nota, eu faço um resumo de tudo. Primeiro ela é um brainstorm onde anoto o que o plano de ensino demanda e minhas ideias principais. À medida que vou montando a aula, vou adicionando mais informações ali. Coloco a agenda da aula, dizendo que fiz um exercício em sala, por exemplo, e faço um controle de quem entregou e quem ainda não entregou. Também subo o arquivo .ppt que usei em sala, além de linkar referências que utilizei para exemplificar (artigos, notícias, vídeos do YouTube). Vira um verdadeiro roteiro para a aula. Ah, e deixo a nota marcada com o dia da aula, claro.

Quando as aulas acabarem para esta turma, eliminarei as sub-tags e deixarei somente a tag principal da turma em projetos finalizados (uso para isso uma tag chamada “Status – Concluídas”).

Ainda lido com algumas coisas de papel, como o diário de sala. Como ele não fica comigo, mas sim na instituição (só pego na hora das aulas), não me atrapalha.

Também uso o Evernote para montar roteiros das aulas, salvar o plano de ensino e as apresentações de cada aula que eu dei.

Outras dicas que podem ser úteis para professores usarem o Evernote

– Criar um caderno para cada turma e compartilhar com os alunos, para eles terem acesso a todos os documentos que você precisar disponibilizar. Não faço assim porque sou chata com a minha estrutura de cadernos mas, além disso, a instituição onde estou dando aulas possui um canal oficial para esse tipo de coisa, então não há necessidade.

– Faça diários de classe com um resumo do que aconteceu na aula em questão. Você pode tomar notas como “fulano participou bastante do exercício tal” ou “não esquecer que fulana pediu para sair mais cedo”. Você também pode usar esse pequeno resumo/diário para escrever sobre seus sentimentos com relação à aula, se estava nervoso(a), se acha que conseguiu passar o conteúdo, comentários dos alunos etc.

– Considere escanear trabalhos e provas e arquivar no Evernote, já com seus comentários. Você pode usar a câmera do seu celular para isso, enviando direto para a ferramenta, ou usar um scanner portátil. Pode dar trabalho, mas pelo menos você não precisa manter esse monte de papel com você quando as aulas terminarem. E também é bacana ter um arquivo do que foi feito, quando a gente entrega as provas e trabalhos para os alunos e acabamos ficando sem referência daquilo. Você pode querer mostrar algum trabalho ou resposta a uma pergunta que algum aluno tenha feito lindamente, e tendo isso arquivado no Evernote você encontrará muito rápido para apresentar em sala.

– Professores que orientam TCCs podem usar o Evernote para arquivar as diversas versões de trabalhos dos alunos juntamente com os comentários. Também podem gravar as reuniões de orientação, caso precisem de uma referência depois.

– Professores de educação infantil podem utilizar para guardar referências, desenhos para colorir e ideias no geral para cada faixa etária, tudo organizado com tags específicas para facilitar a visualização.

– Você pode incentivar os seus alunos a usarem o Evernote também, tirar fotos do quadro branco com o celular, arquivar trabalhos etc.

No geral, o Evernote é uma excelente ferramenta para todas as frentes e eu estou apaixonada, de verdade! Mas o que realmente faz a gente se organizar não é a ferramenta, mas a disciplina, a criatividade, o método. E isso a gente tem que ter quando é professor, especialmente se lida com mais de uma turma! Eu estou apenas começando, mas acredito que as dicas possam ajudar alguns professores com mais experiência também.

Você é professora(a)? Utiliza o Evernote?

Feliz Dia dos Professores para nós! Meu primeiro. <3

Thais Godinho
15/10/2013
Veja mais sobre:
Aulas, Evernote, Papel, Professores
37
Como a raiva afeta nossa produtividade
Tenha um lugar para cada coisa na sua casa
Como eu economizo tempo quando vou ao supermercado