Imagem: Moleskine.com
Imagem: Moleskine.com

Ainda estou no meio do processo, será demorado, pois tenho muito papel, mas gostaria de ir compartilhando com vocês.

Depois da minha febre com o Evernote, resolvi digitalizar tudo e manter em papel somente o estritamente necessário.

Isso está revolucionando a nossa casa e o meu trabalho. Uma das estantes do meu escritório já saiu, deixando um espaço que vai ser utilizado de outra forma. A estante foi para o quarto do nosso filho, já que a dele quebrou.

Incrível como acumulamos papéis! Mesmo eu, que já me desfiz de tanta coisa na vida, tenho muitas pastas e estou digitalizando tudo aos poucos.

Ferramentas que estou utilizando: câmera do tablet e do celular, scanner portátil da Epson (falarei sobre ele em outro post) e o Evernote. Todos os dias, invisto um pouco do meu tempo digitalizando alguns papéis. É chato? Sim. Parece interminável? Sim. Mas eu acredito nos benefícios, e por isso estou fazendo.

Recentemente fiz uma viagem internacional e, graças ao Evernote, consegui ter tudo sempre à mão, de passagens a recibos. Foi muito útil e nem tão trabalhoso como parece – bastou o hábito, usar a câmera do celular e postar no aplicativo.

Para mim, tem sido muito impactante no estudos, no gerenciamento da casa e no meu trabalho. Detalhes e dicas virão em posts futuros (prometo). Como ainda é tudo muito recente, não quero compartilhar informações incompletas ou que podem não estar corretas. Gosto de experimentar um tempo.

Este tem sido meu grande projeto de primavera.

29 Comentários

  1. Que legal, Thaís!

    Vou me inspirar em você, mais uma vez.

    Logo que comecei a ler seu blog, fiz uma limpa nas minhas revistas. Retirei as matérias que gostaria de voltar a ler e levei para a reciclagem todo o resto (Aqui no Rio, em Botafogo, onde moro, é possível trocar o lixo reciclável por desconto na conta de luz. Conseguimos trocar o valor de uma conta de luz ao longo do ano. Chama-se Light Recicla.)

    Depois de seus posts sobre o Evernote, resolvi baixá-los no celular/iPad/PC e já comecei a usá-lo aos poucos. Ainda preciso definir como farei a distribuição de minhas necessidades. Ainda lerei seus posts com mais atenção sobre o assunto.

    Na semana passada, resolvi escanear alguns desses materiais das revistas que havia guardado. Muitos acabaram indo para o lixo. É curioso como nossos gostos e vontades mudam, né? Agora, ao passar pelos recortes, fiquei me perguntando por que havia mantido alguns deles. Não tinha mais nenhum interesse. Foram todos para a sacola de reciclagem. Alguns eu li e já descartei. Os demais, fotografei e arquivei para organizar tão logo tenha estabelecido como.

    Outra ação que estou fazendo é ler todos os livros que estão guardados há anos na estante. Estou lendo e dando-os para alguém. É claro que alguns eu já li e ainda não tive coragem de me desfazer, pois gosto muito, mas há vários que estavam ali “para um dia ler”. Já consegui ler 5 deles e deixar que fossem felizes com outros companheiros. 🙂 Vão sobrar somente aqueles que realmente fazem parte da minha vida.

    Muito obrigada por tudo!
    Bjs,
    Rafaela

  2. Thais, acho muito bacana esse ponto de eliminar papeis deixando tudo virtual. Acredito que o Vladimir Campos, evangelizou você para usar o Evernote, não é mesmo?

    Tenho uma visão um pouco mais filosófica da coisa, a um tempo venho tentando viver uma vida mais simples, mais leve. Para viver assim é preciso eliminar coisas que carregamos achando que um dia vamos usar. E certamente o Evernote tem ajudado muito nesse processo. Além de eliminar coisas físicas, como os papeis, ainda aliviamos a nossa mente, sabendo que uma informação estará a uma busca. Podendo usar a energia para outras coisas mais importantes do que ficar tentando lembrar onde está aquele documento.

  3. Olá Thaís!

    Posso sugerir um post, que é uma dúvida minha? (mas se o post já existir, pode me indicar qual é?)

    Gostaria de saber mais sobre os documentos que podemos ter digitalizados e os que realmente temos que ter em papel. Fiquei curiosa que tipo de comprovante/recibos você mantém digitalizado.

    🙂

  4. Oi Thais,
    fiquei na dúvida do que podemos digitalizar e o que é melhor guardar o papel. E como lidaremos com os backups.
    Quando você fizer o post com mais detalhes poderia abranger esse assunto.

  5. Outro dia estava pensando sobre isso, adoro estudar, e com os estudos temos milhões de anotações, apostilas, papers, artigos e não sabemos quando isso poderá nos ser útil. Tenho uma estante de aço enorme só com material de estudo desde a faculdade, e olha que de lá para cá foram: faculdade, curso de extensão, pós graduação, MBA, mestrado, curso de reciclagem profissional e ainda material de apoio as aulas da Universidade…UFa onde guardar isso tudo????

    Pensei em digitalizar, mas desanimei somente em pensar com o tempo que vou levar para fazer isso tudo com a vida atribulada que tenho…ai meu Deus Socorro Thaís…vi e me interessei pelo scanner portátil da Epson, onde tá esse post? Será que eu engoli barriga? Onde você comprou? É rápido o scanner? Como você faz ao utilizar a câmera, são diversos arquivos, não fica ruim para ler depois??? Help please

  6. Bom dia!!
    Thais você esta fazendo isso com os comprovantes de pagamento?

    nossa imagine eu, professora, tenho muitos papeis naquele esquema “nao vou desfazer porque posso usar tal dia” e quem usa huah, fiz dias atras uma limpa nesses papeis e meu Deus como tinha.
    beijus
    e ficarei ligadinha aqui nas novidades

  7. Taís
    Posta logo sobre o uso do scanner portátil: etsou precisando comprar um. pesquisei váriossss mas estou em dúvida sobre qual é melhor e sobre funcionalidades. abraços

  8. Esse Moleskine em parceria com o Evernote é divo, né? Eu tô adorando usar o Evernote e cada dia me acostumo mais. Suas impressões e progresso no uso dessa ferramenta é uma ótima motivação. bjbj

  9. Olá
    olha, eu sou meio desconfiada. Achei esse evernote super interessante/atraente. Mas parece bom demais pra ser verdade/seguro/grátis, rs.

    obrigada pelos posts!

  10. Também penso em fazer isso, mas fico com uma dúvida: o que digitalizar? e se uma digitalização não servir como documento em alguma instituição? como você faz essa distinção?
    Outra pergunta: e se der por uma eventualidade houver algum dano no sistema informatico e perder os documentos?
    obrigada

  11. Nossa, to muito curiosa para saber como tem sido esse passo a passo e todo o processo, o que se deve/não deve digitalizar…
    Abraço

  12. Oi Thais,

    A sua Epson tem a função “scan to evernote”? Se sim poderia compartilhar o modelo e onde comprou?

    Estou buscando alguma multifuncional que tenha esse recurso.
    Obrigada

  13. Thais,

    O que vc faz com a papelada física depois de escaneá-la? Joga fora? Fico um pouco receosa de fazer isso porque não sei exatamente o valor jurídico de documentos digitalizados…

    Bjo

  14. Fiz isso ano passado! Digitalizei tudo o que precisa manter, aproveitei para descartar o que não precisava mais e passei a rejeitar papel sem necessidade. Deu um trabalhão, mas valeu (e tem valido) muito a pena. Facilita muito a vida!
    Belo projeto de primavera, boa sorte!

  15. Oi Thais! Essas semanas queria baixar Excel 2013, que eu não tinha, quando cliquei um um site onde eles tinham planilhas prontas. Não sei se tu conhece, é o Vertex 42 (http://www.vertex42.com/), é ótimo e tem umas dicas bem legal (o site é em Inglês). Além de ter as planilhas prontas, elas podem ser baixadas de graça.
    Com isso, acho que dá pra reduzir uma boa quantidade de papéis.

  16. olá!!! adorei a ideia da redução de papel….
    perguntas: como vc se livrou de uma estante? que tipo de coisas digitalizou?
    o que pode ser digitalizado, vc sabe?

    obrigada!!!!

  17. Thais, fiquei com algumas dúvidas: O que scanear? Como é feito o backup depois? A leitura desse documento depois é fácil? Se houver algum problema no evernote perdemos tudo?

    bjsss

  18. Isso vicia né? Eu quando comecei a usar o ONenote foi do mesmo jeito, mas hoje depois de mais de 3 anos usando me adaptei e tenho tudo nele. Incrível como o número de papel diminui. Fiz o que você está dizendo, um pouco por dia, tudo que chegava novo ia para o OneNote até que depois de um tempo tudo estava lá 🙂
    Seguirei lendo suas dicas e descobertas, pois muita coisa consigo aplicar no Onenote tb. Beijos

  19. Ola Thais!

    Estou iniciando uma vida mais simples, e muito se deve ao seu blog! Li ele inteirinho e utilizei muitas dicas. Já fiz vários destralhamentos e agora mantenho meu quarto sempre organizado. E isso é algo inédito!rs
    Ainda não utilizo o Evernote, mas estou curiosa para começar a usar. Vou ler novamente suas dicas sobre ele!

    =)

  20. E graças à Thais, sou a mais nova louca do evernote do pedaço. E aí rola a pergunta que não quer calar: eu sei que dá para fazer backup do evernote, mas teria como ler esse backup de outra forma sem o evernote? :p

  21. Tou nesse projecto há imenso tempo e cada vez mais perto do fim! Demora sim, mas compensa muito!!!!! Não só é rapido de procurar se deixar tudo organizado no computador como deixa espaço livre em casa 😉

  22. OI, Thaís.

    Venho acompanhando o seu blog há um bom tempo e adoro tudo que você escreve. Tanto que entro no mesmo todos os dias. Esse seu último post veio em boa hora, porque estou justamente organizando meus papéis e estava procurando um scanner para facilitar a tarefa. Fiquei muito curiosa sobre o scanner que você citou. Você disse que falará dele em outro post. Ficarei aguardando ansiosamente!!! Um grande abraço!!!

  23. Também adoro o Evernote, mas ainda não sou viciada rsrs, aos poucos vamos aprendendo novos usos para o aplicativo e encaixando ele no dia a dia.
    Eu definitivamente preciso fazer uma faxina nos meus papéis, e nem tinha pensado no Evernote (pronto, mais uma utilidade pra ele!). Aliás, tenho tanta coisa pra arrumar que nem sei por onde começar, cada hora faço uma parte e nada fica pronto, acho que preciso mesmo de metas, como você citou em outro post… e projetos, como esse dos papéis.
    Obrigada pela dica, estou adorando ler o blog!

DEIXE UMA RESPOSTA